Victor Lustig: Um dos Maiores Vigaristas do Século 20

Curvem-se a este homem da foto! Sim, curvem-se a ele. Provavelmente, nenhum de vocês tem a coragem que este vigarista teve em vida. Ele, simplesmente, teve a audácia, a...
Viktor Lustig - Foto

Victor LustigVictor Lustig

Curvem-se a este homem da foto!

Sim, curvem-se a ele. Provavelmente, nenhum de vocês tem a coragem que este vigarista teve em vida. Ele, simplesmente, teve a audácia, a coragem, de passar para trás um dos homens mais perigosos e poderosos do século 20. Entretanto, não foi por isso que ele ficou marcado nos anais criminais. Esse cara da foto é conhecido como “O homem que vendeu a Torre Eiffel duas vezes”.

Vigarista de mão cheia (sua frase mais famosa não me deixa mentir), Victor Lustig nasceu em 1890 na República Tcheca. Fluente em vários idiomas, passou sua vida inteira realizando golpes em vários países da Europa e nos Estados Unidos. Em meados de 1920, cometeu o seu mais famoso golpe.

Em 1925, cinco empresários franceses receberam uma carta do diretor geral da Assessoria do Ministério dos Correios e Telégrafos solicitando uma reunião em um hotel da cidade, onde seria discutido um contrato com o governo. Ao chegarem, eles foram recebidos por um homem impecavelmente vestido que anunciou a intenção do governo de desmontar e vender a Torre Eiffel, e se dizia autorizado a oferecer a eles a prioridade de compra das 6.350 toneladas de ferro.

Esse “oficial do governo” era o vigarista da foto. Victor Lustig levou os cinco homens até a torre e enquanto conversava com eles, observava aquele que poderia cair mais facilmente no golpe. E esse era André Poisson, um empresário recém-chegado em Paris. Victor garantiu a André que se ele lhe pagasse um suborno teria prioridade no contrato. André pagou US$ 70 mil dólares a Victor. Poucas horas depois de receber o cheque, Victor já estava em sua casa na Áustria.

Envergonhado, André Poisson não denunciou o golpe, o que fez com que tempos depois Victor “vendesse” novamente a Torre Eiffel a outro empresário.

Em 1926, morando nos Estados Unidos, o vigarista inventou um novo golpe: A Máquina de Fazer Dinheiro! É isso mesmo.

Victor organizava reuniões com suas vítimas e mostrava sua pequena engenhoca capaz de produzir até mil notas. A única desvantagem do aparelho, que ficou conhecido como “Caixa Romena”, era o tempo de produção de uma nota: levava até 6 horas. O golpe de Victor era simples. Ele colocava uma nota de dólar juntamente com um pedaço de papel de um lado da caixa e depois de 6 horas ele acionava uma manivela que “cuspia” a nota inserida e a sua cópia. Mas antes da demonstração, Victor colocava dentro da caixa uma nota igual a usada por ele de modo que quando as duas notas saíssem o cliente não tivesse dúvidas sobre a autenticidade da nota. Para completar, Victor fazia questão de acompanhar o comprador até um banco para que o mesmo comprovasse a autenticidade da nota.

Sim, muitos figurões caíram nesse golpe, eles chegavam a pagar incríveis 30 mil dólares pela engenhoca.

Na Foto:  A máquina de fazer dinheiro de Victor Lustig. Créditos: Weirdworm.Na Foto: A máquina de fazer dinheiro de Victor Lustig. Créditos: Weirdworm.

Durante anos Victor conseguiu escapar do Serviço Secreto americano utilizando dezenas de nomes falsos. E após uma caçada que durou sete meses, em 1934, o FBI conseguiu prender o falsificador em Nova York. Com ele a polícia federal americana encontrou US$ 51 mil dólares em notas falsas. Em dezembro de 1935, o vigarista foi condenado a 20 anos de prisão na famosa cadeia de Alcatraz, onde veio a falecer em 1947, aos 57 anos, de pneumonia.

Na Foto: Victor Lustig (ao centro) é interrogado por detetives no dia 01 de Maio de 1935.  Créditos: Getty Images.Na Foto: Victor Lustig (ao centro) é interrogado por detetives no dia 01 de Maio de 1935. Créditos: Getty Images.

Na Foto: Victor Lustig, ao centro, em uma das audiências pré-julgamento no dia 20 de novembro de 1935. Créditos: Corbis.Na Foto: Victor Lustig, ao centro, em uma das audiências pré-julgamento no dia 20 de novembro de 1935. Créditos: Corbis.

Na Foto: Victor Lustig (à direita) deixa o tribunal durante seu julgamento em dezembro de 1935. Créditos: Corbis.Na Foto: Victor Lustig (à direita) deixa o tribunal durante seu julgamento em dezembro de 1935. Créditos: Corbis.

Antes que eu esqueça! No final da década de 1920, Victor Lustig convenceu o mais perigoso homem do mundo na época, o mafioso Al Capone, a investir 50 mil dólares em um negócio envolvendo ações. Capone deu o dinheiro a Victor. E o que ele fez? Fugiu com a grana é claro! Errado! Victor não era bobo, fugir com US$ 50 mil dólares de Al Capone? Ele colocou os US$ 50 mil dólares em um cofre e manteve o dinheiro do gangster escondido. Dois meses depois, ele devolveu o dinheiro a Al Capone dizendo que o negócio não havia dado certo. Impressionado com a “honestidade” de Victor, o mafioso lhe deu um prêmio: 5 mil dólares. Recompensa que era o objetivo de Victor desde o início.



Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • Douglas

    Esse nasceu no berço de cinzas para chega a uma cama de oura

  • Henrique

    Muito mais digno que os nossos politicos!

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categories

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers