Mistério Resolvido: navio desaparecido há 169 anos, e cuja tripulação praticou canibalismo, é encontrado no Canadá

Esta história é descrita como um dos maiores mistérios vitorianos de todos os tempos. Dois navios com 129 homens a bordo e equipados com as melhores tecnologias da época simplesmente...
O corpo de Thomas Hartnell

Na foto: Mergulhador investiga os restos de um dos dois navios desaparecidos há mais de 160 anos. A descoberta foi feita pelos canadenses e pode fornecer pistas vitais sobre o que aconteceu com o Erebus e o Terror. Créditos: CNN.

Na foto: Mergulhador investiga os restos de um dos dois navios desaparecidos há mais de 160 anos. A descoberta foi feita pelos canadenses e pode fornecer pistas vitais sobre o que aconteceu com o Erebus e o Terror. Créditos: CNN.

Esta história é descrita como um dos maiores mistérios vitorianos de todos os tempos. Dois navios com 129 homens a bordo e equipados com as melhores tecnologias da época simplesmente desapareceram sem deixar rastros. E agora, 169 anos depois, um deles foi encontrado.

Em 1845, o comandante Sir John Franklin conduziu uma tripulação de 129 homens para o ártico canadense a bordo de dois navios: o HMS Erebus e o HMS Terror. Mas eles nunca voltaram.

Durante os onze anos seguintes, autoridades britânicas financiaram expedições de busca, mas nada foi encontrado, e o desaparecimento dos navios tornou-se um dos maiores mistérios da era vitoriana.

Nas décadas que se seguiram, descobriu-se que os navios foram abandonados pelos homens após ficarem presos no gelo em algum ponto perto da Ilha King William. Índios Inuit, habitantes milenares de regiões como o Canadá e Groelândia, disseram que devido às horríveis condições e fome extrema, os marinheiros começaram a brigar entre si e comer uns aos outros. Em outras palavras, para não morrerem de fome, a tripulação cometeu atos de canibalismo. As falas dos índios foram corroboradas por arqueólogos no começo do século passado, quando os ossos de alguns marinheiros foram encontrados com sinais de ranhuras causadas por dentes.

A maioria da tripulação era da região de Medway, sudoeste da Inglaterra. Embora a maioria deles tenha desaparecido sem deixar rastros, incluindo o próprio Sir John Franklin, um deles teria sido visto novamente por um parente.

John Hartnell, que fazia parte da tripulação junto a seu irmão no Erebus, foi um dos três marinheiros enterrados na ilha canadense de Beechey. Seu túmulo foi marcado com pedras e descoberto 139 anos depois por uma equipe de arqueólogos.

Na foto: Em 1984 o corpo do marinheiro Thomas Hartnell foi desenterrado do ártico canadense em perfeitas condições. Créditos: Kent Online.

Na foto: Em 1984 o corpo do marinheiro Thomas Hartnell foi desenterrado do ártico canadense em perfeitas condições. Créditos: Kent Online.

John Torrington

Na foto: O corpo congelado de John Torrington. John foi outro marinheiro enterrado em Beechey, ao lado de Thomas. Créditos: Reprodução Internet.

A descoberta do navio foi bastante comemorada na Inglaterra. O arqueólogo William Battersby disse que essa é a “maior descoberta desde o faraó egípcio Tutankhamon.”

O anúncio foi feito pelo governo canadense e não foi divulgado qual dos navios foi encontrado.

Com informações: Kent Online

Curta O Aprendiz Verde no Facebook


"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers