Pra saber mais: Qual a diferença entre serial killers, spree killers e mass murderers?

Talvez, os assassinos que mais fascinem o público sejam os serial killers. Uma explicação pode ser o fato de que muitos deles são pessoas com inteligência acima da média,...
Spree Killers - Maníacos de Dnepropetrovsk

Talvez, os assassinos que mais fascinem o público sejam os serial killers. Uma explicação pode ser o fato de que muitos deles são pessoas com inteligência acima da média, brancos, alguns bem sucedidos e acima de qualquer suspeita. Um fator que contribui também para o fascínio pelos serial killers são os personagens fictícios do cinema, como Hannibal “O Canibal” Lecter do filme O Silêncio dos Inocentes ou, atualmente, o personagem principal da popular série Dexter.

Serial killers são assassinos puramente predatórios e sem nenhum pingo de empatia, mas que instigam um macabro interesse nas pessoas comuns. Embora representem menos de um por cento dos assassinos conhecidos, eles recebem um nível anormal de atenção da mídia, muito devido a incompreensível selvageria de seus crimes. Por esses fatores o termo serial killer já faz parte do nosso cotidiano, da nossa cultura e, talvez por isso, seja tão erroneamente empregado. É bastante comum ver matérias em jornais, revistas e na internet tachando determinado assassino ou criminoso de serial killer. O conhecimento geral parece hoje em dia chamar qualquer assassino que se torne notório, famoso, de serial killer.

Alguns exemplos de criminosos que não são serial killers e são tachados com esse termo, tanto por pessoas que desconhecem o real siginificado do termo quanto pela mídia, são Charles Manson, João Acácio Pereira da Costa (O Bandido da Luz Vermelha), Adolf Hitler, Suzane Von Richtofen, dentre outros.

O que muitas pessoas não sabem é que além dos serial killers, existem dois outros tipos muito comuns de assassinos que vira e mexe cometem suas artes. São os spree killers e os mass murderers. Como esses dois conceitos são desconhecidos do grande público e negligenciados de certa forma pela mídia, a grande parte dos spree killers e mass murderers são chamados de serial killers. Distingui-los não é só importante para a criminologia como também para outras áreas do conhecimento.

Serial Killers, spree killers e mass murderers não são a mesma coisa. São três distinções para três grupos diferentes de assassinos. E nesse post explicarei o que é cada um deles.

Assassino em Massa


.

Mass murderer, no português “assassino em massa”, é o criminoso que perpetua o chamado mass murder ou assassinato em massa. O assassinato em massa é caracterizado pela morte de várias pessoas num mesmo local. As vítimas são mortas aleatoriamente pelo assassino, mas podem também ser mortas por uma razão específica, retaliação por exemplo. Um assassinato em massa ocorre geralmente quando o autor do crime está profundamente perturbado. Ele normalmente sofre um surto psicótico que distorçe a sua realidade. Na maioria das vezes, o mass murderer ou assassino em massa é morto no local do ataque, e em quase todas as vezes ele é morto por suas próprias mãos, ou seja, após matar várias pessoas, ele comete suicídio.

Do ponto de vista psicológico, o assassinato em massa é um ato premeditado de vingança de um indivíduo desesperado contra a sociedade. Um bom exemplo de assassinato em massa, e que ainda refresca a memória de todos nós, é o massacre cometido por James Holmes durante a estréia do filme Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge em um cinema do estado norte-americano do Colorado. Os assassinatos cometidos por James Holmes é um excelente exemplo da assinatura de um assassino em massa em termos de concepção e execução.

  1. Primeiro: Os assassinatos foram cometidos num mesmo local, neste caso, dentro de uma sala de cinema;
  2. Segundo: As 12 pessoas que morreram durante o ataque foram mortas aleatoriamente;
  3. Terceiro: James Holmes claramente efetuou o ataque durante um surto psicótico. “Eu sou o Coringa!”, disse ele ao ser preso;

Na maioria das vezes, mas não sempre, os assassinos em massa são mortos na cena do crime, seja pela polícia, seja por suas próprias mãos. Neste caso específico James Holmes difere de outros assassinos em massa pois ele não foi morto e não cometeu suicídio.

Portanto, as principais características que identificam um mass murderer são:

  1. Primeiro: Os assassinatos são cometidos em um só local;
  2. Segundo: As vítimas são mortas aleatoriamente, sem distinção de raça, gênero ou idade;
  3. Terceiro: O assassino claramente sofre de problemas mentais e efetua o massacre durante um surto psicótico;
  4. Quarto: O motivo do ataque costuma ser uma espécie de vingança do assassino contra a sociedade que (em sua mente) o desprezou;
  5. Quinto: Na maioria das vezes são mortos pela polícia ou cometem suicídio após o ataque.

Além de James Holmes, um outro exemplo de mass murderer é o estudante paulista Mateus da Costa Meira. Em 1999 ele abriu fogo contra pessoas em uma sala de cinema do Morumbi Shopping em São Paulo. O saldo foram três mortos e o resto em pânico. Detido minutos depois, o autor dos disparos confessou o crime e disse à polícia que já planejava algo do tipo havia mais de sete anos.

“Sei que prejudiquei várias pessoas, mas era uma coisa que precisava ser feita”, disse Marcelo que  sofria de delírios, alucinações e crises de agressividade e havia interrompido um tratamento psiquiátrico pouco tempo antes. Abaixo mais dois exemplos famosos.

Massacre em Realengo


O Brasil ficou chocado quando em 7 de abril de 2011, Wellington Menezes de Oliveira, 23 anos, entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Rio de Janeiro, e abriu fogo contra os estudantes, doze deles morreram. Esse talvez seja o mais famoso caso de assassinato em massa do Brasil.

Ele chegou na escola por volta das 8 horas da manhã carregando dois revólveres e carregadores speedloaders que o permitiram efetuar mais de 100 disparos. As vítimas eram atingidas aleatoreamente e segundo testemunhas, enquanto nos meninos ele atirava nos braços e pernas, nas meninas ele mirava na cabeça. O resultado foi a morte de 10 meninas e 2 meninos. Como dito anteriormente, isso é uma característica do mass murderer. Ele pode matar aleatoriamente qualquer tipo de pessoa (gordo, magro, branco, negro, mulher, homem, criança, adolescente…), mas também pode matar um determinado tipo de pessoa dentro daquele grupo. Nesse caso, Wellington matava aleatoreamente meninas. Segundo testemunhas, ele se referia a elas como “seres impuros.” Ou seja, era um tipo de retaliação do assassino.

O ataque tem todas as características de um assassinato em massa:

  1. Primeiro: Os assassinatos foram cometidos num mesmo local, a Escola;
  2. Segundo: As crianças foram mortas aleatoreamente, com preferência para meninas (característico de retaliação, por elas serem impuras de acordo com a mente doentia do assassino);
  3. Terceiro: Wellington claramente tinha problemas psicológicos;
  4. Quarto: Wellington cometeu suicídio após ser atingido na perna por um policial;

O maior ataque em vítimas fatais cometido por um mass murderer da história norte-americana foi cometido pelo estudante sul-coreano Seung-Hui Cho em 16 de abril de 2007.

Nesse dia, o desequilibrado estudante que fora diagnosticado por psiquiatras com transtorno severo de ansiedade e depressão, assassinou 33 pessoas no campus da Universidade da Virginia. Como característico dos mass murderers, os assassinatos foram uma vingança de Cho para com a sociedade. Em sua mente ele se sentia rejeitado por todos. O seu complexo de inferioridade extremo o fazia sentir raiva dos alunos brancos e ricos da Universidade. 

“Vocês me obrigaram a fazer isso!”, disse ele em uma das cartas encontradas no seu quarto.

O perturbado rapaz se matou após a polícia cercar o prédio da universidade no qual estava. Seung-Hui Cho é um assassino em massa porque:

  1. Primeiro: Os assassinatos foram cometidos num mesmo local, a Universidade da Virginia;
  2. Segundo: As 33 pessoas foram mortas aleatoreamente;
  3. Terceiro: O estudante claramente sofria de distúrbios psicológicos que o levaram a querer se “vingar” da sociedade;
  4. Quarto: Cometeu suicídio após os crimes.

Spree Killers


.

Segundo o FBI, spree killings caracterizam-se pelo assassinato de várias pessoas em dois ou mais locais diferentes com quase nenhum tipo de intervalo entre eles e costumam ser cometidos por dois ou mais assassinos. Assassinos que cometem spree killings são chamados de spree killers (não há uma tradução literal para o português. Em livros vocês poderão encontrar traduções para essa expressão como assassinos impulsivos e/ou assassinos relâmpagos). Muitas vezes os spree killers conhecem suas vítimas e os primeiros assassinatos podem ser cometidos contra membros da família ou parceiros sexuais.

A primeira diferença entre mass murderers e spree killers consiste no local dos assassinatos. Enquanto o mass murderer comete o ataque em um só local, o spree killer ataca em 2, 3 ou mais locais. Consequentemente existe um intervalo de tempo entre os ataques, o que inexiste no mass murder, já que ele é cometido em um só local.  Outra diferença consiste nos assassinos. Enquanto um mass murderer premedita sua ação e age sozinho, um spree killer costuma agir com outros spree killers e normalmente seus ataques não são premeditados e sim impulsivos, como se fosse um ataque de fúria. Eles pegam suas armas e saem matando.

As principais características dos spree killers são:

  1. Primeiro: Ataques em dois ou mais lugares distintos;
  2. Segundo: Várias pessoas são assassinadas em cada um dos locais nos quais atacam;
  3. Terceiro: As vítimas são mortas aleatoreamente, sem distinção de raça, gênero ou idade;
  4. Quarto: Intervalo de tempo entre os ataques é mínimo, podendo ser de horas ou de poucos dias;
  5. Quinto: Spree killers costumam atacar juntos, podendo ser 2, 3, 4 ou mais.

Exemplos Famosos


Os “Maníacos de Dnepropetrovsk” é um dos mais famosos e impactantes casos de spree killers do mundo. No meu ponto de vista o caso só não é mais conhecido e explorado porque ocorreu na Ucrânia. Certamente se esse caso tivesse ocorrido nos Estados Unidos teria uma cobertura muito mais sensacionalista por parte da mídia e consequentemente seria um dos casos mais lembrados quando se fala em crimes.

Em menos de um mês, dois adolescentes, Viktor Sayenko e Igor Suprunyuck, ambos de 19 anos, efetuaram uma onda de matança que culminou na morte de 21 pessoas na cidade ucraniana de Dnepropetrovsk. Munidos de martelos, os dois adolescentes vagavam pela cidade e seus arredores assassinando qualquer pessoa que cruzasse os seus caminhos. Homens, mulheres, jovens, idosos, crianças, mendigos… eles não faziam nenhum tipo de distinção. Apenas saiam matando. O caso é lembrado também pelo fato de que os assassinos disponibilizaram na internet várias fotos das vítimas, inclusive um vídeo no qual eles podem ser vistos assassinando um homem.

Os Maníacos de Dnepropetrovsk são constantemente e erroneamente chamados de serial killers. Viktor e Igor são spree killers porque:

  1. Primeiro: Eles cometeram vários assassinatos ao mesmo tempo e no mesmo dia;
  2. Segundo: Os ataques ocorreram em vários locais;
  3. Terceiro: As vítimas eram mortas aleatoreamente, sem distinção de raça, gênero ou idade;
  4. Quarto: O intervalo entre os ataques era bastante curto, de algumas horas e/ou poucos dias;
  5. Quinto: Atacavam em dupla, algo característico dos spree killers (que podem ser 2 ou mais)

A Família Manson foi um grupo que, sob as ordens de Charles Manson, assassinou 7 pessoas em 9 de agosto e 10 de agosto de 1969.

Charles Manson era um esquizofrênico paranoico que acreditava que os Beatles eram anjos mandados à Terra para avisar os homens sobre o Apocalipse. Manson, que era músico, teria ficado furioso com Terry Melcher, um produtor musical que havia lhe negado um contrato de gravação. Ele então ordenou que os seus seguidores (um grupo de hippies) invadissem a casa de Melcher e matassem quem estivesse lá. Em 9 de Agosto de 1969, os seguidores de Manson invadiram a ex-casa de Melcher (ele não morava mais lá) e promoveram uma chacina. Mataram as 5 pessoas que estavam na casa, dentre elas, a famosa e belíssima atriz Sharon Tate, mulher do cineasta Roman Polanski e que estava grávida de 8 meses. Ela foi perfurada 16 vezes por uma baioneta e enforcada.

No dia seguinte, o grupo invadiu uma outra casa e assassinou o casal Leno LaBianca e Rosemary LaBianca. Após essas duas chacinas todos do grupo foram presos.

Os assassinatos cometidos pelos seguidores de Charles Manson são caracterizados de spree killings, portanto eles são spree killers.

  1. Primeiro: Os assassinatos foram cometidos em dois locais distintos;
  2. Segundo: Foram mortas várias pessoas ao mesmo tempo (5 no primeiro local e 2 no segundo local);
  3. Terceiro: O intervalo entre os ataques foi de um dia;
  4. Quarto: Foi cometido por vários assassinos.

Serial Killers


.

O serial killer é, sem dúvida, o assassino mais profundo dos três, o mais difícil de pegar e o mais difícil de entender. Apesar de (comumente) ser um indivíduo que sofre de distúrbios mentais, assim como os mass murderers e spree killers, os serial killers costumam se camuflar na sociedade. Eles se escondem dentro de uma máscara. Existem dezenas de famosos casos envolvendo serial killers os quais eram homens acima de qualquer suspeita, pessoas bem sucedidas, com inteligência acima da média; casados, pais de família, empresários bem sucedidos. Isso, entretanto, era o que a sociedade via, por debaixo de sua máscara existia um psicopata sádico que matava sem nenhum pingo de remorso. E talvez seja por isso que eles são mais “idolatrados” e exerçam um enorme fascínio sobre as pessoas.

Mas bom, o que é um serial killer? No que ele difere dos mass murderers e spree killers?

Serial killers são assassinos que, como o próprio nome diz, matam em série, de forma serial. Bom! Mas o mass murderer e o spree killer também matam de forma serial, não? Eles matam um, depois o outro, depois outro. Mesmo que matem várias pessoas ao mesmo tempo, eles matam uma por vez. Sim, concordo! E é aqui que entram duas características importantes para se distinguir um serial killer dos demais: eles matam uma pessoa por vez e o intervalo entre o assassinato de uma e outra vítima é longo, podendo durar dias, semanas, meses e até anos.

Além disso, a vítima para o serial killer é tão importante quanto sua própria vida, pois ela representa uma fantasia dentro da sua mente. O serial killer tem imenso prazer no ato de matar e vive aquele momento (do assassinato) de forma bastante intensa, por isso, serial killers costumam matar uma pessoa por vez e quase nunca duas ou mais. É como se cada uma de suas vítimas representasse o seu mundo, eles podem passar horas torturando ou horas picando um corpo. Após o assassinato eles voltam para suas vidas normais em sociedade como se nada tivesse acontecido e, posteriormente, quando o desejo de matar torna-se irresistível, eles atacam novamente. Por isso o intervalo do assassinato entre uma vítima e outra é grande, podendo levar vários dias, semanas, meses e até anos.

Aqui definimos então dois fatores importantes que caracterizam um serial killer:

  1. Primeiro: eles costumam matar 1 pessoa por vez;
  2. Segundo: o tempo entre um assassinato e outro é longo;

Além disso, o perfil das vítimas é um fator importante para caracterizar um serial killer. Diferentemente do mass murderer e do spree killer, que matam aleatoreamente, serial killers matam sempre o mesmo tipo de pessoa. A explicação para isso é que determinado tipo de pessoa (branco ou negro, mulher ou homem, criança ou velho, loira ou morena, travesti ou prostituta…) representa uma fantasia na mente do serial killer.

Peguemos famosos serial killers da história: Jack, O Estripador só matava prostitutas. Ted Bundy só matava mulheres bonitas, morenas e com cabelos lisos partidos ao meio. Marcelo Costa de Andrade só matava crianças, de preferência entre 10 e 13 anos. Já Ed Gein gostava de matar mulheres de meia-idade. O paraibano José Jorlânio Lunes de Lima só matava travestis…

Um fator importante para distinguir um serial killer de um mass murderer ou spree killer é o período de “resfriamento emocional” entre os assassinatos. É nesse período que eles voltam para suas vidas normais. Esse período pode ser de dias até anos e depende de cada serial killer. Quando ele não consegue mais controlar sua urgência em matar, ele volta a atacar.

Dennis Rader é um bom exemplo. Conhecido como “Assassino BTK”, de Bind – Torture – Kill (Amarrar, Torturar, Matar), Dennis matou 10 pessoas durante um período de 30 anos. O intervalo entre a sétima e oitava vítimas foi de 8 anos. Entre os assassinatos ele levava uma vida normal, era funcionário público, tinha esposa, filhos, frequentava a igreja…

Resumindo, as principais características dos serial killers são:

  1. Primeiro: Costumam matar 1 pessoa por vez;
  2. Segundo: O intervalo entre cada assassinato é longo, podendo ser de dias até anos;
  3. Terceiro: Costumam matar pessoas com um mesmo perfil (branco ou negro, mulher ou homem, somente prostitutas, somente homossexuais, somente travestis…)
  4. Quarto: As vítimas representam objetos de fantasia para o assassino.

John Wayne Gacy Jr. era um empresário bem sucedido e respeitado do estado norte-americano do Illinois. Considerado um cidadão modelo, fora casado duas vezes e até chegou a ser fotografado ao lado da primeira dama dos Estados Unidos Rosalyn Carter em 1978. Além disso era membro de instituições religiosas e adorava vestir-se de Palhaço para divertir criancinhas em festinhas infantis e em hospitais. Mas John Wayne Gacy era um psicopata, capaz de racionalizar suas ações, era calculista e encantador. E foi através dessa personalidade que ele conseguiu esconder por debaixo da sua máscara de bom homem um serial killer que assassinou 33 adolescentes entre 1972 e 1978. Suas vítimas eram todos adolescentes homens que ele torturava, estuprava e matava. Suas vítimas representavam aquilo que ele odiava dentro de si mesmo: a homossexualidade. Ao matar os garotos, Gacy estava matando a fonte da atração homossexual que ele sentia por homens.

O mineiro Pedro Rodrigues Filho, conhecido como “Pedrinho Matador”, é outro notório serial killer. Mas com uma diferença: Pedro agia dentro da cadeia. Isso mesmo, Pedro foi um condenado que passou mais de 30 anos atrás das grades. E era lá, dentro da Penitenciária, que ele assassinava, aproveitando confusões provocadas entre brigas de presos, rebeliões, etc. Mas quem eram as vítimas de Pedro? Em sua mente psicopata, existe um senso de justiça. Ele nunca matou crianças, mulher ou pai de família. Acha errado. Pedrinho mata só homem “que não presta”, criminosos, assassinos e estupradores. Gente que, em seu sistema moral, deveriam morrer. Oficialmente foram 47 assassinatos dentro da prisão, e segundo Pedrinho, “uns 27 estupradores”. Por esses crimes ganhou o apelido de “Justiceiro.” Portanto, o perfil de vítimas desse serial killer eram criminosos, homens que representavam uma fantasia em sua mente, uma fantasia que lhe dizia que eles deviam morrer.

“Tem um monte aqui pra ser morto, inclusive aquele que chegou esses dias. Não posso ver ele de longe que me dá o maior nojo. Aquele estuprador que matou a mulher lá, o Maníaco do Parque. Me dá nojo quando eu vejo esse cara. Pode estar faltando um dia pra eu sair daqui que eu acabo com aquela desgraça.”

[Pedrinho Matador, sobre o Maníaco do Parque]

Mais exemplos famosos


Entre 1984 e 1987, mais de 20 mulheres idosas foram mortas em Paris, França. As senhoras eram mortas selvagemente. Eram espancadas e mortas com sacos plásticos. Algumas eram obrigadas a beber água do vaso sanitário. As mortes pareciam ser a assinatura de um serial killer: sacos plásticos e idosas. Em 25 de novembro de 1987, o serial killer cometeu um erro: Berthe Finalteri, de 87 anos, foi atacada e espancada em sua casa. O serial killer foi embora pensando que ela estava morta. Quando acordou no hospital, a senhora deu uma descrição do homem:

“Um homem de raça mista, na casa dos 20 anos, com cabelo igual ao do Carl Lewis e usando um brinco na orelha esquerda.”

Thierry Paulin, 24 anos, foi preso depois que um investigador o reconheceu através de um retrato falado feito através da descrição de Berthe Finalteri. Ele confessou 21 assassinatos em três anos.

Como todo serial killer, Thierry matava apenas um tipo de pessoa, nesse caso, mulheres idosas. Especialistas acreditam que os assassinatos contra idosas eram o resultado de uma vingança de Thierry contra a avó que o criou, uma mulher severa e rude que o menosprezava.

Um dos mais mortais serial killers dos tempos modernos é o alemão Friedrich Heinrich Karl Haarmann, mais conhecido como Fritz Haarmann.

Em 17 de Maio de 1924 um crânio foi encontrado perto do Rio Leine, um rio que corta a cidade alemã de Hannover. Poucos dias depois mais três crânios foram encontrados no local. Em 24 de julho o pesadelo começava a tomar forma quando crianças encontraram um saco na margem do rio contendo ossos humanos. A polícia decidiu dragar o rio e o horror foi descoberto: mais de 500 ossos, pertencentes a pelo menos 27 pessoas, foram encontrados.

Nessa época Fritz estava preso por molestar sexualmente um adolescente. Quando policiais entraram em sua casa encontraram várias roupas de suas vítimas.

“Em torno de 50, 70,” disse ele aos investigadores sobre o número de adolescentes que matou. Entretanto a polícia conseguiu levantar provas de apenas 24 assassinatos.

Como muitos serial killers, Fritz Haarmann tinha uma aparência simples, era amigável e educado. Um homem acima de qualquer suspeita. Entretanto esse era apenas um contraste para o que se escondia dentro dele.

“Nunca tive a intenção de ferir aqueles jovens, mas sabia que, se continuasse, alguma coisa aconteceria, e isso me fez chorar… Eu me atirava sobre aqueles garotos e mordia o pomo de adão, estrangulando-os ao mesmo tempo. Fazia dois cortes no abdome e punha os intestinos em um balde, depois absorvia o sangue e esmagava os ossos até quebrar os ombros. Então, podia chegar ao coração, aos pulmões e aos rins, e os picava e punha no meu balde. Removia a carne dos ossos e punha na minha bolsa de tecido encerado. Precisava fazer cinco ou seis viagens para levar tudo e jogar na privada ou no rio. Sempre odiei fazer isso, mas não conseguia evitar, minha paixão era muito maior que o horror de cortar e picar.”

[Fritz Haarmann]

O caso Fritz Haarmann é um ótimo exemplo para entender o modo de ação de um serial killer. Sua onda de matança durou seis anos, ele sempre matava homens jovens, vítimas as quais eram objeto de sua fantasia sexual. Entre uma morte e outra levava uma vida normal. Quando sua urgência em matar aparecia, ele saia para fazer uma nova vítima.

Alguns serial killers obtêm prazer ao torturar uma vítima, outros, como Fritz Haarmann e Jeffrey Dahmer, tem prazer no processo de esquartejar e estripar um corpo. Isso é uma diferença bastante evidente em relação ao mass murderer e spree killer.

De uma forma resumida podemos dizer que o mass murderer normalmente quer se vingar da sociedade matando o máximo de pessoas que puder, o spree killer mata quem passar pela sua frente, já o serial killer escolhe a dedo quem vai matar.

Pra Saber Mais - Qual a diferenca entre serial killers, spree killers e mass murderers - Quadro

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

“Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.” (Platão)

Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no Whatsapp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers