Crimes Históricos: Issei Sagawa, O Homem Canibal

Canibalismo . O consumo de carne humana por outro ser humano é um hábito tão antigo quanto a própria humanidade. Os astecas, no México, sacrificavam e comiam milhares de...
O Homem Canibal

Issei Sagawa, O Homem Canibal

Canibalismo


.

O consumo de carne humana por outro ser humano é um hábito tão antigo quanto a própria humanidade. Os astecas, no México, sacrificavam e comiam milhares de pessoas todos os anos para agradar aos seus deuses. Outras culturas, como os aborígenes australianos ou os índios Tupinambás brasileiros comiam os seus inimigos para “incorporar” os seus poderes. Os nativos da Ilha de Fiji, simplesmente gostavam do gosto, já os sobreviventes de um desastre aéreo nos Andes em 1972, tiveram que comer os mortos para sobreviver as terríveis condições do local.

Existem diferentes formas de canibalismo (ou antropofagia) e eles são praticados por diferentes razões. Uma delas é a omofagia, um ritual simbólico destinado a preservar a força do falecido, transformando a substância física do corpo em algo espiritual. Pode ser realizado como uma adoração ou homenagem ao morto.

Alguns serial killers utilizam uma ramificação da omofagia, chamada de zoofagia, como um meio de possuir suas vítimas. A zoofagia consiste no consumo de formas de vida. Um bom exemplo é o personagem fictício de Bram Stoker, R.M. Renfield, que aparece em sua obra mais famosa: Drácula. Refield começa comendo aranhas, depois progride para as moscas, aves, gatos… a ideia é ingerir formas de vida cada vez mais sofisticadas como forma de melhorar a si próprio.

No entanto, para muitos assassinos, o canibalismo é mais um fetiche sexual. Por exemplo, Albert Fish alegou que ele comia partes de suas vítimas pois isso o fazia ficar excitado e, eventualmente, o levava a orgasmos. O mesmo pode-se dizer do ucraniano Andrei Chikatilo.

“Comer testículos e mamilos me dava uma satisfação animal”, disse Chikatilo.

Richard von Krafft-Ebing listou mais de 200 casos de erotismo agressivo, alguns dos quais envolvia canibalismo, no seu clássico livro Psychopathia Sexualis, de 1886 (faça o download aqui). No livro, ele descreve o caso de um homem chamado Tirsch, 55 anos, que estrangulou uma menina em uma floresta em 1864 na República Tcheca. Ele então cortou seus seios e órgãos genitais e os levou para casa para cozinhar e comer. Quando foi preso, ele disse que sua motivação foi um “impulso interior”. Outro caso descrito pelo psiquiatra alemão foi de um jovem de 24 anos que matou uma menina, arrancou seu coração e o comeu. Richard von Krafft-Ebing enxergava esses casos como sendo o impulso de um pervertido desejo que se forma a partir do desejo do assassino pelo consumo do outro, ao invés do desejo normal da relação sexual. Fazer de uma pessoa viva seu objeto inanimado, dava uma sensação de poder e controle ao assassino.

Em “Canibalismo e Vampirismo na Esquizofrenia Paranoide”, quatro psiquiatras vieram com uma interessante discussão (publicada no The Journal of Clinical Psychiatry) de um caso ocorrido na zona rural francesa em 1940. Um esquizofrênico assassinou um homem idoso e comeu parte de sua coxa, além de beber seu sangue diretamente de uma artéria. Em seguida, ele assassinou um casal e foi preso. Ele confessou ainda ter matado sua eposa e disse que comera partes dos corpos para trazer Deus de volta para sua vida. Para ele, era uma forma sagrada de comunhão. Os psiquiatras enxergaram isso como uma forma de se apropriar do poder de outra pessoa.

“Parece que o canibalismo é mais básico para nosssas vidas do que poderíamos acreditar”, eles concluíram.

O japonês Issei Sagawa, que claramente tinha um desejo sexualizado, disse a um jornalista britânico que sua compulsão para o canibalismo provavelmente veio de um sonho de infância que teve um grande impacto em sua mente. Segundo ele, no sonho, ele era colocado junto com seu irmão em uma panela fervente, ambos estavam sendo preparados para uma refeição (que alguém iria comer). A partir dali, ele começou a fantasiar sobre canibalismo, trocando seu papel de “refeição” para o poderoso “consumidor”. Ele não estava interessado em comer mulheres de sua raça, ele fantasiava comer mulheres loiras, altas, de pele branca. Para ele, a possibilidade de ser íntimo com elas desta maneira era algo altamente erótico.

Psiquiatras franceses que o examinaram posteriormente viram tendências perigosas, de psicose a psicopatia, e disseram que ele nunca poderia ser curado.

Mas… quem é Issei Sagawa?

seta

Issei Sagawa

Issei Sagawa

“As vezes me pergunto por que fiz algo tão horrível. Talvez seja porque eu vim de outro planeta, ou outra dimensão, e acidentalmente cai na Terra como um meteorito, disfarçado como um bebê chorando na rua. Eu devo ter vindo de um lugar de canibais, e eu sou o único da minha espécie que existe neste planeta.”

Não preciso falar mais nada, ou preciso? Também não preciso apresentar para vocês o japa da imagem acima, certo? Bom, posso mostrar-lhes umas fotos.

Na Foto: Issei Sagawa.

Issei Sagawa, na época em que estudava em Paris, no final da década de 1970. E aquela mala ali atrás?

Na Foto: Issei Sagawa no seu belo apartamento em 1992.

Issei Sagawa no seu belo apartamento em 1992.

Na Foto: Issei Sagawa posa para uma foto.

Issei Sagawa posa para uma foto em uma de suas inúmeras viagens pelo mundo.

Na Foto: Issei Sagawa ao lado da sua paixão: As mulheres.

Issei Sagawa ao lado da sua paixão: as mulheres.

Na Foto: Issei Sagawa com uma de suas amiguinhas.

Issei Sagawa com uma de suas amiguinhas.

Na Foto: Issei Sagawa e sua amiga Rhonda. O que esse japa tem que eu não tenho ?

 Issei Sagawa e sua amiga Rhonda. 

Na Foto: Issei Sagawa e suas amigas Thalia e Rhonda.

Issei Sagawa e suas amigas Thalia e Rhonda.

Na Foto: Issei Sagawa posa para fotos com alguns fans.

Issei Sagawa posa para fotos com alguns fans.

Documentário: Issei Sagawa, O Homem Canibal. Nas ruas de Toquio. oaprendizverde.com.br

Issei Sagawa passeia tranquilamente pelas ruas de Tóquio em 2007.

Se você não conhece o japa das fotos, saiba que ele é um dos mais famosos canibais do século passado. Autoridades francesas o chamaram de “demente” e “incurável”. Já os japoneses foram mais sucintos e o definiram como “o mal”.

Comprovadamente um homem insano e com macabras perversões sexuais, Issei Sagawa ficou mundialmente conhecido em 1981 quando assassinou uma estudante alemã em Paris. Ele passou dois dias comendo pedaços do corpo e só parou quando moscas começaram a aparecer em seu apartamento. Guardou vários pedaços na geladeira e descartou o tronco e membros em um parque parisiense.

E apesar do diagnóstico de insanidade e do bestial crime cometido por ele, Sagawa nunca pagou pelo seu crime. Ele passou sua vida inteira vivendo tranquilamente nas ruas.

Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras. Se isso for verdadeiro, creio que um vídeo então vale mais do que cem mil palavras. E se eu dissesse para vocês que neste exato momento vocês poderiam assistir a um HISTÓRICO documentário narrado por um dos mais notórios canibais do século 20? Sim, vocês podem.

“Vice Meets Issei Sagawa” foi um documentário produzido pela VICE, uma empresa de mídia independente com base no Brooklyn, Nova York, cujas reportagens são disponibilizados em seu website. VICE produz reportagens que refletem uma abordagem transparente para o jornalismo, onde os telespectadores são inseridos em cada passo do processo documental. Uma das maiores redes de TV do mundo, a CNN, chamou a empresa de “única”.

O documentário não poderia deixar de ser mais instigante. Issei Sagawa senta no sofá do seu pequeno apartamento em Tóquio e começa a contar sua história. E o que se desenrola a partir daí é a sombria confissão de um homem que se aproxima do fim de sua vida, uma vida incomum, e a qual ele passou muito, mas muito tempo refletindo.

Considero esse documentário antológico. Não é comum pessoas como nós (meros civis) termos acesso a detalhes de crimes ou da mente de assassinos. Para se ter uma ideia, as autoridades francesas não liberaram os documentos criminais sobre Issei Sagawa nem mesmo para o governo japonês. Normalmente, esses detalhes ficam sob segredo. Por isso, todos os méritos a VICE. Primeiro por nos proporcionar a oportunidade de ver a confissão saindo da boca do principal envolvido. Segundo, por realizar uma verdadeira obra jornalística, sem sensacionalismos ou relativismos morais. Falo isso porque quando um assunto dessa natureza é abordado pela mídia, o sensacionalismo passa a ser a palavra-chave. Cito como exemplo a recente reportagem de Marcelo Rezende da Rede Record com Pedrinho Matador e Francisco de Assis Pereira, o Maníaco do Parque. Eu custo a entender, o jornalista tem uma oportunidade única de entrevistar dois dos mais notórios serial killers brasileiros e ele vem com perguntas sensacionalistas do tipo, “E se um Francisco fizesse isso com sua filha?”

“VICE Meets Issei Sagawa” mostra um assassino canibal que conseguiu o que para muitos poderia ser impossível: controlar os seus impulsos. Na casa dos 60 anos, Issei Sagawa não tem mais nada a esconder de ninguém, até porque, ele busca por uma resposta que muitos de vocês farão ao terminar de ver o documentário: “Quem ele é?”

Indispensável para os profissionais e amantes da criminologia, psiquiatria…

“Disciplina e estratégias de compensação, que foram elaboradas por Sagawa, não são qualidades que encontramos nos pervertidos sexuais habituais, o que faz deste caso especialíssimo.”

[Leandro Gavinier, psiquiatra forense]

Eu te garanto, você nunca viu um documentário como esse. Está preparado? Ah! E não esqueça de deixar o seu comentário!

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

“Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.” (Platão)

Deixe o seu comentario:
  • queelsousa

    veee y ! q doidao ! q horror ! adorei a reportagem parabens !

  • Fizófolo de Apucarana

    Muito bom o material, obrigado por disponibilizá-lo, especialmente o documentário legendado. Issei me lembrou o personagem Hannibal Lecter. Culto, inteligente, desprende um certo magnetismo… e é letal.

  • Vica

    Sem palavras!! Já vi muita coisa nessa ceara de homicídios, serial killers e tal, mas essa reportagem me deixou arrepiada! Em certos momentos tive pena, pois ele claramente apresenta um disturbio mental ou de personalidade. Aterrador… Parabéns ao blog!

  • Mipsique

    História fantástica e ao mesmo tempo triste, claro que nao estou o isentando pelo que ele fez, mas o conflito interno de conviver com isso deve ser horrível.

    Parabens pela reportagem e por disponibilizar o documentário que é ótimo.

  • Ken

    Que tal a gente assistir de quem realmente criou o conteúdo do que dar audiência pra um blog que só chupinhou tudo de outro lugar??

    http://www.vice.com/pt_br/vice-meets/issei-sagawa-parte-1

    • Fizófolo de Apucarana

      Aí complica….

    • Jefferson

      que tal vc ir caçar sapo nesse outro sitio. Ah! caso vc não saiba vc invariavelmente tbm stá dando audiência para este excelente site (o melhor entre todos)… Pq será que existe pessoas tão imbecis a ponto de entrar em um site fazendo propaganda de outro?
      hsauhsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuaHhauhuashuahuashuashuahsuahsuahsu
      Ah! não sou dono do site nem tampouco escrevo mas OBRIGADO PELA AUDIÊNCIA.

    • Eu sempre leio este blog e acho que é o mais completo (com fotos/videos) .
      Sempre venho aqui dar uma lidinha e vc tbm deve, ja que veio aqui, leu e colocou essa (triste, dispensavel e pobre) opnião.
      Volte sempre…

    • Mauro

      Como existe idiota no mundo!

    • Mira

      Se não me engano, o autor do texto deixou bem explícito quem é o autor do documentário.

  • master

    tenho um amigo “bv” que também tem muita “atração” por coxas,já me falou que tem vontade de mordê-las.
    e ele mora com a avó,porque seus pais o abandonaram.

  • Douglas Alves Salles

    Eu nunca vir um docomentario como este fiquei inpressiondo aprendiz verde a cada segundo melhor

  • aba

    Andrei Chikatilo, ate onde sei, nao era canibal…

  • Pingback: google()

  • Fer

    Li esse artigo numa (novidade) madrugada de janeiro KKKKK tinha voltado de uma festa e tava sem sono. Sem palavras pro conteúdo desse site <3

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no Whatsapp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers