Reportagem Retrô: Porão do Horror

Reportagem Retrô é uma coluna do blog O Aprendiz Verde que traz reportagens, matérias e artigos antigos publicados em algum lugar do nosso tempo-espaço. Trazer essas matérias é uma...
Porao do Horror

Reportagem Retro - Porao do Horror - Capa

Porão do Horror

Reportagem Retrô é uma coluna do blog O Aprendiz Verde que traz reportagens, matérias e artigos antigos publicados em algum lugar do nosso tempo-espaço. Trazer essas matérias é uma forma de resgatarmos o passado, e por um instante ter um vislumbre daquele registro de época.

A reportagem retrô de hoje foi publicada na Revista Veja em 28 de agosto de 1996, e é sobre o assassinato de duas crianças na Bélgica.

Bélgica: Porão do Horror

  • Publicado na Revista Veja, edição de 28 de agosto de 1996

Há coisas piores do que a morte, nas quais os adultos não gostam nem de pensar, muito menos conjecturar que possam acontecer com crianças. Imagine-se duas meninas pequenas, raptadas aos 8 anos de idade, presas num cárcere privado e estupradas enquanto aguardam ser vendidas por uma rede de prostituição infantil. Algo dá errado com seu algoz e elas morrem de fome, em lenta agonia, trancafiadas num porão úmido. Há duas semanas, ao prender o pedófilo Marc Dutroux (39 anos, dois casamentos, três filhos, sem emprego mas cheio de dinheiro no bolso), a polícia belga levantou o véu de uma história de indescritível horror. No dia 17, desenterraram-se no jardim de uma das seis casas de Dutroux os corpos de Julie Lejeune e Mélissa Russo, desaparecidas há um ano. A monstruosidade do crime sacudiu a Bélgica com uma onda de revolta e choque.

Foi também num porão, preparado como cativeiro, que a polícia encontrou Laetitia Delhez, de 14 anos, sequestrada quatro dias antes, e Sabine Dardenne, de 12, desaparecida desde maio. Ambas tinham sido repetidamente violentadas e eram alimentadas com pão seco e biscoitos. Dutroux é um criminoso bem conhecido. Pedófilo por gosto e profissão, foi condenado a treze anos de prisão por estupro de duas menores em 1989. Saiu em liberdade condicional apenas três anos depois. O que fez daí para a frente foi um pesadelo. No ano passado, encomendou “uma menina” a dois cúmplices. Eles lhe trouxeram Julie e Mélissa.

Traficante – Preso novamente em dezembro, dessa vez por roubo, Dutroux encarregou um cúmplice de alimentar as cativas. Não se sabe exatamente o que aconteceu, mas é certo que as meninas morreram de fome. Ao lado dos corpos das meninas, Dutroux enterrou Bernard Weinstein, o comparsa que matou, supostamente por não ter “tomado conta” das pequenas vítimas. No interrogatório, ele também admitiu o sequestro de duas adolescentes, An Marchal, de 17 anos, e Eefje Lambreks, de 19, vendidas a um amigo holandês. O que o crime revelou foi a extensão e a perversidade da rede de pedofilia. Dutroux não era apenas tarado, mas também traficante de crianças. Na quinta-feira passada, a Bélgica parou durante o enterro das duas meninas.

Reportagem Retro - Porao do Horror

Na foto: Reportagem da Revista Veja sobre o caso. Imagem compartilhada por youtube.com/sist666trash

Imagem compartilhada por: sist666trash

Reportagem Retro - Porao do Horror - Marc Dutroux Quintal

Na foto: Capa de uma reportagem de época da Revista Lavenir du Luxembourg mostra escavações no local onde os corpos de Julie Lejeune e Mélissa Russo foram encontrados: Créditos: Lavenir du Luxembourg.

Reportagem Retro - Porao do Horror - Marc Dutroux

Na foto: Marc Dutroux sendo levado pela polícia. Data: agosto de 1996. Créditos: Reuters.

Reportagem Retro - Porao do Horror - Marc Dutroux - Julgamento

Na foto: Marc Dutroux atrás de um vidro a prova de balas durante seu julgamento. Data: 10 de março de 2004. Créditos: Corbis.

Nota do Aprendiz: Marc Dutroux disse a polícia que matou seu comparsa Bernard Weinstein enterrando-o vivo. A reportagem da Revista Veja comete um erro ao dizer que as adolescentes An Marchal e Eefje Lambreks foram vendidas por Dutroux a um holandês. Na verdade, elas foram encontradas mortas enterradas sob o concreto de um galpão ao lado de uma das sete casas de Dutroux. O julgamento do pedófilo começou em março de 2004 e durou três meses. A questão se ele realmente fazia parte de uma rede de tráfico de crianças não foi claramente respondida. Ao final, Dutroux foi condenado a prisão perpétua e desde então, para sua própria segurança, passa seus dias trancafiado numa solitária da prisão de Nivelles. O caso Dutroux tornou-se tão infame que mais de um terço de belgas com o sobrenome Dutroux entraram com pedido de mudança de nome entre 1996 e 1998.

Você tem alguma sugestão para a coluna Reportagem Retrô? Possui alguma revista ou jornal antigo com alguma matéria que acredita ser interessante para publicação? Então não deixe participar! Faça já sua sugestão!



Curta O Aprendiz Verde No Facebook


"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • Jessica Rodrigues

    Por favor, Aprendiz. Coloque mais informações.
    Eu li que a mulher era sua cúmplice e que houveram falhas terríveis da polícia. Revistaram a casa do pedófilo duas vezes e só na terceira encontraram as últimas vítimas! E agora ele quer sair em liberdade condicional! Isso mostra que até os países tidos como de Primeiro Mundo apresentam falhas terríveis! Parece que o mal dominou o mundo de tal forma que o criminoso se tornou a vítima. Lamentável.

    Gostaria de parabenizá-lo pelos ótimos posts. É a primeira vez que comento, mas sou leitora assídua e um dos casos que mais gostei de ler foi sobre Chikalito.
    Quero pedir um post sobre Fish “O Homem Grisalho” e também sobre o psiquiatra Alexander (que tirou confissões de Andrei); li que ele conseguiu desenvolver um tratamento para pedófilos, estupradores e futuros serial killers em que foi possível manter esses impulsos sobre controle. Queria saber mais sobre isso, sou futura aluna de psicologia!

    Um grande abraço.

    • Olá Jessica, obrigado pelo comentário. Podemos sim futuramente publicar um texto completo sobre esse caso. Sobre Alexander Bukhanovsky, temos dois posts publicados sobre ele: “Alexander Bukhanovsky – a lenda russa a psiquiatria” e “Rostov – A capital mundial dos serial killers”.

      Sobre Fish certamente ainda publicaremos um texto sobre sua história. Abraços!

  • Rafaela Ikeda

    Ola Aprendiz Verde,lembro vagamente de ter lido uma materia na revista ‘Readers digest’ sobre ‘Os homens mais procurados do mundo’…por volta do ano de 1996/1997,gostaria muito de reler esta materia e se possivel saber o que houve com ‘esses homens’.
    No mais,parabens pelo site e pelas informacoes
    🙂

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers