Seria Myriam, uma psicopata?

O mês da mulher acabou, mas nossos posts sobre elas não. Há poucos dias, a médica mineira Myriam Priscilla de Rezende Castro foi presa em uma cidade do interior...
Seria Myriam - Uma psicopata- Capa - Foto

Seria Myriam - Uma psicopata- Capa

Myriam Priscilla de Rezende Castro

O mês da mulher acabou, mas nossos posts sobre elas não.

Há poucos dias, a médica mineira Myriam Priscilla de Rezende Castro foi presa em uma cidade do interior de São Paulo. Seu crime? Ela mandou cortar fora o pênis do noivo. “Bem feito, quem mandou ele trair?”, diriam de imediato algumas mulheres. Mas espere, seu noivo não a traiu, ele desistiu do casamento apenas três dias antes de subir ao altar.

Muito bonita e de família rica de Juiz de Fora, Myriam poderia ser o sonho de qualquer homem, por isso, para alguém desistir de casar-se com ela apenas três dias antes da cerimônia é porque a moça não é flor que se cheire. Suas atitudes após o fora do noivo comprovam minhas palavras. Ela o fez ameaças e incendiou seu carro e sua casa. Não satisfeita, contratou três bandidos da pesada para capar o ex-noivo. Eles arrancaram o seu pênis à faca, na frente de seu irmão, que desmaiou durante o processo.

“Esse crime praticado pela médica só é um de muitos que vitimam milhares de homens todos os dias em nosso país, que, infelizmente, ainda tem uma cultura de misandria, feminismo-baranguismo e opressão aos homens”, disse Nogueirão da Sinuca, um personagem fictício da web, antifeminista, antigayzista e por aí vai. O episódio da médica fez surgir na web a campanha “Não mereço ter meu pênis cortado”, uma resposta à campanha “Não mereço ser estuprada” que, diga-se de passagem, foi permeada pela desinformação.

Deixando a brincadeira de lado, ao ler as poucas linhas do caso Myriam, algo me veio a cabeça.: Segundo seu ex-noivo, Myriam era mentirosa, falava mal dos seus familiares e ainda o chantageava; colocou fogo em seu carro, casa e mandou mutilá-lo. Seria essa mulher uma psicopata? Então, me lembrei de uma pesquisa bastante interessante publicada a alguns anos atrás.

Seria Myriam - Uma psicopata- Capa - Facebook

Na foto: Posts de Myriam Castro em se perfil pessoal no Facebook. Créditos: Facebook.

Insensibilidade, frieza, falta de empatia, agressividade e impulsividade, agindo sem qualquer tipo de respeito pelo bem-estar alheio. Essas características têm sido constantemente utilizadas para descreverem aqueles que sofrem de psicopatia, um transtorno de personalidade comum em presidiários (embora a maioria deles não seja psicopata e a maioria dos psicopatas esteja fora da prisão). Os psicopatas têm sido encontrados com mais frequência nos homens do que nas mulheres; de fato, a razão é alta: 20 pra 1. No entanto, uma pesquisa publicada em 2012 – Borderline personality disorder as a female phenotypic expression of psychopathy?, – sugere que algumas das diferenças entre homens e mulheres pode não estar na existência dos traços da personalidade antissocial – traiçoeira, manipuladora e abusiva – mas na expressão delas. Especificamente, a pesquisa descobriu que as mulheres podem estar mais propensas a expressar esses déficits de personalidade através de comportamentos que são tipicamente associados (e diagnosticados) com outras doenças mentais. Por exemplo, os pesquisadores descobriram uma sobreposição entre alguns dos sintomas de psicopatia aos de transtorno de personalidade borderline (TPB). TPB tem sido tradicionalmente associado à instabilidade no relacionamento interpessoal, autoimagem e afetos, com uma acentuada impulsividade e medo intenso de abandono (real ou imaginado). Suponha uma mulher cujo medo extremo da rejeição a levasse a ter explosões periódicas de raiva. A fim de salvar o relacionamento, ela pode se envolver em comportamentos insensíveis e manipuladores com seu parceiro – tal qual Myriam. Mas ela também pode cruzar a perigosa linha e cometer uma transgressão real: pagar um bandido para dar um susto no marido, por exemplo, ou, como Myriam, chegar até às últimas consequências. Esse tipo de comportamento (explosões de raiva ou comportamentos insensíveis da mulher no relacionamento) não é o que pensamos quando olhamos para o psicopata clássico. Mas, pensando bem, essa mulher pode ser tão incapaz de sentir empatia, tão manipuladora e tão traiçoeira como o mais frio dos psicopatas.

Segundo o DSM IV-TR (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), a percepção da iminência da perda pode conduzir a profundas alterações no afeto, na cognição, na autoimagem e, sobretudo, no comportamento, incitando uma raiva inapropriada (explosões de fúria ou pânico em situações comuns, como o cancelamento de um encontro ou atraso de alguém que considere importante). O esforço frenético para evitar o abandono pode incluir automutilação ou até mesmo comportamentos suicidas. Muito embora a perturbação antissocial da personalidade e a perturbação borderline tenham a mesma componente manipulativa, os sujeitos com perturbação antissocial da personalidade visam à obtenção de lucro, poder ou de algum ganho frequentemente material; já na perturbação borderline, a manipulação tem o propósito de obter a preocupação dos outros. Mas, nesse estudo, os pesquisadores sugerem uma sobreposição de sintomas entre os dois transtornos, sendo os sintomas do transtorno borderline uma expressão fenotípica da psicopatia nas mulheres. A título de curiosidade, após mandar mutilar o ex-noivo, Myriam enviou um e-mail a ele em que dizia: “Agora, sinto vontade de te abraçar, de cuidar de você, de ter com você o cuidado que nunca tive antes. Eu amo você.”.

O estudo é interessante ao pesquisar as variações da psicopatia nas mulheres. Os pesquisadores terminam dizendo que nas mulheres as características da psicopatia (interação afetiva-interpessoal (F1) e comportamentos antissociais-impulsivos (F2)) estão associadas ao TPB. Isso levou alguns teóricos a proporem que, entre o sexo feminino, a psicopatia representaria uma manifestação do TPB. Somente um profissional da saúde poderia nos dizer se Myriam é uma psicopata ou se sofre de uma doença mental, como o TPB. De qualquer forma, pelo pouco disponível sobre ela, podemos dizer que algumas características comuns à psicopatia ela parece ter: mentira, chantagem, insensibilidade, frieza, falta de empatia, agressividade, impulsividade e transgressão real.

Myriam será levada para cumprir sua pena de apenas seis anos numa Penitenciária de Juiz de Fora. Qual o nome dessa Penitenciária? Estevão Pinto.



Fontes consultadas: Borderline personality disorder as a female phenotypic expression of psychopathy? (Sprague, Jenessa; Javdani, Shabnam; Sadeh, Naomi; Newman, Joseph P.; Verona, Edelyn); Homem que teve pênis mutilado diz que foi perseguido por ex após o ataque (uol); DSM IV-TR (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais).

Esta matéria teve colaboração de:

Psicóloga forense

Revisão por:

Curta O Aprendiz Verde No Facebook


"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • julia

    Não entendi a necessidade de reproduzir no texto a fala tão infeliz do tal “Nogueirão”, sabemos bem que isso não foi nenhuma brincadeira, muitos possuem a mesma opinião equivocada.

    • Russo

      Eu não vi nada demais. As mulheres ficam com essa vitimização eterna e não entendem que para isso parar devem simplesmente ignorar. Quanto mais ficam se vitimizando mais dão margem pra discussões que nunca vão acabar. A mulher não merece ser estuprada, concordo, mas aí me vem um monte de mulheres e fazem protestos mostrando o corpo? Por que não protestam usando a cabeça?

      • julia

        Gosto de ler o blog para conhecer um pouco mais e refletir sobre o comportamento humano. Não me lembro de ter lido nada por aqui que apoiasse algum crime relatado, e não estou dizendo que a reprodução do comentário apoie diretamente algum crime, no entanto, quando leio termos como ”antifeminista” e ”antigayzista”, percebo uma falta de conhecimento teórico e certo grau de ódio vindo daquele que os utilizou. Ok, a pessoa pode simplesmente estar repetindo o que ouviu por aí sem ao menos pensar a respeito, o que também não deixa de ser preocupante.
        Uma coisa eu posso garantir, vitimização é o argumento mais falho que alguém pode utilizar em uma discussão sobre feminismo.
        Se me permite, gostaria de indicar um livro que é um dos meus preferidos, “O segundo sexo”. Garanto que a leitura será enriquecedora.
        Um abraço.

  • A. B.

    Tem que ser muito burra para se deixar ser pega pela policia…

  • Xingu

    sou a junção dos 2 então, nem todo psicopata sai matando por ai .

  • Catarina

    Sei pouco sobre ela, mas também achei muita premeditação pra Border. Eu tenderia mais para Narcisismo Maligno.

    • Catarina

      Ou até mesmo só Narcisismo.

  • Pingback: wow power leveling()

  • Hyuriel Constantino

    Por esse crime essa mulher merecia ser executada. Castrar um homem é condená-lo a morte em vida.

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers