Esclarecendo Charles Manson: ele não é um serial killer

A internet é conhecida por ser um espaço anárquico e caótico, onde a qualquer hora e a qualquer momento você pode ser plagiado com um control C ou se...
Esclarecendo Charles Manson

Esclarecendo Charles Manson

Charles Manson

A internet é conhecida por ser um espaço anárquico e caótico, onde a qualquer hora e a qualquer momento você pode ser plagiado com um control C ou se esbarrar com um texto completamente errado e sem sentido. Às vezes, o erro é tão grotesco que nos faz até passar mal; uns riem, outros choram. E em alguns casos mais extremos faz alguém perder a paciência e sentar numa cadeira para escrever um texto apenas para desmentir inverdades e esclarecer fatos. E é isso o que venho fazer aqui agora.

O personagem da vez é o infame Charles Manson, um dos criminosos mais famosos do século 20. Minha crítica é com relação às centenas de textos publicados na internet a seu respeito. Textos completamente errados, que deturpam a verdadeira história de Manson e a contam toda errada. E não pensem que esses são textos publicados em um blog de um moleque de 13 anos qualquer ou em um fórum onde ninguém não sabe nada. Esses textos são publicados em alguns dos mais famosos e acessados veículos de comunicação do Brasil.

Quero aqui esclarecer de uma vez por todas quem é esse cara e dizer NÃO!! CHARLES MANSON NÃO É UM SERIAL KILLER! 

Charles Milles Manson

Digite Charles Manson no Google. Você certamente achará um link, de algum site conceituado, chamando Manson de assassino ou pior, serial killer. Lhes faço então a seguinte pergunta: Como alguém que nunca matou ninguém pode ser chamado de assassino? E pior, assassino em série?

Esse ano Charles Manson apareceu duas vezes na mídia. A primeira no começo do ano quando ele teve seu pedido de liberdade condicional negado. Na segunda vez, há poucos dias, quando ele enviou uma ameaçadora carta ao cantor Marilyn Manson, um roqueiro que utiliza o sobrenome do criminoso como nome artístico.

Todas as vezes que o diabólico Charles Manson aparece na mídia ele é erroneamente tachado de serial killer. Talvez porque jornalistas achem o termo bonito, ou porque chama mais atenção para a notícia, ou porque achem que todo criminoso demente seja serial killer. O fato é que isso é um trabalho porco, que só contribui para a desinformação e desconhecimento. Se você vai escrever uma notícia, seja ela qual for, você deve entender sobre aquele assunto e deve utilizar corretamente os termos referentes. Eu não espero isso de um moleque de 13 anos que tem um blog, mas eu esperaria isso da revista Rolling Stone, do site Uol, do R7, do G1 e tantos outros por ai.

Os equívocos sobre Charles Manson vem desde a época dos seus crimes e continuam até hoje, mas hoje, muito pior do que antes. Charles Manson foi o líder de um grupo conhecido como “Família Manson”. A Família Manson, composta por hippies, delinquentes e desajustados, formou-se em plena contracultura dos anos de 1960. Para resumir a história, Charles Manson, um psicopata paranoico, acreditava que o mundo estava à beira de uma guerra apocalíptica racial, guerra a qual ele chamou de “Helter Skelter” (nome de uma música dos Beatles). Em sua mente doentia, Manson decidiu precipitar essa guerra e orquestrou uma onda de assassinatos que foram cometidos por seus seguidores, ou seja, ele foi o mandante e os seus seguidores os executores dos assassinatos.

Na foto: As seguidoras de Charles Manson Susan Denise Atkins (esquerda), Patricia Krenwinkel (centro) e Leslie Van Houten (direita), sorriem ao receberem a pena de morte por participarem nos assassinatos ordenados por Charles Manson. Créditos: Corbis

Os seguidores de Charles Manson ficaram notórios após assassinarem 7 pessoas em 2 dias, dentre as vítimas, a belíssima atriz hollywoodiana Sharon State, esposa do cineasta Roman Polanski e que estava grávida de oito meses. Cinco dessas pessoas foram mortas de uma só vez, quando os seguidores de Manson invadiram a casa de Sharon Tate e assassinaram ela e mais quatro visitas que estavam na casa. No dia seguinte aos cinco assassinatos, os seguidores de Manson mataram o casal LaBianca. Duas outras pessoas foram mortas em episódios separados. Charles Manson não esteve presente em nenhum dos incidentes que culminou na morte das 7 pessoas. Ele chegou a entrar na casa do casal LaBianca, mas foi embora antes dos seus seguidores assassiná-los.

Primeira conclusão a que chegamos: se Charles Manson não matou ninguém, ele não pode ser chamado de assassino, certo? Pior ainda serial killer. Se ele foi o mandante, não pode ser chamado de assassino. Assassino é quem mata. Se mandantes de crimes agora são chamados de assassinos ou serial killers essa é nova pra mim.

OK, se Charles Manson não é assassino ou um serial killer, os seus seguidores, os que realmente assassinaram pessoas, eles seriam serial killers?

Para responder essa questão temos que entender o conceito de assassinatos em série e assassinos em série. De acordo com o FBI, assassinatos em série são assassinatos (com intervalos de tempo) de duas ou mais vítimas, cometidas pela mesma pessoa. O período entre os assassinatos é o fator mais importante para se determinar se um assassino é ou não serial killer. Além disso, o serial killer tem imenso prazer no assassinato em si e vive aquele momento (do assassinato) de forma bastante intensa, por isso, serial killers costumam matar uma pessoa por vez e quase nunca duas ou mais. É como se cada uma de suas vítimas representasse o seu mundo, eles podem passar horas torturando ou horas picando um corpo. Após o assassinato, eles voltam para suas vidas normais em sociedade e, posteriormente, quando o desejo de matar torna-se irresistível, eles atacam novamente. Por isso o intervalo do assassinato entre uma vítima e outra é grande, podendo levar vários dias, semanas, meses e até anos. Ted Bundy, Jeffrey Dahmer, O Maníaco do Parque, são bons exemplos. Ted Bundy passava horas torturando suas vítimas mulheres. Jeffrey Dahmer não torturava, ao contrário, a sua “diversão” vinha quando sua vítima já estava morta e ele poderia fazer suas macabras experiências sexuais com seus cadáveres. O Maníaco do Parque torturava e estuprava suas vítimas antes de matá-las.

Segunda Conclusão: Não!! Nem mesmo os assassinatos cometidos pelos seguidores de Charles Manson podem ser considerados assassinatos em série porque:

  1. Primeiro: Foram cometidos por várias pessoas ao mesmo tempo;
  2. Segundo: Foram assassinadas várias vítimas ao mesmo tempo;
  3. Terceiro: O intervalo entre os 7 (Tate-LaBianca) assassinatos foi de menos de um dia;

Bom, mas se eles não são assassinos em série e seus crimes não caracterizam assassinatos em série, como eles poderiam ser classificados? O termo que verdadeiramente caracteriza os assassinatos da Família Manson talvez seja novo para vocês e chama-se spree killing. Os seguidores de Charles Manson são, portanto, spree killers.

Novamente vamos recorrer a quem entende da coisa para nos ajudar, o FBI. Segundo o FBI, spree killings caracterizam-se por assassinatos em dois ou mais locais com quase nenhum tipo de intervalo entre eles e cometidos por dois ou mais assassinos. Pronto! Os crimes da Família Manson são caracterizados como spree killings.

  1. Primeiro: Os assassinatos Tate-LaBianca foram cometidos em locais distintos, sendo cinco deles mortos no mesmo local;
  2. Segundo: O intervalo entre as mortes foi de apenas um dia;
  3. Terceiro: Os assassinatos foram cometidos por várias pessoas;

Significativamente não houve um período de reflexão emocional para os assassinos, algo que é presente no serial killer. Alguns serial killers até voltam para a cena dos crimes no intuito de reviver o assassinato.

O interessante para mim é que ninguém precisa saber sobre as características de serial killers ou spree killers ou mass murderers para saber o básico: se alguém não mata, ele não pode ser chamado de assassino. Charles Manson chegou a zombar do Juiz durante o seu julgamento dizendo que não havia assassinado ninguém, o que é a mais pura verdade. Mas apesar de não ter matado ninguém, ele foi condenado por sete assassinatos em primeiro grau. O tribunal decidiu que a Família Manson era uma extensão dele, assim, quando cometeram os assassinatos obedecendo suas ordens, era o mesmo que Manson matar. Isso, entretanto, foi um entendimento jurídico. Tecnicamente (e realmente) Manson não é assassino.

Se todo mandante de assassinato ou assassinatos for chamado de serial killer será necessário rever todos os conceitos que envolvem assassinatos.

Exemplos de serial killers e spree killers

Nome: Jeffrey Lionel Dahmer

Definição: serial killer

Obs.: Entre 1978 e 1991, o norte-americano Jeffrey Lionel Dahmer assassinou 17 homens. O intervalo entre o seu primeiro e segundo assassinatos foi de 9 anos. A partir do segundo assassinato o tempo entre cada morte variou de acordo com sua “necessidade” de matar.

Por exemplo, o período entre os assassinatos de David Thomas (nona vítima) e Curtis Straughter (décima vítima) foi de cinco meses. Já de Oliver Lacy (décima sexta vítima) e Joseph Bradehoft (décima sétima vítima) foi de apenas sete dias. Como todo serial killer, suas vítimas tinham o mesmo perfil e mesma faixa etária e representavam uma fantasia dentro de sua mente. Jeffrey Dahmer era um homossexual reprimido e obcecado com o controle. Ele assassinava homens jovens e atléticos, pois em sua mente eles representavam o seu parceiro sexual ideal. E ele só poderia obter controle total sobre eles se estivessem mortos. Chegou a construir um altar com os crânios das vítimas.

Nome: Marcelo Costa de Andrade

Definição: serial killer

Obs.: Entre abril e dezembro de 1991, Marcelo Costa de Andrade assassinou 13 crianças no estado do Rio de Janeiro. Marcelo foi um serial killer que assassinou em intervalos curtos, de poucas semanas entre um assassinato e outro.

Suas vítimas tinham sempre o mesmo perfil e mesma faixa etária e, como no caso Dahmer, representavam uma fantasia dentro de sua mente. Sua obsessão era por meninos entre 6 e 13 anos. Marcelo estuprava e matava pois, segundo ele, estava mandando-os para o céu. Há a suspeita também de que os assassinatos foram uma espécie de vingança silenciosa já que ele sofrera bullying dos coleguinas na infância que o chamavam de “retardado mental.”

Nome: Família Manson

Definição: spree killers

Obs.: A Família Manson foi um grupo que, sob as ordens de Charles Manson, assassinou 7 pessoas em 9 de agosto e 10 de agosto de 1969.

Em 9 de agosto de 1969, quatro membros do grupo invadiram a casa da atriz Sharon Tate e assassinaram a facadas cinco pessoas que estavam no local, incluindo a atriz grávida. No dia seguinte, eles invadiram a casa do casal Leno LaBianca e Rosemary LaBianca e os assassinaram. Diferentemente dos serial killers, as vítimas dos spree killers não tem um significado específico, elas não representam uma fantasia. São mortas ao acaso. O exemplo da Família Manson é fácil de enxergar. As cinco pessoas que foram mortas na casa da atriz Sharon Tate só foram assassinadas porque estavam no local errado na hora errada.

Nome: Charles Starkweather e Caril Fugate

Definição: spree killers

Obs.: Um dos mais famosos casos de spree killers atende pelo nome de Charles Starkweather e Caril Fugate. Em 1958, o casal (de 18 e 14 anos) simplesmente pegou um carro e saiu matando pelos Estados Unidos sem motivo aparente. A onda de matança começou em 21 de Janeiro de 1958 quando Charles foi até a casa da namorada e matou seus pais e sua irmã de apenas 2 anos. O casal, então, pegou o carro da família de Caril e  sairam sem destino pelos Estados Unidos. Mataram pessoas na estrada, postos de gasolina e lojas de conveniência. Quando a polícia os pegou, já haviam deixado um rastro de sangue e 11 pessoas mortas. Como característico dos spree killers, as vítimas foram mortas aleatoriamente, sem distinção entre homens, mulheres ou crianças e em um curto espaço de tempo. Para um spree killer, não interessa se você é negro, branco, índio, homem, mulher ou criança. Eles matam sem distinção, diferentemente de um serial killer, que costuma matar pessoas com o mesmo perfil (branco ou negro, homem ou mulher, prostituta, morenas ou loiras…)

R7

Não são só textos publicados em blogs  espalhados pela internet que contém erros grotescos. Uma matéria sobre Charles Manson publicada no R7, um dos maiores portais do Brasil e pertencente ao grupo Record de televisão, chega ao ponto de dizer que Charles Manson assassinou a atriz Sharon Tate.

O Globo

O jornal O Globo, um dos maiores jornais do país e pertencente às organizações Globo, também erra feio na reportagem acima ao dizer que Manson matou 7 pessoas. Bom, pelo menos eles não colocaram na matéria que ele é um serial killer.

Talvez uma das revistas mais importantes do mundo sobre música, a Rolling Stone, erra feio ao chamar Charles Manson de serial killer.

Matéria veiculada no Vírgula Uol, um conhecido portal que traz notícias sobre música, chama erroneamente Charles Manson de serial killer.

Outro conhecido site sobre música, o Whiplash.net, chama erroneamente Charles Manson de assassino em série.

Minha opinião é: pessoas que só copiam e colam textos sem realmente saber o que estão publicando estão prestando um grande desserviço para os seus leitores. Quanto aos grandes jornais e portais da internet que publicam matérias completamente erradas como as vistas acima, a primeira coisa a se fazer é despedir os jornalistas que escreveram a matéria, pois eu não sei, mas creio que na faculdade futuros jornalistas devem aprender que ter uma fonte confiável é o primeiro passo para se atingir a credibilidade.

Bom, agora você sabe que Charles Manson não é um assassino e que os crimes cometidos pelos seus seguidores não são característicos de serial killers e sim de spree killers. E espero que você acredite em mim, apesar de todo mundo dizer o contrário.



Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • Joicevcamargo

    Perfeito!! Deveria mandar seu texto pra todas essas páginas “importantes”.
    Aliás, não me surpreende, porque leio muitas notícias no site da Globo e os erros de ortografia são comuns e difíceis de engolir.

  • LUCIENE LUCRIMIA

    Que bom, você esclareceu, esta confusão que pessoas “burras” fazem de Charles Maison, agora sei que se ele aparecer sozinho em minha casa posso convida-lo para entrar e tomar um chá com biscoitos com ele. Porém se ele vier acompanhado aí sim eu deverei temer que a qualquer momento ele grite: “ataque!” é isso?/ tô certa? 

    • Um cara como o Manson sempre é bom manter distância. 

    • Le

      ótima análise, afinal com certeza a primeira coisa que ele vai fazer qd sair na prisão é ir na sua casa.

    • Natália Oliveira

      Oi?! WTF

  • Jeferson Silva

    Como sempre um texto muito bem escrito! Sempre disse isso as pessoas. Charles Manson Serial Killer?!?!?!? NUNCA! Manipulador!?!?!? SIM!!!!

    Abraço!

  • Daniele

    É verdade. Eu já tinha conhecimento de todas essas categorias citadas por você. Um exemplo clássico é a Suzane Von Richthofen: ela NÃO é uma assassina, pois não matou ninguém. Contudo, isso não a exime da culpa, porque foi a mentora dos assassinatos, assim como Manson.

    Em contrapartida, levo em consideração o que o Ary Friedenbach disse em um depoimento sobre o Champinha não ter matado apenas a Liana e o Felipe e sim, uma família inteira (na verdade, duas famílias). É algo interessante e concordo com ele, pois perder um ente querido de forma brutal, se reflete de forma devastadora em toda uma família (o avô da Liana contraiu um câncer após a tragédia e veio a falecer pouco tempo depois). É assassinato indireto, são as consequências que um crime traz. Infelizmente, o Champinha não pode ser responsabilizado por este fato.

    Eu, costumo deixar todas essas nomenclaturas como: serial killers, spree killers, assasinos em massa e líderes de seitas meio que de lado. Me refiro a todos eles como “bandidos”. Que além de ser mais prático e adequado, não corro o risco de cometer alguma gafe.

    Obrigada pelo excelente texto.

  • Daniele

    É verdade. Eu já tinha conhecimento de todas essas categorias citadas por você. Um exemplo clássico é a Suzane Von Richthofen: ela NÃO é uma assassina, pois não matou ninguém. Contudo, isso não a exime da culpa, porque foi a mentora dos assassinatos, assim como Manson.

    Em contrapartida, levo em consideração o que o Ary Friedenbach disse em um depoimento sobre o Champinha não ter matado apenas a Liana e o Felipe e sim, uma família inteira (na verdade, duas famílias). É algo interessante e concordo com ele, pois perder um ente querido de forma brutal, se reflete de forma devastadora em toda uma família (o avô da Liana contraiu um câncer após a tragédia e veio a falecer pouco tempo depois). É assassinato indireto, são as consequências que um crime traz. Infelizmente, o Champinha não pode ser responsabilizado por este fato.

    Eu, costumo deixar todas essas nomenclaturas como: serial killers, spree killers, assasinos em massa e líderes de seitas meio que de lado. Me refiro a todos eles como “bandidos”. Que além de ser mais prático e adequado, não corro o risco de cometer alguma gafe.

    Obrigada pelo excelente texto.

  • Noite Sinistra

    Bravo!!!!

    Quando iniciei minha caminhada na blogosfera escrevendo sobre terror um dos meus primeiros textos falou de Manson, em um blog para o qual não escrevo mais…em tal texto eu não coloquei ele como serial killer…recebi várias criticas de leitores por que eles AFIRMAVAM que Manson e sua “família” eram Serial Killers e tals. Tentei dialogar que o que a família Mansom fez, deveria ser classificado na “melhor das hipóteses” como massacre..mas nem nisso eu chegava a acreditar…de tanto eu ser criticado por isso acabei mudando o texto e chamando Manson de serial killer…rsrsrsrs. É meus caros, eu me dobrei vergonhosamente ao desejos dos “especialistas”…pena que na época eu não conhecia esse texto…teria usado ele como argumento de defesa…rsrsrs.

    Um grande abraço…e parabéns pelo ótimo blog, que é referência na área…

  • Leandro-Tricolor

    descordo de falar que Mason não é um serial killer,ele ter mandado matar pessoas ja faz dele um assassino,se alguem vai com uma pessoa roubar um banco e fica no carro pra da fuga ele caso seja pego vai responder como roubo,apeSar de não participar diretamente,é só minha opnião!

  • Pingback: Assassino de Aluguel Não é Serial Killer | Blog O Aprendiz Verde()

  • Thalita

    Em minha opinião, quando o site R7 refere-se a ele como autor, não esta errado não. Nem no sentido jurídico da palavra autor, muito menos quando vemos a definição da palavra perante a língua portuguesa.

    au·tor |ô|
    (latim auctor, -oris)
    substantivo masculino
    1. Aquele que cria ou produz (apenas por faculdade própria).
    2. A pessoa que escreve uma obra.
    3. O artista que faz um trabalho.
    4. Aquele que inventa ou é causa primeira de uma coisa.
    5. Livro de mérito científico ou clássico.
    6. [Jurídico, Jurisprudência] O que intenta a demanda ou é parte de acusação.

  • Bruna

    Queria ver sua opniao se ele tivesse mandado matar sua familia, ao invés de a familia dos outros.

  • Wash Diaz

    Manson foi ,acredito eu, um dos primeiros grandes casos noticiados do que eu chamo de uma não rara personalidade maligna que pode existir dentre os humanos. Um psicopata nível 4 .

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers