Reportagem Retrô: Execução de serial killer causa bate-boca no Irã

Reportagem Retrô é uma coluna do blog O Aprendiz Verde que traz reportagens, matérias e artigos antigos publicados em algum lugar do nosso tempo-espaço. Trazer essas matérias, sejam elas...
Irã - serial killer

A execução de Mehdi Faraji

A execução de Mehdi Faraji

Reportagem Retrô é uma coluna do blog O Aprendiz Verde que traz reportagens, matérias e artigos antigos publicados em algum lugar do nosso tempo-espaço. Trazer essas matérias, sejam elas úteis ou não, é uma forma de resgatarmos o passado, e por um instante ter um vislumbre daquele registro de época.

A reportagem retrô de hoje foi publicada no site da Iran Human Rights (IHR), organização de direitos humanos do Irã, em 28 de maio de 2011, e é sobre a execução em público de Mehdi Faraji, 37 anos, um serial killer condenado pelo assassinato de cinco mulheres entre maio de 2009 e março de 2010, na cidade de Qazvin.

Em 26 de maio de 2011, Faraji foi enforcado em público. Fotos de sua execução mostravam o que parecia ser um menino ajudando na execução do serial killer, puxando a cadeira onde ele estava de pé. A IHR condenou o ato dizendo que: “Essa execução bárbara usando cidadãos comuns, especialmente menores, deve ser condenada pela comunidade mundial. Líderes iranianos devem se envergonhar de promover uma cultura de assassinato e brutalidade”.

Autoridades do Irã reagiram desfavoráveis à matéria da IHR dizendo que o menino, na verdade, era um homem, e tinha 23 anos.

Abaixo trago a resposta da IHR publicada em 28 de maio de 2011.

Autoridades iranianas reagem à reportagem da IHR: O homem que realizou a execução pública tem 23 anos!

Publicado em 28 de maio de 2011, no site oficial da Iran Human Rights

A Iran Human Rights (IHR) publicou uma reportagem em 26 de maio sobre a execução de Mehdi Faraji, em Qazvin, com o título: “Menino é usado em execução pública de homem no Irã”. A informação foi baseada em testemunhas oculares que disseram que “um menino foi usado para mover a cadeira onde Mehdi estava de pé e assim dar continuidade à execução”.

Em um comunicado, o porta-voz internacional da IHR, Mahmood Amiry-Moghaddam, disse: “Essa execução bárbara usando cidadãos comuns, especialmente menores, deve ser condenada pela comunidade mundial. Líderes iranianos devem se envergonhar de promover uma cultura de assassinato e brutalidade”.

Em reação à reportagem da IHR, a Ebrat News, um site próximo das autoridades iranianas, revelou mais detalhes sobre a execução em Qazvin. De acordo com o site, o jovem homem usado na execução era Ali, 23 anos, o filho de Kimia, uma das mulheres alegadamente assassinadas por Mehdi. A Ebrat News escreveu: “Erroneamente dito por outros sites, o homem não era um menor… os chamados defensores dos direitos humanos esqueceram que, de acordo com a lei qesas (retribuição/olho por olho), em um caso de assassinato, a execução deve ser realizada pela família ou pelo filho mais velho da vítima”.

A idade do jovem homem usado na execução não muda as questões fundamentais envolvidas nesse caso. Em adição à questão principal da execução, é muito sério que autoridades iranianas usem pessoas comuns para participar de punições desumanas. Fazendo isso, as autoridades iranianas colocam uma enorme responsabilidade sobre os ombros de seus cidadãos. Nesse caso, um jovem que está de luto pela perda de sua mãe, e que agora também têm a responsabilidade da morte sobre suas costas. Isso é vergonhoso e nojento.

A mãe do jovem homem foi uma vítima da crescente violência e brutalidade na sociedade iraniana. Autoridades do Irã promovem a brutalidade praticando violentas punições em público. Retribuição é um dos poucos “direitos” dados pelas autoridades iraniananas aos cidadãos. O governo do Irã tira dos seus cidadãos direitos humanos básicos, como, liberdade de expressão, de pensamento e de escolha, e até mesmo direitos pessoais, como a forma de se vestir, mas os “direitos” de realizar execuções ou cegar pessoas com ácido, são insistentemente incentivados.

O enforcamento público do serial killer Mehdi Faraji

O enforcamento público do serial killer Mehdi Faraji. Créditos: IHR.

Na foto: O enforcamento do serial killer Mehdi Faraji. Créditos: IHR.

Na foto: O enforcamento do serial killer Mehdi Faraji. Créditos: IHR.

O enforcamento público do serial killer Mehdi Faraji.

Na foto: O enforcamento público do serial killer Mehdi Faraji. Créditos: IHR.

O enforcamento público do serial killer O enforcamento público do serial killer Mehdi Faraji.

O enforcamento público do serial killer O enforcamento público do serial killer Mehdi Faraji. Créditos: IHR.

Nota do Aprendiz: Acusado de cinco assassinatos, Mehdi Faraji foi condenado a cinco penas de retribuição (enforcamento), encarceramento e flagelação. Segundo a Anistia Internacional, em 2012, o Irã só perdeu para a China em número de execuções. Mas apesar do enorme número de execuções, em 2012, o país baniu um dos mais horríveis métodos de aplicação da pena capital: o apedrejamento.

A reportagem do IHR foi publicada no dia 28 de maio de 2011. A matéria original pode ser acessada clicando no link a seguir: Iranian authorities react to IHR’s report: The man who carried out the public execution was 23 years old!

Você tem alguma sugestão para a coluna Reportagem Retrô? Possui alguma revista ou jornal antigo com alguma matéria que acredita ser interessante para publicação? Então não deixe participar! Faça já sua sugestão!

Com relação à história acima, qual a opinião de vocês? Concordam com a lei de retribuição iraniana? Olho por olho? Você seria capaz de matar alguém? Mesmo que essa pessoa tenha assassinado alguém da sua família?



Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • Cássia

    Achei muito bárbaro e absurdo, mesmo se tratando de um serial killer

  • Thiago SSA

    Quem comete qualquer crime deve ter uma punição exemplar como castigo e como reflexo do mal que causou, ainda após a punição, caso cometa nova empreitada de alta gravidade, não tem o porque de mantê-lo vivo. Agora o enforcamento é extremamente arcaico, a injeção letal seria bem humanitária.

  • Luisa

    Achei radical demais a forma que esse sujeito foi executado, independente do que ele cometeu além de puni-lo com pena capital o deixou constrangido e temeroso. Triste de se ver!!!

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers