África do Sul: Multidão ataca suposto serial killer de mulheres

Moradores de Marikana, uma pequena comunidade a leste de Mamelodi, atacaram um homem suspeito de estar por trás do desaparecimento e assassinato de duas mulheres da região nas últimas...
Multidao ataca suposto serial killer
Na foto: Moradores tiram fotos e filmam agressão a o suposto serial killer. Créditos: Pretoria News.

Na foto: Moradores tiram fotos e filmam agressão a suposto serial killer. Créditos: Pretoria News.

Moradores de Marikana, uma pequena comunidade a leste de Mamelodi, atacaram um homem suspeito de estar por trás do desaparecimento e assassinato de duas mulheres da região nas últimas semanas.

Moradores acreditam que até quatro mulheres podem ter sido vítimas do homem. Eles identificaram e localizaram o suposto suspeito andando na rua, e foram até uma delegacia de Mamelodi para prestar queixas.

Quando a polícia disse aos moradores que eles deveriam ir até outra delegacia – por o caso não estar na jurisdição deles – para prestar queixa, os homens decidiram fazer justiça com as próprias mãos.

“Os taxistas de Mamelodi não puderam esperar mais e foram até a casa do homem”, disse Walter Lerumo, um dos líderes comunitários de Mamelodi.

Junto com moradores locais, motoristas de táxi invadiram a casa do suposto suspeito, incendiaram dois carros e esperaram ele sair.

“Ele saiu pela janela e havia cerca de 100 pessoas furiosas esperando por ele. Eles atacaram, chutando-o e socando-o “, disse Lerumo.

Os motoristas estavam irritados porque o suspeito supostamente fingia ser um motorista de táxi para atacar as mulheres. E isso “manchava” a imagem e reputação dos taxistas.

Sangrando e atordoado, o suspeito foi levado por uma ambulância quando jornalistas chegaram ao local.

Na foto: O suspeito atacado pela multidão. Reprodução Internet.

Na foto: O suspeito atacado pela multidão. Reprodução Internet.

Multidao ataca suposto serial killer 3

Na foto: Suposto serial killer de Mamelodi atacado por uma multidão. Créditos: @tshepoisaac96

Na foto: Suposto serial killer de Mamelodi após ser atacado por uma multidão enfurecida. Créditos:

Na foto: Suposto serial killer de Mamelodi após ser atacado por uma multidão enfurecida. Créditos: @tshepoisaac96

Suposto Serial killer atacado em Mamelodi - Africa do Sul - 2

Na foto: Suposto serial killer de Mamelodi atacado por uma multidão enfurecida. Créditos: @tshepiosaac96

Em um dos carros que os populares acreditam ter sido usado nos supostos sequestros, os moradores disseram ter encontrado no porta-malas fios de arame e sangue.

Eles alegaram que o sangue era das vítimas. Já os fios de arame teriam sido usados pelo homem para amarrar as mulheres.

Segundo a multidão, o suspeito não é um residente de Marikana, mas estava escondido lá por causa de seus assassinatos.

Mais de 100 moradores, incluindo crianças em idade escolar, se reuniram em torno da casa em chamas, enquanto alguns participavam do linchamento.

Moradores acusam o homem de matar duas mulheres, Katlego Ndlovu e Letta Letsoalo, ambas mortas há cerca de duas semanas. Eles alegam que até quatro mulheres podem ter sido mortas, mas a polícia local negou o fato.

A porta-voz da polícia, a capitã Doniah Mothutlane, disse que eles ainda investigam se o homem tem alguma conexão com os assassinatos, e rejeitou o boato de que há um serial killer estuprador à solta.

“Estamos investigando se os casos tem alguma conexão. Estamos à espera de resultados post-mortem para descobrir como as mulheres morreram. Fazemos um apelo à comunidade para apresentar qualquer informação que tenham.”, disse ela.

Lizzy Malinga, moradora de Marikana, disse: “Estamos felizes e aliviados que encontramos este assassino. Não podíamos mais utilizar os táxis.”

Ela disse acreditar que o suspeito não agiu sozinho e que há mais culpados.

A família de Katlego Ndlovu exigiu que a justiça seja feita e que o assassino de sua filha seja encontrado. No dia 2 de Setembro, o corpo de Ndlovu foi encontrado nu e espancado perto de um reservatório de Mamelodi.

Sua tia Petúnia Chauke, disse: “Na noite de segunda-feira, depois do trabalho, ela saiu com o namorado para Sunnyside. O namorado disse que após a noite fora, eles pegaram um táxi para Mamelodi e depois um táxi para casa “.

Essa foi a última vez que a mulher de 23 anos de idade foi vista viva.

“O namorado contou que o taxista disse que a conhecia e que eles viviam na mesma área. Ele sugeriu deixar o namorado em casa primeiro e depois ela”, disse Chauke.

Quando Ndlovu não chegou em casa, o namorado ligou para a mãe dela e eles abriram um boletim de ocorrência de pessoa desaparecida numa delegacia local. O casal estava namorando há um mês.

“A polícia nos disse que não poderiam abrir o caso ainda, porque ela só estava desaparecida há algumas horas. Pela manhã, seu corpo nu foi encontrado próximo a um reservatório”, disse ela.

Ndlovu havia sido despida e estrangulada.

Mpho Seerane, que encontrou o corpo, disse que por volta da meia-noite de segunda-feira, ela e familiares ouviram um carro dirigindo pela área. A casa de Seerane fica ao lado do reservatório. “Na manhã seguinte, meu sobrinho encontrou o corpo. Ele nos chamou e nós chamamos a polícia, que não veio.”

Depois de uma hora, eles decidiram ir até a delegacia.

Falando sobre o trauma familiar, Chauke disse: “A polícia nos disse que ela foi estrangulada com arame farpado, mas eles ainda estavam aguardando os resultados post-mortem. Lavei seu corpo (no necrotério). Haviam dois buracos abaixo do queixo e marcas de queimaduras nas coxas. Parecia que ela havia sido queimada com um maçarico.”.

Chauke disse que a partir de informações recebidas, o taxista atacado se encaixa na descrição do motorista de táxi que a pegou.

“No dia do funeral, o taxista passou por nossa casa. Algumas pessoas o seguiram e encontraram arame farpado em seu carro”, disse Chauke. “Chamamos a polícia e eles disseram que não poderiam prendê-lo porque não havia nada que o ligasse ao caso”, disse ela.

Na foto: Multidão incendeia a casa e carros do suposto serial killer. Créditos: Pretoria News.

Na foto: Multidão incendeia a casa e carros do suposto serial killer. Créditos: Pretoria News.

O mesmo homem também é acusado de matar outra mulher chamada Letsoalo, 24. Seu irmão Tebogo Letsoalo disse: “Minha irmã estava a caminho para o trabalho e tomou um táxi local. Essa foi a última vez que ela foi vista.”

O corpo de Letta foi encontrado ao lado de um local de despejo. “Minha irmã foi sequestrada, estuprada e morta. Ela deixa um filho que tem 15 meses de idade.”.

“Eu não sei se ele é a pessoa que a matou, mas se ele é, então, a justiça deve ser feita”, disse Chauke.

A polícia continua investigando o caso.

Veja abaixo uma reportagem da TV sul-africana sobre o ataque ao suposto serial killer de Mamelodi.

Com informações: Pretoria News

Esta matéria teve colaboração de:

Tradução por:
maria eduarda

Curta O Aprendiz Verde No Facebook


“Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.” (Platão)

Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no Whatsapp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers