Documentário: Beth Thomas, O Anjo Malvado

Cara, matéria muito bem escrita! Sensacional! Documentário: Beth Thomas, O Anjo Malvado – http://t.co/KyGYpLae via @OAprendizVerde — Marianna Coelho (@maricoelhom) October 12, 2012 cara olha esse documentário http://t.co/9y8Nxc4t —...
Documentario - Beth Thomas, o Anjo Malvado

Beth Thomas

Provavelmente você nunca deve ter visto um documentário como este. Eu nunca vi entrevistas reais com vítimas de abusos infantis, por isso considero este documentário único. Child of Rage (A Ira de Um Anjo) mostra uma linda e encantadora menininha de olhos azuis chamada Beth Thomas. Mas não se engane, a princesinha de rostinho angelical e voz suave guarda um verdadeiro demônio dentro de si. O documentário exibido na rede HBO em 1992 foi compilado a partir de fitas gravadas do Dr. Ken Magid, um psicólogo clínico especializado no tratamento de crianças severamente abusadas. O início do documentário -que pode ser visto no fim do post -é arrepiante e mostra o quanto a linda garotinha estava perturbada:

Dr. Ken: “As pessoas tem medo de voce Beth?”

Beth: “Sim.”

Dr. Ken: “Seus pais tem medo de você?”

Beth: “Sim.”

Dr. Ken: “O que você faria com eles?”

Beth: “Esfaquearia.”

Dr. Ken: “O que você faria com seu irmão?”

Beth: “O mataria”

Dr. Ken: “Em quem você gostaria de enfiar alfinetes?”

Beth: “Na mamãe e no papai”

Dr. Ken: “O que você gostaria que acontecessem com eles?”

Beth: “Que eles morressem”

A mãe de Beth morreu quando ela tinha 1 ano de idade e ela e seu irmão Jonathan foram deixados com o pai. O sádico pai abusou sexualmente de Beth durante os 7 meses seguintes até que os filhos foram tirados de suas mãos por assistentes sociais. Para se ter uma ideia, Jonathan, que tinha sete meses, estava com sua cabeça na parte de trás plana, fato ocasionado por ele ficar o tempo inteiro deitado de costas no berço. Os irmãos foram adotados por um casal que não podia ter filhos, mas nenhuma informação sobre os abusos foram passados para os pais adotivos.

No novo lar, Beth começou a ter pesadelos sobre um “homem que caia sobre ela e a machucava com uma parte dele.” Os pais adotivos começaram a desconfiar de que algo estava errado. Beth foi pega várias vezes se masturbando. Em uma delas, ela fez sangrar a própria vagina e teve que ser hospitalizada. Beth também começou a torturar os animais de estimação da família. Enfiava agulhas nos animais e quebrou o pescoço de filhotes de pássaros. Ela também torturava o irmão Jonathan; dava agulhadas nele além de espancá-lo. Sua intenção era clara: ela queria matá-lo. Muitas vezes ela expressou o desejo de matar a família inteira, incluindo seus pais.

No documentário, Beth descreve o abuso que sofreu do seu pai biológico da mesma forma como descreve como molestou seu irmão, fria e calma. Talvez, o aspecto mais perturbador do comportamento de Beth seja a completa falta de remorso e preocupação por suas ações. Durante todo o tempo ela estava consciente de que suas ações eram erradas e dolorosas, mas isso simplesmente não importava para ela. Após os vários incidentes com Beth, seus pais adotivos a levaram a um terapeuta que diagnosticou Beth como sendo um caso grave de Transtorno de Apego Reativo. O Transtorno de Apego Reativo é caracterizado pelo desenvolvimento de formas perturbadas e inadequadas de estabelecer relacionamentos, geralmente por causa de uma história de maus tratos. A característica principal do Transtorno de Apego Reativo é uma ligação social perturbada e inadequada, com início aos cinco anos de idade e associada ao recebimento de cuidados amplamente patológicos.

A condição de Beth envolve a completa incapacidade de se relacionar com qualquer ser humano e uma completa falta de empatia, características presentes na psicopatia e sociopatia. Entretanto, essa definição (psicopata) não foi dada a Beth, pois, na época, o termo não podia ser utilizado como diagnóstico em pessoas com menos de 18 anos. Na verdade até hoje existe uma grande discussão em torno do diagnóstico de psicopatia em crianças. Como eu escrevi no último post, existem especialistas que dizem que sim, a psicopatia pode ser diagnosticada em crianças e já a partir dos três anos de idade. Já outros são mais reticentes e afirmam que não, uma criança não tem sua personalidade completamente formada, por isso o diagnostico de psicopatia não pode ser dado a crianças.

Psicopata ou não, o comportamento de Beth era tão perverso que em Abril de 1989 ela foi tirada de sua casa e internada para tratamento intensivo. Ela foi colocada em uma casa especial de tratamento para crianças com transtorno severo de comportamento. No documentário, a terapeuta da casa, Connel Watkins, chega a dizer que ela já havia tido sucesso ao tratar de crianças assassinas de apenas nove anos de idade.

O tratamento imposto a Beth foi bastante rígido e cheio de regras, algo horrível para uma criança como ela, que certamente não respeita e não gosta de regras. À noite ela era trancada no quarto para que ela não pudesse sair e ferir outras crianças. Ela deveria pedir permissão para tudo. Desde a ida ao banheiro para fazer xixi até para beber água. Ao longo do tempo estas restrições foram sendo tiradas e o comportamento de Beth pareceu ter melhorado.

O documentário termina com a aparente recuperação de Beth. Mas não se enganem, eu não engoli totalmente o final do filme. Não estaria a pequena Beth manipulando seus terapeutas? Não teria os próprios terapeutas mascarado o comportamento de Beth? No fim do documentário Beth chora ao escutar uma pergunta sobre abuso. Para mim o seu choro sem lágrimas diz muita coisa. Bom, é a minha impressão.

Quanto a Beth, ela cresceu e formou-se em enfermagem e, aparentemente, vive uma vida normal. Viver uma vida normal, porém, não quer dizer que ela deixou de ter um transtorno antissocial. Não estou dizendo que ela é uma psicopata, mas sabemos que a maioria dos psicopatas não matam. Ao contrário, eles usam a manipulação e o carisma para se dar bem na vida. Eles aprendem a imitar emoções, apesar de sua incapacidade para realmente senti-los, o que faz com que, aos olhos de outras pessoas, pareçam inocentes e normais. Psicopatas são (frequentemente) educados e possuem empregos estáveis. Alguns são tão bons em manipular, que formam famílias e relacionamentos de longo prazo com outras pessoas, sem que elas suspeitem de absolutamente nada.

Um fato interessante com relação a essa história. Em abril de 2000, Connel Watkins, a terapeuta de Beth, conduziu uma sessão de terapia fatal em uma menina de 10 anos chamada Candance Newmaker. A terapia conhecida como “renascimento” culminou na asfixia de Candance. Connel foi condenada a 16 anos de prisão, cumpriu sete anos e foi libertada em 2008. Ela foi proibida de trabalhar com crianças. Clique aqui para mais informações sobre esse caso.

Em 1992, um filme sobre o caso Beth foi lançado. O roteiro de Phil Penningroth e Suzette Couture apresenta diálogos duros e serve principalmente para demonizar Beth. Nesse sentido, o filme é bastante fiel, e mostra a menininha batendo em seu irmão, destruindo seu quarto, torturando o cão da família, dentre outras crueldades. Sob direção de Larry Peerce, o filme explora os sentimentos de carinho e compaixão que temos para com crianças indefesas, o diretor usa essas emoções numa espécie de manipulação melodramática do espectador. O filme é cruel, como a própria história de Beth, e isso me faz pensar a barra que foi para a pequena atriz Ashley Peldon interpretar Beth. O filme, legendado, pode ser visto no fim do post. 

Documentário: A Ira de um Anjo

Filme: A Ira de um Anjo



Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • César

    “Por que quando machuco eles estou machucando a mim”

    Me pareceu uma coisa que jogavam à ela. Uma coisa que lhe era dito, não um sentimento próprio… Futuramente quem sabe não tenhamos mais notícias sobre a Beth.

    • Gabrielle

      Concordo com você. Ela não demonstra sequer sentimento nos olhos, e sim, aquela votntade de tudo isso acabar logo.

    • Leslie

      Eu achei que ela começava a entender a gravidade do que fazia. Quando pequenininha ela respondia como se estivesse falando do tempo. E agora no fim do vídeo, ela já ficava sem vontade de falar sobre o assunto e olhava pra baixo como se estivesse envergonhada. Eu não me recordo onde, mas eu li que hoje em dia a Beth leva uma vida normal com pediatra e todos gostam muito dela. Então, se ela em qualquer parte do vídeo, demonstra melhora ou não, o importante é que deu certo e hoje em dia ela e as pessoas em volta dela estão muito bem :) 

  • Caroline Ferreira

    Pra mim, esse tipo de pessoa teria que ter acompanhamento até o final da vida, mesmo que periodicamente  porque se ela passar por mais algum trauma, stress forte ou até mesmo uma violência como um assalto por exemplo, aqueles sentimentos voltaram a tona e aí sim surtará e será tarde demais.

  • SexyPie

    Infelizmente eu não acredito que ela tenha se recuperado…

  • Teresa2007_

    concordo com você, psicopatas gostam e tem prazer de brincar com a mente das pessoas manipula-las, e muito dos casos vivem como pessoas comuns mesmo tendo os problemas e se sua terapeuta fez isso com aquela menina, oque de bom realmente teria ensinado a menina que tipo de exemplo, no final do vídeo percebi fixamente o olhar de frieza e desprezo que provavelmente sente pelas pessoas, ela fala pouco e chora sem lagrimas, tudo nem uma criança chorar sem lagrimas isso não quer dizer que seja mentira seu remorso porem a feição, olhos demostram uma menina que entendeu oque é certo e errado, e que se quer continuar a fazendo isso que faça pelas costas, antes ela era apenas inocente traumatizada não sabia que era errado por mais que demostrasse maturidade ao falar, porem nessa ultima imagem mostra que sabe que oque fez era errado mais seus olhos mostram que mesmo assim não se importa, seria conveniente para clinica mostrar que tem excelente profissionais que conseguiram mudar a beth, seria ótimo mais poucos sabem que ela deve ser a mesma psicopata que quis matar seu irmão que tanto já avia sofrido, sentimentos qualquer um de nos pode demostrar carinho por uma pessoa que realmente não suportamos isso se chama falsidade e com o tempo você aprende que as pessoas não querem que você aja daquela forma ai você vai e faz escondido isso é oque eu realmente acho que ela aprendeu nesta clinica como satisfazer esse ódio por todos, e essa necessidade de machucar o próximo  só que agora ela age e vive como alguém normal. fingimento isso descreve beth, tenho pena dessa família e principalmente de john.

    • Ness

      Concordo, já estava na índole dela ser má
      ela só mudou a maneira com que se praticar atos de maldade, mais ao mesmo tempo
      vêm a imagem de uma criança abusada e isso sempre é chocante, o tema criança
      abusada, faz com que não vejamos com clareza a realidade, que ela já nasceu
      assim má e que o abuso só a fez agir mais rápido usando isso como uma desculpa para seus
      atos, e esses terapeutas na verdade também gostam de brincar com mentes
      muda-las e na minha opinião pessoas não mudam evoluem para o bem ou
      para o mal simples assim, não se pode mudar pessoas só se pode ajuda-las a
      evoluir e essa terapeuta ajudou ela a evoluir a aprimorar o jeito de manipular
      as pessoas ao seu redor.

  • mariane d.

    O que é preciso para a gente achar que uma pessoa se curou na verdade? Prova concreta, só convivendo com ela, vídeo assim, que nada mais sabemos como foi o tratamento, como ela é hoje e está seguindo a vida, é pouco ainda para julgarmos. Sempre será pouco, ao julgarmos as pessoas, pois achamos que temos bola de cristal e visão de super-man e vemos coisas demais. O universo é complexo e grande demais para vermos tudo isso. Podemos ter dúvidas, é claro, isso sim, faz parte. Dúvidas se a tal Beth foi curada ou não ou ainda está em tratamento. Mas acho que o melhor comportamento agora de humanidade é desejar que ela esteja bem melhor e curada, e que seu exemplo sirva de exemplo para outras crianças que precisam passar por terapias e curas. E que a vida dela fique menos especulada de agora em diante, que ela viva feliz como qualquer pessoa normal,  fisicamente e emocionalmente saudável. 

  • Natascha_fontanesi

    é facil julgar e agir como se todo mundo aqui soubesse o que a Beth passou, fácil dizer que é uma psicopata, que não tem cura. dá dó de ver pessoas ignorantes se julgando aptas a diagnosticar ou a dizer que uma criança mente, vendo um documentário. 

    • Hugo

      é mais ou menos isso que li no youtube(pessoas criticando e a condenando)Porém estão sentadas em suas poltronas mexendo em seu computador ,e tomando Suquinho que sua mamãe queria fez com tanto amor,Agora queria ver esses seres se tivessem sido abusados fisicamente e psicologicamente metade do que “Beth” foi.

      • WIL

        Abuso não é desculpa! Quantas milhares de crianças não são abusadas todos os dias no mundo e nem por isso desenvolvem esse tipo de comportamento.

        • Alice

          e você, tem alguma desculpa pra ser esse monstro sem capacidade de empatia, tal qual um psicopata?

          • Mig

            Ter uma opinião contrária é sinônimo de psicopata ? O comentário do rapaz não tem nada a ver com ter ou não empatia.

        • thiago

          o seu ser, por acaso cada pessoa tem a mesma caracteritica, mentes iguais,.. cada pessoa tem sua mente de si mesmo nao e porque uma crianca resistiu a um abuso q outra vai, nao, cada pessoa tem sua fraquesa, ja foram feitos e provados varias pesquisas q cada pessoa tem seu propio disturbio, exemplo tu pode ter um disturbio so q ninguem sabe ainda, ai se alguem te abusase tu e ativase o teu disturbio, ai tu poderia ter os mesmo caso, ai se outra pessoa fosse tipo rejeitado na escola ou tipo ela ficaria nervosa e com raiva e isso poderia assionar o seu disturbio. saiba antes de falar

  • Mi_laraujo

    Também não engoli o final. O povo se emociona muito fácil acha tudo lindo, quando na verdade tudo necessita de uma análise mais profunda. Eu acho, e agora é achismo mesmo, que ela só aprendeu a manipular os sentimentos. Comportamento de criança mesmo, de ver e imitar? Então, o que ela viu na clínica com as pessoas, ela só reproduziu. Foi exatamente o que me pareceu quando ela diz “Porque quando eu machuco eles eu machuco a mim”. Não soa como algo dito em uma reunião de pessoas se recuperando, como no AA, para os alcoólicos  por exemplo?! Parece como exata reprodução do que foi dito a ela. Tudo bem, ela pode aprender com a reprodução de algo, afinal é assim que aprendemos a falar, etc.. mas eu acho que ela só reproduziu, mas não é capaz de sentir. Imagino que ela tenha percebido que seria “melhor aceita” no mundo se agisse desta forma e ponto. Como eu disse, é o que eu acho e é a impressão que eu tive, ainda mais sabendo como anda a vida dela atualmente. De qualquer forma, pode ser que eu esteja enganada e ela tenha simplesmente se recuperado mesmo… 

  • NANDA NARA

    ACHO QUE ELA POSSA TER DESENVOLVIDO SENTIMENTOS MAS NAO QUE ESTA REGENERADA!!!

    • Alessandra Fernandes Simoes

      o trauma é para o resto da vida se vc não sabe, vc jamais esquece o peso do nojo sobre suas costas

  • Diná

    VC PODERIA POSTAR ALGO SOBRE ELA ,COMO ELA ESTA HOJE???

  • Nanifehr

    Historia como esta só mostram que não estamos preparados para “julgar” psicopatas em geral. Afinal, ela realmente pode ser considerada culpada? E se ela nunca tivesse sofrido nenhum abuso? De quem é a culpa? Do pai sádico?
    Mas tudo o que vemos neste site nos aponta uma coisa: não estamos cuidando e nunca cuidamos bem de nossas crianças. Apenas fazemos o que é mais comodo e fácil, mas se elas realmente fossem nossa prioridade, o mundo poderia se tornar um lugar melhor pra se viver.

  • GIULIANO

    nossa, emocionante este documentario, isso quem devia ver são pessoas que abusam de crianças, pelo menos pra ver o impacto causado, o trabalho, as pessoas envolvidas, essa menina foi uma guerreira, ainda bem que teve pessoas para trata-la, pois a culpa disso tudo foi do pai “generico”, BUCETA PRA COMER SEMPRE TEM NA ZONA, não façam isso com pessoas indefesas, piois estão criando seriais killersss…..

    • Alice

      não por criar serial killers, mas por olhar pra uma criança e perceber sua humanidade. aliás, na ‘zona’, a maior parte das ‘bucetas’ foi abusada e estuprada. outro idiota sem coração. se você vai na zona e trata mulheres como bucetas, você não é muito diferente desse pai que, afinal de contas, só via uma buceta, não sua filha.

  • lika

    acredito que ela teria motivos para ser uma psicopata, devido aos abusos e tudo que sofreu, mas acredito tambêm que o psicopata já nasce com uma tendência e dependendo do ambiente que viveu esse transtorno se aflora, acho que ela conseguiu superar os abusos como muitas pessoas que sofreram abusos conseguiram , ou seja ela não nasceu para matar.

  • alex souza

    o verdadeiro psicopata eh o fdp q abusou dela esse vai queimar no inferno

  • http://www.facebook.com/daniela.ortega.566790 Daniela Ortega

    Eu não acredito que ela tenha se recuperado realmente, para mim ela só reproduziu aquilo que viu, creio que certos transtornos não tenham mesmo cura, vai além de ela ter sido abusada, é algo que nasceu com ela, e sim, a maioria dos psicopatas não estão por ai matando pessoas ou cometendo visíveis atrocidades, eles estão mascarados fingindo ser tão empáticos como qualquer outro ser quando que na verdade eles não sentem nada e de certa forma a culpa não é deles por não sentir.

  • Jamila C. P.

    Existe um filme baseado no caso dela, tem o mesmo nome do documentário. Já assisti e indico, pode ser visto neste link: http://cdpsi.com.br/blog/index.php/2012/09/filme-a-ira-de-um-anjo-child-of-rage-legendado-1992/

  • Sunshine

    Eu acredito que a cura de Beth não tenha vindo completamente para ela na época da ultima entrevista. Vendo os vídeos de antes, ela tendo o prazer de ter ferido alguém estampado nos olhos, e os de depois, ela tendo total controle (enquanto observada), não acreditei muito. Bem, é possível que hoje ela tenha se curado deste mal e realmente esteja vivendo uma vida normal. É necessário que nós compreendamos que naquela época ela era só uma garotinha abusada, com problemas psicológicos em excesso.

  • Clara

    SER ABUSADA, COMO ELA FOI, Ñ JUSTIFICA A MALDADE QUE HÁ DENTRO DELA…CONHEÇO CRIANÇAS QUE FORAM ABUSADAS E SOFREM CONSTANTEMENTE E SÃO UNS ANJOS, RECENTEMENTE VI UM DOCUMENTÁRIO DE UM MENINO DE 11 ANOS, AFRICANO, Q O PAI MORREU DE AIDS, A MÃE FOI EMBORA COM UM NOVO MARIDO, Q Ñ ACEITAVA AS CRIANÇAS… E O GAROTO FOI DEIXADO PARA CUIDAR DE + 2 OU 3 IRMÃOS SE Ñ ME ENGANO… E ELE CUIDAVA DE TODOS COMO SE FOSSE PAI DELES, E POR INCRIVEL Q PAREÇA TODOS AMAVAM A MÃE E A QUERIAM DE VOLTA, ELES DORMIAM TODOS JUNTINHOS NUMA CASA DE 1 COMODO, SEM AGUA OU LUZ, E O PIOR SEM COMIDA, VULNERÁVEIS A MALDADE HUMANA! CRIANÇA PRA MIM É INGENUIDADE, INOCENCIA, BONDADE E UMA CRIANÇA Q Ñ É ASSIM, PRA MIM Ñ É CRIANÇA… ME PERDOEM AS PALAVRAS… RESPEITO OUTRAS OPINIÕES, MAIS A MINHA É ESSA… E OS Q A DEFENDEM, LEVEM-NA PARA CASA, JUNTO DE SEUS FILHOS… VAMOS VER ATÉ Q PONTO VÃO QUERER DEFENDE-LA!

  • Clara

    Gente quando a vi com um passarinho, lembrei-me de Suzane Von Richthofen… Que inclusive está quase virando, ou virou, ou querendo virar pastora, vamos deixa-la ensinar para nossos filhos como estourar a cabeça do papai e da mamãe, com uma barra de ferro, para ficar com a herança da famíla e fugir com o namoradinho! Era só oq me faltava… Uma perfeita manipuladora, ensinando uma massa de pessoas as palavras de Deus…Isso é muito perigoso, psicopatas como HITLER já fizeram isso … Ou já se esqueceram? Lembram dos campos de concentração? As pessoas se esquecem rapidamente dos fatos…

  • Vanilza Oliveira

    na minha opiniao ela nasceu má é um extinto dela………… qu a medicina e o amor dos pais adotivos conseguiram mudar……….. mas ai dizer que foi por abuso sexual com um 1 ano é pra caba

  • bibliotecária

    essas pessoasq só dizem besteira estão com a cabeça cheia de titica vão ler uns livros pesquise seus iguinorantes tem muita coisa acontecendo no mundo vão se informar essa criança sofreu abuso de quem lhe deveria proteger eu fiz uma pesquiza da vida dela e de seus pai adotivos que bom q eles não desestiram dela isso se chama amor carinho e vontade de ajudar só deus sabe o que essa criança passou.

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categories

Contribua com O Aprendiz Verde!

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers