Dicas de Filmes: O Silêncio do Lago

No post anterior (leia aqui), eu escrevi sobre um dos filmes mais inteligentes que eu já vi, o holandês Spoorloos, um filme que não foi lançado comercialmente até 1991,...
Dicas de Filmes - O Silêncio do Lago

No post anterior (leia aqui), eu escrevi sobre um dos filmes mais inteligentes que eu já vi, o holandês Spoorloos, um filme que não foi lançado comercialmente até 1991, talvez porque os distribuidores temiam que o público norte-americano não aceitasse o pessimista, mas inevitável final. Mas isso não importa, porque em 1993 os próprios americanos fizeram a sua própria versão do filme, mas com um final diferente, e isso acabou sendo um insulto à inteligência deles mesmos.

O filme original conta uma história simples. Um casal está de férias e param em um posto na estrada. A mulher entra em uma loja de conveniência para comprar bebidas e desaparece sem deixar rastros. Por três anos o marido busca incansavelmente por uma resposta que tire dele sua dor. O final do filme original é apenas o retrato do filme. Nenhum outro final poderia ser encaixado ali, e é por isso que o final do filme hollywoodiano estraga essa versão.

E o mais estranho nisso tudo é que George Sluizer, diretor do original, foi também o diretor contratado para realizar a versão de Hollywood. Ele atacou selvagemente sua obra-prima em prol das “regras” dos finais felizes. Mesmo assim, The Vanishing (O Silêncio do Lago) é um filme que poderia ter sido perfeito, a começar pelo elenco, que conta com os ganhadores do Oscar Jeff Bridges e Sandra Bullock, além de Kiefer Sutherland (o famoso Jack Bauer da série 24 horas).

A melhor performance do filme vai para o excelente Jeff Bridges. Ele vive o misterioso Barney Cousins, um pacato e tranquilo homem de família que contempla sua capacidade para o mal com uma imparcialidade científica. Ele faz um vilão sedutor e atencioso, mas que a qualquer momento pode nos mostrar sua verdadeira face. Jeff Bridges trouxe uma credibilidade para o filme que, como um todo, não conseguiu.

Diferentemente de Spoorloos, O Silêncio do Lago começa sob o ponto de vista do psicopata Barney Cousins, um professor universitário e pai de família que, aparentemente, sempre teve fantasias sobre raptar uma mulher. Desde o começo ele planeja essa ação, mas nunca fica claro o porquê. Em seguida somos apresentados ao casal vividos por Kiefer Sutherland e Sandra Bullock, que estão de férias e viajam pelo país. A mulher desaparece no posto de gasolina e o marido começa sua obsessiva busca pela mulher desaparecida. O filme quase todo é focado na obsessão do marido em encontrar uma resposta. Ele deixa sua vida de lado para tentar entender o que aconteceu com sua esposa. Transpondo isso para a vida real, desaparecimentos sçao uma tragédia que vemos quase que diariamente. Talvez o exemplo mais famoso seja as Mães de Maio na Argentina cujos filhos desapareceram a mais de 40 anos durante a ditadura militar e até hoje elas se reúnem em busca de respostas.

Outro personagem importante em ambos os filmes é a nova namorada do marido. Em Spoorlos, ela o deixa depois de entender que não conseguirá competir com a memória da desaparecida. Mas no filme holywoodiano, a namorada, vivida por Nancy Travis, não sai de perto dele (talvez porque ela será necessária no final). Sua compaixão muda sua vida.

Em seu impiedoso desdobramento, Spoorlos é um filme existencial, já O Silêncio do Lago meio que se transforma em um filme slasher com um final clichê. É uma pena pois o cinema norte-americano mostrou mais uma vez que prefere a superficialidade do que a profundidade. George Sluizer dirigiu dois filmes com a mesma história, um é uma obra-prima, já o outro é o típico produto lobotomizado de hollywood. O grande problema de O Silêncio do Lago é a sombra, a sombra de Spoorloos.

Informações

Título: The Vanishing

Título no Brasil: O Silêncio do Lago

Direção: George Sluizer

Escrito Por: Todd Graff, Tim Krabbé

Elenco: Jeff Bridges, Kiefer Sutherland, Nancy Travis, Sandra Bullock

Edição: Bruce Green

Distribuição: 20th Century Fox

Lançamento: 05 de Fevereiro de 1993

País: Estados Unidos

Obs.: Inspirado no Livro Het Gouden Ei



Curta O Aprendiz Verde No Facebook

 

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • Paulog0m3s

    Spoorloos é um filme daqueles que você nunca mais esquece. Esse The Vanishing ainda não vi. 

    Seus posts são fodásticos, se você puder fazer um megapost sobre o James Holmes, que assassinou 12 pessoas
    e feriu  59  esta semana atirando no cinema , seria interessante demais.

    • Obrigado Paulo! Realmente um post sobre James Holmes seria interessante. Meu tempo para o blog é limitado =D mas sua dica foi anotada. Abraços!

  • Walace Nogueira

    Discordo. Vi primeiro o the vanishing, e gostei mto. Depois vi Spoorloos e quase dormi.Que falta o Jeff Bridges fez. Acho a história envolvente e o final feliz não tira seu brilho no filme americano, que prende e tem um bom ritmo – o que não ocorre com o filme europeu, data maxima venia.

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers