Dicas de Filmes: O Silêncio do Lago

No post anterior (leia aqui), eu escrevi sobre um dos filmes mais inteligentes que eu já vi, o holandês Spoorloos, um filme que não foi lançado comercialmente até 1991,...
Dicas de Filmes - O Silêncio do Lago

No post anterior (leia aqui), eu escrevi sobre um dos filmes mais inteligentes que eu já vi, o holandês Spoorloos, um filme que não foi lançado comercialmente até 1991, talvez porque os distribuidores temiam que o público norte-americano não aceitasse o pessimista, mas inevitável final. Mas isso não importa, porque em 1993 os próprios americanos fizeram a sua própria versão do filme, mas com um final diferente, e isso acabou sendo um insulto à inteligência deles mesmos.

O filme original conta uma história simples. Um casal está de férias e param em um posto na estrada. A mulher entra em uma loja de conveniência para comprar bebidas e desaparece sem deixar rastros. Por três anos o marido busca incansavelmente por uma resposta que tire dele sua dor. O final do filme original é apenas o retrato do filme. Nenhum outro final poderia ser encaixado ali, e é por isso que o final do filme hollywoodiano estraga essa versão.

E o mais estranho nisso tudo é que George Sluizer, diretor do original, foi também o diretor contratado para realizar a versão de Hollywood. Ele atacou selvagemente sua obra-prima em prol das “regras” dos finais felizes. Mesmo assim, The Vanishing (O Silêncio do Lago) é um filme que poderia ter sido perfeito, a começar pelo elenco, que conta com os ganhadores do Oscar Jeff Bridges e Sandra Bullock, além de Kiefer Sutherland (o famoso Jack Bauer da série 24 horas).

A melhor performance do filme vai para o excelente Jeff Bridges. Ele vive o misterioso Barney Cousins, um pacato e tranquilo homem de família que contempla sua capacidade para o mal com uma imparcialidade científica. Ele faz um vilão sedutor e atencioso, mas que a qualquer momento pode nos mostrar sua verdadeira face. Jeff Bridges trouxe uma credibilidade para o filme que, como um todo, não conseguiu.

Diferentemente de Spoorloos, O Silêncio do Lago começa sob o ponto de vista do psicopata Barney Cousins, um professor universitário e pai de família que, aparentemente, sempre teve fantasias sobre raptar uma mulher. Desde o começo ele planeja essa ação, mas nunca fica claro o porquê. Em seguida somos apresentados ao casal vividos por Kiefer Sutherland e Sandra Bullock, que estão de férias e viajam pelo país. A mulher desaparece no posto de gasolina e o marido começa sua obsessiva busca pela mulher desaparecida. O filme quase todo é focado na obsessão do marido em encontrar uma resposta. Ele deixa sua vida de lado para tentar entender o que aconteceu com sua esposa. Transpondo isso para a vida real, desaparecimentos sçao uma tragédia que vemos quase que diariamente. Talvez o exemplo mais famoso seja as Mães de Maio na Argentina cujos filhos desapareceram a mais de 40 anos durante a ditadura militar e até hoje elas se reúnem em busca de respostas.

Outro personagem importante em ambos os filmes é a nova namorada do marido. Em Spoorlos, ela o deixa depois de entender que não conseguirá competir com a memória da desaparecida. Mas no filme holywoodiano, a namorada, vivida por Nancy Travis, não sai de perto dele (talvez porque ela será necessária no final). Sua compaixão muda sua vida.

Em seu impiedoso desdobramento, Spoorlos é um filme existencial, já O Silêncio do Lago meio que se transforma em um filme slasher com um final clichê. É uma pena pois o cinema norte-americano mostrou mais uma vez que prefere a superficialidade do que a profundidade. George Sluizer dirigiu dois filmes com a mesma história, um é uma obra-prima, já o outro é o típico produto lobotomizado de hollywood. O grande problema de O Silêncio do Lago é a sombra, a sombra de Spoorloos.

Informações

Título: The Vanishing

Título no Brasil: O Silêncio do Lago

Direção: George Sluizer

Escrito Por: Todd Graff, Tim Krabbé

Elenco: Jeff Bridges, Kiefer Sutherland, Nancy Travis, Sandra Bullock

Edição: Bruce Green

Distribuição: 20th Century Fox

Lançamento: 05 de Fevereiro de 1993

País: Estados Unidos

Obs.: Inspirado no Livro Het Gouden Ei



Curta O Aprendiz Verde No Facebook

 

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no Whatsapp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Facebook!

Siga-nos no Twitter!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Receba nosso conteúdo no WP
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Receba nosso conteúdo no WP