101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2014

Chegamos a mais uma edição dos crimes notórios e horripilantes do ano. Como eu disse a um ano atrás, na edição de 2013, “algumas coisas simplesmente não mudam, portanto,...
101 Crimes Notorios e Horripilantes de 2014 - Destacada

101 Crimes Notorios e Horripilantes de 2014 - Capa

101 Crimes Notorios e Horripilantes de 2014. Arte: Mariana Chayahichna.

Chegamos a mais uma edição dos crimes notórios e horripilantes do ano. Como eu disse a um ano atrás, na edição de 2013, “algumas coisas simplesmente não mudam, portanto, exatamente daqui um ano, estarei eu aqui de novo com os crimes notórios e horripilantes de 2014.“. E de fato nada mudou, ao contrário, o comportamento violento nos parece cada vez pior e talvez seja hora de aprendermos a conviver com isso, a entender que a violência contra o semelhante é algo inerente ao ser humano.

A todo momento, 24 horas por dia, 365 dias por ano, um assassinato é registrado em algum canto do mundo. Homens atiram e esfaqueiam uns aos outros; racham crânios com objetos pesados; mutilam; envenenam; usam seus punhos; colocam bombas em lugares públicos, etc, etc.

Por que os indivíduos de nossa raça estão dispostos a colocar suas próprias vidas em risco para extinguir a de outros é um mistério que nos intriga desde o assassinato de Abel por Caim. Filósofos, sociólogos, psicólogos, psiquiatras, criminologistas, dentre outros, tem teorizado a respeito ao longo do tempo e, até hoje, o que podemos detectar são apenas as razões aparentes – ganância, inveja, medo, vingança ou uma raiva insana e repentina que se apodera do indivíduo para, um momento no tempo depois, ser apagada de sua memória.

Muitos se perguntam o por que do interesse de alguns com assassinatos e sangue. “Pra quê ficar dando ibope pra esse serial killer?”, escutei de um colega em Outubro passado, época em que o famigerado serial killer de mulheres de Goiânia foi preso. Uma entrevista com o assassino chegou a ser veiculada no programa de maior audiência da TV brasileira, o Jornal Nacional, e muitas, mas muitas pessoas questionaram a grande cobertura midiática em torno do “lixo humano”.  De fato, a maioria das pessoas tem repulsa quanto o assunto é assassinato e não costumam entender aqueles que de alguma forma tentam entendê-lo. “Você é doido?”, já me perguntaram (pelo fato de escrever sobre psicopatas assassinos e serial killers – a maioria dos posts deste blog). O que responder? Por que se preocupar com o “lixo humano” que matou algumas mulheres? A resposta é: Porque conhecimento é poder. As pessoas não apenas cometem crimes por ganho financeiro, vingança ou raiva. Muitos fazem isso apenas pela emoção, pelo gozo. A chave para ter segurança é conhecer o mal e suas diversas formas. Temos de ser capazes de reconhecê-lo para proteger a nos mesmos e aqueles que amamos. Precaução nunca foi trabalho demais, ainda mais nos dias de hoje. Apenas a título de curiosidade (e para ilustrar esse meu ponto de vista), durante a década de 1980, a polícia da cidade russa de Rostov se deparou com um mal nunca antes visto naquelas bandas: um assassino de crianças e adolescentes que arrancava seus olhos, úteros e órgãos genitais. As autoridades não só combateram essa terrível ameaça como aprenderam com ela, se tornando capazes de capturar assassinos antes que eles cometessem novos crimes, salvando assim centenas de vidas.

Este post compila 101 crimes notórios e horripilantes de 2014. Sem dúvidas é um ótimo material para conhecer o mal e suas diversas formas. Aqui vocês encontrarão crimes cometidos por psicopatas, serial killers, assassinos em massa, canibais, estupradores, terroristas, pessoas com problemas mentais, pais que matam filhos, filhos que matam os pais, ritualistas, justiceiros, etc. Ao final, vocês perceberão a falta de humanidade do homem com o homem, assim como sua genialidade quando se trata de planejar crimes diabólicos ao mesmo tempo em que sua estupidez é colocada para fora.

“Os 101 crimes notórios e horripilantes do ano mostra em que mundo vivemos. Certamente irá chocar muitas pessoas. Muitos dos crimes citados aqui são tão horripilantes que muitos não acreditariam existir no mundo real. Por isso, esteja preparado para ter sua alma sugada de um mundo doente e cada vez mais violento.

[O Aprendiz Verde]

Está preparado?

Obs.: Clique nos links em azul para acessar informações externas a esta página (como perfis em rede sociais, fotos, outros textos, etc).

seta

1. VIDA DE MARAJÁ


Raimundo Ailon de Sousa Lemos e sua família. Foto: O Popular.

Raimundo Ailon de Sousa Lemos e sua família. Foto: O Popular.

Gurupi, Tocantins. Brasil.

  • 5 de Janeiro

Raimundo Ailon de Sousa Lemos, 43, e Maria Divina Monteiro, 30, viveram casados durante 12 anos. Nesse tempo tiveram três filhos: Welisson, 13, Walina, 12, e Pedro Henrique, 3.

Filha de um ex-vice Governador de Goiás, Maria vivia de rendimentos da herança do pai e sustentava os filhos e o marido, que era desempregado. Raimundo, por sua vez, era um homem agressivo e violento que maltratava os filhos e a mulher.

Cansada do sofrimento, Maria finalmente se separou de Raimundo em Outubro de 2013, mas o casal continuou com as brigas já que ele agia como um parasita, não aceitando o fim do relacionamento. Ele ligava para Divina e a ameaçava de morte caso ela não voltasse ou enviasse dinheiro a ele.

A história dos dois teve um fim trágico no início de 2014 quando Raimundo envenenou os três filhos e sequestrou sua esposa, levando-a até uma estrada vicinal de São Valério da Natividade, a 295 quilômetros de Palmas. Ele a obrigou a tomar veneno, incendiou o carro da ex-mulher e suicidou-se em seguida, tomando do mesmo líquido.

Segundo investigação da polícia, Raimundo teria ficado transtornado quando viu uma foto de sua ex-mulher com outro homem no Facebook. Ele ligou para tirar satisfações com ela e mais uma vez ameaçou-a de morte. Maria Divina apagou a foto, mas a fagulha para a loucura já havia sido acesa.

“O pai deixou um patrimônio muito grande para ela… Ela bancava o Raimundo e ele não queria perder essa vida.”

[Ana Elisa Gomes, delegada de polícia]

2. HEADBANGER ASSASSINO



Samong Traisattha

Samong Traisattha

Bangkok, Tailândia.

  • 8 de Janeiro

Se existe um estilo musical no rock que assusta até mesmo os mais fervorosos fãs este chama-se Black Metal. No ótimo documentário “Metal: A Headbanger’s Journey” (2005), o protagonista e diretor San Dunn diz que Black Metal é “um estilo sombrio, cru e agressivo que incorpora em suas letras temas como satanismo, anticristianismo e paganismo. É por muitas vezes considerado o gênero musical mais extremo.”.

Apesar de ter fornecido ao mundo músicos e bandas de excelente qualidade, o estilo se popularizou mundo afora por fatos, digamos, bastante horripilantes. No início dos anos 90, bandas norueguesas tomaram de assalto a cena black metal com suas letras satânicas e assustadoras pinturas faciais. Mas longe dos palcos, episódios macabros ligados ao estilo fizeram o mundo esbugalhar os olhos de medo: igrejas queimadas, violações de túmulos e assassinatos. Euronymous, guitarrista da banda Mayhem e considerado um dos melhores guitarristas da história (posição 51 na lista dos 100+ da Guitar World), possuía pedaços do crânio de “Dead”, seu companheiro de banda que cometera suicídio em Abril de 1991. Dizem as más línguas que Euronymous comera pedaços do cérebro do amigo. Mais o episódio mais famoso envolveu Varg Vikernes, músico solo do Burzum. Em 1993, ele assassinou Euronymous com 23 facadas após descobrir que o guitarrista do Mayhem planejava torturá-lo até a morte em uma floresta.

E em Janeiro de 2014, mais um episódio horripilante fez relembrar o passado sombrio e sangrento do Black Metal.

No dia 8, Samong Traisattha, vocalista e baixista da banda de black metal tailandesa Surrender of Divinity, abriu a porta de sua casa para Prakarn Harnphanbusakorn, um conhecido fã da banda. Prakarn, Samong e a mulher do músico, Jaruvan Surapol, conversaram, beberam e estamparam algumas camisetas da banda. Em dado momento, Surapol se ausentou da sala para levar o filho até o quarto; ao voltar, encontrou uma cena de horror.

Numa visão horripilante, seu marido Samong estava caído no chão em meio a uma poça de sangue. O fã da banda, Prakarn, não estava mais no local. Dias depois, um usuário do Facebook intitulado “Maleficent Meditation” publicou fotos da cena do crime acompanhadas de um texto:

“Tenho tido a intenção de acabar com a minha vida desde que tinha 25 anos. Como vou morrer eventualmente, quero arrastar comigo aqueles que maculam o satanismo. Mas evitei matar mulheres e crianças… Tenho mais respeito por devotos budistas, cristãos ou muçulmanos do que por aqueles que se chamam de satanistas sem saber nada sobre o assunto… Se eu não o matasse, tenho certeza que ele seria assassinado por outra pessoa mais tarde.”

Um mês depois, Prakarn Harnphanbusakorn se rendeu à polícia. Aparentemente, ele matou Samong por o músico não ser satânico “o suficiente”.

Clique nos links abaixo e veja duas fotos do local do crime.

Foto 1

Foto 2

3. CRISTÃO CANIBALIZADO



Mad Dog momentos antes de comer sua vítima.

Foto: Reuters.

Bangui, República Centro-Africana.

  • 12 de Janeiro

Entre o fim de 2013 e início de 2014, a República Centro-Africana viveu dias de ira. Milícias cristãs e muçulmanas se matavam uns aos outros após a renúncia do presidente Michel Djotodia, em 14 de Janeiro. Ambos os lados queriam o poder e, para chegar a este objetivo, sangue deveria ser derramado. Homens com machados e facões se misturavam a pais e filhos nas ruas, os primeiros caçando os da outra religião para matar, os segundo fugindo do país. E para cobrir este caos, a rede de TV britânica BBC enviou repórteres até o país, e o que eles encontraram foi algo muito além do que um mero conflito religioso armado.

Em 12 de Janeiro, o jornalista Paul Wood e sua equipe filmavam os conflitos na rua quando um jovem homem se aproximou. Vestindo uma camiseta amarela e segurando uma machadinha na mão, ele repetia num francês arrastado:“Eu sou o perverso, eu sou o perverso!”

Nos primeiros segundos Paul Wood ficou sem entender, mas logo ele perceberia que estava diante de um CANIBAL!

Minutos antes, “Cachorro Louco”, como se autodenominou o jovem de camiseta amarela, havia sido o ator principal de uma cena de terror.

Sua história, se verdadeira, nos faz sentir pena. Mas seu ato, esse sim comprovado, nos faz sentir nojo e porque não pena, pena de uma alma tão pobre. Cachorro Louco, um cristão, alegou a Paul Wood que sua família havia sido morta por muçulmanos. Sua esposa grávida, cunhada, sobrinha – esta um bebê -, dentre outros, teriam sido mutilados; sua esposa teve os seios cortados, já sua sobrinha foi partida ao meio. Cachorro Louco jurou vingança.

Nas ruas infestadas de ódio, na capital Bangui, Cachorro Louco vagou como um zumbi, a procura de alguém para descontar sua raiva.

Ele viu um homem sentado num micro-ônibus, e ele parecia ser um muçulmano. Cachorro Louco, então, decidiu segui-lo. Enquanto ele andava, cochichava com outros jovens – armados com facões, facas e machadinhas – sobre aquele muçulmano. Logo, cerca de 20 homens andavam atrás de Cachorro Louco, pronto para seguirem suas ordens. Ele parou o ônibus e chutou o suposto muçulmano para fora. “Ele caiu e eu esfaqueei seus olhos”, contou Cachorro Louco para Paul Wood. Minutos depois, câmeras de celulares e de emissoras de TV que cobriam o conflito capturariam imagens que ecoariam por todo o mundo.

seta


Na foto: "Cachorro Louco" come um pedaço da perna da vítima enquanto uma multidão o aplaude. Créditos: Associated Press.

Na foto: “Cachorro Louco” come um pedaço da perna da vítima enquanto uma multidão o aplaude. Créditos: Associated Press.



Na foto: Populares filmam Cachorro Louco saboreando o doce sabor da vingança.

Na foto: Populares filmam Cachorro Louco saboreando o doce sabor da vingança.

“Eu o esfaqueei na cabeça. Eu derramei gasolina nele. Eu o queimei. Então eu comi sua perna, tudinho até chegar ao osso. É por isso que me chamam de Cachorro Louco.”

[Wanza Magloire, vulgo “Cachorro Louco”. 12 de Janeiro de 2014]

Enquanto Cachorro Louco sorria para câmeras saboreando carne humana, outros choravam e vomitavam, mas ninguém interviu. Alguns dizem que este foi um ato isolado de um homem com problemas mentais, que se aproveitou da situação para colocar em prática seus mais íntimos desejos. Já outros especulam que pode ter sido um ato de magia negra. Muitos combatentes cristãos usam amuletos que contêm pedaços de carne das vítimas que eles assassinaram.

Clique no link abaixo e veja Cachorro Louco em ação.

Foto 1

Esta história pode se tornar mais horripilante?

Um dia após o crime, Cachorro Louco retornou ao local trazendo pedaços da carne da vítima que havia levado. Ele colocou a carne dentro de um pão e comeu. Ele foi preso em 20 de Fevereiro.

Veja abaixo o canibal degustando a perna da vítima.

4. O EXORCISMO DE ZYANA HARRIS



As quatro crianças esfaqueadas. Reprodução Facebook.

As quatro crianças esfaqueadas. Reprodução Facebook.

Germantown, Maryland. Estados Unidos.

  • 17 de Janeiro

Na manhã de sábado, 18 de Janeiro, o serviço de emergência americano 911 recebeu uma ligação a respeito de um carro com a porta aberta e uma faca ensanguentada no banco. Policiais foram até o local e viram uma mulher saindo correndo de dentro de uma casa. Adentrando o domicílio, os homens da lei encontraram duas crianças mortas – 1 e 2 anos – e outras duas feridas – idades 5 e 8.

A polícia logo prendeu Zakieya Latrice Avery, 28, mãe das crianças, e a acusou pelo duplo assassinato. Mas por que uma mãe mataria dois e tentaria contra a vida de seus dois outros filhos?? A resposta é horripilante: segundo Avery, as crianças estavam possuídas pelo Demônio!

Exorcismo de crianças

De acordo com as autoridades locais, a mulher “achava que o Demônio estava nas crianças. Ela realmente acreditava que havia espíritos malignos dentro delas, por isso ela tentou esse tipo de exorcismo”, disse Marcus Jones, capitão da polícia do Condado de Montgomery.

Para tentar expulsar o coisa ruim de dentro de seus filhos, Avery realizou um exorcismo que culminou no esfaqueamento da filha mais nova. Os outros três também foram esfaqueadas porque, segundo ela, Lúcifer pulava no corpo de um para outro, numa tentativa de escapar das facadas. Uma segunda mulher foi presa em conexão com o duplo assassinato; Monifa Denise Sanford, 21, morava junto com Avery e ambas frequentavam a igreja local, Ministério Exousia, que acredita-se ter sido o local onde se conheceram. Em Agosto de 2014, Monifa foi declarada insana por um psiquiatra do estado. As duas aguardam julgamento.

5. MORTO DE CIÚMES



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Miguel Mejia-Ramos

Miguel Mejia-Ramos e sua família. Reprodução Facebook.

Queens, New York City, New York. Estados Unidos.

  • 18 de Janeiro

“Eu realmente acredito que a pessoa que inventou a cadeira elétrica ou a câmara de gás tinha pessoas como você em mente quando pensou em criá-las,” disse o Juiz de Nova Iorque Kenneth C. Holder a Miguel Mejia-Ramos, 28, em Novembro de 2014. O descendente de mexicanos foi condenado a 45 anos de prisão e, segundo o juiz, teve muita “sorte” pelo estado de Nova Iorque não possuir a pena de morte, pois ele certamente merecia.

“Como um pai, você devia proteger sua família, não matá-la. Agora você terá que viver dia a dia com a imagem de matar sua mulher e duas filhas. É minha esperança que essa memória o faça perder qualquer sanidade que um dia você possa ter tido”, fechou o juiz.

O crime que chocou a polícia e a justiça americanas ocorreu em Janeiro. Segundo as autoridades, enfurecido pelo ciúme, Mejia-Ramos esfaqueou múltiplas vezes sua mulher, Deisy Garcia, após ver uma foto dela com um homem no Facebook. Ele então foi até o quarto de suas duas filhas pequenas, Danielle, 3, e Yoselin, 1, as pegou no braço, pediu desculpas, deu um beijo, e as esfaqueou repetidas vezes até a morte.

Familiares e amigos do casal disseram que Mejia-Ramos era violento e que sua esposa já havia pedido ajuda a um pastor local. Deisy, inclusive, já havia dado queixa do marido na polícia.

Ao ser preso perto da fronteira do México, Mejia-Ramos confessou a policiais que após matar sua esposa, planejou fugir para o México com suas duas filhas, mas como “não tinha cadeiras de bebê no carro”, resolveu matá-las.


Na foto: Danielle, 3, e Yoselin, 1, mortas pelo próprio pai em 18 de Janeiro de 2014.

Na foto: Danielle, 3, e Yoselin, 1, mortas pelo próprio pai em 18 de Janeiro de 2014.


6. SERIAL KILLER NO PLANALTO CENTRAL



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Serial Killer em Goiânia

Algumas das mulheres mortas em Goiânia durante 2014 por um assassino solitário. Foto: G1 GO.

Goiânia, Goiás. Brasil. 

  • 18 de Janeiro

Vemos muitos filmes de terror nos quais um maníaco solitário espalha o terror em alguma cidade ao perseguir mulheres para simplesmente matá-las. “Maniac” (1980) é um ótimo exemplo. E se já ficamos com medo de apenas assistirmos a um filme imagine então se a ficção tomasse as ruas da vida real?

O mais impactante caso envolvendo um serial killer brasileiro desde “O Maníaco do Parque” (1997) veio de Goiânia e ocorreu em 2014. Durante o ano, várias mulheres apareceram mortas assassinadas por um misterioso homem que aparecia do nada apenas para atirar em seus peitos. O primeiro crime ocorreu em 18 de Janeiro quando Bárbara Luiza Ribeiro, 14, foi morta no Setor Lorena Park, um bairro da periferia de Goiânia. Um dia depois foi a vez de Beatriz Cristina Oliveira, 23, assassinada no Setor Nova Suiça, um bairro nobre da capital goiana. 

Logo, outras mulheres, todas jovens e bonitas, apareceriam caídas, alvos da bala de um psicopata. Como nos filmes, os crimes causaram pânico entre as mulheres da cidade. Ninguém parecia estar a salvo, o homem tinha sede de sangue e parecia não temer matar qualquer mulher que cruzasse o seu caminho e se encaixasse em seu perfil.

Ana Maria, 26, filha de promotor de justiça, foi morta no dia 26 de Março dentro de uma lanchonete no Setor Bueno, outro bairro nobre da capital. Em Abril, foi a vez da bela Wanessa, 22, assassinada dentro de uma farmácia. A moça havia saído para ir até a academia e passara na farmácia a pedido da mãe para comprar um remédio. 

Mais e mais mulheres continuaram a ser mortas. Em 2 de Agosto, a adolescente Ana Lídia, 14, foi assassinada num ponto de ônibus a caminho de uma feira.

Pressionada, autoridades do estado montaram uma força-tarefa com vários delegados de polícia para investigar os assassinatos em série. Em 14 de Outubro, a polícia prendeu Tiago Henrique Gomes da Rocha, 26, que confessou 49 assassinatos de mulheres, mendigos e travestis.

Um texto completo sobre o caso pode ser lido no link abaixo:

7. ASSASSINO ESTILO DEXTER


Amy Road, Oxted, Surrey. Inglaterra.

  • 24 de Janeiro

101 Crimes Horripilantes de 2014 -  Steven Milles Acusado: Steven Miles.

Idade: 16 anos.

Local: Amy Road, Oxted, Surrey. Inglaterra.

Crime: Steven Miles tinha um ídolo: o personagem fictício “Dexter“, da popular série de mesmo nome. O adolescente assassinou sua vítima apenas pela emoção, então desmembrou o corpo e escondeu os pedaços em sacos plásticos. A diferença entre Miles e Dexter é que Dexter matava outros serial killers. Já Miles matou sua namorada. Ele tinha apenas 16 anos quando esfaqueou as costas e cabeça de Elizabeth Thomas, 16, na casa dos seus pais. Para o Juiz, ele disse que estava tentando copiar Dexter, usando os mesmos instrumentos que o serial killer da televisão: serras e outros brinquedos. Em Outubro ele foi condenado a 25 anos de prisão.

8. MISOGINIA À MODA INDIANA



A jovem Annu Devi morta numa cama de hospital. Foto: Sanjay Pandey.

A jovem Annu Devi morta numa cama de hospital. Foto: Sanjay Pandey.

Jharkhand. Índia

  • 29 de Janeiro

Algumas histórias são difíceis até de contar.

Como muitas mulheres, Annu Devi, 22, acreditava que encontraria a felicidade no casamento. A vida a dois seduz e é um modelo que muitos acreditam ser inócuo. Mulheres sonham com o dia em que colocarão a aliança no dedo para nunca mais tirar.

Devi e seu marido, Gunjan Masta, viviam felizes e planejavam ter um filho. Mas os problemas começaram quando a moça deu à luz a uma menininha. Enfurecidos e acreditando que a culpa era de Devi – afinal, ela não gerou um homem -, Gunjan e sua família começaram a assediar e torturar a jovem mãe.

A ignorância e maldade chegou ao ápice no dia 29 de Janeiro. Devi amamentava sua bebê quando seu marido chegou, derramou gasolina e ateou fogo na esposa e filha. Tentando fazer de seu assassinato um acidente, Gunjan colocou Devi ao lado de uma lareira. Mãe e filha foram encontradas um dia depois, ainda vivas, mas morreram no caminho ao hospital.

Uma das razões pelos quais meninos tem preferência na cultura indiana é o dote, já que no casamento, é o pai da noiva quem deve pagar ao noivo com terras e outros pertences. Na Índia, milhares de meninas são abortadas todos os anos após os pais descobrirem o sexo da criança pelo ultrassom.

Gunjan foi preso e seu irmão, que também participou do crime, fugiu.

9. O MISTERIOSO ASSASSINATO DA FAMÍLIA SUN


A família Sun. Reprodução Facebook.

A família Sun. Reprodução Facebook.

Cypress, Condado de Harris, Texas. Estados Unidos.

  • 30 de Janeiro

Um mistério quebra a cabeça de autoridades do Texas nos EUA. Quem matou a família Sun? Um ano depois ninguém tem a resposta.

Mayoe Sun, 50, sua esposa Mei Xie, 49, e os filhos do casal Timothy Xie Sun, 9, e Titus Xiao Sun, 7, foram encontrados mortos com tiros na cabeça em 30 de Janeiro. Que tipo de animal poderia matar uma família inteira incluindo duas crianças?

Para este que é um dos casos de assassinatos mais misteriosos de 2014 não há resposta. Investigando a fundo a vida do casal de imigrantes chineses, a polícia do Texas não descobriu nada que pudesse lançar alguma luz sobre o crime. 

Há uma recompensa de US$ 70 mil dólares para quem der informações que possam levar ao autor ou autores. 

10. OS ADORADORES DAS TREVAS


Houston, Texas. Estados Unidos. 

  • 5 de Fevereiro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Jose Reyes

Acusado: Jose Reyes.

Idade: 17 anos.

Local: Houston, Estado do Texas. Estados Unidos.

Crime: Em 5 de Fevereiro, três amigos de colégio, Jose Reyes, 17, Corriann Cervantes, 15, e Victor Alas, 16, decidiram se divertir em um apartamento vazio na periferia de Houston. A diversão incluiu muita bebida e maconha. Mas em dado momento, os dois garotos se voltaram contra Corriann. A jovem debutante mal sabia como seria horrendo o seu fim. Eles a estupraram de uma maneira selvagem e a espancaram com a tampa de porcelana da caixa do vaso sanitário. O ataque foi tão feroz que estilhaços da tampa ficaram enfiados no rosto da vítima. Não satisfeitos, os garotos pegaram uma chave de fenda e a perfuraram dezenas de vezes no rosto e tronco. Durante o ataque, enquanto a garota implorava por sua vida, Reyes arrancou seu olho direito. Para finalizar a “arte”, os garotos esculpiram a faca uma cruz invertida no abdômen de Corrian. Adorador do Diabo, Reyes disse ao seu amigo Victor que havia vendido a alma ao coisa ruim. Victor também poderia fazer o mesmo, disse Reyes, mas para isso eles deveriam sacrificar a adolescente. O assassinato foi, então, parte de um ritual satânico que visava um acordo com o Diabo. Julgado em Dezembro, o adolescente maldito pegou prisão perpétua. Victor Alas ainda será julgado.

11. DIVINDADE DO MAL


Mathura, Uttar Pradesh. Índia.

  • 6 de Fevereiro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Govindanand Teerath

Acusado: Govindanand Teerath.

Idade: não informada.

Local: Tribunal de Mathura, Uttar Pradesh. Índia.

Crime: Há três anos atrás, uma mulher foi estuprada pelo Homem Deus Govindanand Teerath. Homem Deus é uma expressão dada aos mais prestigiados gurus indianos. Eles possuem um grande apoio da sociedade local e alguns afirmam possuir poderes paranormais, incluindo clarividência e capacidade de cura espiritual. Seguidores de Homens Deus muitas vezes dirigem-se a eles como “Sua Santidade”. Em 2012, Teerath foi acusado de estuprar a mulher, cujo nome não foi divulgado. Durante os três anos a mulher procurou por justiça e ela pareceu vir quando uma audiência preliminar foi marcada para o dia 6 de Fevereiro num tribunal da cidade de Mathura. Parecia… ao caminhar pelos corredores em direção a sala de audiências, a mulher foi morta com dois tiros na cabeça por dois atiradores que fugiram. A polícia indiana ainda não solucionou o caso.

12. MAU OU DOENTE?


Rosie, Luke e Anderson Batty. Foto: Herald Sun.

Rosie, Luke e Anderson Batty. Foto: Herald Sun.

Tyabb, Melbourne. Austrália.

  • 12 de Fevereiro

Em 4 de Janeiro de 2013, Greg Anderson sentou no chão de uma delegacia em Hastings, Austrália, e cruzou os braços, olhando fixamente para a parede.

“Eu só respondo a Jesus”, disse ele aos policiais. “Eu gostaria de saber por que vocês acham que tem o direito de me prender.”

Anderson havia sido preso por ameaçar matar sua ex-esposa, Rosie Batty, e por violar uma ordem de não se aproximar de sua residência. Ele se recusou a responder ao questionamento policial e posteriormente foi solto após pagar fiança.

Pouco depois de um ano, em 12 de Fevereiro de 2014, Anderson chocou a Austrália ao matar o seu próprio filho de 11 anos, Luke, em um campo de críquete, espancando-o com um bastão de críquete e o esfaqueando. Anderson posteriormente foi morto pela polícia.

Um dia depois, a mãe de Luke e ex-mulher de Anderson surpreendeu a opinião pública daquele país ao dizer que ninguém havia amado Luke mais do que ela e seu ex-marido. 

Rosie e Anderson se conheceram quando ambos trabalhavam em uma empresa de recursos humanos. O relacionamento dos dois durou dois anos e Anderson abandonou sua mulher grávida para morar em um mosteiro ortodoxo russo no estado australiano de New South Wales. Ele foi expulso do lugar algum tempo depois e voltou para Rosie e seu filho recém nascido.

Anderson era um homem arrogante e errático, que desrespeitava veemente o poder da autoridade. Ele também sofria de problemas psicológicos, tinha desilusões, alucinações e era agressivo, comportamento que piorou à medida que ficava mais religioso, às vezes orando em voz alta como se fosse um profeta. Mas quando estava em seus bons dias, Anderson era inteligente e controlado, segundo aqueles que o conheceram. 

Por desconfiar de médicos, ele nunca quis buscar ajuda, por isso nunca recebeu um diagnóstico real de doença mental. Mas Anderson poderia ser apenas mau. Paul Topham, investigador do caso, disse que “me parecia que ele era um homem muito inteligente e no controle das situações. Isso me faz acreditar que não existia doenças mentais. Ele era 100% mau, não louco.“.

Em dado momento ele simplesmente decidiu ir morar na rua, virou um sem-teto maconheiro que vivia metido em confusões, enfrentando, inclusive, acusações de possuir material que mostravam meninas de 10 a 14 anos sendo violentadas sexualmente. No total, ele possuía 11 acusações criminais. Mas Greg sabia como manipular o sistema judicial, muitas vezes desafiando ordens de intervenção para que ele pudesse ver seu filho com mais frequência; não aparecia em tribunais e, por viver nas ruas, evitava ser preso – ninguém sabia ao certo onde ele poderia estar.

“A forma como ele tratava as figuras de autoridade é instrutivo da maneira como ele provavelmente tratava Rosie. Sua visão era: ‘Você tem que ficar em torno de mim, não o contrário'”.

[Chris Atmore, investigador de polícia]

Apesar de não poder chegar perto de seu filho, ele foi capaz de se juntar a ele no campo de críquete onde o garoto treinava. Quando os outros pais e meninos saíram, Anderson o matou.

O motivo do ataque permanece um mistério. Apesar de seu histórico de uma década de violência física contra sua esposa, ele nunca havia levantado a mão a Luke.

“Tudo o que eu sabia era que ele amava seu filho, nunca colocou a mão sobre ele ou foi verbalmente abusivo. Eu não sabia que Greg era capaz de matar”, disse Rosie no inquérito policial.

Mas a mesma Rosie tem uma teoria:

“Você pode imaginar como deve ser o sentimento… de alguém contra todas as probabilidades te fazer sofrer para o resto de sua vida? Para ganhar?”

[Rosie Batty]

13. O PARANOICO DE NAVIRAÍ



Jociely Pinheiro. Foto: Facebook.

Jociely Pinheiro. Foto: Facebook.

Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. Brasil.

  • 13 de Fevereiro

De tempos em tempos vemos a notícia de algum indivíduo comum, bem visto, e que de repente pega uma faca de cozinha e mata sua companheira. É enigmático como alguns homens usam a violência para resolver os seus problemas ou os problemas que eles acham que tem. Crimes passionais são um mito, pois ninguém mata por “amor” e sim por raiva, ciúme ou retaliação. O assassinato do companheiro(a) é uma forma de autoafirmação de alguém que se acha demais ao ponto de se sentir humilhado por levar o fora de uma mulher. 

No Mato Grosso do Sul, Roberto Dantas Rocha, 37, teve um relacionamento de um ano e sete meses com Jociely Pinheiro, 22. O homem já tinha duas filhas e enquanto namorou Jociely, parecia ser alguém carinhoso e romântico, como provam algumas postagens dele no Facebook.


Imagem postada por Roberto Dantas em seu perfil no Facebook. Foto: Facebook.

Imagem postada por Roberto Dantas em seu perfil no Facebook. Foto: Facebook.

Mas parece que a “vida” no Facebook não era tão perfeita assim. A prova que o relacionamento não era lá essas coisas é que em apenas 19 meses de namoro os dois se separaram três vezes. Os dois romperam de vez quando Jociely foi estudar Direito em Três Lagoas, mas Roberto continuou obcecado na sua ex-namorada, paranoico com a possibilidade dela poder namorar outro homem. 

A paranoia atingiu o extremo em 12 de Fevereiro quando ele enviou uma mensagem no Facebook para uma amiga de Jociely perguntando se ela estava namorando alguém. A amiga não respondeu, deixando-o ainda mais paranoico. Ele pegou um buzão na sua cidade, Naviraí, e foi até Três Lagoas, para tirar “as  ideia” de sua cabeça a limpo.  

Ele entrou no condomínio onde Jociely morava, pulou o muro e se escondeu durante 40 minutos no quintal. Nesse tempo, como um lobo, ele farejou em volta vestígios de outro homem. Ele escutou algumas vozes vindas de dentro da casa, mas o ar-condicionado não o deixava ter a certeza de quem era. Quando o aparelho foi desligado ele ouviu a voz de um homem: Roberto não precisava de mais nada.

Ele invadiu a casa, tirou um canivete do bolso e esfaqueou Luciano Gomes da Silva, o novo namorado de Jociely, perfurando-o várias vezes. Enquanto a ex-namorada gritava em terror, ele continuava o seu ataque.

De alguma forma, Luciano conseguiu sair da casa para pedir ajuda, momento em que Roberto voltou-se contra sua namorada. Ela foi esfaqueada cinco vezes e morreu no local. E o quão insólito como possa ser, ele saiu da casa, foi até uma praça da cidade, entrou numa lan house, acessou o Facebook e postou o seguinte comentário:

seta


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Roberto Dantas da rocha - Facebook

Reprodução Facebook.

“…Você teve os seus motivos…”

[Elizeu da Silva]

Ainda me perguntando quais seriam esses “motivos”…

Roberto se entregou dias depois e aguarda julgamento.

Cenas do local do crime podem ser vistas no Portal do Holanda.

14. HOMOFOBIA CEGA

Vila Kennedy, Bangu. Rio de Janeiro. Brasil.

  • 17 de Fevereiro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Alex Medeiros

Vítima: Alex Medeiros.

Idade: 8 anos.

Local: Vila Kennedy, Bangu, zona Oeste do Rio de Janeiro.

Crime: Franzino e afetuoso, o pequeno Alex Medeiros causava repulsa no próprio pai por ser “afeminado”. A criança gostava de dança do ventre, lavar a louça e andava “rebolando demais”. Raivoso, seu pai, Alexandre Andre Moraes Soeiro, resolveu “ensiná-lo a ser homem”: Alex passou a ser espancado diariamente. O garoto não chorava e isso fazia seu pai bater mais, pois parecia que a criança não estava aprendendo a lição. No dia 17 de Fevereiro, seu pai ordenou que ele cortasse o cabelo de “mocinha”, Alex não quis e outra sessão de espancamento se iniciou. Duas horas depois Alex estava morto, seu fígado estava dilacerado e havia edemas no punho, coxas, equimoses na face, tórax, supercílio, deltoide, etc. Se o garoto realmente era afeminado isso não se sabe, certo mesmo era o comportamento homofóbico do pai, que segundo relatos era “cismado com essa coisa de homossexual”. Inclusive, Alexandre rejeitava o filho mais velho de 12 anos por achá-lo “pouco homem”. Em Dezembro de 2014, o juiz do caso determinou que o acusado vá a júri popular. O julgamento ainda não foi marcado.

15. O PEDREIRO DECAPITADOR


Canoas, Rio Grande do Sul. Brasil.

  • 5 de Março

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Eliane Araújo

Vítima: Eliane de Araújo.

Idade: 35 anos.

Profissão: Pedreiro Azulejista.

Local: Canoas, Rio Grande do Sul. Brasil.

Data: 5 de Março de 2014.

O crime: Nos últimos anos a construção civil foi uma das áreas que mais deu emprego no Brasil. Servente, pedreiro, mestre-de-obras, pintores, gesseiros, eletricistas… são vários os profissionais necessários dentro do ecossistema de uma construção. E era nesse meio que Eliane de Araújo, 35, trabalhava assentando azulejos. No dia 5 de Março, ela acordou para mais um dia de sua vida, um dia que parecia ser comum, mas que acabaria por ser o dia de sua morte. Às 11h30 da manhã, trabalhadores escutaram gritos vindos da construção de um prédio na rua Antônio Lourenço Rosa. O engenheiro da obra subiu até o oitavo andar e viu um homem com as mãos encharcadas de sangue saindo de um dos apartamentos. Dentro, estava o corpo sem cabeça de Eliane. Ela foi assassinada a golpes de marreta e decapitada com uma serra circular, a mesma que ela usava para cortar os azulejos. O marido de Eliane, Sandro Ramos, 32, foi preso dias depois. A polícia diz que o crime foi motivado por ciúmes.

16. MÃE PERDE A CABEÇA


As vítimas: Mariana Marques Rodella, 25, e Giuliano Munhoz Landini, 25.

As vítimas: Mariana Marques Rodella, 25, e Giuliano Munhoz Landini, 25.

Alto da Lapa, São Paulo. Brasil.

  • 7 de Março

De família de classe média alta, Giuliano Landini decidiu seguir a carreira dos pais. Sua mãe, Elaine, 56, era médica pediatra. Seu pai, Alexandre, cirurgião. Estudante de medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Giuliano namorava Mariana Rodella, também vinda de uma família de médicos e que também estudava medicina.

O bonito e tranquilo casal parecia ter a vida destinada para o sucesso, mas algo não ia bem. A mãe de Giuliano era contra o namoro. Esporadicamente, Mariana dormia na casa da sogra, e isso não agradava Elaine. A situação piorou quando Giuliano decidiu se casar com Mariana, época em que ele abandonou momentaneamente o curso de medicina.

Na manhã do dia 7 de Março, Giuliano desceu do apartamento de luxo da família para passear com seu cachorrinho. Ao voltar, se deparou com sua mãe segurando uma arma e Mariana morta na cama com um tiro no ouvido. Aparentemente, Elaine matou a nora enquanto ela dormia. Uma discussão se seguiu e Elaine friamente atirou no filho que colocou o braço na frente do corpo para se defender. Ferido, ele viu sua mãe se aproximar e atirar em seu rosto. Caído no chão, Elaine ainda atirou mais uma vez, no peito do rapaz. Minutos depois, Elaine se mataria com um tiro na boca.

Os reais motivos por trás desta tragédia ainda são desconhecidos e, talvez, seja melhor assim, afinal, segredos de família devem ficar dentro da própria família.

17. CHACINA NO MORRO



Rayane Kellry Silva, 15, Mylleide Morgana, 19, e Sinara Monteiro da Costa, 16. Foto: Reprodução Internet.

Rayane Kelly Silva, 15, Mylleide Morgana, 19, e Sinara Monteiro da Costa, 16. Foto: Reprodução Internet.

Morro do Mendanha, Goiânia, Goiás. Brasil.

  • 8 de Março

Como vem acontecendo nos últimos anos, os noticiários do município de Goiânia foram tomados por um número alarmante de crimes em 2014. Não seria inconcebível que a população passasse a enxergar assaltos, estupros e homicídios como simples elementos do cotidiano, dado o caráter rotineiro de suas ocorrências, mas a verdade é que a violência ainda choca. Foi assim – cabe lembrar – com a captura do serial killer Tiago Henrique Gomes da Rocha, assassino confesso de 39 pessoas. E, num estranho alento, assim haverá de ser com muitos outros casos.

Também não era comum a cena encontrada pelos policiais que subiram o Morro do Mendanha no dia 8 de Março de 2014. No Dia Internacional da Mulher, pouco distantes umas das outras, jaziam quatro garotas com idades entre 15 e 19 anos, mortas a tiros. Elas eram Rayane, Mylleide, Sinara e Ana Kelly. A quantidade de vítimas sugeria a participação de mais de uma pessoa na chacina, e a forma idêntica como todas foram assassinadas apontava para uma execução típica de gangues. A hipótese de crime passional, levemente cogitada no começo da investigação, não demorou a ser ofuscada pela hipótese certeira. Sem mistérios que pudessem gerar pautas midiáticas por um longo período, o crime foi rapidamente solucionado.

A peça-chave foi identificada quando os investigadores apuraram que duas das jovens namoravam integrantes de uma quadrilha com forte atuação no tráfico. Um dos rapazes, de 17 anos, descobriu uma troca de mensagens via celular entre a namorada e um policial, interpretando a seu modo o recado em que ela dizia: “estou em um lugar inadequado, com pessoas inadequadas”. Sabendo que as atividades do grupo estavam sendo visadas pela polícia, ele imaginou que a garota seria uma informante. Não podia existir motivação maior que a necessidade de calar as ameaças.  

Os dois acusados que as autoridades apresentaram no mês de Março disseram que não foi difícil conduzir as vítimas para o local do crime, pois elas não se viam em situação de risco, só tendo sido informadas de seu destino na metade do trajeto. Milleyde e Ana Kelly, que nada tinham a ver com a bandidagem, morreram por estar no lugar errado e na hora errada. As palavras do menor que alegou ter efetuado o disparo ilustram a frieza e facilidade com que providenciaram o arremate: “Já fui para matar. Agora quero puxar essa cadeia e sair fora”. Exemplo perfeito de reincidência, a dupla já somava 16 passagens policiais na ocasião da chacina.

Um último suspeito de envolvimento nas mortes foi apresentado pelas autoridades em Dezembro. Ao que parece, caso encerrado. 

Medida socioeducativa para os garotos!

Abaixo imagens do local da chacina.



18. UMA CABEÇA NA IGREJA



Claudemir da Silva. Reprodução Internet.

Claudemir da Silva. Reprodução Internet.

Telêmaco Borba, Paraná. Brasil.

  • 8 de Março

O dia Internacional da Mulher não foi apenas sangrento e macabro num morro de Goiânia. Há mil e cem quilômetros de lá, Claudemir da Silva, 35, apelido Miquinho, perdia sua vida de maneira brutal. Dar um tiro no rosto da vítima não foi o suficiente para seus algozes; eles arrancaram a sua cabeça e a colocaram em cima do muro de uma igreja católica. Um ritual? Uma mensagem? Para Miranda Júnior, delegado do caso, tudo não passou de busca pelo poder através da força e violência. “Eles queriam causar impacto no local, mostrar quem mandava. Assim eles ganhavam mais força junto aos garotos de menos idade e constituíam uma espécie de pequeno poder local”, analisou o delegado sobre os quatro adolescentes que cometeram o horripilante crime. Nos links a seguir imagens da cabeça da vítima. IMAGEM 1; IMAGEM 2; IMAGEM 3.

19. CARNICEIRO OU FEITICEIRO?


Moniya, Ibadan. Nigéria.

  • 12 de Março

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Alfa Nasiru Acusado:  Alfa Abiodun Nasiru.

Idade: 30 anos.

Local: Região de Isale Awero, Moniya, Ibadan. Nigéria.

Vítima: Oladayo Yetunde Glory, 6 anos.

Crime: Em Março, o pastor Alfa Abiodun Nasiru recebeu uma proposta irrecusável: dois supostos empresários lhe ofereceram uma boa quantia em dinheiro se ele conseguisse partes de corpos humanos fresquinhos. Ele topou e saiu pelas ruas caçando alguém. Oladayo Yetunde Glory, 6, que havia ido até uma mesquita próxima de sua escola para beber água, era a presa perfeita. Dois dias depois a polícia baixou no apartamento do pastor e encontrou o corpo decapitado da criança, a barriga aberta, os intestinos e órgãos internos dentro de um balde, a vagina removida. Uma busca no local revelou várias mochilas e chinelos pertencentes a outras crianças. Não se sabe se Nasiru era um feiticeiro ou um carniceiro pago para arrumar partes de corpos para feitiços de terceiros. Certo mesmo é que a pequena Oladayo foi morta para fins ritualísticos.

20. O MONSTRO DE VILA VELHA



Christian & Bárbara

Christian & Bárbara

Praia da Costa, Vila Velha, Espírito Santo. Brasil.

  • 17 de Março

“Sexting” é uma expressão em inglês que combina as palavras “sex” (sexo) e “texting” (mensagens de texto). Sexting nada mais é do que o envio de fotos nuas ou semi-nuas via mensagem eletrônica. É um comportamento muito comum entre adolescentes, de fato, se você tem um filho adolescente que possui um celular, smartphone ou tablet, então há uma potencial possibilidade em sua casa para o sexting. Pesquisas indicam que 1 entre 4 adolescentes enviam tais tipos de mensagens e aproximadamente 50% já receberam fotos de amigos(as) ou namorados(as) nus.

Existem muitas razões pelas quais jovens enviam fotos nus para os seus contatos. A adolescência é o despertar da sexualidade e é possível que o sexting seja apenas mais um local disponível para experimentar. Para alguns pode ser uma forma de chamar atenção, para outros um método de sedução ou uma outra maneira de dizer “Eu te amo”. 

A maioria dos adolescentes e jovens adultos que enviam essas fotos acreditam que este comportamento é inofensivo, mero engano. Os potenciais resultados de uma simples foto enviada para alguém podem ser desastrosos e, em alguns casos, fatais. Uma vez que um adolescente envia uma foto nu(a) para alguém, esta imagem agora está nas mãos do destinatário. Em 2008, Hope Witsell, 13, enviou uma foto de si mesma nua para um rapaz que ela gostava e a foto posteriormente foi enviada para todo o colégio onde ela estudava. A menina foi suspensa e, em seguida, foi tão psicologicamente torturada pelos colegas que se enforcou. Um outro caso famoso foi o da canadense Amanda Tood, 15, que mostrou os seios na webcam para um garoto que conheceu na Internet. O rapaz posteriormente começou a ameaçar Amanda, contatando seus amigos e até criando uma página no Facebook com a foto dos seios da garota como imagem de perfil. Ela cometeu suicídio, mas sem antes publicar um vídeo no Youtube em que contava sua história. O vídeo causou comoção em todo mundo. No Brasil, Júlia Rebeca, 17, se enforcou com o fio de sua chapinha após ter um vídeo onde aparece fazendo sexo compartilhado no whatsapp.

No Espírito Santo, outro caso envolvendo o sexting chamou a atenção em 2014. Bárbara Richardelli, 18, namorava Christian Cunha, 19, e enviou para ele algumas fotos nuas. Christian compartilhou as fotos com amigos que por sua vez as publicaram na Internet. Revoltada e se sentindo traída, Bárbara terminou o namoro.

No dia 17 de Março, Christian pediu para que Bárbara passasse na obra onde ele trabalhava para os dois conversarem. Eles discutiram e ela foi embora. A moça retornou por volta das 19h e outra discussão aconteceu. Ao virar as costas para ir embora, Bárbara foi atacada pelo ex-namorado que a estrangulou. Ele arrastou o corpo para dentro da obra e permaneceu ao lado dele até as 22h. Em dado momento, o garoto ficou com fome e saiu para comprar um churrasquinho e guaraná, voltando logo em seguida para fazer o lanchinho básico ao lado do corpo. E enquanto degustava um filé no palito, Christian percebeu que Bárbara se mexia. Sem perder tempo ele pegou uma cavadeira e golpeou sem dó a cabeça de sua ex-namorada, continuando a comer e a beber ao lado do cadáver. Quando a mãe da garota ligou em seu celular perguntando se ele sabia onde estava a filha, ele friamente respondeu que “não tinha notícias”.

Preso, Christian foi solto pouco mais de um mês depois do crime, gerando revolta na família da vítima. Em julho ele foi preso novamente pois havia a suspeita de que ele planejava fugir.

Sexting é um problema que veio para ficar. Com a popularização da tecnologia e crianças cada vez mais cedo usando dispositivos eletrônicos, é de se esperar que eles cometam erros tolos. Infelizmente, o que parece ser divertido pode se tornar um grande problema. Há inúmeros exemplos de reputações destruídas e vidas alteradas e até perdidas por um único sexting. É surpreendente como uma foto, que leva poucos segundos para ser tirada, tem o poder de mudar a vida de uma pessoa. Uma foto, um momento no tempo, muitas consequências… pense se vale a pena.

21. UMA AMIGA E UM PUNHAL


As amigas Erandy Elizabeth e Anel Baez. Reprodução Facebook.

As amigas Erandy Elizabeth e Anel Baez. Reprodução Facebook.

Guamúchil, Sinaloa. México.

  • 19 de Março

Adolescentes sempre foram atraídos por espaços públicos nos quais podem conviver com amigos, encontrar novos amigos, e falar sem parar com colegas sobre assuntos banais. Tudo isso longe dos pais ou de outras figuras de autoridade. Na adolescência, a interação é fundamental para o desenvolvimento humano; são como eles expandem seus horizontes sociais; compartilham visões sobre questões que os interessam; experimentam diferentes opiniões e moldam a personalidade, desenvolvendo assim o senso de independência dos pais ou outros adultos.

Até recentemente, os locais onde os adolescentes podiam se encontrar eram espaços físicos, geográficos, mas hoje eles estão no ciberespaço. Muitos adultos ficam confusos, já outros não entendem a quantidade de tempo em que adolescentes ficam online.

E é incrível notar como as redes sociais são usadas por jovens para expor suas vidas sem nenhum tipo de pudor ou medo. Jovens parecem acreditar que o mundo deve girar em torno deles, e nada mais fantástico do que uma ferramenta na qual você pode ver e ser visto. A pesquisadora Dannah Boyd, em seu livro It’s Complicated: The Social Lives of Networked Teens (“É Complicado: A Vida Social de Adolescentes Conectados”), diz que é um mito pensar que nos dias de hoje adolescentes não apreciam a privacidade. Ela fornece suas razões, mas será mesmo? No México, o mau uso das redes sociais causou o fim de uma amizade e, pior, um assassinato.

Erandy Elizabeth e Anel Baez eram amigas do peito, do tipo que postavam fotos no Facebook dizendo que amavam uma a outra e que não viveriam separadas. Mas o conto de fadas adolescente durou até Anel Báez, a de preto na imagem acima, supostamente postar fotos comprometedoras da amiga na Internet.

As duas começaram a se bicar e Erandy foi ao Twitter dizer que “até o fim do ano eu te enterro.”. E cumpriu sua palavra. No dia 19 de Março, a moça foi até a casa de Báez e a trucidou com 65 golpes de punhal. As tais fotos, motivo da ira da assassina, nunca foram descobertas.

Três meses depois do crime, Elizabeth recebeu a pena máxima que um menor pode receber no estado de Sinaloa: 7 anos na cadeia.

22. ENCONTRO MACABRO


Praia de Quintão, Palmares do Sul. Rio Grande do Sul. Brasil.

  • 19 de Março

101 Crimes Horripilantes de 2014 - João Tressoldi

Vítima: João Tressoldi.

Idade: 60 anos.

Local: Rua Uruguaiana, Centro, Praia de Quintão, Palmares do Sul.

O crime: Quarta-feira é dia de futebol na TV, e para assistir à partida, juntaram-se os conhecidos João Tressoldi, 60, Érico Luis, 38, e a namorada de Érico, numa casa na Rua Uruguaiana, Centro de Uruguaiana. Em dado momento a bebida acabou e Érico saiu para comprar mais birita. Nesse momento Tressoldi supostamente teria tentado abusar sexualmente da mulher. Érico voltou e flagrou a sem-vergonhice de Tressoldi, e ambos começaram a discutir. Érico deu oito facadas em Tressoldi que morreu no local. Quando a polícia descobriu o corpo, notou que Tressoldi havia sido castrado e o coração estava faltando. Havia restos de comida e sinais de que o fogão havia sido usado. Para horror da polícia, Luis afirmou que havia se servido de uma refeição canibal, fritando e comendo o coração da vítima.

23. ENCOMENDA PELO CORREIO


Osaka, Kansai. Japão.

  • 21 de Março

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Rika Okada

Vítima: Rika Okada.

Idade: 29 anos.

Local: Osaka, Kansai. Japão.

O crime: Em Maio de 2014, a polícia japonesa se encontrou em um contêiner alugado na periferia de Tóquio. Num dos espaços havia uma caixa de cerca de dois metros com a inscrição “Boneca”. Ao abri-la, os investigadores se depararam não com uma boneca, mas com um cadáver todo esfaqueado. O corpo foi identificado como sendo de Rika Okada, 29, desaparecida em 21 de Março. A polícia descobriu que no dia de sua morte, Rika saiu para se encontrar com uma amiga de escola que não via a anos. A tal amiga era uma brasileira de descendência japonesa que estava com seu visto vencido no Japão. A brazuca, que não teve o nome divulgado, arquitetou um plano diabólico: contatou a antiga amiga de infância para roubar-lhe a identidade, e assim permanecer no Japão. Rika levou 50 facadas no peito e teve o corpo enviado por correio para Tóquio, onde permaneceu num contêiner até ser descoberto. Um fato curioso sobre esta história foi a repercussão do caso, com muitos japoneses argumentando que o horrendo crime só poderia ter saído da mente de um “estrangeiro”. O episódio serviu até mesmo de “prova” para preconceituosos de plantão. “Um brasileiro de novo?”, comentou um usuário num site japonês. O The Strait Times veio com uma análise interessante sobre o crime. Ouvido pelo site, o professor de sociologia da Universidade Musashi, Angelo Ishi, disse que culpabilizar brasileiros ou estrangeiros por crimes no Japão não é novo. “A polícia do Japão insiste em associar estrangeiros com crime, e a mídia de massa aqui apenas copia e cola tal informação, levando a um discurso público focado em algo distinto chamado ‘crime estrangeiro'”. Neste caso específico tivemos um estrangeiro envolvido na morte de um nativo, mas para tristeza dos japoneses tenho outros exemplos ao longo deste post que provam que o mal também pode ter olhos puxados.

24. HOSPEDAGEM DOS HORRORES


Canibais do Distrito de Rakai escoltados até a Prisão Central de Masaka. Foto: Issa Aliga.

Canibais do Distrito de Rakai escoltados até a Prisão Central de Masaka. Foto: Issa Aliga.

Vila de Kangombe, Kyalulangira, Distrito de Rakai. Uganda.

  • 23 de Março

Se você assistiu “O Albergue” (2005), um filme de terror onde pessoas pagavam para torturar suas vítimas até a morte, então você provavelmente é alguém que evita passar as noites em hotéis decadentes.

Provavelmente o casal Peace Arinaitwe, 21, e Deus Bandihihi, não assistia a filmes de terror. Eles também provavelmente não acreditavam nos rumores que vinham da vila de Kangombe.

Em Março, eles foram com sua filhinha de apenas 9 meses de idade (algumas fontes dizem que Peace estava grávida) naquele lugar para participar de um velório. Infelizmente, eles se depararam na noite sem um transporte para os levar de volta para casa. Mas John Ssegirinya, o chefe da aldeia, gentilmente se ofereceu para acomodá-los por uma noite. Mal eles sabiam que eram cordeiros inocentes entrando na cova de leões, e bem na hora do jantar.

Eles provavelmente foram calorosamente recebidos e envolvidos em um bate papo com perguntas sobre sua casa e família. Isto permitiu-lhes relaxar enquanto Ssegirinya e sua eposa afiavam suas facas num cômodo adjacente. Logo chegaram outros homens e todos estavam com fome. Peace e Deus não tiveram tempo nem de pensar no que estava acontecendo: uma horda de canibais os atacou com facas e machadinhas. Deus assistiu com horror sua mulher e a bebê serem picadas como animais. Atacado, por milagre ele conseguiu sair daquele lugar pulando a janela e desaparecendo na escuridão.

A carne de mãe e filha foi repartida, comida e distribuída entre canibais da vila. Na manhã seguinte, Deus, bastante machucado, entrou numa delegacia de polícia e relatou o ocorrido, mas os investigadores não encontraram nem um pedacinho de osso das duas, somente um par de sandálias.

Trinta canibais foram  presos e acusados de assassinato. Um suicidou na prisão e o resto aguarda julgamento.

Se o casal tivesse dado ouvido aos rumores que assobiavam naquela região, talvez não fizessem a viagem.

Abaixo um vídeo da VocaITV sobre casos de canibalismo em Uganda, incluindo o do casal.

25. ISAAC CHRONER?


Coeur d’Alene, Condado de Kootenai, Idaho. Estados Unidos.

  • 24 de Março

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Eldon Samuel III Acusado: Eldon Gale Samuel III.

Idade: 14 anos.

Local: Coeur D’Alene, Estado de Idaho, Estados Unidos.

Crime: Em 24 de Março, Eldon Samuel III, 14 anos, supostamente apanhou de seu pai, Eldon Gail Samuel Jr., 46. Enfurecido, o garoto pegou uma pistola .45 e atirou. Ferido, seu pai rastejou até o quarto onde seu outro filho, Jonathan Samuel, 13, se escondeu debaixo da cama após escutar o disparo. Sem dó do pai, Samuel III atirou mais três vezes: duas vezes no rosto e uma vez no “cérebro”, segundo o próprio garoto. Samuel III, então, gritou para seu irmão mais novo sair debaixo da cama. Quando o garoto se recusou, o pequeno assassino atirou quatro vezes, então, pegou uma “faca grande” e o esfaqueou várias vezes. Quando ele notou que o irmão ainda respirava, Samuel III pegou um pequeno machado e o golpeou 30 vezes. Por que ele matou o irmão? Segundo o próprio garoto, ele o “odiava”. No decurso da investigação descobriu-se que Samuel III cresceu torturando e matando animais. Preso, ele não mostrou nenhuma preocupação em ter assassinado seu pai e irmão. Samuel III será julgado como adulto e, se condenado, poderá pegar prisão perpétua sem direito a pedir condicional.

26. O CASO BERNARDO


Três Passos, Rio Grande do Sul. Brasil. 

  • 4 de Abril

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Bernardo Uglione Boldrini

Vítima: Bernardo Uglione Boldrini.

Idade: 11 anos.

Local: Três Passos, Rio Grande do Sul. Brasil.

Crime: Pelo segundo ano consecutivo o crime do ano no Brasil envolveu uma criança. Se em 2013 o caso Marcelo Pesseghini dividiu opiniões, em 2014 Bernardo Boldrini foi unanimidade. Claro que ambos os crimes são totalmente diferentes, mas é notório notar como casos envolvendo crianças  – sejam elas réus ou vítimas – chocam a opinião pública. Bernardo desapareceu em 4 de Abril de 2014. No mesmo dia, a madrasta de Bernardo, Graciele Ugulini, foi multada por excesso de velocidade em uma estrada em direção a Frederico Westphalen. Parada numa blitz, um policial rodoviário lembrou de ter visto o garoto dentro do carro. Somente dois dias após o desaparecimento, o pai de Bernardo, Leonardo Boldrini, deu queixa na polícia. Dez dias depois o corpo do garoto foi encontrado numa cova rasa na área rural de Frederico Westphalen. Segundo a promotoria, o pai e a madrasta de Bernardo arquitetaram a morte do garoto. Com o desenrolar das investigações, descobriu-se que o menino era maltratado em casa e que sua mãe – ex-mulher de Leonardo – havia cometido suicídio dois anos antes, uma morte bastante suspeita e que muitos acreditam ser assassinato. Além de Leonardo e Graciele, duas outras pessoas estão presas acusadas de cumplicidade no assassinato. O julgamento dos acusados ainda não foi marcado.

27. O TORTURADOR DE PROSTITUTAS


Ugnano, Florença, Toscana. Itália.

  • 5 de Abril

101 Crimes Horripilantes de 2014 -  Riccardo Viti

Acusado: Riccardo Viti.

Idade: 55 anos.

Local: Vila de Ugnano, perto de Florença, região da Toscana. Itália.

Crime: Riccardo Viti era um maníaco e pervertido sexual que passou sua vida torturando prostitutas durante jogos sexuais sádicos. Algumas ele soltava, outras conseguiam escapar, já a romena Andreea Cristina Zamfir, 25, não teve tanta sorte. No dia 5 de Abril seu corpo foi encontrado debaixo de uma ponte numa vila perto de Florença. Ela havia sido terrivelmente espancada e torturada, vindo a falecer de hemorragia interna. Mas o que mais chamou a atenção da polícia e da mídia italiana foi a posição do seu corpo: nua, de costas no chão, braços abertos, pernas juntas com um pé em cima do outro, em outras palavras, em forma de crucificação. Após sua prisão, várias prostitutas apareceram para contar suas histórias. A polícia italiana suspeita que Riccardo seja um serial killer. Desde 2006, seis prostitutas foram encontradas mortas na região do cemitério de Ugnano, todas foram espancadas e algumas encontradas com as mãos amarradas. O caso corre sob segredo de justiça na Itália.

28. VINGANÇA FATAL


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Wasila Tasi'u Hussaina Ibrahim

A adolescente Wasila Tasi’u e sua advogada Hussaina Ibrahim. Foto: Aminu Abubakar/AFP.

Cano, Cano. Nigéria.

  • 9 de Abril

Não há escolas na vila de Unguwar Yansoro, local onde Wasila Tasi’u nasceu e cresceu. Naqueles cantos não há outra alternativa para meninas como Wasila senão o casamento. Neste pedaço de terra no nordeste da Nigéria, a lei islâmica Charia é quem dita os costumes. Meninas são obrigadas pelos pais a se casarem cedo, a maioria com homens mais velhos e que já possuem outras mulheres. O destino da menina de 14 anos não foi diferente.

A adolescente não queria se casar, mas seu pai a obrigou. No dia do casório, Tasi’u foi levada à força até a casa de seu futuro marido Umar Sani, 35, amarrada na cama e estuprada. Ela não foi desamarrada até a manhã do dia seguinte.

Mas a vingança da adolescente não tardaria e veio três dias depois. Ela não queria aquela vida para ela, não queria viver com um monstro.

A casa vivia infestada de ratos, então ela pensou: Por que não preparar uma deliciosa comida para o meu maridinho com veneno de rato?

O marido dela e outras três pessoas caíram mortos no outro dia. 

“Nós somos contra o julgamento. Todo o processo viola o seu direito fundamental. A Convenção Universal dos Direitos da Criança diz que ela devia estar na escola”, disse a advogada da adolescente, Hussaina Ibrahim. Hussaina foi a primeira mulher daqueles cantos a se formar na universidade, uma aberração para os padrões locais. Ela não está cobrando nada de Tasi’u.

Enquanto escrevo este texto o julgamento de Wasila Tasi’u caminha na Nigéria. Se condenada a adolescente envenenadora pode pegar a pena de morte. A data estipulada para o veredito é 16 de Fevereiro de 2015.

29. MANÍACO POR UMA NOITE


Andradina, São Paulo. Brasil. 

  • 13 de Abril

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Yara e Jhennifer

Vítimas: Yara Barbosa e Jhenifer Naiara da Silva.

Idades: 14 anos (Yara); 13 anos (Jhenifer).

Criminoso: Edson Francisco de Souza, 38 anos.

Local: Andradina, estado de São Paulo. Brasil.

Crime: Na noite do dia 12 para o dia 13 de Abril, as amigas Yara e Jhenifer saíram para se divertir na cidade de Andradina, São Paulo, e nunca mais foram vistas. Os corpos nus das duas foram encontrados dias depois boiando no rio Tietê, próximo à cidade de Pereira Barreto. Investigando o caso, a polícia descobriu através do circuito de segurança de um posto de gasolina que as meninas entraram no banco de trás de um carro que havia sido comprado por um homem com cheques sem fundo. Após identificar o homem, ele foi preso em um hospital no Paraná. Ele era o borracheiro Edson de Souza, 38, evangélico, casado, pai de três filhos, incluindo duas garotas de 15 e 16 anos, praticamente a mesma idade das vítimas. Ele disse que após dar carona para as meninas, manteve relações sexuais com elas e as jogou de uma ponte. Ele aguarda julgamento. Imagens dos cadáveres das garotas podem ser vistos nos links a seguir: IMG1; IMG2; IMG3; IMG4.

30. OS CONSUMIDORES DE CORPOS



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Mohammad Farman Ali e Mohammad Arif Ali

Os irmãos Mohammad Farman Ali e Mohammad Arif Ali. Foto: European Pressphoto Agency.

Khwawar Kalan, Punjab. Paquistão.

  • 14 de Abril

Este é um dos casos mais horripilantes deste post.

Historicamente envolto em mistério, mito, simbolismo, medo e especulação, o canibalismo permanece na maioria das culturas um tabu. Muitos acadêmicos questionam amplamente sua existência. No entanto, os elementos que provam a prática são abundantes e estão incluídos em livros e pinturas antigas, histórias, lendas, evidências arqueológicas e relatos de primeira mão. O canibalismo é uma prática que atravessou séculos e culturas. Em muitas delas, é considerado atroz e um sacrilégio, enquanto que em outras é um costume sagrado e venerado. O canibalismo é uma ocorrência inegavelmente enraizada na antiguidade e suas ramificações ultrapassaram a barreira do tempo, estando presente nos dias de hoje.

E para provar isso, trago um conto sinistro de canibalismo vindo do Paquistão.

Em Abril, moradores do vilarejo de Khwawar Kalan reclamaram com a polícia sobre o cheiro de carne podre que vinha da casa dos irmãos Mohammad Farman Ali, 30, e Mohammad Arif Ali, 35. Os irmãos eram evitados pelos outros moradores do vilarejo. Crianças não passavam na porta da casa dos Ali e adultos desviavam do caminho se os vissem por perto. O medo e suspeita tinham fundamento. Três anos antes, o corpo picado de uma mulher de 24 anos havia sido encontrado na casa dos irmãos. Investigações apontaram que os Mohammad desenterravam cadáveres do cemitério para… COMER! 

Os irmãos paquistaneses possuíam uma dieta movida a carne humana. Eles profanavam túmulos e roubavam cadáveres para fazer ensopados de carne. Eles foram acusados de comer mais de 100 corpos retirados do cemitério local e condenados a dois anos de prisão. Eles foram soltos em meados de 2013.

Por isso, quando um cheiro podre começou a vir da casa dos irmãos canibais em Abril, os vizinhos logo avisaram a polícia.

E não deu outra, o crânio descarnado de uma criança foi encontrado no local. Mohammad Farman e Mohammad Arif confessaram que desenterraram o corpo de uma criança morta recentemente e fizeram ensopado de carne.

E dessa vez, além de profanação de cadáveres, os irmãos foram acusados de espalhar medo e dano a propriedade pública (cemitério). Pelos crimes, eles foram condenados a 12 anos de prisão. 

31. MORTE NA FESTA DA FACULDADE


Zackariah Rathwell e Josh Hunter, integrantes da banda de rock Zackariah & The Prophets. Foto: Facebook.

Zackariah Rathwell, 21, e Josh Hunter, 23, integrantes da banda de rock Zackariah & The Prophets. Foto: Facebook.

Calgary, Alberta. Canadá.

  • 15 de Abril

A entrada na faculdade é um momento muito aguardado pelos jovens. De certa forma marca a passagem da adolescência para a vida adulta (apesar de a cada ano os jovens estarem entrando cada vez mais cedo). Muitos enxergam a faculdade como um ingresso para a farra: festas de arromba, bebidas, azarações, novos amigos… e de fato é nessa época que rolam as melhores baladas de nossas vidas. E quem não conhece aquele carinha da faculdade que toca nas festinhas?

Os canadenses Zackariah Rathwell e Josh Hunter faziam parte da Zackariah & The Prophets, uma banda que vivia fazendo a alegria da galera na cidade de Calgary. Se havia uma festa de universitários da faculdade local lá estavam os garotos fazendo barulhos com seus instrumentos.  E uma dessas festas rolou em 15 de Abril numa casa nos arredores da Universidade de Calgary. Era a Bermuda Shorts Day, uma tradicional festa anual que marca o último dia de aulas na universidade. Para todos ali era mais uma noite de curtição com a galera, bebidas, paqueras, risos e tudo mais que viesse em decorrência disso.

Todos menos um. Matthew de Grood, 22, era formado em psicologia e pretendia voltar para a faculdade e cursar Direito. O rapaz, nos dias anteriores a festa, vinha agindo de modo estranho. Estava arredio e não respondia a perguntas de seus pais, mas nada que os fizesse se preocupar com o filho. Isso mudou na noite da festa quando de Grood enviou mensagens de texto para seu pai Doug, um inspetor de polícia. Imediatamente Doug passou a procurar por seu filho na cidade. Nas mensagens, parecia que de Grood planejava o suicídio, mas o que aconteceu foi bem pior.

“O pior assassinato em massa da história de Calgary”, como ficou conhecido o episódio, ocorreu quando de Grood esfaqueou até a morte cinco jovens que participavam da festa Bermuda Shorts Day, incluindo Zackariah e Hunter, dois integrantes da Zackariah & The Prophets.

Kaiti Perras e Lawrence Hong foram duas outras vítimas do massacre. Foto: Reprodução Facebook.

Kaiti Perras, 23, e Lawrence Hong, 27, foram duas outras vítimas do massacre. O quinto da lista é o universitário Jordan Segura. Foto: Reprodução Facebook.

De Grood foi preso cerca de 40 minutos depois após a polícia ser chamada e teve de ser tratado no hospital após um cachorro policial rastreá-lo e atacá-lo numa rua a algumas quadras do incidente.

Os motivos por trás do ataque permanecem desconhecidos. Uma avaliação psiquiátrica do acusado foi realizada, mas o resultado não divulgado, isso porque o juiz considerou que tal informação poderia influenciar os jurados durante o seu julgamento que está marcado para começar em Março de 2015.

32. SEQUESTSRO EM MASSA 


Chibok, Borno. Nigéria.

  • 15 de Abril

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Sequestro na Nigeria

Vítimas: 276 mulheres.

Idades: 16 a 18 anos.

Local: Escola Secundária do Governo, Chibok, Estado de Borno. Nigéria .

Crime: Na noite do dia 15 de Abril, 276 estudantes foram sequestradas de uma escola na cidade nigeriana de Chibok. O autor do sequestro em massa foi o Boko Haram, uma organização terrorista e islâmica jihadista que atua no nordeste da Nigéria. Em 2 de Maio, 53 garotas conseguiram escapar. Segundo autoridades da Nigéria, as estudantes foram obrigadas a se converterem ao Islã e a se casarem com membros do Boko Haram. Em 5 de Maio, o líder do grupo, Abubakar Shekau, apareceu em um vídeo em que dizia: “Alá me instruiu a vendê-las… eu executarei suas instruções… escravidão é permitida em minha religião, e eu capturarei pessoas e as farei escravas.” Segundo o psicopata messiânico, as garotas não deveriam estudar e sim casar, meninas a partir de 9 anos já estão prontas para servir a um homem, disse ele. Até o presente momento mais de 200 garotas continuam desaparecidas. Um texto detalhado sobre o caso pode ser lido no link Bring Back Our Girls: Finalmente o mundo fala sobre as estudantes nigerianas raptadas.

33. SERIAL KILLER MISSIONÁRIO


Lahore, Punjab. Paquistão.

  • 17 de Abril

Serial Killers - Muhammad Ejaz, o matador de homossexuais - infoNome: Muhammad Ejaz.

Idade: 28 anos.

Definição: serial killer.

Local: Lahore, Punjab. Paquistão.

Data: Março e Abril de 2014.

Crime: Em Abril de 2014, a polícia paquistanesa prendeu Muhammad Ejaz em conexão com assassinatos em série de homossexuais na cidade de Lahore. Três vítimas foram confirmadas. Elas eram atraídas através do manjam.com, uma rede social destinada ao público gay. Muhammad os levava para hotéis onde eram sedados, estuprados e estrangulados. O serial killer justificou seus atos dizendo estar limpando as ruas dos perigos do homossexualismo. Um post completo sobre o caso pode ser lido no link a seguir: Muhammad Ejaz: O matador de homossexuais.

34. O PSICOPATA DO ÁCIDO


Bogra Sadar Upazila, Rajshahi. Bangladesh.

  • 18 de Abril

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Picchi BabuNome: Picchi Babu.

Idade: não informada.

Definição: serial killer.

Local: Bogra Sadar Upazila, Rajshahi. Bangladesh.

Data: Abril de 2014.

Crime: O site de Bangladesh Dhaka Tribune noticiou em 23 de Abril que um homem de nome Picchi Babu foi preso em conexão com vários assassinatos em série na região de Bogra Sadar. Ele teria confessado sete assassinatos, cinco mulheres, uma criança e um homem – o último ocorrido em 18 de Abril. O serial killer ludibriava mulheres com a promessa de dinheiro (não foi informado se a trabalho ou sexo) e as matava em hotéis. “Ele não apenas as matava como também arruinava seus rostos e várias outras partes do corpo jogando ácido”, disse Mozammel Hoque, Superintendente da Polícia de Bogra. “Ele admitiu sete assassinatos. Entretanto, nós acreditamos que ele tenha assassinado 17 pessoas”.

35. INFANTICIDA INOCENTE


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Tania Clarence

Desenho de Tania Clarence em Old Baley. Foto: Julia Quenzler.

New Malden, Surrey. Inglaterra. 

  • 21 de Abril

“Imagine três crianças morrendo lentamente em sua frente.”

[Tania Clarence]

Numa noite de Abril, a polícia inglesa recebeu uma mensagem desesperada: “Eu sinto muito, sinto muito”, dizia a voz do outro lado da linha. A mulher chorando era Tania Clarence, 42, e quando policiais foram até sua mansão de R$ 6 milhões de reais, a encontraram em sua cama encolhida debaixo do edredom.

A razão para o pedido de desculpas logo se tornou visível. Seus filhos, Olivia, 4, e os gêmeos Ben e Max, 3, estavam deitados imóveis em suas camas com seus brinquedos favoritos dispostos ordenadamente em torno deles. Um exame post mortem revelou que Tania sufocou os próprios filhos com uma fralda antes de tomar uma overdose de analgésicos.

E por mais estranho que possa parecer, Tania não era uma assassina de sangue frio, pois se fosse, ela estaria agora atrás das grades. Num caso raro na história criminal, promotores concordaram em retirar as acusações de assassinato contra ela e aceitaram seu pedido de homicídio involuntário em razão de sua responsabilidade diminuída.

Sua história resultou em uma onda de simpatia do público, e vizinhos, amigos, médicos e até mesmo o promotor concordaram que Tania era uma mãe coruja e devotada. Mas, talvez, a prova mais convincente do tipo de mulher que ela era veio de seu próprio marido – a pessoa mais prejudicada nesta tragédia – que a perdoou e ficou ao seu lado durante as audiências preliminares.

Mas a pergunta que não quer calar: Por que uma mãe que matou seus próprios filhos saiu livre?

O marido de Tania, Guy Clarence, com os filhos gêmeos do casal. Foto: Reprodução Internet.

O marido de Tania, Guy Clarence, com os filhos gêmeos do casal. Foto: Reprodução Internet.

Os filhos de Tania eram portadores do tipo 2 de atrofia muscular espinhal, uma doença degenerativa que afeta a força muscular, deixando os acometidos incapazes de ficar de pé ou andar, e até mesmo de se alimentarem sozinhos. Lidar com uma criança deficiente é um desafio para qualquer mãe, mas no caso de Tania, ela tinha três crianças com a mesma condição. Vivendo em tal situação e sentindo-se “afligida” com as dezenas de visitas de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, neuropediatras, dentre outros profissionais da saúde, em sua casa, Tania “quebrou-se” psicologicamente, em outras palavras, surtou.

“Cuidar de três crianças com essa condição era desgastante, angustiante, debilitante e acabou por ser esmagador.”

[Jim Sturman, advogado de defesa]

Durante quatro anos, Tania dormiu no máximo 4 horas por dia, isso porque seus filhos acordavam de 4 a 6 vezes por noite. Sua rotina era de cinco ou seis consultas médicas por semana. A tensão era quase inimaginável. Misturado com os ataques, estavam nomeações, visitas domiciliares de médicos, internações, mais consultas, mais internações… dia após dia, semana após semana, durante 4 anos.

Em Outubro de 2012, Tania e seu marido, um alto executivo de banco, gastaram cerca de R$ 2,5 milhões de reais para equipar uma mansão com elevador, rampas para cadeiras de rodas e tudo o que fosse necessário para tornar a vida das crianças a mais fácil possível. E enquanto a situação financeira da família piorava, eles tinham de lidar com médicos. Os Clarences acreditavam que a qualidade de vida era o mais importante, já a equipe médica que cuidava das crianças acreditava que o importante era operações e intervenções cirúrgicas para prolongar a vida dos meninos. O resultado era uma constante angústia e troca de acusações. De um lado, Tania e seu marido acusando médicos de usarem seus filhos como cobaias em novos experimentos de tratamento, de outro, especialistas afirmando que a família era incapaz de entender o benefício a longo prazo de tais tratamentos. A tensão chegou ao ápice em 2013 quando um hospital acusou os pais de negligência, num episódio no qual Tania retirou a máscara de oxigênio de sua filha para que ela pudesse dormir tranquilamente.

Em 21 de Abril, Tania decidiu dar um fim no sofrimento. Matou seus três filhos deficientes e tentou suicídio, tomando uma quantidade enorme de analgésicos. Ela sobreviveu e ganhou a simpatia do público inglês. Num caso raro, as acusações de assassinato foram retiradas e ela foi internada para tratamento psiquiátrico por tempo indeterminado.

“O desgaste físico e mental da Sra. Clarence teria quebrado qualquer um de nós.”

[Jim Sturman, advogado de defesa]

36. MALDADE PURA


Barueri, São Paulo. Brasil.

  • 24 de Abril

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Ane Kely SantosVítima: Ane Kelly Santos.

Idade: 26.

Local: Comunidade Açucarar, Barueri, São Paulo. Brasil.

Data: 24 de Abril de 2014.

Crime: Mesmo sendo torturada por mais de três horas, Ane Kelly Santos não chorou, o que fez com que seus agressores ficassem ainda mais raivosos. A mãe de dois filhos, que recebia ajuda dos vizinhos para alimentar suas crianças, apanhou a marteladas; teve a pele queimada; levou um tiro no pé; teve as unhas e um olho arrancados, dentre outras crueldades. O crime, filmado pelos agressores com um celular, foi idealizado por Renata Fonseca da Silva, que morava no mesmo lote da vítima. Renata e outros comparsas alegaram que a vítima teria roubado objetos de suas casas e uma suposta quantia de R$ 27 mil.

37. NIVAIR: LEATHERFACE BRASILEIRO



Nivair Geraldo da Silva

Nivair Geraldo da Silva, o verdadeiro “Leatherface”

Itaguara, Minas Gerais. Brasil.

  • 26 de Abril

“Ele é psicopata, tem parte com o Capeta!”

Finalmente, um dos mais famosos assassinos do cinema revelou seu rosto: Leatherface, o maníaco que esquartejava pessoas vivas com sua motosserra nos filmes de “O Massacre da Serra Elétrica” foi preso, acreditem, em Minas Gerais!

Piadinhas a parte, este crime mostra o que pessoas com distúrbios mentais podem fazer quando acordam de mau humor.

Na manhã do dia 26 de Abril, Sábado, Nivair Geraldo da Silva, 28, resolveu fazer algo diferente. Colocou uma motosserra nas costas e subiu em sua moto. Na porta de uma boate de beira de estrada, no km 566 da BR-381, município de Itaguara, ele viu Alexandre da Fonseca Resende, 29, de buenas fumando um cigarro. Sem motivo aparente, a não ser as “ideia de sua cabeça”, Nivair desceu da moto, ligou sua motosserra e, como Leatherface, começou a correr atrás de Alexandre feito um louco varrido. Depois de ter um braço decepado, a vítima ainda conseguiu correr, mas caiu esgotado, sendo dilacerado em seguida pelo instrumento do maníaco, que fez questão de remover seu pênis e testículos e de deixar sua coluna vertebral exposta.

O acusado foi preso e não há informações sobre o seu destino.

Clique no link abaixo e veja uma foto da vítima. IMAGEM FORTE!

Foto 1

38. A PROFESSORA DE ESPANHOL


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Will Cornick

Perfil no Facebook de Will Cornick.

Halton Moor, Leeds, West Yorkshire. Inglaterra.

  • 28 de Abril

Indiferente, profundamente perturbado e altamente perigoso – todas essas palavras foram usadas para descrever Will Cornick, de apenas 15 anos.

O adolescente entrou para a história da criminologia britânica ao se tornar o primeiro assassino de um professor em sala de aula na Inglaterra.

Mas como um garoto vindo de um lar amoroso se transformou de um aluno modelo a um assassino?

Descrito como “amigável, entusiasmado e consciente”, o adolescente mudou sua personalidade após ser diagnosticado com diabetes, aos 12 anos, uma condição que o impediria de realizar o seu sonho: entrar para o Exército. Aos 13 anos, sua mãe notou indícios de que ele se auto-flagelava, mas não imaginava que pouco tempo depois ele estaria sentado num banco de tribunal sendo julgado por assassinato.

Will planejou matar durante meses após desenvolver um inexplicável ódio por sua professora de espanhol Ann Maguire. Em uma conversa com um amigo no Facebook, ele disse que a mataria. O garoto confessou a colegas que planejava matar a professora e outros professores, assim como uma mulher grávida, “de modo que seu bebê também morresse”.

Dois meses antes do assassinato, Will postou uma mensagem no Facebook endereçada à professora:

“Absolutamente a única cadela fodida que merece mais do que a morte, mais do que a dor e mais do que qualquer coisa que possamos imaginar.”.

Will decidiu num Domingo que mataria Maguire. “Eu queria ser pego. É por isso que eu fiz isso na escola. Eu queria estar na cadeia.”, disse ele a um psiquiatra.

Antes do ataque, ele mostrou algumas facas para amigos do colégio. Durante o seu julgamento, o promotor Paul Greaney disse que na aula de espanhol, Will se levantou e foi até a porta da sala, voltou para a turma e piscou para um amigo, então foi em direção à professora para esfaqueá-la até a morte. Maguire estava sentada na mesa olhando para o trabalho de uma aluna quando foi surpreendida com facadas no pescoço e costas. “Ele a atacou por trás”, disse o promotor. “Ann Maguire tinha 61 anos, 1.58m de altura, magra. O réu era alto e estava armado com uma grande faca de cozinha. Foi um ataque covarde.”

A professora ainda conseguiu fugir, e enquanto corria era apunhalada pelas costas. Susan Francis, professora na escola, ouviu os gritos da amiga e correu para o corredor onde encontrou as crianças “gritando em pânico”. “Ele me esfaqueou no pescoço”, disse a vítima para Susan, que puxou Maguire para dentro de uma sala e segurou o pé contra a porta para manter Will longe. “Ela era capaz de vê-lo através do vidro da porta. Seu rosto estava sem emoção e, então, ele foi embora”, disse o promotor.

Ann Maguire foi esfaqueada sete vezes, uma dessas facadas atingiu a veia jugular. Suas últimas palavras foram: “Não deixem que eles [alunos] me vejam morrer.”

Enquanto sua professora agonizava, Will voltou para a sala de aula e sentou-se na sua cadeira como se nada tivesse acontecido e resmungou a um colega que “é uma pena que ela não está morta”.

A um psiquiatra, o garoto disse sentir “orgulho.”

“Eu não estava em estado de choque, eu estava feliz. Eu sei que é errado, mas eu sei que é incrivelmente instintivo e humano. As gerações passadas da vida, matar é uma rota para a sobrevivência. É matar ou ser morto. Eu não tive escolha. Era matar ou suicídio… Foda-se [a família]. Eu sei que a família dela vai ficar chateada, mas eu não me importo. Nos meus olhos, tudo o que eu fiz foi fino e elegante.”

[Will Cornick]

E o Juiz também foi fino com o monstrinho: prisão perpétua para o garoto de apenas 15 anos.

39. UM MISTÉRIO AMERICANO


Russell e Shirley Dermond. Reprodução Internet.

Russell e Shirley Dermond. Reprodução Internet.

Lago Oconee, Condado Putnam, Geórgia. Estados Unidos.

  • 2 de Maio

O crime mais misterioso desta lista vem dos Estados Unidos.

Em 6 de Maio, o corpo decapitado de Russell Dermond, 88, foi encontrado na garagem de sua casa de alto padrão num condomínio ao lado do Lago Oconee, Geórgia. Sua cabeça nunca foi encontrada. Sua mulher, Shirley Dermond, 87, não foi encontrada e buscas frenéticas começaram a ser feitas no que parecia ser um sequestro. Duas semanas depois o corpo da idosa foi encontrado por pescadores boiando numa represa perto do lago. A causa da morte foi uma pancada com um objeto contundente na cabeça. Aparentemente o corpo foi levado até lá.

Oito meses depois o caso continua sem solução, não há suspeitos, nem mesmo uma só pista. O que se sabe é que o crime foi planejado, premeditado e, claro, horripilante.

Russel e Shirley viviam uma vida comum. Ele jogava golfe, ela cartas. Aos domingos frequentavam a igreja local. As despesas eram moderadas e os inimigos inexistentes. Até mesmo a cena do crime refletia a vida do casal: tudo em ordem, nada roubado, nem mesmo manchas de sangue, nenhum sinal que assassinatos ocorreram ali. Mais misterioso impossível.

O FBI trabalha no caso e uma recompensa de US$ 55 mil dólares foi oferecida a quem der pistas que levem ao assassino ou assassinos.

40. OS SELVAGENS DO GUARUJÁ


O porteiro Jaílson das Neves, marido de Fabiane Maria de Jesus, e as filhas do casal. Foto: Isto É Independente.

O porteiro Jaílson das Neves, marido de Fabiane Maria de Jesus, e as filhas do casal. Foto: Isto É Independente.

Morrinhos, Guarujá, São Paulo. Brasil.

  • 3 de Maio

3 de maio de 2014 não foi uma data como outra qualquer para os moradores de Morrinhos IV, bairro da periferia de Guarujá. Nesse dia, o local serviu como palco da perpetração de um crime que interpelou a opinião pública brasileira em várias esferas: a morte da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, 32 anos, atacada por vizinhos ao ser confundida com uma sequestradora. Foi o linchamento mais assustador dentre as dezenas que ocorreram durante o ano pelo país – atos que não tornaram o Brasil um lugar mais justo e seguro, mas, com certeza, trouxeram mais medo e animosidade para uma população já temerosa e arriscadamente cortejada pelo ódio.

As motivações por trás do homicídio tiveram origem em um boato irresponsavelmente propagado nas redes sociais. Pouco antes, uma página de notícias da região alertava seus leitores acerca de uma mulher que raptava crianças para utilizá-las em rituais de magia negra. Um texto sem maiores detalhes ou indícios de apuração era acompanhado de um retrato-falado da suposta criminosa.  Alguém associou Fabiane à imagem divulgada, apesar da incontestável ausência de semelhança física entre elas. Depois, quando se soube que sequer havia busca oficial por alguma suspeita com as atribuições mencionadas, uma inocente já engrossava as estatísticas de vítimas fatais da violência cotidiana.

O vídeo da agressão a Fabiane é impactante, de um jeito difícil de descrever. Assisti-lo provoca um misto de pavor, repugnância, tristeza e impotência. A vítima surge na tela sendo covardemente espancada por um grupo numeroso de homens e mulheres, enquanto uma quantidade ainda maior de pessoas observa o desdobrar da cena. Ela sofreu traumatismo craniano e foi levada a um hospital da cidade, onde faleceu dois dias depois. Isso não aparece na filmagem, é claro, mas faz parte do filme criado pelo espectador atônito, no qual também estão as declarações posteriores dos responsáveis, todos eles se eximindo de culpa.

O administrador da página no Facebook que espalhou o boato afirmou que só estava prestando o serviço de informar as pessoas. Um dos cinco acusados pelo Ministério Público de participação no espancamento contou que agiu sob efeito de drogas. Outro, identificado como Valmir Dias Barbosa, de 47 anos, disse algo digno de questionamento: “Com certeza estou arrependido, senão já teria fugido. Só depois eu descobri que era uma dona de casa, mas pra mim era uma sequestradora. Descobri por intermédio da sociedade e me senti mal”.

Caso a mulher linchada fosse a tal sequestradora de crianças, o linchamento estaria justificado? Aparentemente, Valmir se enxerga como um homem ludibriado pelas circunstâncias, não como um criminoso. Se o público é unânime em vê-lo como assassino, isso também acontece porque Fabiane era inocente. Por essa lógica do culpado que perde o “direito” de ser vítima para ser alvo de merecida penalidade, podemos perceber quão frágil é a fronteira que separa a justiça com as próprias mãos da mais abjeta barbárie.

Talvez esta situação nos assombre tanto por ser do tipo que pode vitimar qualquer um de nós. Talvez tenha ficado na memória de muitos por ter gerado reflexões sobre a internet como meio de democratização da informação e sobre as armadilhas do sentimento de impunidade. Talvez seja tão arrepiante porque puxou de volta à superfície, sem concessões, uma verdade que não escapamos de encarar de tempos em tempos: aquela que nos diz que o ser humano é capaz das piores crueldades até mesmo em nome do bem.

Veja abaixo algumas cenas da barbárie cometida contra Fabiane.

41. TUDO PELO DINHEIRO


Gildo e Hélène Pastor. Foto: DR/PARIS MATCH.

Gildo e Hélène Pastor. Foto: DR/PARIS MATCH.

Nice, Alpes Maritimes. França.

  • 5 de Maio

Em 5 de Maio de 2014, o sol ainda brilhava sob as ruas de Nice, França, quando Hélène Pastor, 77, deixou o hospital público L’Archet e foi assassinada numa saraivada de tiros durante uma emboscada.

Ela era conhecida como a mulher mais rica de Mônaco, com uma fortuna estimada em US$ 25 bilhões de dólares.

Definitivamente o ano de 2014 foi horrível para ela. Em 26 de Janeiro, seu arrojado filho, Gildo, 47, – cofundador, junto com Leonardo DiCaprio, da Formula E-style – sofreu um mal súbito que o deixou parcialmente paralisado e sem fala. Uma semana depois, Hélène enterrou seu irmão, Michel, conhecido como “o Chefe de Mônaco”. Antes, ela já sofrera o suficiente com o câncer de sua filha Sylvia.

A morte de Hélène (e seu motorista) assustou o principado de Mônaco. O Príncipe Albert lamentou sua morte e jornais na França e Inglaterra escreveram sobre o “estilo de assassinato do submundo do crime”, possivelmente o trabalho de assassinos profissionais da Máfia Italiana ou Russa. Teorias conspiratórias emergiram de todos os lados, mas em última análise, o assassinato da ricaça tinha a ver com a palavra que move Mônaco: dinheiro.

Após um trabalho exaustivo que envolveu juntar um quebra-cabeças de gravações telefônicas, imagens de câmeras de segurança e análises de DNA, a polícia francesa chegou a dois nomes: Wojciech Janowski e Pascal Dauriac.

Os nomes vieram como uma bomba, principalmente o de Janowski, então cônsul honorário da República da Polônia em Mônaco e marido de Sylvia, filha de Hélène.


Wojciech Janowski e Sylvia Pastor. Casados a 28 anos, o casal tem uma filha adolescente. Data: 2003. Foto: ENTAURO/French Select/Getty Images.

Wojciech Janowski e Sylvia Pastor durante uma festa no Palácio Real de Mônaco. Casados a 28 anos, o casal tem uma filha adolescente. Data: 2003. Foto: ENTAURO/French Select/Getty Images.

Segundo promotores do caso, Janowski contratou dois assassinos profissionais por 250 mil euros e encarregou seu testa de ferro, Pascal Dauriac, de organizar o crime. Endividado, Janowski planejava colocar as mãos na herança bilionária que sua mulher receberia após o assassinato da mãe.

O ex-cônsul chegou a confessar ser o mandante do crime mas depois voltou atrás. Atualmente ele está preso em Marselha aguardando julgamento.

42. SEXTA-FEIRA 13 ATACA


Bela Vista, Mato Grosso do Sul. Brasil.

  • 6 de Maio

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Francisco Joaquim De Jesus Criminoso: Francisco Joaquim De Jesus.

Idade: 42 anos.

Local: Região central de Bela Vista, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Crime: Matar o pai é algo que extrapola a imaginação. Matá-lo e arrancar sua cabeça com um facão é inimaginável. Agora fazer isso à luz do dia no meio da rua, com pessoas passando ao lado já é uma cena de filme de terror.  Não, não, não. Essa cena grotesca e horripilante aconteceu no nosso mundo real, no Mato Grosso do Sul. Francisco Joaquim De Jesus, 42, acordou no dia 6 de Maio atacado. Segundo relatos ele sofria de esquizofrenia e já havia tentado o suicídio. No fatídico dia ele caminhou até o escritório de seu pai Joaquim de Jesus, 64, e sem motivo aparente começou a cortá-lo com um facão. A vítima ainda conseguiu correr para a rua, mas o filho foi atrás e terminou o serviço. Como num filme de terror, o homem cortou a cabeça do pai e saiu andando com ela pelas ruas da cidade. Veja por você mesmo no vídeo abaixo.

43. FATALIDADE(?) NO 1º ENCONTRO



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Mina El Houari

Mina El Houari.

Fez, Fez-Boulemane. Marrocos.

  • 19 de Maio

Mina El Houari planejou seu primeiro encontro amoroso durante semanas. A moça de 25 anos de Cadenet, sudoeste da França, conversou durante meses pela Internet com um pretendente do Marrocos.

Em busca de um namorado, El Houari deve ter percebido uma chance no relacionamento cibernético, o bastante para comprar uma passagem de avião para o país africano afim de conhecer o pretendente pessoalmente.

Ela chegou em Fez, terceira maior cidade do Marrocos, em 19 de Maio, e se hospedou em um hotel cinco estrelas. Mas a tarde que prometia se transformou numa trágica história de amor: em horas, El Houari seria enterrada viva no jardim do homem, morrendo lentamente por falta de oxigênio.

O pretendente, que não teve o nome divulgado, disse aos policiais que o encontro estava indo bem até a moça, de repente, desmaiar.

Acreditando que ela estava morta, o rapaz relatou que entrou em pânico. Como se desfazer do corpo? Ele decidiu, então, enterrá-la em seu jardim. Ele alegou estar tão fora de si com o episódio que não percebeu que El Houari ainda respirava.

Uma autópsia mostrou que a francesa tinha uma diabetes não diagnosticada e entrara em estado de coma diabético na casa do marroquino.

Após ser interpelada pela família da vítima, a polícia invadiu a casa do homem e encontrou as calças sujas da moça e uma pá. A polícia acreditou na versão do homem e o acusou de homicídio involuntário.

Mais trágico do que Romeu e Julieta, não?

44. HANNIBAL LECTER MULHER


Longwy, Lorena. França.

  • 22 de Maio

Criminosa: Mulher – nome não foi divulgado.

Idade: 71 anos.

Local: Comuna de Longwy, Lorena,  Meurthe-et-Moselle. França.

Data: 22 de Maio de 2014.

Crime: Desde o início, a polícia da bucólica Longwy sabia que estava diante de um caso sórdido, mas não imaginava que chegaria a tanto. Em 22 de Maio, uma idosa de 71 anos foi presa acusada de matar seu marido de 80. Na roupa da mulher, peritos encontraram sangue e restos biológicos. Num pilão, restos de carne humana; o marido virara comida. Autoridades francesas disseram que a mulher cozinhou em uma panela o coração, nariz e genitais do marido. “Essa é a Hannibal Lecter mulher”, disse uma fonte policial antes de complementar não saber se a mulher realmente comeu o marido após cozinhá-lo. A advogada da idosa disse que a acusada sofria de “transtorno delirante” e “distúrbios alucinatórios”. A mulher foi colocada na unidade psiquiátrica da prisão de Nancy-Maxéville.

45. ASSASSINO EM MASSA VIRGEM


Isla Vista, Califórnia. Estados Unidos.

  • 23 de Maio

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Elliot RodgerCriminoso: Elliot Rodger.

Idade: 22 anos.

Local: Isla Vista, Califórnia, perto do câmpus da Universidade da Califórnia, em Santa Barbara.

Crime: As publicações online e as escritas detalhadas de Elliot Rodger pintam um retrato assustador de um jovem obcecado com a aparência, aceitação e pela perda da virgindade. Seus vídeos, fotos, posts e um manifesto de mais de 100 páginas mostram um indivíduo perturbado que era isolado, depressivo e raivoso contra o que considerava uma injustiça: sua falta de sucesso com mulheres. Ele resolveu seus problemas numa noite sangrenta que culminou na morte de sete pessoas, incluindo ele. Uma análise detalhada do caso pode ser lida no link Elliot Rodger: Perfil de um assassino.

46. MISOGINIA À MODA PAQUISTANESA



O corpo sem vida da paquistanesa Farzana Parveen. Foto: Asssociated France Presse.

O corpo sem vida da paquistanesa Farzana Parveen. Foto: Asssociated France Presse.

Lahore, Punjab. Paquistão.

  • 27 de Maio

Farzana Parveen, 25, foi apedrejada até a morte por sua própria família na frente de um tribunal paquistanês. O motivo? Ela queria viver com o homem que amava.

Cerca de 20 membros da família da mulher, incluindo seu pai e irmãos, atacaram ela e o seu marido com paus e tijolos em plena luz do dia diante de uma multidão de curiosos em frente ao Supremo Tribunal de Lahore.

Contra a vontade da família, Farzana havia se casado com Mohammad Iqbal. Durante anos ela enfrentou a oposição de sua família. No início de 2014, o pai de Farzana acusou o marido da filha de sequestrá-la.

Em 27 de Maio, o casal foi até o tribunal de Lahore para contestar a acusação. Na porta eles foram emboscados pela família da mulher, que a espancou com socos, pontapés, paus e tijolos.

O pai de Farzana se rendeu após o incidente e chamou o ato de “crime de honra”. Centenas de mulheres são mortas a cada ano no Paquistão nos chamados crimes de honra. Maridos ou parentes matam suas mulheres como punição por supostos adultérios, comportamentos sexuais ilícitos ou, como no caso Farzana, não se casarem com o pretendente escolhido pela família.

Em Novembro, o pai de Farzana, irmão, e o homem escolhido pela família para se casar com ela (e que também a espancou) foram condenados a morte. Outro irmão da vítima pegou 10 anos de prisão.

Este caso pode ficar ainda mais sórdido? Sim!

Posteriormente descobriu-se que Iqbal, o marido de Farzana, assassinou sua primeira mulher para que pudesse se casar com Farzana. Ele não teria sido preso porque seu filho o perdoou. De acordo com a lei paquistanesa, um filho ou parente próximo da mulher pode perdoar seu assassino.

47. COMO PRESENTE DE ANIVERSÁRIO


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Valery Makarenkov

Fim de jogo para o “Maníaco da Bicicleta” de Moscou. Foto: MK 95.

Parque Kuzminki, Moscou. Rússia.

  • 29 de Maio

Em Junho, Valery Makarenkov, 67, foi pego após um reinado de terror em Moscou que durou quase 30 anos. O primeiro registro envolvendo o “Maníaco da Bicicleta” vem dos tempos do comunismo, quando ele começou a perseguir mulheres, estrangulá-las até que perdessem a consciência, estuprá-las e roubá-las.

De acordo com a polícia, os crimes não eram planejados, Makarenkov agia espontaneamente, dependendo da situação. Ele não tinha preferência por idade ou status social – ele só se preocupava com suas vítimas não resistindo, por isso a esganadura antes do estupro.

Em 27 anos, estima-se que ele tenha estuprado pelo menos 108 mulheres. Ao longo desse tempo, investigadores compilaram uma lista com cerca de 20 mil residentes da cidade que se encaixavam na descrição física do atacante.

Makarenkov possuía um modus operandi definido: disfarçando-se como um ciclista, o maníaco caçava mulheres em parques e fundos de conjuntos habitacionais prediais. Os ataques ocorriam, principalmente, em torno do dia 29 de Maio, aniversário do acusado. Para as autoridades, ele disse que “eu me dei essas garotas como presente de aniversário”. E foi como presente de aniversário que o maníaco ganhou seu passe para o xilindró: em 29 de Maio de 2014, uma mulher conseguiu escapar de seu ataque e chamar a polícia.

48. ASSASSINO ESTILO RAMBO



Justin Christien Bourque

Justin Christien Bourque

Moncton, New Brunswick. Canadá.

  • 4 de Junho

“Pergunte a si mesmo, você lutaria pelo futuro dos seus filhos ou netos, ou seus familiares, filhos e filhas dos seus amigos? A resposta é: não, você é muito estúpido para saber pelo que lutar, porque nós já estamos perdendo a guerra silenciosa que você não acredita estar acontecendo.”

A reflexão acima foi postada no dia 7 de Abril no perfil do Facebook de Justin Bourque. Um dia antes, o canadense também postou, “Livre de raiva, livre de ódio, livre de dor, me diga o que este lugar deveria ser? Você consegue ouvir? Consegue ver? Vocês conseguem enxergar o que eles fizeram comigo?”

Dois meses depois, Justin Bourque, 24 anos, foi alvo de uma desesperada caçada humana. Num verdadeiro jogo de gato e rato, o jovem, que pode ser visto na imagem acima carregando dois fuzis, virou alvo da Real Polícia Montada do Canadá após assassinar três policiais e ferir gravemente outros dois num ataque sem motivo aparente. Armado e perigoso, o “assassino estilo Rambo” – como foi apelidado pela imprensa internacional – levou pânico a região. Ruas desertas e famílias entocadas em casa contrastavam com os mais de 300 policiais que o caçavam em florestas de Moncton. Ele foi preso dois dias depois dos ataques após ser visto perambulando com seu uniforme militar numa das ruas da cidade.

Pelo divulgado, Bourque é mais um exemplo clássico de um assassino em massa. Eles são jovens e os assassinatos ocorrem quando o autor do crime está profundamente perturbado. Assassinos em massa vivem num mundo próprio, remoendo suas fantasias durante anos até um ponto em que explodem. As vítimas são mortas aleatoriamente mas podem também ser mortas por uma razão específica, retaliação por exemplo. E retaliação parece ser o caso de Bourque. Amigos dele disseram a jornais canadenses que ele tinha ódio de autoridades e polícia, e que não suportava receber ordens, motivo que o fez ser despedido de seu último emprego. Em sua mente distorcida, Bourque quis iniciar uma rebelião contra o governo que considerava opressor.

Em 27 de Outubro, Bourque foi condenado à prisão perpétua sem possibilidade de condicional pelos próximos 75 anos. Em Dezembro, um juiz de New Brunswick liberou ao público evidências usadas no caso. Em uma entrevista para a polícia, Bourque disse que “Eu sei que você provavelmente achará isso doente… é triste. Eles deveriam ter esposa e filhos, mas todo soldado tem uma esposa e filhos, certo? É tudo sobre qual lado você escolhe.”

49. O COLECIONADOR DE OSSOS



Gregory Scott Hale

Gregory Scott Hale. Foto: Facebook.

Pete Sain Road, Manchester, Tennessee. Estados Unidos.

  • 8 de Junho

Gregory Scott Hale, 37, era um cara estranho. Ele era conhecido entre seus vizinhos como adorador do Demônio e uma vez foi pego no matadouro onde trabalhava realizando um ritual satânico. Aliás, era no seu local de trabalho que Scott pegava ossos e olhos de animais para seus rituais pessoais.

Sua página já desativada do Facebook era repleta de imagens sexualmente explícitas e macabras, assim como referências a canibalismo e mitologia escandinava. Alguns de seus selfies o mostram empunhando armas, incluindo um enorme facão, e cobras. Em um de seus posts ele disse: “Eu abraço as pessoas que eu odeio então eu sei o quão grande será a sua cova no meu quintal.”. Ele também era fã do serial killer satânico Richard Ramirez.

“Ele tinha uma obsessão louca em matar uma pessoa e desmembrá-la”, disse o promotor Craig Northcott do Condado de Coffee. E Scott “saciou sua obsessão” ao assassinar em 8 de Junho Lisa Marie Hyder, 36. Ele a conheceu em uma loja de bebidas e a convidou para dar uma esticadinha em sua casa. Após o sexo, a mulher foi decapitada, esquartejada e enterrada no quintal do assassino que também confessou ter comido partes do corpo da vítima.

Julgado em Janeiro de 2015, o Adorador das Trevas foi condenado a prisão perpétua.

50. CASAL 20



Jared e Amanda Miller. Fotos: Facebook.

Jerad e Amanda Miller. Fotos: Facebook.

Las Vegas, Nevada. Estados Unidos.

  • 8 de Junho

“Eu encontrei a minha aberração”, disse carinhosamente Amanda Miller, 22, sobre seu marido magricela em sua página no Facebook. “Você é o melhor. Eu digo ‘Até a Morte Somos Parceiros’.”.

No início de 2014, Jerad e Amanda Miller cruzaram os Estados Unidos com seus dois gatos para começar uma nova vida em Las Vegas. Na cidade dos cassinos, Amanda trabalhava meio período na Hobby Lobby, uma famosa rede de varejo nos EUA; Jerad, 31, se vestia com roupas de super-heróis como Thor e Capitão América para ganhar algum trocado tirando fotos com turistas.

O casamento dos dois acabou num Domingo de Junho.

Os eventos sangrentos que abalaram o glamour de Las Vegas mergulhou a polícia local em tristeza e ansiedade na medida em que investigadores tentavam descobrir por que um jovem casal saiu de casa para uma missão homicida que terminou na morte de cinco pessoas, incluindo os dois.

O dia 8 de Junho marcou o dia D para Jerad Miller – que aparentemente fantasiava sobre uma revolução libertária armada -; já para os pais de Amanda confirmou o que eles já sabiam – antes eles haviam pedido veementemente para que sua filha não se casasse com o homem obcecado por conspirações governamentais.

O casal de Lafayette (a mesma cidade dos Deuses do rock Axl Rose e Izzy Stradlin, do Guns N’ Roses), Indiana, mudaram o status de relacionamento no Facebook em 1 de Maio de 2011. Apenas algumas semanas depois, Amanda já parecia ter tido o seu cérebro lavado pelo namorado. Ela publicou: “Para as pessoas no mundo… vocês são sortudos por eu não poder matá-los agora mas lembrem-se de que um dia eu pegarei vocês porque um dia o inferno cairá e eu estarei de pé no meio com uma espingarda em uma mão e uma pistola na outra.”

No perfil de Facebook de Jerard, post após post ele expressava seu desgosto pela cultura consumista americana e pedia uma revolução armada para proteger a liberdade, segundo ele tirada pelos republicanos e democratas. 

Jerad se ressentia por suas detenções por porte de maconha e muitas vezes se perguntava da necessidade de um governo, chegando a comparar um Juiz que o enviou para a prisão com um nazista.

O comportamento de Jerad era tão fora da realidade que sua família o expulsou de casa. Amanda parecia consciente do quão desconfortável seu marido era para algumas pessoas. “Eu amo este homem em cada centímetro de mim e eu sei que algumas pessoas não gostam dele ou aprovam o nosso relacionamento. É o nosso amor e eu sei que é estranho e eu sei que é diferente, mas é isso que o torna tão especial.”

Quanto mais o tempo passava mais paranoico Jerad ficava, levando consigo sua esposa em seu delírio irracional. Amanda passou a postar vídeos radicais no Facebook e na manhã do dia 8 de Junho o casal resolveu colocar em prática um plano para se vingar dos traidores.

Eles entraram numa pizzaria e atiraram a queima-roupa em dois policiais que lanchavam no local. Em cima de um dos corpos Jerad deixou uma suástica e um manifesto. Eles, então, se dirigiram até uma loja do Wal-Mart, onde Jerad deu tiros para o ar e gritou: “A revolução está prestes a começar!”. Um cliente, Joseph Robert Wilcox, 31, sacou uma arma e confrontou Miller, pedindo para ele colocar sua espingarda no chão. Wilcox não sabia que Jerad tinha companhia, Amanda, que disparou várias vezes contra Wilcox. 

A vida do jovem casal acabou numa barreira policial. Ferido após levar um tiro de um policial, Jerad pediu para que Amanda desse um fim nele, ela então deu vários tiros no peito do marido, apontou a arma para a própria cabeça e puxou o gatilho. Ela foi encontrada agonizando dentro do carro e morreu a caminho do hospital. 

O saldo do tiroteio perpetuado pelo casal foram cinco mortos – incluindo Jerad e Amanda – e a certeza de que ninguém está a salvo quando alguém nasce para ser um lunático.

51. NÃO MEXA COM QUEM NÃO CONHECE


 Cape Town, Western Cape. África do Sul.

  • 10 de Junho

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Mbuyiselo Manona

Acusado: Andrew Chimboza.

Idade: 35 anos.

Local: Cape Town, Western Cape. África do Sul.

Crime: Cuidado ao chamar alguém de gay. Na África do Sul, Mbuyiselo Manona, 65, quis tirar onda com a cara de Andrew Chimboza chamando-o de gay. Andrew ficou tão ofendido que pegou uma faca e esfaqueou seu detrator no peito. E para provar que era muito macho, arrancou o coração do homem ainda vivo com um garfo e o comeu. “A razão para eu comer o coração dele foi para mostrar que eu não sou gay”, disse Andrew para a polícia. Posteriormente o acusado negou o episódio mas sua boca e dentes cheios de sangue mais o relatório do médico legista que confirmou o extirpamento não deixam dúvidas do destino do órgão de Manona.

52. MASSACRE NO CAMPO SPEICHER



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Isis

Cadetes iraquianos massacrados por terroristas do ISIS. Foto: WELAYAT SALAHUDDIN / AFP.

Campo Speicher, Tikrit. Iraque.

  • 12 de Junho

Enquanto você pensava para onde sair com seu namorado(a) no Dia dos Namorados um horrendo crime de proporções grotescas ocorria no Iraque. Cerca de 1.600 homens foram mortos pelo grupo jihadista Estado Islâmico em Tikrit.

Em 12 de Junho, os terroristas invadiram a Academia da Força Aérea iraquiana no Campo Speicher e sequestraram o máximo de cadetes que podiam.

Um vídeo produzido pelo grupo jihadista conta o resto da história. Eu paro por aqui. Veja algumas cenas do vídeo abaixo… se puder.

53. TRÊS ADOLESCENTES E UMA GUERRA



Eyal Yifrach, Gilad Shaar, Naftali Fraenkel. Reprodução Internet.

Eyal Yifrach, Gilad Shaar, Naftali Fraenkel. Reprodução Internet.

Alon Shvut, Gush Etzion, West Bank. Israel.

  • 12 de Junho

Um dia, você vê fotos de mulheres chorando em uma vila bombardeada e pende para o lado dos palestinos. No outro, imagens na televisão mostram uma lanchonete onde um homem-bomba acabou de ceifar a vida de vários civis, e a sua compaixão migra para Israel. Misturando disputa territorial com religião, o conflito árabe-israelense é assim mesmo. Todos os envolvidos parecem ter razão, mas ninguém tem.

Enquanto palestinos e israelenses não se acertam na divisão do território hoje ocupado por Israel, gente vai morrendo. Os números são imprecisos e dependem de qual lado vêm. Enquanto acordos de entendimento não se efetivam, os cadáveres vão se acumulando. E, feito bolinha de pingue-pongue, a razão vai ficando do lado da vítima da vez.

E um capítulo sangrento desta história foi escrita no ano de 2014. 

Em 12 de Junho, três adolescentes israelenses Gil-Ad Shaer e Naftali Fraenkel, de 16 anos, e Eyal Yifrah, de 19 anos, desapareceram enquanto aguardavam transporte num terminal de ônibus de Alon Shvut, um assentamento israelense a sudoeste de Jerusalém. Poucas horas depois de desaparecerem, a polícia recebeu uma ligação de um deles, Gil-Ad Shael, que sussurrou: “Eles me sequestraram”. Ao fundo da chamada podia-se ouvir homens gritando em árabe e rajadas de tiros de armas automáticas.

Logo, a inteligência israelense começou a investigar o caso e, 18 dias depois, os corpos dos três adolescentes foram encontrados enterrados em uma área descampada na cidade palestina de Halhul. “Eles foram sequestrados e assassinados a sangue frio por animais,” disse o primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu, que acusou o grupo terrorista Hamas pelo crime. “O Hamas é o responsável, e o Hamas pagará.”

O resto já podemos dizer que é história. Em resposta ao assassinato dos três adolescentes judeus, Israel lançou uma ofensiva militar em 8 de Julho que durou 50 dias com objetivo de destruir instalações do Hamas na Faixa de Gaza. Bombardeios de Israel de um lado e foguetes palestinos do outro, o saldo foi de mais de 2.200 mortos, a maioria de moradores de Gaza. 

A comunidade internacional condenou os ataques, inclusive o Brasil, que disse ser “inaceitável” a violência praticada por Israel. Em resposta, Yigal Palmor, porta voz do ministério das Relações Exteriores de Israel, disse que o Brasil é “um anão diplomático”.

54. A GANGUE DOS PEQUENOS


Vila de YuxianZhangjiakou, Província de Hebei. China.

  • 28 de Junho

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Zhang Tai Nome da vítima: Zhang Tai.

Idade: 8 anos.

Acusados: Gangue de meninos.

Local: Vila de Yuxian, Zhangjiakou, Província de Hebei. China.

Crime: Em 28 de Junho, Zhang Kuo, 67, deixou o seu neto brincando nas ruas de terra de sua aldeia para realizar alguns afazeres em sua humilde casa. O pai do garoto viajava todos os dias para trabalhar na cidade de Zhangjiakou e o menino era praticamente criado pelo avô. Minutos depois, ao sair, Kuo notou que o neto, Zhang Tai, de apenas 8 anos, havia desaparecido. Com a ajuda de vizinhos, Tai foi encontrado horas depois, morto e com vários hematomas pelo corpo. Perguntado a respeito, um garoto da vila disse que o menino havia saído com outros garotos após os mesmos prometerem que “não bateriam nele novamente se ele os acompanhasse.”. Tai sofria bullying de outros garotos da escola por supostamente não dar dinheiro a um deles. No dia de sua morte, 11 garotos de 9 a 13 anos o cercaram perto de sua casa, o levaram até um local isolado e o espancaram violentamente até a morte. Para a polícia, a “mini-gangue” disse que estavam entediados e que procuravam por algo “interessante” para fazer. 

55. RETALIAÇÃO À MODA ISRAELENSE


Shuafat, Jerusalém, Israel.

  • 2 de Julho

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Mohammed Abu Khdeir Vítima: Mohammed Abu Khdeir.

Idade: 16 anos.

Local: Bairro palestino-árabe de Shuafat, em Jerusalém do Oeste. Israel.

Crime: Em retaliação à morte de três adolescentes judeus em 12 de Junho, extremistas israelenses resolveram devolver a dor e brutalidade na mesma moeda. Na manhã do dia 2 de Julho, um dia após o enterro coletivo dos três jovens judeus, o palestino Mohammed Abu Khdeir, 16, foi sequestrado em uma rua de Jerusalém do Oeste. A família do garoto imediatamente notificou a Polícia de Israel que em pouco tempo encontrou o cadáver do jovem numa floresta próxima. O garoto foi espancado e queimado vivo. A morte do adolescente fez piorar os ânimos na região, desencadeando violentos dias de protestos em áreas palestinas de Jerusalém. Seis israelenses foram presos em conexão com o brutal assassinato de Mohammed. Ao saber que a morte do garoto palestino foi uma vingança pelo seu filho, Rachel Fraenkel, mãe de Naftali Fraenkel, deu a seguinte declaração: “Não existe nenhuma diferença entre sangue e sangue. Assassinato é assassinato. Não há justificativa e expiação para o assassinato. Nenhum pai ou mãe deveria passar pelo que estamos passando, e nós compartilhamos a dor dos pais de Mohammed.”.

56. QUADRILHA DE SÁDICOS


Gangue dos Psicopatas

Rajkumar Rapanna, Sunil Kumar e Vishal Padyan. Foto: Indian Times.

Mumbai, Maharashtra. Índia.

  • 3 de Julho

Em Julho de 2014 o corpo de um adolescente de 16 anos foi encontrado boiando na costa indiana do Mar Arábico. A descoberta do que aconteceu com o garoto veio por acaso. Investigando um caso de roubo, a polícia de Mumbai prendeu três suspeitos em Dezembro de 2014. Em interrogatório, eles confessaram muito mais do que roubo a residências.

“Eles são psicopatas. Eles forçam sexo não natural em suas vítimas e os matam. Cerca de 5 a 8 ainda estão soltos.”

[Disse sob anonimato um investigador do caso para o Amarujala]

A “Gangue dos Psicopatas”, como ficaram conhecidos, além de roubar pessoas e residências, estuprava e matava crianças e adolescentes que eles pegavam nas ruas de Mumbai. Para facilitar a desova dos corpos, algumas vítimas eram esquartejadas e seus pedaços jogados em redes de esgoto, já outras eram jogadas no mar.

Três membros da gangue foram presos, Rajkumar Rapanna, apelido Kalianna, 23, Sunil Kumar, 30, e Vishal Padyan, 30. A polícia indiana continua as investigações e já confirmou três assassinatos cometidos pelos homens.

57. A BESTA E A BELA


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Yevgeny Litovchenko e Alina Tymoshchuk

O serial killer – Yevgeny Litovchenko – e a filha de um policial – Alina Tymoshchuk.

Kiev. Ucrânia.

  • 3 de Julho

A bela ucraniana Alina Tymoshchuk acordou mais animada como de costume no dia 3 de Julho, e por dois motivos: era o seu aniversário de 18 anos e ela faria um teste de emprego no Ministério do Interior da Ucrânia. Talvez era o seu dia de sorte, que seria coroado com as festas de sua juventude e as boas de ter se saído bem no teste. Mas viver é um ato tão aventureiro e imprevisível que os pensamentos positivos de um dia que amanhece podem se transformar num pesadelo tão horrível que você desejaria nunca ter nascido para sentir. A família de Alina estava orgulhosa de sua filha naquele dia, mas esse sentimento ficou longe do que eles sentiriam ao pôr-do-sol.

Indo embora para casa após fazer seu teste de emprego, Alina foi abordada por um homem que puxou conversa com ela. Ela trocou algumas palavras com ele, mas não o suficiente para fazê-lo entender que ela estava, de alguma forma, interessada nele. O homem ficou para trás enquanto ela continuou num caminho cercado por uma floresta. Como no conto Chapeuzinho Vermelho, a moça ingênua não percebeu que um lobo ensandecido a perseguia pelos arbustos. Em dado momento, ele a atacou, empurrando-a numa vala e arrastando-a para floresta adentro. Ali era o seu lugar, perfeito o suficiente para sugar a alma de Alina, que foi estuprada violentamente e estrangulada.

O crime causou a fúria da polícia local. Alina era filha de um detetive veterano e um dia depois o maníaco foi preso, a mais de 500 quilômetros de distância. Para surpresa de todos, ele era Yevgeny Litovchenko, 43, um serial killer recém fugido de São Petersburgo, Rússia.

Dois meses antes, Litovchenko havia sido preso na Rússia em conexão com vários estupros e assassinatos em série de crianças e adolescentes. Após prometer mostrar o local onde enterrou um menino de 6 anos, ele fugiu, deixando o país de Vladimir Putin envergonhado. Uma recompensa de quase R$ 100 mil reais foi oferecida, mas o assassino já estava longe, espreitando novas vítimas no país vizinho.

Em Outubro, Litovchenko foi condenado à prisão perpétua na Ucrânia. Autoridades russas querem sua extradição, já que ele está ligado a, no mínimo, 10 assassinatos nos últimos quatro anos por lá. Mas por enquanto ele permanece em sua nova casa, a prisão de Kiev.

Abaixo, o maníaco explica à polícia como matou Alina.

58. A LIGA DOS JUSTOS


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Prostitutas de Bagdá

Conjunto de prédios onde 25 mulheres foram mortas em Bagdá. Foto: Getty Images.

Distrito de Zayouna, Bagdá. Iraque.

  • 12 de Julho

Vinte e nove mulheres, que acredita-se trabalharem como prostitutas, foram executadas dentro do prédio onde trabalhavam no bairro de Zayouna, no lado leste de Bagdá, em 12 de Julho. Dois homens também foram encontrados mortos, um deles acredita-se ser um cafetão. O corpo de uma mulher foi encontrado dentro de um armário, local onde ela aparentemente tentou se esconder. Cinco outras mulheres foram encontradas juntas dentro de um banheiro; acredita-se que elas também tentavam se esconder do atirador ou atiradores. Fotografias horríveis, conseguidas pela Agence France Presse, circularam amplamente pela Internet e causaram repulsa em todo mundo.

Na porta do edifício, o assassino em massa deixou um aviso: “Este é o destino de qualquer prostituição.” O aviso parecia claro: ações imorais (para o criminoso) poderiam ser punidas com a execução sumária.

Até hoje ninguém foi preso ou acusado deste horrível ato, mas para os iraquianos, estes bárbaros tem nome: Asaib Ahl al-Haz, uma milícia xiita apoiada pelo Irã, e que opera abertamente em Zayouna. Não há provas de que eles são os responsáveis, mas poucos iraquianos duvidam que eles são capazes de tal violência.

Asaib Ahl al-Haq, que significa “Liga dos Justos”, começou como um braço do Exército Mahdi, a maior milícia xiita do Iraque liderado pelo militante religioso Muqtada al-Sadr, mas se separou do grupo em 2008. Desde a retirada de tropas norte-americanas em 2011, Asaib Ahl l-Haq se tornou uma força poderosa no Iraque, com um pequeno mas perigoso exército, com influência no governo nacional. Em bairros como Zayouna, os iraquianos vivem sob a autoridade e vontade de tais homens. E poucos são mais vulneráveis do que prostitutas.

Moradores ouvidos por veículos de comunicação ocidentais disseram que a milícia matou as mulheres e que os próprios assassinos frequentavam o lugar. 

Na época, o governo iraquiano prometeu investigar, mas como disse Hanaa Edwar (presidente da Iraqi Al-Amal Association, um grupo que luta pela paz no Iraque) na época:

“Este é um país em guerra. Atrocidades tornaram-se comuns, e a capacidade do governo e a vontade de fazer justiça nos tribunais é raro. A polícia está invetigando? Eles sempre dizem isso. É apenas blá blá blá. Depois de dizer isso, o caso é esquecido.”

E Hanaa estava certa.

Veja abaixo imagens do massacre no bordel Aws

Foto61

59. O DECAPITADOR DO CRAIGLIST


Brady Oestrike. Foto: Internet.

Brady Oestrike. Foto: Internet.

Wyoming, Condado de Kent, Michigan. Estados Unidos.

  • 13 de Julho

A horripilante história começou a ser desvendada nas primeiras horas do Domingo, 13 de Julho, quando um veículo estacionado no Parque Gezon, Wyoming, Estado do Michigan, chamou a atenção de um policial. Dois dias depois o homem da lei voltou ao local e notou que o carro ainda continuava lá. Seria roubado?

O automóvel estava registrado em nome de Charles Gerard Oppenneer, 25, e o oficial requisitou que o escritório do Xerife tentasse localizá-lo na casa de seus pais, cujo endereço constava no registro. Oppenneer não morava com seus pais e um contato na empresa onde trabalhava mostrou que ele havia faltado. No dia 16 uma busca no parque revelou um corpo sem cabeça. Era Oppenneer.

Nas próximas horas, investigadores descobriram que o rapaz decapitado tinha uma namorada de 18 anos: Brooke Ann Slocum.

O casal  Brooke Slocum e Charles Oppenneer. Em 16 de Julho, Charles foi encontrado decapitado num parque de Wyoming, Michigan. Foto: Reprodução Internet.

O casal Brooke Slocum e Charles Oppenneer. Em 16 de Julho, Charles foi encontrado decapitado num parque de Wyoming, Michigan. Foto: Reprodução Internet.

Investigadores não sabiam se Brooke tinha alguma relação com a morte do namorado, mas por ser íntima da vítima ela era peça fundamental para tentar entender a macabra morte de Oppenneer. Colegas da moça disseram que a viram pela última vez com a vítima no Sábado a noite. Um mandado de busca para o seu apartamento foi executado e um dos itens obtidos foi o notebook de Brooke.

Enquanto investigadores procuravam alguma pista no apartamento da moça, uma extensiva e coordenada busca no parque foi conduzida utilizando até um helicóptero. A busca falhou em encontrar a cabeça de Oppenneer ou até mesmo outro corpo, talvez o de Brooke que estava desaparecida.

Na manhã do dia 17, investigadores levaram o computador até a cidade de Rockford onde especialistas em computação analisaram em busca de evidências digitais. Às 16h, os peritos encontraram uma pista vinda do notebook. Brooke trocara e-mails com um homem chamado Brady Oestrike. Imediatamente detetives começaram a circular a casa de Oestrike. A ordem era vigiar o lugar até que um juiz emitisse um mandato de busca. Ao mesmo tempo surgiram informações de que o homem que morava naquela casa era estranho e tinha uma coleção de armas.

Às 21h, Oestrike foi observado enquanto deixava a casa em seu carro. Policiais passaram a segui-lo e ele percebeu, acelerou o carro e acabou batendo em um poste. Investigadores, então, escutaram um tiro. Oestrike acabara de se suicidar. A polícia tinha agora um corpo sem cabeça, um suicida e uma adolescente desaparecida.

Brady Oestrike em foto publicada em seu perfil no Facebook. Reprodução Facebook.

Brady Oestrike em foto publicada em seu perfil no Facebook. Reprodução Facebook.

Desvendando o crime

Com os três atores mortos é difícil de saber o que é e o que não é em toda essa história. Mas segue o que a polícia descobriu.

Peritos em computação descobriram que Oestrike contratou Brooke através do site de classificados Craiglist. Em troca de e-mails, Oestrike discute com Brooke um encontro sexual, e ele pagaria mais se seu namorado, Oppenneer, estivesse presente para assistir ao sexo dos dois.

Não se sabe se Brooke era garota de programa ou se ela fazia isso sob ordens de seu namorado – hipótese defendida pelo pai da garota. Brooke estava grávida, barriguda, e o casal precisava de dinheiro. O plano, então, era o casal se encontrar com Oestrike, Brooke fazer sexo com ele e Oppenneer assistir.

Mas o encontro foi uma armadilha de Oestrike, que matou e decapitou Oppenneer, possivelmente na frente de Brooke. Ele então colocou o corpo no carro da vítima e o abandonou no Parque Gezon. Voltou para casa e manteve Brooke sua prisioneira sexual até o dia 17 quando a estrangulou. Ele colocou o corpo da moça no porta-malas do carro e saiu, vindo a bater num poste ao fugir da polícia e cometer suicídio. A cabeça de Oppenneer até hoje não foi encontrada.

60. O REPRODUTOR ENFURECIDO


Gideon Abotsi. Foto: Spy Ghana.Gideon Abotsi. Foto: Spy Ghana.

Gideon Abotsi. Foto: Spy Ghana.

Kpeyiborme, South Dayi District. Gana.

  • 18 de Julho

Agricultor no vilarejo ganês de Kpeyiborme, Gideon Abotsi, 37, era casado e tinha quatro filhos. E apesar do número já “suficiente” de rebentos, Abotsi queria mais um.

Mas tinha um problema: sua mulher, Sena, teimava em não concordar com a demanda do marido. Eles eram pessoas humildes e a esposa de Abotsi achava que gerar mais filhos colocaria a família numa situação econômica ainda mais difícil. Brigas e discussões tornaram-se constantes entre o casal e Sena resolveu impor uma greve de sexo.

Enfurecido por sua esposa não querer gerar seu quinto rebento, Gideon simplesmente pegou seu filho mais novo, Sitsope, 3 anos, o deitou no chão, e com um facão na mão arrancou a sua cabeça.

Ele foi preso pelos próprios vizinhos e entregue a polícia.

Veja abaixo uma imagem de Sitsope.

61. CRIME DO ANO NA SÉRVIA


Bajmok, Subotica. Província de Vojvodina. Sérvia.

  • 25 de Julho

101 Crimes Notórios de 2014 - Tijana Juric

Vítima: Tijane Juric.

Idade: 15 anos.

Local: Estrada de Bajmok para Rata, Província de Vojvodina. Sérvia.

Crime: Em alguns lugares do mundo assassinatos hediondos fazem parte da rotina diária da população e parece não causar tanto impacto ao ponto de reagirmos com indiferença à notícia de uma garota estuprada e estrangulada por um maníaco sexual. Mas esse não é o caso da Sérvia, um país com uma taxa baixíssima de crimes sexuais, tao baixa que um crime comum em muitos países chocou a opinião pública local, não acostumada a tais eventos. O crime do ano na Sérvia ocorreu em Bajmok quando Dragan Djuric, 34, apareceu por lá para ir até uma festa. Ao ir embora ele notou uma linda adolescente, Tijane Juric, de apenas 15 anos andando pela rua. Sem pensar duas vezes, Djuric atropelou Tijane, a sequestrou e a levou até um local deserto onde rasgou sua roupa, estuprou e estrangulou. O crime causou repulsa e horror na Sérvia com o enterro de Tijane levando uma multidão às ruas. Atualmente, Dragan Djuric aguarda julgamento.

62. NASCIDA PARA MATAR


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Caso Aiwa Matsuo

O caso Aiwa Matsuo. Foto: 2channel.

Sasebo, Nagasaki. Japão.

  • 26 de Julho

Em 10 de Junho de 2014, um psiquiatra da cidade japonesa de Sasebo fez uma confissão dramática ao conselho tutelar local. Ele alertou que uma de suas pacientes, uma adolescente de apenas 15 anos, era uma potencial homicida. 

Ele tratava a garota havia um tempo e queria desabafar suas impressões com alguém. Desde criança, a menina parecia ter sua alma voltada para o mal. No ensino fundamental colocava veneno na merenda escolar de coleguinhas; bateu no pai com um taco de beisebol e ao entrar na adolescência passou a decapitar e dissecar pequenos animais. “Se ela viver por si mesma, ela irá matar alguém”, teria dito o psiquiatra para um assistente social.

Mas devido a questões éticas e de privacidade o psiquiatra se negou a dizer seu nome, impossibilitando que a equipe de assistentes sociais fizessem alguma coisa.

Pouco mais de um mês depois, em 23 de Julho, a paciente do psiquiatra fez uma confissão sinistra à sua madrasta: “Morro de vontade de matar alguém. Já estou entediada em torturar animais.” A mulher ficou assustada com o desejo da garota e contou para o marido. No dia seguinte os três foram até um hospital psiquiátrico onde os pais pretendiam interná-la, mas não foi possível devido a falta de leitos.

Três dias depois o Japão ficaria chocado.

A garota de 15 anos (nome não divulgado) convidou uma colega de classe, Aiwa Matsuo, 15, para um passeio no shopping e posteriormente a levou para o seu apartamento. Apesar da pouca idade ela morava sozinha, pois seu pai havia alugado o apartamento após ela o atacar com um taco de beisebol. O fato é que agora a garota poderia realizar seu desejo.

Ela própria havia comprado os instrumentos da morte dias antes, o que comprova o planejamento do crime. Em dado momento, ao virar de costas, Matsuo foi atingida na cabeça com um martelo, 10 vezes. Com a colega de classe desacordada, a jovem psicopata a estrangulou com uma corda, pegou uma serra, cortou fora sua cabeça e mão direita e preparou as outras ferramentas para sua aula prática de dissecação do corpo humano. Ah, mas antes ela postou algumas “fotinhas” dos seus dedos ensanguentados no fórum da Internet 2channel.

“Ah não, o sangue continua derramando mesmo eu tendo limpado várias vezes… Eu tentei aquecer [o corpo] na medida que ia esfriando, mas não aquece… Todos vocês sabem qual a cor do cérebro? Eu vou cuidar bem do cérebro e da medula espinhal, colocá-los em uma solução.”

[Postagens da acusada no fórum 2channel]

Mas antes que ela pudesse estudar profundamente o corpo humano, a polícia chegou, alertada pelos pais da vítima sobre o passeio das colegas. Para as autoridades, a garota disse não ter tido motivos para matar Matsuo. A coisa era muito simples: ela só queria matar alguém. Três meses depois, envergonhado, o pai da garota-assassina cometeu suicídio.

O Japão tem agora a contraparte feminina para Sakakibara Seito.

63. MONSTRO MUTILADOR CHINÊS


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Garota chinesa

Terrível demais.

Xiangyang, Província de Hubei, China.

  • 1 de Agosto

Na manhã do dia primeiro de Agosto de 2014, um trabalhador da Estação Ferroviária de Xiangyang notou um saco amarelo jogado no chão e decidiu abri-lo. Dentro, havia a cabeça de uma mulher. A polícia foi chamada e na parte de trás da estação encontrou o corpo decapitado da vítima.

A cena era horrenda, digna dos piores filmes gore: a mulher tinha sido estripada como um animal; havia um corte, em forma de T invertido, que ia da região púbica até o tórax – os órgãos internos foram removidos e a vagina cortada.

O site chinês Sohu informou que um suspeito de nome Xiong Moumou foi detido.

Não há mais detalhes sobre o caso.

Tráfico de órgãos? Um psicopata sexual? Um parceiro amoroso buscando vingança? Ficaremos na dúvida sobre a motivação deste horrendo crime.

Veja abaixo imagens da vítima.

ATENÇÃO: IMAGENS PERTURBADORAS!

64. MEU PAI, MEU VILÃO


Lisa Kepler chora após ver seu namorado ser assassinado em sua frente. Foto: Tulsa World, Michael Wyke/AP.

Lisa Kepler chora após ver seu namorado ser assassinado em sua frente. Foto: Tulsa World, Michael Wyke/AP.

Tulsa, Oklahoma. Estados Unidos.

  • 5 de Agosto

Não se sabe se Lisa Kepler, 18, era uma daquelas adolescentes rebeldes que acham que os pais são as piores coisas do mundo. Também não se sabe se seu pai Shannon Kepler, 54, era um daqueles brutamontes autoritários que não sabem lidar com os filhos adolescentes. Mas o que se sabe mesmo é que Shannon expulsou sua filha Lisa de casa no final de Julho de 2014.

Lisa, então, passou a viver numa casa para sem tetos e lá conheceu Jeremey Lake, 19, que realizava um trabalho voluntário no lugar. Logo os dois começaram a namorar e fizeram questão de dizer a todos sobre isso.

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Jeremy Lake e Lisa Kepler

Atualização do perfil no Facebook de Jeremy Kepler. Foto: Facebook.

A data de atualização de namoro dos dois é 5 de Agosto, a data em que Jeremy seria assassinado pelo pai de sua namorada.

O jovem casal estava andando até a casa do tio de Jeremy quando o pai da garota viu os dois e parou o carro. Segundo depoimento de Lisa, seu pai perguntou o que ela estava fazendo por ali. Quando Jeremy tentou se aproximar para se apresentar ao sogro, Shannon sacou de sua pistola – ele era um policial veterano do Departamento de Homicídios de Tulsa – e disparou três vezes contra o peito do garoto que caiu morto. Lisa gritou e saiu correndo, seu pai mirou nela e atirou, mas errou o alvo. Ele também tentou matar Michael Hamilton, 13, irmão de Jeremy e que no momento acompanhava o casal.

“Eu realmente espero que ele apodreça na cadeia por um longo tempo”.

[Lisa Kepler, Tulsa World]

Shannon Lake e sua mulher Gina, mãe de Lisa, e que também é policial, foram presos logo depois. Gina foi acusada de ser cúmplice no assassinato, mas posteriormente foi libertada por falta de provas.

Em 22 de Agosto Shannon Kepler foi libertado da prisão após pagar fiança de quase US$ 1 milhão de dólares (US$ 825 mil). Ele foi orientado a não chegar perto de sua filha ou parentes da vítima assim como não pegar em armas. Em Dezembro ele recebeu US$ 160 mil dólares após ser aprovado para aposentadoria causando perplexidade na cidade de Tulsa.

Shannon Kepler atualmente aguarda em liberdade o seu julgamento. Uma audiência preliminar está marcada para o próximo dia 9 de Fevereiro (2015).

65. UM CORPO NA MALA


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Crime em Bali

Crime em Bali. Foto: Getty Images.

Denpasar, Bali. Indonésia.

  • 12 de Agosto 

A casa, vista de fora, parece tranquila. Ampla, marrom e com dois andares, uma foto mostra a residência de US$ 650 mil dólares por trás de um enorme carvalho no bairro de Oak Park, em Chicago. Mas lá dentro, onde mãe e filha viviam um relacionamento conturbado e supostamente violento, ela não era tão tranquila assim. De acordo com o Chicago Tribune, a polícia havia visitado a casa 86 vezes desde 2004, algumas vezes por brigas domésticas que presumidamente envolviam a mãe, Sheila von Wiese Mack, 62, e a filha adolescente Heather Mack, 19. 

As brigas variavam. Ora era as faltas de Heather na escola, ora era o seu namorado, Tommy “Exx” Schaefer, 21. “A polícia vinha aqui o tempo inteiro”, disse um vizinho ao Tribune. “Elas chamavam a polícia uma para a outra. Aquilo se tornou bastante abusivo e instável”. Uma vez, a mãe quebrou o braço após uma briga com a filha. 

O relacionamento delas terminou no dia 12 de Agosto, com o corpo de Sheila enfiado numa mala. A filha e o namorado foram presos no que se tornou uma tempestade jornalística sobre a paradisíaca ilha de Bali, na Indonésia, onde elas passavam as férias num luxuoso resort. 

O assassinato macabro deixou os espectadores ansiosos por respostas, mas com muito pouca informação para seguirem. O que causou a morte da mãe? O assassinato dela foi premeditado ou repentino? A filha e o namorado cometeram o crime? 

Sem respostas palpáveis das autoridades, muitos procuraram entender a história fuçando nas redes sociais. 

Schaefer, um rapper, publicou vários vídeos de seu trabalho no Youtube. Nascido em 1993, ele se descreve em seu site como: “Medindo 1,93m, Tommy Exx jogava basquete no ensino médio e era o protótipo de ‘cara do hip-hop’ por toda a vida'”. Ele afirma que largou a escola após achar “difícil e desapontador”; ele não conseguia conciliar música com estudos. 

Sua namorada, Heather Mack, de acordo com o que se sabe de vizinhos, era a típica adolescente rebelde do ensino médio. De acordo com a NBC News, ela desaparecia por dias, deixando sua mãe desesperada. “Pelo menos quatro ou cinco de nós disseram para expulsá-la de casa”, um conhecido lembra de ter dito à mãe. “Ela estava andando com as pessoas erradas. Mas Sheila sempre a levava de volta. [Heather] podia ser encantadora e docemente discreta num momento, e no momento seguinte uma monstrinha perversa”. 

Em Dezembro de 2013, a mãe escreveu a um amigo – de acordo com um e-mail obtido pelo Chicago Tribune-. “Outra crise da Heather”, escreveu Sheila. “Ela não vai à escola há quase um mês, e ontem passei o dia tentando mantê-la a salvo. Estou tentando conseguir aulas particulares para ela novamente”. 

Mãe e filha, apesar de sua relação instável, adoravam viajar juntas. Era uma tradição de família – que elas mantiveram depois que o marido de Sheila, um compositor de jazz chamado James Mack, morreu em 2006 durante férias na Grécia, relatou o Tribune. Elas partiram para a Indonésia em 4 de Agosto, hospedando-se no St. Regis Hotel em Bali. Não está claro sob quais circunstâncias Schaefer se juntou a elas, mas em 21 de Julho ele postou no Facebook: “Partindo dia 4 de Agosto para a Indonésia, pode ser que eu não volte”. Ele teve problemas para tirar seu passaporte, de acordo com sua conta no Facebook, e chegou dias depois, em 11 de Agosto. 

Àquela altura, os problemas já estavam começando. “Eu me recuso a deixar alguém me dizer o que fazer”, escreveu a filha Heather Mack em um post no Instagram noticiado pelo Daily Mail. “Ganhar dinheiro, essa é minha atitude, você sabe qual é #bali”. 

Na manhã seguinte ao aparecimento de Schaefer no hotel, a polícia disse que os três discutiram em público. O Sydney Morning Herald noticiou que a mãe havia pago a viagem de Schaefer para Bali e achou que o casal deveria pagar a conta do hotel. 

Horas depois, às 11h26, vídeos do hotel mostram o jovem casal arrastando uma mala cinza grande, enrolada em um lençol. Eles queriam fechar a conta imediatamente – sem pagar pela parte deles, alegando que ela seria paga pela mãe de Heather – e não deixaram ninguém além deles manusear a mala. Eles também queriam acessar a caixa de segurança, onde a polícia suspeita que os passaportes deles eram mantidos, mas o pedido foi negado. 

Mais tarde, eles jogaram a mala em um táxi e fugiram pela porta dos fundos do hotel, tomando outro táxi para o aeroporto, onde procuraram o departamento de imigração solicitando novos passaportes. 

Enquanto isso, o motorista do táxi começou a suspeitar que o casal e a mala não eram o que pareciam. Havia sangue escorrendo da mala – e a polícia foi chamada. 

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Heather Mack e Tommy Schaefer

Heather Mack e Tommy Schaefer se abraçam brevemente numa delegacia em Dezembro de 2014 pouco antes de serem enviados para prisões separadas. Foto: Associated Press.

Por volta das 21h, os policiais capturaram o casal, que dormia em um hotel próximo ao que haviam estado com a mãe de Heather. Eles inicialmente disseram à polícia que homens armados haviam matado a mulher, mas que eles haviam conseguido fugir. Mas “isso é inconsistente com os fatos que apuramos na cena do crime”, disse aos repórteres o chefe da polícia de Denpasar, Djoko Hariutomo. 

A caminho da delegacia, Schaefer postou um vídeo na internet de dentro da viatura, segundo o Chicago Tribune. Ele chamou sua prisão de “parada no chiqueiro”. 

Heather Mack e seu namorado Tommy Schaefer foram formalmente acusados de assassinato em 15 de Janeiro de 2015. Neste dia, promotores indonésios deram mais detalhes do caso: Tommy espancou Sheila até a morte com um punho de ferro, então colocou o corpo da sogra em uma mala, mas não conseguia fechar. Foi aí que Heather resolveu ajudá-lo, sentando na mala para que ele pudesse fechar o zíper. Também foi revelado que Heather está grávida de sete meses. O julgamento não foi marcado mas se condenados o casal poderá enfrentar o pelotão de fuzilamento indonésio que, como sabemos – vide o caso do brasileiro recém executado por lá – , não costuma falhar.

66. A CAÇA BRANCA CONTINUA


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Caça aos Albinos

Temporada de caça aos albinos na Tanzânia.

Dar-es-Salaam. Tanzânia.

  • 14 de Agosto

Pessoas com albinismo, os albinos, nascem com uma deficiência melânica. Aqueles com completa falta de pigmentação possuem pele e cabelo extremamente brancos, e seus olhos tipicamente possuem um tom claro de azul. A condição geralmente resulta de genes recessivos carregados pelos pais. O albinismo na África traz com ele uma chance maior de desenvolver câncer fatal de pele, e a falta de pigmento para proteger os olhos contra o sol pode causar problemas de visão.

Africanos com tal condição podem sofrer de alienação social em comunidades onde seus vizinhos e parentes acreditam que eles são fantasmas, amaldiçoados, ou intelectualmente inferiores. Em algumas regiões, eles enfrentam uma ameaça quase constante de violência.

O caso mais emblemático é a Tanzânia, onde os albinos são literalmente caçados.

Em 5 de Agosto, três homens armados com machadinhas cortaram inteiramente o braço de uma adolescente de 15 anos na região de Tabora. Mais tarde naquele dia, o tio da garota, que também tem albinismo, foi atacado, mas conseguiu escapar. Os três homens foram eventualmente presos, incluindo um feiticeiro local que informou às autoridades que amputou o braço da garota porque compradores estavam oferecendo US$ 600 dólares por ele.

Em 14 de Agosto, o corpo mutilado de um jovem albino foi encontrado em uma área pantanosa de Dar-es-Salaam. Uma grande parte da pele de seu tronco havia sido removida e seu abdômen tinha um buraco.

Dois dias depois, dois homens atacaram uma mulher albina de 35 anos numa pequena vila de Tabora. Eles deceparam a parte inferior do braço da mulher e mataram seu marido quando este a tentou defender.

Embora estes atos de mutilação sejam abomináveis, em regiões isoladas com pouco acesso à informação ainda acredita-se que partes do corpo de albinos podem trazer benefícios místicos ou mágicos.

Na África subsaariana há uma crença significativa em bruxaria, que muitas vezes envolve o uso de partes de corpos. É parte de uma prática cultural arraigada, histórica e espiritual. Em algumas partes da África oriental, funcionários da ONU já relataram terem visto garimpeiros usando amuletos feitos de ossos de albinos e pescadores costurando redes de pesca com cabelos de pessoas com albinismo. Eles acreditam que tais objetos trazem sorte.

Com partes de corpos sendo vendidos por centenas de dólares e corpos inteiros chegando a US$ 75 mil, num país onde a renda média anual é inferior a US$ 600 dólares, há uma suposição generalizada na Tanzânia e em outros lugares da África que membros da elite empresarial e políticos estejam por trás da demanda. Um aumento dos ataques tem sido documentado em vários países antes de eleições, época em que os candidatos alegadamente usam feiticeiros para aumentar a probabilidade de vitória. Coincidentemente, o aumento dos ataques na Tanzânia, iniciados em Agosto, ocorrem na pré-campanha presidencial, cujas eleições acontecem em 2015.

Na Tanzânia, 93% dos Cristãos e Muçulmanos acreditam em bruxaria, não a toa o país é o epicentro do horripilante fenômeno.

Veja abaixo duas imagens de albinos mortos e mutilados na Tanzânia

Nota: Ao escrever este caso tomei conhecimento de um novo caso de assassinato de albinos na Tanzânia. Uma bebê albino de 4 anos de idade foi sequestrada e morta na região de Mwanza, no início de Janeiro de 2015. Acredita-se que o corpo tenha sido picado para que os pedaços pudessem ser vendidos para bruxaria. Quatro pessoas foram presas, incluindo o pai da garotinha.

67. JOHN, O DECAPITADOR


O jornalista americano James Foley, de joelhos, e Jihadista John. Foto: ISIS.

O jornalista americano James Foley, de joelhos, e Jihadista John. Foto: ISIS.

Ar-Raqqah. Síria.

  • 19 de Agosto

O paradeiro do jornalista americano James Foley era desconhecido desde Novembro de 2012 quando ele foi sequestrado enquanto trabalhava cobrindo a guerra civil na Síria. Em 19 de Agosto de 2014, um vídeo publicado no Youtube pelo grupo jihadista Estado Islâmico (ISIS, na sigla em inglês) intitulado “Uma Mensagem para a América” acabou com as esperanças de encontrar o jornalista vivo.

Rapidamente deletado do site, o vídeo continuou circulando pela rede; filmado em vários takes, a filmagem começa com um prefácio do presidente dos Estados Unidos Barack Obama anunciando os primeiros ataques aéreos contra o ISIS no Iraque. Então é cortado para Foley, de joelhos, no deserto ao lado de um militante do grupo vestido todo de preto. Foley lê uma longa mensagem expressando desgosto pelo governo dos EUA. Após parar, o homem de preto condena os ataques americanos e ameaça dizendo que qualquer agressão pela América “irá resultar em derramamento de sangue contra seu povo.”

O homem é “Jihadista John,” um carniceiro conhecido por decapitar pessoas vivas. E Foley está prestes a morrer.

Com uma faca, o açougueiro corta a cabeça do jornalista em menos de dez segundos. Ao contrário de execuções anteriores, o vídeo não mostra o momento real da decapitação de Foley. A filmagem é cortada quando Jihadista John começa o processo, sendo que o cadáver do jornalista com a cabeça em cima do corpo é mostrado após o corte. Ao final, Jihadista John revela que o ISIS possui um outro jornalista americano, Steven Joel Sotloff, em seu poder. Ele diz que o homem será morto caso Obama não suspenda os ataques aéreos contra o grupo. Sotfloff foi decapitado em 2 de Setembro de 2014.

Jihadista John continuou a assombrar o mundo com outros quatro vídeos de decapitações ao longo do ano:

  • David Haines, britânico, decapitado vivo em 13 de Setembro;
  • Alan Henning, britânico, decapitado vivo em 3 de Outubro;
  • Peter Kassig, americano, decapitado vivo em 15 de Novembro;
  • Soldados sírios: 18 soldados sírios foram decapitados vivos por um grupo liderado pelo mascarado Jihadista John. A filmagem é extremamente produzida, como se fosse um videoclipe musical. #Bizarro. Veja o vídeo abaixo:

Após as “aulas” de desumanidade, Jihadista John tornou-se alvo de uma caçada liderada pelo FBI, Scotland Yard e MI5 (Serviço Secreto britânico). Em 25 de Setembro, o FBI divulgou que havia descoberto a identidade do carniceiro, mas não a divulgaria. A mídia ocidental especula três principais suspeitos:

  • Abdel-Majed Abdel Bary, 23, um rapper britânico de origem egípcia;
  • Abu Hussain Al-Britani, 20, um hacker de computador de Birmingham;
  • Abu Abdullah Al-Britani, 22, britânico de Portsmouth.

Veja mais: ISIS obriga reféns a cavarem o próprio buraco de suas covas antes de matá-los.

68. TRAÍDO PELA MULHER


Merah, Elias, Natahn, Gabriel e Elaine. Foto: Reprodução Internet.

Merah, Elias, Natahn, Gabriel e Elaine. Foto: Reprodução Internet.

Lexington, Carolina do Sul. Estados Unidos.

  • 28 de Agosto

Timothy Ray Jones Jr. parecia ter uma vida perfeita. Era engenheiro de computação, trabalhava na Intel – uma das maiores fabricantes de processadores do mundo -, um casamento de 10 anos e cinco filhos.

E sua vida realmente era perfeita até ele descobrir que sua esposa Amber esperava ele sair para o trabalho para ir até a casa ao lado fazer sexo com o filho adolescente do vizinho.

Timothy conseguiu a guarda das crianças, mudou-se, e parecia amigável aos seus novos vizinhos até o dia em que simplesmente desapareceu. Ninguém chamou a polícia até um parente relatar o seu desaparecimento. De início as autoridades não deram muita bola para o sumiço do pai e seus cinco filhos até ele ser parado numa blitz policial no Mississippi, sozinho, bêbado, agitado e com roupas infantis no banco traseiro do carro. Mas o pior era o cheiro da morte que aquele veículo exalava.

No relatório policial, Timothy é citado como estando “tão alto quanto uma pipa”, em referência ao seu estado catártico devido ao uso de maconha sintética, popularmente conhecida nos EUA como “spice”.

Logo o homem de 32 anos levaria os policiais até um isolado morro no Alabama, onde encontrariam cinco sacos de lixo, cada um contendo o corpo de um de seus filhos.

Um psicólogo que se encontrou com Timothy durante o seu processo de divórcio o descreveu como “altamente inteligente”, e um homem devastado e raivoso pelas ações de sua mulher.

Ele não explicou porque matou os filhos, o que deve ser esclarecido durante o seu julgamento.

69. O ADOTADO CALADO


Os irmãos Patrick, Jonathan e Thomas. Foto: Daily Mail.

Os irmãos Patrick, Jonathan e Thomas. Foto: Daily Mail.

Charleville, Condado de Cork. Irlanda.

  • 4 de Setembro

É muito comum para pessoas que foram adotadas crescerem se sentindo rejeitadas e abandonadas por seus pais biológicos. Sentimentos de dor e perda são comuns e não há uma hora definida para que esses sentimentos se aflorem, mais cedo ou mais tarde tais pessoas sofrerão com isso. Sentimentos de perda e rejeição são frequentemente acompanhadas por um senso de baixa auto-estima. Há uma tendência entre pessoas adotadas em pensar que “algo deve estar errado comigo para os meus pais biológicos terem me jogado fora.” É preciso entender que esses sentimentos e pensamentos não estão relacionados com a quantidade de amor e apoio que eles recebem de pais adotivos e familiares.

De acordo com o psicólogo Eric Erikson, o período da adolescência envolve uma busca pela identidade. Pessoas que foram adotadas e chegam na adolescência normalmente se veem numa lacuna gigantesca pelo fato de não saberem o que são. Sem saber sua origem genética ou quem são realmente seus verdadeiros pais, eles não conseguem formular um sentido real de si mesmos.

Um dos crimes mais comentados na Irlanda em 2014 envolveu um jovem adotado.

Numa quinta-feira, os pais de Jonathan O’Driscoll, 22, Thomas e Patrick, gêmeos de 9 anos, viajaram até uma cidade vizinha para comprarem uma van em miniatura para os gêmeos. “Mamãe você já comprou a minha van?”, perguntou Thomas para a mãe durante uma ligação telefônica. Era a última vez que a mãe dos garotos ouviria a voz deles.

Ao voltar para casa, os pais dos gêmeos encontraram os dois numa poça de sangue, esfaqueados até a morte. O mais velho Jonathan não estava em casa, mas foi encontrado cerca de uma hora depois com uma corda no pescoço dependurado numa árvore nos arredores da pacata Charleville.

Adotado quando criança, Jonathan era um jovem reservado e sem histórico de violência. Se ele tinha algum problema nunca contou aos pais que, assim como todos de Charleville, ainda procuram uma resposta para o que aconteceu. Acredita-se que Jonathan poderia estar sofrendo em não saber quem eram os seus pais biológicos, mas o que realmente afligia o jovem nunca será revelado já que ele levou consigo seus demônios para o túmulo.

70. MISSIONÁRIAS DE MARIA DECAPITADAS


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Bernadette Boggia, Olga Rachietti e Pucia Pulici

As freiras italianas Bernadette Boggia, Olga Raschietti e Lucia Pulici.

Kamenge, Bujumbura. Burundi.

  • 7 de Setembro

Uma vida inteira dedicada ao bem, em ajudar aos pobres, doentes e aos necessitados. As freiras italianas Lucia Pulici, 79, Olga Raschietti, 82, e Bernadetta Boggia, 75, eram freiras missionárias veteranas quando chegaram à África. Integrantes da Xaveriana Irmãs Missionárias de Maria, elas serviram na República Democrática do Congo antes de partir para Burundi, onde passaram os últimos sete anos.

Mas nem a idade e a alma pura salvaram as caridosas Irmãs da maldade que habita o nosso mundo. Na noite do dia 7 de Setembro, Pulici, Raschiett e Boggia foram encontradas mortas no convento em que moravam. As três foram estupradas e brutalmente mortas, a pedradas; Pulici e Raschietti foram decapitadas.

Dias depois a polícia prendeu Christian Claude Butoyi, 33, que confessou o triplo assassinato. Ele disse que queria se vingar pois o convento das freiras “ocupava ilegalmente” suas terras.

71. EM PEDAÇOS


A garotinha Mirei Ikuta, morta aos 6 anos por Yasuhiro Kimino. Foto: Reprodução Internet.

A garotinha Mirei Ikuta, morta aos 6 anos por Yasuhiro Kimino. Foto: Reprodução Internet.

Kobe, Kansai. Japão.

  • 11 de Setembro

Maníacos e pessoas ruins existem em qualquer canto do mundo e eles são mais comuns do que muitas pessoas imaginam. Muitos passam suas vidas com seus pensamentos maquiavélicos para si próprios, vivendo uma vida secreta mergulhada em suas fantasias mórbidas sem que ninguém suspeite. O cruzamento da fantasia para o real pode ser tênue em alguns casos, mas o oposto também é válido. Andrei Chikatilo, por exemplo, passou uma vida inteira remoendo seus demônios até um ponto em que não conseguiu mais lidar com seus pensamentos obscuros. Ele contava mais de 40 anos quando assassinou – pela primeira vez – uma criança de 9 anos de idade; ele não conseguia mais segurar e o assassinato da garotinha foi um crime de oportunidade em que ele pôde satisfazer seus mais macabros desejos.

E podemos dizer que crianças são as presas perfeitas para esses homens que andam pelas ruas. Elas são inocentes e desconhecem a existência de algo assustador em nosso mundo: a maldade. Nos 101 Crimes de 2013 escrevemos sobre o caso de Iasmin, 8, morta por um maníaco em Catalão, Goiás. Assim como a menina goiana, centenas de outras como ela perdem suas vidas todos os anos pelas mãos de homens que, assim como Chikatilo, enxergam nesses pequenos ingênuos a oportunidade de descarregar o que sentem por dentro. E neste ano de 2014, o exemplo que pegamos para ilustrar tais casos vem de Kobe, Japão.

Em uma nação onde as crianças são comumente incentivadas a irem sozinhas para a escola, o assassinato de Mirei Ikuta, 6, levantou várias questões no país.

O corpo decapitado e esquartejado da garotinha foi encontrado em sacos plásticos perto da residência de Yasuhiro Kimino, 47, que foi preso e acusado do crime. O acusado não conhecia a vítima. Ele afirmou em depoimento que encontrou Mirei perdida – ela havia saído de casa para ir até a casa de uma coleguinha -, andando sozinha perto da casa dele, e percebeu ali uma oportunidade. Kimino a chamou para ir até o seu apartamento com a desculpa de que ela servisse de “modelo” para um desenho. Lá, a garotinha foi estrangulada e picada. 

“O povo japonês tem o pensamento cego de que criminosos só aparecem em uma rua escura e à noite.”

[Nobuo Komiya, professor de criminologia na Universidade Rissho]

A frase acima do professor Nobuo pode ser aplicada não apenas ao povo japonês, mas, acredito, à maioria dos povos do mundo. Como cito todos os anos, grande parte das pessoas acreditam que a maldade é algo que só aparece na TV ou algo presente em favelas ou periferias de cidades. Chikatilo tinha várias faculdades; Bundy era visto como um futuro político de sucesso; Kemper tinha um QI altíssimo; Gacy um empresário de sucesso; Sudarushkin um médico pediatra brilhante… os exemplos são inúmeros.

72. FÉRIAS MALDITAS


Hannah Witheridge e David Miller. Reprodução Internet.

Hannah Witheridge e David Miller. Reprodução Internet.

Koh Tao, Surat Thani. Tailândia.

  • 15 de Setembro

Koh Tao passou de uma ilha paradisíaca para o centro de uma tempestade promovida pela mídia ocidental quando os corpos de dois turistas britânicos foram encontrados na manhã do dia 15 de Setembro.

Hannah Witheridge, 23, e David Miller, 24, passavam férias no local e foram vistos pela última vez deixando o AC Bar em direção ao hotel onde estavam hospedados. Os dois foram brutalmente espancados até a morte e Hannah estuprada (possivelmente por dois homens).

Durante o curso da investigação, a polícia local e provincial questionou os amigos das vítimas e testemunhas que os viram no bar. Em meio as críticas da mídia internacional, a polícia tailandesa apresentou como suspeitos dois imigrantes de Myanmar. Entretanto, o caso continuou sendo amplamente condenado, com os britânicos enviando uma equipe da Scotland Yard até a Tailândia para realizarem uma investigação paralela e a embaixada de Myanmar enviando emissários e advogados para acompanharem o caso de perto.

Apesar das críticas e dos suspeitos terem alegado que sofreram tortura para confessar o crime, promotores tailandeses ofereceram denúncia contra Win Zaw Htun e Zaw Lin, ambos de 21 anos. O julgamento dos dois deve começar em Julho de 2015.

73. OS ESTUDANTES QUE VIRARAM FUMAÇA


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Estudantes desaparecidos no México

O mais notório crime do ano.

Iguala, Guerrero. México.

  • 26 de Setembro

Se eu tivesse que escolher o crime do ano, este seria o Sequestro em Massa dos Estudantes de Iguala.

Em 26 de Setembro de 2014, 43 estudantes homens, a maioria com idades entre 18 e 21 anos, desapareceram em Iguala, estado de Guerrero, México. Os estudantes haviam tomado três ônibus nos quais pretendiam viajar para a Cidade do México a fim de participar das manifestações pelo aniversário do Massacre de Tlatelolco (ocorrido em 1968 quando o Exército nacional disparou contra a multidão no centro da capital, matando mais de 300 estudantes). Pouco depois da meia-noite, eles foram pegos pela polícia municipal. Logo ficou claro para os estudantes que eles seriam mortos. Alguns conseguiram escapar, mas três jovens e três populares foram assassinados. Um ônibus que transportava o time de futebol da 3ª Divisão, Los Avispones (Vespas ou Zangões) de Chilpancingo, e nada tinha a ver com a confusão, foi atacado pelos policiais e um jogador caiu morto. Logo ficou demonstrado que a polícia local tinha dupla função: zelar pelo “bem estar social” e atuar como uma milícia do cartel das drogas dos Beltrán-Leyva, um dos maiores do México.

Os 43 estudantes (os vivos e os mortos) foram entregues ao grupo local de traficantes Guerreros Unidos. Os jovens foram conduzidos até o lixão de Cocula e todos viram-se lançados à parte mais baixa do depósito onde ficaram num círculo que foi cercado com pedras para serem fuzilados com tiros de pistola. Em seguida pedaços de ripa, pneus, gravetos e pneus empapados com gasolina e diesel formaram uma grande fogueira macabra, um inferno que ardeu por 14 horas. Por fim os restos, reunidos em oito grandes sacos negros de lixo, foram esvaziados sobre as águas do Rio San Juan. Sem dúvida houve jovens queimados vivos.

Por trás deste crime hediondo encontrava-se o prefeito municipal de Iguala, José Luis Abarca e sua mulher Maria de los Ángeles Pireda Villa, que na noite fatídica divertiam-se numa festa nos arredores da cidade onde ela teve sua candidatura lançada pelo marido para ser a próxima prefeita. Foram eles os mandantes do crime. O casal não foi mais visto em lugar algum. Um dos policiais envolvidos confessou que o “repasse” dos 43 ocorreu na divisa com o município vizinho de Cocula, cujas autoridades também estavam envolvidas. Em consequência a Polícia Federal deu ordens de prisão ao prefeito de Cocula, ao seu chefe de Segurança e aos 23 integrantes da Polícia Preventiva Municipal, assumindo suas funções de proteção à população. Nos arredores de Iguala, as buscas encontraram nove fossas com 30 corpos calcinados no local conhecido como Cerro Gordo. Em seguida surgiram outras quatro fossas, mas em nenhuma identificou-se qualquer um dos 43 rapazes – eram outras pessoas mortas pelo narcotráfico.


José Luis Abarca e sua mulher Maria de los Ángeles Pireda Villa, fazendo o juramento quando José Luis tomou posse como prefeito de Iguala. Foto: Sipse.

José Luis Abarca e sua mulher Maria de los Ángeles Pireda Villa, fazendo o juramento quando José Luis tomou posse como prefeito de Iguala. Mandantes de um crime bárbaro, o casal foi preso na Cidade do México. Segundo autoridades, José Luís ordenou o ataque acreditando que os estudantes se dirigiriam para a festa de lançamento da candidatura de sua esposa com objetivo de interromper seu discurso. Foto: Sipse.

Face à demora em localizar os desaparecidos, seus colegas, com o apoio da Federação de Estudantes Camponeses Socialistas do México paralisaram a capital do Estado, Chilpancingo, depredando o palácio do governo, ocupando a sede da prefeitura, as sedes dos bancos, as lojas do centro e as coordenadorias de ensino, além de bloquearem as principais ruas e avenidas. Diante do clamor geral, o governador do Estado, Ángel Aguirre, renunciou. O prefeito e autoridades de Cocula foram detidos e o fluxo turístico para Acapulco sofreu drástica redução pela virtual impossibilidade de vencer os constantes bloqueios promovidos pela população (ou evitar ataques de grupos criminosos) na estrada que dá acesso ao famoso balneário. 

Em meio ao caos e à acusações de, inicialmente, não ter dado importância ao caso, o presidente mexicano Enrique Peña Nieto saiu do país para uma viagem comercial pela Ásia, o que deixou a população ainda mais chocada e furiosa. Ele foi chamado de “fujão”.

“A viagem é um escárnio. Mostra sua falta de qualidade moral, brincando com os sentimentos e com a dignidade de 43 estudantes, e é um sinal de que não tem a situação sob controle”. 

[Juan González, estudante da mesma faculdade dos jovens desaparecidos e massacrados]

A organização Anistia Internacional também criticou o presidente, afirmando que sua viagem mostrou“pouco interesse em enfrentar a grave situação de direitos humanos no México”.

Em 7 de Novembro, vários sacos plásticos contendo restos humanos foram encontrados ao longo do rio San Juan. Em 6 de Dezembro, o primeiro dos 43 estudantes desaparecidos, Alexander Mora Venancio, 19, foi identificado por especialistas forenses da Universidade de Innsbruck, Áustria. A confirmação foi possível após fragmentos de ossos retirados de um dos sacos serem comparados com amostras de DNA de familiares dos desaparecidos.

E até este dia em que escrevo este texto, quase quatro meses depois do incidente, o caso possui mais perguntas do que respostas. Talvez seja porque existe a forte suspeita de que todos no México sabiam da tragédia anunciada, incluindo o próprio governo e a Polícia Federal. Até agora, 90 pessoas foram presas, incluindo 58 policiais, e apenas 1 estudante foi identificado. Enquanto o governo dá desculpas, os outros 42 permanecem oficialmente desaparecidos, a população quebra o pau nas ruas e os familiares choram com as fotos dos seus garotos nas mãos.

74. GOURMET AUSTRALIANO



Mayang Prasetyo

Mayang Prasetyo. Reprodução Internet.

Teneriffe, Brisbane, Queensland. Austrália.

  • 2 de Outubro

Ossos do ofício! Brad Coyne, um eletricista australiano, recebeu uma chamada em pleno Sábado a noite: “É, eu tenho um pequenino problema. Humm, eu estava cozinhando no meu fogão. É um fogão elétrico e a panela transbordou, escorreu e humm, entrou no forno. Depois disso desligou tudo. Isso é algo que você seria capaz de consertar hoje?”, perguntou o homem do outro lado da linha, Marcus Volke, 28.

Coyne foi até o apartamento escuro e obsoleto de Volke, e o que chamou a atenção do eletricista foi o cheiro do lugar. “Obviamente o cheiro é um pouco forte,” disse o morador que alegou estar cozinhando caldo de porco, mas na verdade o que estava na panela eram pés humanos.

Marcus Volke cresceu em Ballarat, cidade a pouco menos de 100 quilômetros de Melbourne. Inteligente, era faixa preta de Caratê e tinha interesse em culinária. Em sua página no Facebook era comum ele escrever sobre os prós e contras de dietas vegetarianas.

Para as pessoas, Volke dizia que era um chef e sua família acreditava que ele trabalhava num navio, cozinhando para centenas de pessoas enquanto viajava pelo mundo. No campo amoroso ele namorava Mayang Prasetyo, 27, uma linda mulher indonésia que, segundo ele disse à família, também era uma chef. Mas na verdade Mayang era uma transsexual que trabalhava como prostituta na Austrália. Volke tinha uma vida dupla, também trabalhando como um garoto de programa, fato que possibilitou ele conhecer Mayang.


Na foto: Marcus Volke e Mayang Prasetyo, em foto publicada no Facebook.

Na foto: Marcus Volke e Mayang Prasetyo, em foto publicada no Facebook.

Em 2013, o casal viajou até a Indonésia, onde Mayang pediu a benção de sua mãe para casar com Volke.

O casal passou a morar em Bali e amigos descreviam a relação de ambos como amorosa, mas volátil. As brigas eram intensas; Mayang era conhecida por ser ciumenta e temperamental, além disso, ela ficou bastante chateada certa vez quando Volke esqueceu o portão da casa aberto e o cachorro dela fugiu.

Em dado momento, eles se mudaram para Teneriffe, periferia de Brisbane, onde alugaram um apartamento. Não perdendo tempo, Volke passou a cafetinar sua namorada, anunciando seus serviços online (US$ 200 dólares por 30 minutos) – “TS Mayang a transsexual mais exótica super peituda, muito feminina como uma super modelo”, dizia um dos anúncios. Volke também se anunciava, usando o nome “Heath XL” – “um jovem garoto australiano sexy”.

Mas Mayang não estava feliz na Austrália e planejou voltar para o seu país natal. Em 2 de Outubro, moradores de outros apartamentos escutaram gritos vindos do apartamento do casal. Volke e Mayang discutiam asperadamente sobre limpeza e outras coisas as quais os vizinhos não puderam identificar. O que se sabe a partir daqui vem de uma carta suicida escrita por Marcus Volke, cujo conteúdo, provavelmente, nunca poderá ser ou não confirmado.

Segundo a carta de Volke, Mayang estava “louca e veio para cima de mim com uma faca.” Ele então se defendeu e a matou com a mesma faca. O que se seguiu extrapola o macabro. Ele cortou a namorada em pedaços, pegou uma panela industrial e começou a cozinhar partes do corpo de Mayang, aparentemente tentando se livrar de seu corpo ou, então, tentando criar uma de suas receitas .

Dias depois, quando a panela ferveu e seu conteúdo transbordou, danificando o fogão, Volke calmamente chamou um eletricista. Clique abaixo e escute o áudio da ligação de Volke para o eletricista Brad Coyne. Segue abaixo a transcrição em inglês para acompanhamento.

ÁUDIO:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

VOLKE: “I’ve got a bit of a problem. I was cooking on my stove, it’s an electrical stove and the stock pot boiled over, dripped down and got into the oven and basically made this big bang and then all my power turned off. Does it sound like something you’d be able to fix today?”

COYNE: “Yeah it should be yeah.”

VOLKE: “Do you reckon it just blew a fuse or something.”

COYNE: “Yeah by the sound of thing.”

O mau cheiro do cadáver desmembrado impregnou o edifício durante dias. Residentes reclamaram com o síndico e, segundo Coyne, seus “olhos lacrimejaram” quando ele entrou no apartamento. Ao ir embora, o eletricista decidiu chamar a polícia. Ao entrarem no prédio, os policiais logo perceberam que aquele cheiro era bastante familiar, eles estavam acostumados com ele, com o cheiro da morte. Enquanto revistavam o apartamento, Volke pegou uma faca e correu em disparada, sendo perseguido pelos policiais que fizeram um cordão de isolamento em torno de um outro prédio onde o faixa-preta de Caratê se escondeu. Horas após o cerco, o corpo de Volke foi encontrado caído num corredor, ele havia cortado a própria garganta.

Qual foi a real causa do assassinato de Mayang e por que Volke decidiu cozinhar sua namorada? Não se sabe, certo mesmo é que esta história é bastante horripilante.

75. AS BRUXAS DE MURUFITI



Foto de Diana Rubanguka. Mwananchi.

Uma das casas incendiadas por uma multidão enfurecida na Tanzânia. Foto de Diana Rubanguka. Mwananchi.

Murufiti, Kigoma. Tanzânia.

  • 8 de Outubro

Sete pessoas suspeitas de serem feiticeiros foram brutalmente assassinados por uma multidão enfurecida no dia 8 de Outubro em uma remota região da Tanzânia.

As vítimas, quatro acima dos 60 anos e duas acima dos 40, foram atacadas a golpes de machete e queimadas vivas. As casas de algumas das vítimas também foram incendiadas. Duas das vítimas eram marido e mulher. A polícia posteriormente prendeu 23 pessoas em conexão com as mortes.

De acordo com uma reportagem da BBC, cerca de 500 mulheres suspeitas de serem bruxas são mortas todos os anos na Tanzânia. Ainda de acordo com a reportagem, entre 2005 e 2011, cerca de 3 mil pessoas foram mortas por multidões de pessoas após serem acusadas de bruxaria. A maioria das vítimas são mulheres de idade que trabalham como curandeiras. Já outras são realmente bruxas que mutilam crianças e jovens albinos, cujas partes de corpos são usadas em bruxarias para trazer prosperidade.

Após o incidente de 8 de Outubro, a vila de Murufiti ficou praticamente vazia. Homens, mulheres e suas crianças fugiram com medo do episódio.

76. O OCULTISTA AUSTRÍACO



Mirela B. Foto: Oesterreich 24.

Mirela B. Foto: Oesterreich 24.

Saalfelden, Salzburg. Áustria.

  • 9 de Outubro

Existiria algo mais atrativo do que morar numa cidadezinha austríaca de 16 mil habitantes fincada num vale pitoresco circundada por montanhas de gelo? Saalfelden parece um sonho de consumo para os que buscam tranquilidade em um local que mais parece ter saído de um filme de época. Olhando Saalfelden, é inimaginável pensar que alguma coisa mas foi isso o que aconteceu.

Na madrugada do dia 9 de Outubro a polícia da cidadezinha recebeu uma ligação a respeito de gritos vindos de uma casa. Ao chegarem, se depararam com Mirela B., 20, morta em meio a uma poça de sangue. Ao lado do corpo estava Alexander O., 21, que não resistiu à prisão.

Os motivos por trás do assassinato continuam desconhecidos, muito devido ao seu aspecto bizarro, uma forma das autoridades de preservar a família da vítima. O que se sabe é que Alexander era um adepto do ocultismo que vivia em Fóruns de adoradores do Demônio e Nazismo na Internet, o jovem também era conhecido por amigos por possuir “pensamentos desviantes”

Segundo a TV Pública austríaca ORF, Mirela possuía símbolos nazistas talhados em sua pele, o que sugere que o assassino seguiu um ritual. Ela foi estuprada e esfaqueada múltiplas vezes e há indícios não confirmados de que Aleksander comeu partes do corpo da vítima. Autoridades acreditam que ele planejava esquartejá-la e cozinhá-la para uma refeição canibal.

O julgamento do acusado ainda não foi marcado.

77. SERIAL KILLER NA ITÁLIA



Daniela Poggiali. Foto: Getty Images.

Daniela Poggiali. Foto: Getty Images.

Lugo di Romagna, Província de Ravenna. Itália.

  • 9 de Outubro

Em 2013, Virgínia Soares de Souza estampou manchetes no Brasil e no mundo ao ser acusada de assassinar pacientes no hospital onde era chefe de UTI em Curitiba. E em 2014, o mundo mais uma vez ficou pasmo com outra história vinda de dentro de um hospital.

Em 9 de Outubro, a italiana Daniela Poggiali, 42, foi presa acusada do assassinato de uma paciente de 78 anos. As suspeitas sobre a enfermeira já vinham de muito tempo. No período de um ano – abril de 2013 a abril de 2014-, 50 pacientes morreram sob os cuidados de Daniela, número quase três vezes maior do que a enfermeira com a segunda colocação (17). Outros 46 pacientes morreram sob supervisão de colegas que Daniela ajudava em seus turnos. Autoridades italianas dizem que a enfermeira sentia prazer em matar pacientes que a “aborreciam”. Ela chegava a tirar selfies ao lado das vítimas. As mortes eram causadas com uma injeção letal de cloreto de potássio, a mesma substância usada para executar prisioneiros condenados à morte nos Estados Unidos.

Casos como o de Daniela e de Virgínia faz surgir uma pergunta: Por que alguém que trabalha duro para se tornar uma enfermeiro(a), para ajudar pessoas, acaba se voltando contra seus pacientes? A verdade é que algumas pessoas entram em profissões ligadas a saúde não para ajudar os outros, mas para ganhar poder, controle ou atenção. Até recentemente, podemos dizer que não era difícil para determinados assassinos matarem e encobrirem seus rastros em instituições de saúde. Eles sempre exploraram a atmosfera de confiança.

Serial killers da área médica são encontrados entre médicos, enfermeiros e assistentes. Um estudo publicado no Journal of Forensic Sciences em Novembro de 2006 examinou 90 casos de 20 países entre 1970 e 2006 e mostrou que a maioria destes criminosos usam os métodos de [1] injeção de substâncias letais; [2] asfixia; [3] envenenamento, e [4] manipulação de equipamentos.

Enfermeiros (masculino e feminino) compõem 86% dos serial killers da área da saúde, e o número de mortes suspeitas atribuídas aos assassinos confirmados totalizaram mais de 2 mil. 

A especialista em crimes e professora de psicologia forense na Universidade DeSales, Pensilvânia, Katherine Ramsland, listou algumas características comuns a muitos serial killers enfermeiros(as):

  • recebem apelidos macabros de pacientes ou membros do hospital, tais como “Anjo da Morte” ou “O Exterminador” – a brasileira Virgínia era chamada de “Bruxa” por funcionários;
  • são vistas entrando em quartos onde mortes inesperadas ocorrem;
  • são reservadas, caladas;
  • gostam de “prever” quando um paciente irá morrer;
  • dão declarações inconsistentes quando perguntadas sobre incidentes suspeitos;
  • gostam de trabalhar em turnos onde há poucos colegas e supervisores (preferencialmente à noite);
  • anseiam por atenção;
  • são vistas em áreas ou quartos de pacientes onde não deviam estar;
  • tentam prevenir outros de checar pacientes;
  • ficam rodeando o ambiente durante a investigação de uma morte;
  • falsificam registros ou mentem sobre detalhes de tratamentos ou informações pessoais.

78. MORTE ANUNCIADA NO TWITTER



Maria del Rosario Fuentes Rubio teve seu assassinato anunciado pelo Twitter. Reprodução Twitter.

Maria del Rosario Fuentes Rubio teve seu assassinato anunciado pelo Twitter. Reprodução Twitter.

Reynosa, Tamaulipas. México.

  • 16 de Outubro

Anós atrás, a maioria de nós nunca poderia imaginar testemunhar um assassinato na medida em que ele acontece. No entanto, com as redes sociais na Internet, terroristas têm agora um novo método para aterrorizar pessoas.

No México, muitos jornalistas utilizam o Twitter para compartilhar atualizações sobre as atividades dos cartéis das drogas, ajudando não só a informar a nação, mas também as principais agências de notícias do mundo sobre o que anda acontecendo por lá (e estamos carecas de saber que a coisa no México é feia).

Maria del Rosario Fuentes Rubio conhecia os perigos de falar sobre os narcotraficantes de seu país, por isso, ela mantinha o seu verdadeiro nome em segrego, adotando o pseudônimo Felina no Twitter (@Miut3). Mas em Outubro de 2014, os cartéis descobriram quem ela era e a raptaram.

Em seguida, os narcotraficantes a fizeram postar várias mensagens em seu perfil no Twitter: “Amigos e família, meu nome real é Maria Del Rosario Fuentes Rubio, eu sou uma jornalista.”. “Hoje minha vida chegou ao fim.”. “Feche suas contas. Não arrisquem suas famílias da maneira que fiz.”. “Me desculpem. Eu morri por nada. Eles estão mais perto de nós do que vocês pensam.”.

Após executar a jornalista, os assassinos postaram uma imagem de seu cadáver no Twitter. 

79. O ESTRANGULADOR DO BACKPAGE.COM



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Afrikka Hardy

Afrikka Hardy foi estrangulada em 17 de Outubro. Foto: Facebook.

Hammond, Indiana. Estados Unidos.

  • 17 de Outubro

“Elas não serão esquecidas, porque elas não são ninguém.”

[Lori Townsend, mãe de Afrikka Hardy]

Afrikka Hardy, 19, havia recentemente mudado para Chicago após terminar o ensino médio e viver por cinco anos com sua mãe em Aurora, Colorado. Em posts no Facebook, sua mãe a descreve como uma princesa e até postou um vídeo da filha no Youtube cantando (e realmente a moça tinha talento).

“Ela tinha planos de fazer faculdade, e nós conversamos sobre isso inúmeras vezes. Mas eu acho que ela começou a andar com pessoas diferentes que a levou para outro caminho”, disse um primo de Afrikka a CNN.

Esse “outro caminho” foi descoberto pela família dela da pior forma possível.

Em 18 de Outubro, Afrikka foi encontrada morta num quarto de hotel em Hammond, cidade a 40 quilômetros de Chicago. Verificando câmeras de segurança e registros telefônicos, a polícia chegou até o ex-marinheiro Darren Deon Vann, 43, que confessou o assassinato da jovem. Ele disse que contatou Afrikka para uma noite de sexo através do site de classificados backpage.com. Eles se encontraram num motel onde ele a estrangulou. Afrikka foi encontrada por uma amiga que sabia do encontro e foi procurá-la quando ela não voltou.

Mas o assassinato de Afrikka foi só o começo de um caso que se tornou macabro. À polícia, Darren disse ser um matador de mulheres e os corpos de suas vítimas estavam espalhados em casas abandonadas nas cidades de Gary e Hammond. Nos dias seguintes, investigadores atônitos encontraram seis corpos de mulheres estranguladas pelo serial killer.

O serial killer Darren Vann pode ser visto nesta imagem ameaçando colocar fogo em sua namorada. A filmagem foi feita pela polícia em 2004.  Foto: Chicago Sun-Times.

O serial killer Darren Vann pode ser visto nesta imagem ameaçando colocar fogo em sua namorada. A filmagem foi feita pela polícia em 2004 durante negociação com o criminoso. Foto: Chicago Sun-Times.

O passado de Darren é recheado de abusos, estupros e tentativa de estupros contra mulheres. Aos policiais, ele disse que seu rastro assassino vem desde a década de 1990 e autoridades acreditam que ele possa estar por trás de dezenas de assassinatos. 

Por suas vítimas serem prostitutas e viciadas em drogas, será bastante difícil que autoridades americanas descubram a real proporção de seus crimes.

Atualmente o serial killer aguarda julgamento pelo assassinato de quatro mulheres, incluindo Afrikka.

Curiosidade: O site backpage.com parece ser um lugar muito frequentado por serial killers. Outro psicopata a buscar vítimas por lá foi James Cornelius Brown. Leia a história de Cornelius no post Serial Killers: O Assassino do Backpage.com.

80. A PISTA QUE VEIO DE UMA PEDRA


101 Crimes Horripilantes de 2014 - A morte do Sr. Zhu - Capa

Palavras escritas numa pedra levaram até um assassino na China. Foto: Sina Games.

Neijiang, Sichuan, China.

  • 24 de Outubro

Na manhã de 24 de Outubro, o chinês Zhu atravessou a porta do apartamento de seu avô, em Neijiang, Sichuan, China, e encontrou uma cena que parecia vir do seu pior pesadelo: seu avô de 93 anos jazia na cama com o rosto tão branco quanto um fantasma e o corpo coberto de sangue. Uma verificação rápida confirmou o óbvio, o velho Sr. Zhu estava morto.

Quem mataria um homem de 93 anos?

De acordo com o site chinês Sina Games, quando detetives chegaram na cena do crime em 24 de Outubro, eles ficaram confusos. Por quê alguém mataria um homem de 93 anos de idade? A família da vítima estava igualmente perplexa. Além de viagens ocasionais para vender bugigangas, o nonagenário não era de sair muito, e a família não tinha conhecimento de quaisquer inimigos ou tretas que o velho homem poderia ter. Na cena do crime, as duas únicas pistas eram um cesto que desapareceu e uma ponta de cigarro no terraço do apartamento.

A inspeção inicial da cena do crime mostrou que o ataque tinha uma semelhança notável com uma série de assaltos que atormentaram Neijiang ao longo do mês de Outubro. A vítima morava no último andar de seu prédio e o suspeito aparentemente entrou pelo terraço através de uma janela durante a noite, o que combinava com o modus operandi dos assaltos anteriores. Mas quando a polícia capturou o autor dos roubos, ficou claro que ele não poderia ter cometido o assassinato. O laboratório forense de Neijiang também determinou que o DNA coletado do cigarro descartado na cena do crime não coincidia com o DNA do suspeito preso nos outros casos de roubo.

Então, a polícia estava de volta a estaca zero. Investigadores voltaram à cena do crime para verificar se nada ficou para trás. Fazendo um pente fino no local, eles encontraram, em uma horta do terraço, uma marca retangular na terra úmida pela água da chuva. Eles concluíram que ali havia um objeto – provavelmente um tijolo – e que havia sido retirado. Tendo em vista que o médico legista concluíra que a morte do ancião foi causado por um trauma contundente na cabeça com um objeto retangular, causando danos cerebrais e no crânio, os investigadores suspeitaram que o tijolo retirado daquele lugar podia ser a arma do crime. Mas, infelizmente, eles não tinham ideia de onde o assassino poderia ter descartado o objeto.

A confissão entalhada em pedra

Três dias após o assassinato do Sr. Zhu, detetives retornaram novamente à cena do crime na esperança de recuperar o tijolo ou encontrar alguma outra pista. E eles tiveram sucesso. Arranhões superficiais numa pedra do terraço revelavam uma mensagem:

Imagem da frase talhada numa pedra no terraço do prédio onde o Sr. Zhu foi morto em 24 de Outubro. Foto: Sina Games.

Imagem da frase talhada numa pedra no terraço do prédio onde o Sr. Zhu foi morto em 24 de Outubro. Foto: Sina Games.

A mensagem continha um erro aparente (o autor usou um símbolo homófono incorreto) e o símbolo final estava parcialmente visível, mas ainda assim a mensagem estava fácil de ser decifrada:

“ZYL, por favor me perdoe.”

Os investigadores concluíram que dado o contexto da mensagem, e dado que o sobrenome da vítima era Zhu, as letras “ZYL” eram provavelmente iniciais. Uma rápida verificação revelou que, de fato, o Sr. Zhu tinha uma bisneta com as iniciais ZYL.

A bisneta da vítima nunca foi uma suspeita no caso, uma vez que ela tinha apenas 14 anos. Mas suas iniciais apareceram na cena do crime e isso sugeria que o autor tinha uma conexão com ela. Um pouco mais de trabalho da polícia revelou que a bisneta do Sr. Zhu havia recentemente levado colegas de escola para visitar a casa do avô.

Entre esses colegas de classe, um garoto de 17 anos, de sobrenome Li, chamou a atenção dos detetives, principalmente porque todos os outros colegas que visitaram o ancião pareciam suspeitos muito improváveis. Li também se encaixava na descrição de uma testemunha que disse ter visto um jovem perambulando pela área antes do crime.

Em 28 de Outubro, a polícia pegou Li para interrogatório. Ele estava num café local jogando jogos online. Ele rapidamente confessou o assassinato.

Como um garoto se tornou um assassino

Li disse a polícia que era um viciado em jogos online. Ele trabalhava num lugar qualquer e havia semanas que não ia para casa. Ele alugara um quarto perto do café para dormir apenas para continuar jogando no dia seguinte. Mas nas semanas anteriores ao assassinato, ele tinha tão pouco dinheiro que não podia mais pagar pelo quarto. Lembrando da visita a casa do Sr. Zhu com sua colega de escola, Li passou a entrar no prédio e dormir no terraço. O Sr. Zhu até mesmo o pegou uma vez lá e o repreendeu.

Mas Li precisava de dinheiro para continuar a jogar, e a ideia de cometer um assalto invadiu sua mente. Estando familiarizado com o apartamento do Sr. Zhu, ele já tinha um local em mente para roubar. Quando ele entrou no apartamento, a humilhação de ser expulso por um velho começou a corroê-lo por dentro, e ele pensou em vingar-se. Em sua própria confissão, Li disse que pegou um tijolo e ficou com ele na mão, pensando em quebrá-lo na cabeça do Sr. Zhu. Ele foi até o apartamento, mas arrependeu-se. Voltou para o terraço e fumou um cigarro. Pegou o tijolo novamente, foi para o quarto do Sr. Zhu e o golpeou três vezes na cabeça. Ele roubou cerca de 160 Yuan – R$ 60 reais -, a cesta da vítima, e jogou o tijolo fora. Uma busca subsequente na área encontrou o tijolo, confirmando a veracidade da confissão.

O quão boba essa história pode parecer, o crime de Li não é tão incomum como você pensa. O vício em games e em Internet na China e em vários outros países é um problema grave. Este caso está longe de ser o único. Há vários outros exemplos de viciados em jogos que, em uma tentativa de financiar seus hábitos online, se voltam para o roubo e assassinato.

81. SUPOSTA BRUXA MORTA A VARADAS


Alguns dos presos acusados do assassinato de uma mulher de 55 anos na Índia. Foto: Bhaskar News.

Alguns dos presos acusados do assassinato de uma mulher de 55 anos na Índia. Foto: Bhaskar News.

Bemetara, Chhattisgarh. Índia.

  • 27 de Outubro

Uma viúva indiana foi barbaramente espancada e torturada pelos familiares do marido após ser acusada de ser uma bruxa.

Tudo começou quando um sobrinho do marido falecido adoeceu. Alguém deveria ser responsabilizado pelo mal de saúde do rapaz, e logo a supersticiosa família do marido apontou o dedo para a mulher de 55 anos.

“Pimenta chili em pó foi colocada nos olhos, orelhas e partes íntimas da vítima. Ela também teve que engolir à força o pó,” disse o chefe de polícia do distrito de Bemetara, Narendra Khare.

O cunhado da vítima, sua esposa e outros parentes confrontaram a mulher exigindo saber que tipo de magia negra ela usou para causar a doença. Apesar de afirmar não ter nada a ver com o estado do rapaz, a mulher foi atacada com varas pontiagudas e espancada, vindo a falecer no hospital horas depois.

Doze pessoas foram presas em conexão com a morte da mulher.

Em algumas áreas pobres e tribais da Índia, a crença em bruxaria é lei. Vários são os casos de mulheres que são despidas e queimadas vivas. Já outras são espancadas até a morte por multidões.

82. O FEITICEIRO DA SORTE


Nashik, Maharashtra, India.

  • 30 de Outubro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Deusa Kali

Vítima: Budhabai Dore e Kashibai Veer.

Idade: 65 e 80 anos.

Local: Nashik, Masharashtra. Índia.

Crime: Em Outubro, Govind Pona Dore e seu irmão Kashinath viajaram até a vila de Takay Harsh para se encontrarem com um bruxo chamado Bachchi-bai Narayan Khadke, 42, e seu assistente Bugabai Mahadu Veer. Os irmãos estavam precisando de mais sorte na vida e o feiticeiro disse que eles “precisavam exorcizar os fantasmas”. E para exorcizar os fantasmas pessoas deveriam ser sacrificadas para a Deusa Kali (foto). O que torna este crime diferente de outros relacionados a sacrifícios humanos é que as vítimas eram familiares dos envolvidos: uma era a mãe dos irmãos, a outra – Kashibai Veer – de 80 anos era tia de Mahadu Veer e a terceira – Rahibai Pingle – irmã de Kashibai. As mulheres foram mantidas em cativeiro por vários dias sem comida. Foram espancadas e a mãe dos irmãos teve os olhos arrancados ainda viva. Pingle foi a única sobrevivente e apesar dos ferimentos conseguiu contatar uma assistente social local que chamou a polícia. Todos os envolvidos no ritual satânico foram presos. Mais uma vez está provado que tais rituais não trazem sorte nenhuma (:D).

83. BANQUEIRO, RICO E ASSASSINO


O investidor de bancos Rurik Jutting, ao fundo, durante uma festa com prostitutas asiáticas. Foto: Daily Star.

O investidor de bancos Rurik Jutting, ao fundo, durante uma festa com prostitutas asiáticas. Foto: Daily Star.

Wan Chai, Hong Kong.

  • 31 de Outubro

Rurik Juttin, 29, vivia em um pequeno, preciso e irreal mundo. Cada dia de vida ele se movia entre dois arranha-céus, sua casa e seu escritório, apenas três minutos de táxi. Quando ele retornava ao seu apartamento, podia nadar em uma piscina no terraço, fumar um cigarro em uma sala especial ou comer num restaurante três estrelas, tudo sem precisar colocar o pé na rua.

Pode não parecer, mas a vida de um ricaço investidor de bancos é monótona, é o que diz a maioria deles. Dez, doze, catorze horas de trabalho por dia, sem amigos, casas vazias, sem relacionamentos, um trabalho entediante, sem tempo nem para ler o jornal do dia. Talvez isso explique porque muitos deles abusam de drogas e prostitutas.

E o submundo das drogas e prostituição é o lado negro dessa cultura. Uma das razões é porque muitos deles não tem tempo para conhecer, muito menos manter relações íntimas com outras pessoas. A sociedade parece distante para eles e por isso homens como Rurik se sentem tão a vontade com o sexo pago.

Rurik Juttin é um graduado da prestigiada Universidade de Cambridge e investidor do Banco da América. E em Novembro de 2014 ele adicionou a palavra “assassino” à sua lista de conquistas após duas prostitutas asiáticas terem sido encontradas mortas dentro do seu luxuoso apartamento.

Na madrugada do dia 1 de Novembro, a polícia foi chamada à horripilante cena pelo próprio Jutting. O investidor estava sentado sobre uma das mulheres que estava toda cortada. O outro corpo – em decomposição – foi encontrado dentro de uma mala com a cabeça parcialmente separada do corpo.

Dias antes dos assassinatos, Jutting tirou alguns dias de folga do trabalho e na mensagem de resposta automática que ele criou para quem lhe enviasse um e-mail, escreveu:

“Estou fora do escritório. Indefinidamente. Para pedidos urgentes, ou mesmo alguma dúvida, entre em contato com alguém que não seja um psicopata demente. Para escalada entre em contato com Deus, apesar de suspeitar que o Diabo terá a custódia.”

O duplo assassinato lembrou o filme “Psicopata Americano” (2000); baseado no livro de mesmo nome de Bret Easton, o filme mostra o investidor bancário Patrick Bateman vivendo uma vida luxuosa de dia e macabra de noite. Em uma das cenas, Bateman espanca violentamente duas prostitutas, matando uma com uma serra elétrica.

A motivação para os assassinatos ainda é desconhecida e o julgamento do banqueiro britânico deverá ocorrer em Julho de 2015.

84. O ADOLESCENTE LUNÁTICO



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Gabriella de Jesus Santos e Rodrigo Costa Magalhaes

O casal de namorados Gabriella de Jesus Santos e Rodrigo Costa Magalhaes. Reprodução Internet.

Pernambués, Salvador, Bahia. Brasil.

  • 1 de Novembro

Rodrigo e Gabriella cresceram juntos no bairro de Pernambués, Salvador. Quando ele tinha 13 anos e ela apenas 11, as brincadeiras de criança deram espaço para um romance.

O namoro das ainda crianças pegaram os familiares de surpresa, mas eles tiveram apoio. Um frequentava a casa do outro e Rodrigo era visto como uma pessoa “extremamente dócil e tranquilo”. Já Gabriella parecia não ter defeitos, era uma garota que começou a trabalhar cedo e bastante “dedicada e querida por todos” na escola onde cursou o segundo grau.

Mas essa era a visão de quem via por fora porque para os mais íntimos o namoro estava longe de ser um conto de fadas. Debaixo do rostinho de anjo, Rodrigo escondia um adolescente extremamente ciumento que literalmente transformou a vida de sua namorada num inferno. Ele ligava inúmeras vezes para Gabriella exigindo saber onde ela estava, com quem estava e o que estava fazendo. Por causa dos ciúmes dele o casal vivia brigando. Era um namoro problemático movido mais a ódio do que amor.

Como num círculo vicioso, por inúmeras vezes ela decidiu romper com o romance, mas acabava voltando, para depois romper de novo. Com o passar do tempo, o sentimento de posse enraizava ainda mais na mente do garoto que ameaçava a namorada de morte toda vez que ela decidia deixá-lo.

E em meados de Setembro/Outubro, após seis anos de um namoro conturbado, Gabriella terminou de vez com Rodrigo.

“Eles tinham terminado, mas ele não aceitava e ficava ligando, perseguindo ela. Não acreditei na minha amiga quando disse que tinha medo que ele pudesse matá-la. Ninguém levou a sério, nunca imaginamos que ele seria capaz de nada.”

[Stefanie Luane Assunção, melhor amiga de Gabriella]

Por volta das 13h30 de um Sábado, 1 de Novembro, Rodrigo surpreendeu Gabriella na Rua Lamarão, bairro Pernambués, por onde tantas vezes os dois haviam passado, e a atacou. Num frenesi assassino, o garoto “dócil e tranquilo” esfaqueou 29 vezes Gabriella com uma faca de açougueiro. Peito, abdome, costas, pescoço, mãos… Rodrigo matou como um animal seu amor de infância.

Após matar Gabriella, Rodrigo fugiu em alta velocidade pela rodovia BA-099 em uma camionete da empresa do pai, furou um bloqueio policial e quilômetros adiante bateu em outros dois carros. Ele ficou preso às ferragens e morreu.

De Romeu & Julieta a Rodrigo & Gabriella, muitas histórias de amor parecem destinadas a um triste fim.

85. BARBÁRIE EM NOME DE DEUS


Aldeia de Chak, Distrito de Khushab, Punjab. Paquistão.

  • 4 de Novembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Shehzad Masih e Shama Bibi

Em Março e Abril de 2014, o serial killer Muhammad Ejaz espalhou o terror na comunidade gay de Lahore. Sete meses depois, há 60 quilômetros de lá, numa remota aldeia da província de Punjab, outro crime hediondo tomou forma naqueles cantos. Um crime que nos faz sentir vergonha de pertencer à espécie humana.

Em meados de Outubro, o pai de Shehzad Masih (na foto à esquerda com sua esposa, Shama Bibi) morreu de causas naturais. Após a tristeza e luto inicial, Shama Bibi foi até o quarto do falecido sogro para limpar a bagunça. Havia um baú no quarto, e Bibi guardou os objetos que julgou ser úteis e jogou fora, no lixo em frente à casa, os que para ela não tinham serventia.

Um coletor de lixo passou no dia seguinte e notou algumas páginas do Alcorão em meio ao descarte. Logo, como um Mensageiro do Demônio, ele foi até um clérigo local fofocar sobre o terrível pecado: aquele casal havia jogado fora o sagrado livro do Alcorão.

Imperdoável! Fanáticos religiosos tomaram seus alto-falantes e começaram a espalhar a terrível notícia. Em 4 de Novembro, cerca de 1.500 pessoas se reuniram, vindos de aldeias vizinhas, juntos aos clérigos locais e anunciaram que Shehzad e sua esposa haviam cometido blasfêmia. “Eles começaram a bater no casal com paus e tijolos, cantando slogans de ‘Nós vamos dar nossa vida pela honra do profeta’, e em seguida rasgaram suas roupas”, disse Malik Abdul Aziz, uma testemunha ocular do massacre.“O casal gritava, implorando por misericórdia, dizendo que não haviam cometido pecado algum.”

O casal foi arrastado por cerca de 20 metros e colocados em cima de um forno de tijolos onde foram queimados vivos. Restaram apenas fragmentos de ossos dos dois.

Um dia depois, 43 pessoas foram presas e uma multidão de 200 pessoas protestou em Lahore, chamando o crime de intolerância religiosa, já que a suposta cópia jogada fora do Alcorão teria sido apenas uma desculpa esfarrapada e que o casal foi morto por não ser muçulmano e sim cristão.

Shama Bibi estava grávida de quatro meses.

86. JUSTIÇA POPULAR



Jurandir Ferreira Neres e seus filhos. Foto: Bol.

Jurandir Ferreira Neres e seus filhos. Foto: Bol.

Ribeirão Preto, São Paulo. Brasil.

  • 4 de Novembro

Morador da favela Monte Alegre, em Ribeirão Preto, o pedreiro Jurandir Ferreira Neres, 49, tinha alguns vícios. Dentre eles o de beber, usar drogas e espancar o filho de 12 anos Jonathan Bidoia Neres.

As alterações de comportamento de Jurandir eram constantes, era violento com o consumo de álcool e drogas servindo de combustível para os seus atos errantes.

Na tarde de 4 de Novembro, ele chegou em casa falando “coisas desconexas, se dizendo perseguido e que estaria jurado de morte”. E mais uma vez resolveu descontar suas frustrações em seu filho Jonathan, mas desta vez o desfecho seria particularmente brutal.

Ensandecido, Jurandir esfaqueou até a morte o seu filho adolescente. No momento do derramamento de sangue, um irmão de Jonathan e também filho de Jurandir, de 10 anos, que morava com os dois, conseguiu escapar. Chorando, ele contou a moradores da favela o que havia acontecido.

Responda rápido: O que aconteceu com Jurandir após os moradores da favela Monte Alegre tomarem conhecimento do crime? A resposta está na imagem abaixo:

IMAGEM FORTE! NÃO CLIQUE SE FOR SENSÍVEL!

Foto 1

Jurandir recebeu a punição da justiça popular. Ele foi morto a marteladas pelos moradores ficando com o rosto desfigurado.

87. CANIBAL ZUMBI DE GALES


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Cerys Yemm e Matthew Williams

Cerys Yemm e Matthew Williams. Reprodução Internet.

Argoed, Sirhowy Valley. País de Gales.

  • 6 de Novembro

Matthew Williams, 34, não tinha uma boa reputação em sua cidade natal. Violento, não ajudava o fato dele estar preso por agredir sua namorada. Em Outubro de de 2014, ele saiu em liberdade condicional e alugou um quarto num hotel da pacata Argoed. E um mês depois Matthew foi notícia em todo mundo.

Na madrugada do dia 6 de Novembro, ele conheceu Cerys Yemm, 22, num bar e a convenceu a ir com ele até o seu hotel. Uma vez lá dentro, Matthew a atacou, arrancou seu olho, o comeu e começou a mastigar e comer o seu rosto. A polícia invadiu o lugar após gritos terem sido escutados, pegando o agressor em flagrante, ainda mastigando o rosto da vítima. Ele levou um tiro de uma arma Taser, vindo a falecer minutos depois no hospital. Yemm, apesar dos esforços médicos, também morreu.

88. O ASSASSINATO DA MISS HONDURAS


Cablotales. Honduras.

  • 13 de Novembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - María José Alvarado Vítimas: María José Alvarado e Sofia Trinidad Alvarado Muñoz.

Idades: 19 e 23 anos.

Local: Cablotales. Honduras.

Crime: Como revelam algumas fotos em seu perfil do Twitter, María Alvarado era uma jovem bonita e alegre. Quem a conhecia não poderia imaginar que sua última imagem seria a do seu corpo dentro de um saco marrom sendo despejado de qualquer jeito na carroceria de uma camionete. María era a Miss Honduras e viajaria para Londres em 19 de Novembro para participar do Miss Mundo, mas foi assassinada seis dias antes pelo namorado da sua irmã. Em 13 de Novembro, a Miss, sua irmã Sofia e Plutarco Ruiz, namorado de Sofia, foram até uma boate comemorar o aniversário de 32 anos do futuro assassino. Ao ver Sofia dançando com outra pessoa, Plutarco teria ficado furioso e discutido com a namorada. A festa para os três acabou ali e eles foram embora. Desde então, as irmãs nunca mais foram vistas. Seus corpos foram encontrados no dia em que María embarcaria para a disputa do Miss Mundo.  Segundo a polícia, Plutarco as matou com tiros de uma pistola 9mm e enterrou os corpos numa mata. De origem humilde, mais de 300 pessoas compareceram ao velório – numa pequenina capela – da moça que um dia sonhou em ganhar o mundo.

89. PEDIGREE ESQUARTEJADOR


Cananéia, São Paulo. Brasil.

  • 21 de Novembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Thomas Sanches e Gleydson Morgray

Acusado: Gleydson Morgray.

Idade: não revelada.

Local: Cananéia, São Paulo. Brasil.

Crime: Thomas Sanches (o de calça rosa na imagem ao lado), 30, foi visto pela última vez na madrugada do dia 21 de Novembro. Seu corpo esquartejado foi encontrado no dia seguinte num lote baldio; a cabeça estava ao lado do corpo e não havia sinais de seus órgãos internos, que foram encontrados dentro de uma caixa de isopor na casa de Gleydson Morgray, amigo da vítima. Vítima e assassino, inclusive, tiraram uma foto (imagem ao lado) pouco antes do macabro assassinato. Para a polícia, Gleydson disse que que Thomas – homossexual assumido – teria tentado uma aproximação, e assim, gerado uma discussão que culminou na morte da vítima. O crime e o perfil de Glaydson, entretanto, levantam dúvidas sobre essa versão. A hipótese de Gleydson estar envolvido com rituais satânicos foi levantada, pois a vítima foi esquartejada, decapitada e teve os órgãos internos removidos; em seu peito, o assassino tem tatuados um pentagrama invertido e duas cruzes ao contrário.

.

A real motivação do crime provavelmente só será revelada durante o julgamento do acusado – sem data marcada.

Curiosidade macabra: Na década de 1970, o avô de Gleydson matou e esquartejou a própria mulher na casa onde o neto, 40 anos depois, esquartejaria outra pessoa.

Abaixo imagem da caixa de isopor apreendida na casa do acusado.

Foto 1

90. ATRAÍDA PARA A MORTE


A adolescente Bárbara Lira Ferreira, morta aos 13 anos.

A adolescente Bárbara Lira Ferreira, morta aos 13 anos.

Paraupebas, Pará. Brasil.

  • 21 de Novembro

Mais uma vez citando Dannah Boyd em seu estudo “É Complicado: A Vida Social de Adolescentes Conectados”, ela diz ser um mito dizer que as mídias sociais colocam adolescentes na mira de predadores sexuais. Em seu livro, Boyd cita uma pesquisa realizada por ela que mostrou que 93% dos pais americanos estavam preocupados que seus filhos pudessem conhecer um estranho online que pudesse prejudicá-los. De longe, o maior temor manifestado pelos pais era o de “predadores sexuais”, “molestadores de crianças”, “pedófilos” e “criminosos sexuais”, que poderiam entrar em contato com seus filhos através da Internet e aplicativos para celulares. A pesquisa de Boyd reflete os temores revelados em outras pesquisas da área, que fundamentam as decisões de muitos pais para restringir seus filhos de se aventurarem fora de casa, ao ar livre, sem proteção de adultos.

Boyd desconstrói essa ideia argumentando que o abuso infantil é muito mais propenso a ser realizado por pessoas bem conhecidas das crianças e jovens, como parentes, amigos de confiança da família, professores e padres. Mais do que por estranhos. Ela diz que: “Embora legisladores estejam felizes em propor intervenções que limitem os direitos da juventude em acessar espaços online, eles não propõem leis para proibir o acesso das crianças a instituições religiosas, escolas ou casas, mesmo que estes lugares sejam estatisticamente mais comuns de vitimização.”.

O argumento da pesquisadora é interessante e mostra que muito dessa discussão é levada por pessoas que desconhecem ou que tendem a demonizar apenas um dos lados, como a Internet, por exemplo. De qualquer forma, a questão é que pessoas doentes sempre existirão e como animais racionais e pensantes que são, tais pessoas sempre utilizarão de forma as ferramentas disponíveis para fazer o mal.

Em Novembro, no Pará, um horrendo assassinato ilustra bem a discussão acima. 

Bárbara Lira Pereira, de apenas 13 anos, desapareceu numa sexta-feira, 21 de Novembro. Como grande parte dos pertencentes às gerações vindas pós década de 1990, Bárbara vivia nas redes sociais e no aplicativo de troca de mensagens instantâneas Whatsapp. E foi pelo “zap zap” que a jovem encontrou a morte.

Uma conversa amigável, um príncipe encantado de um lado; do outro, uma adolescente querendo descobrir o mundo, estava pronta a receita para a tragédia. Bom, na verdade, o que Bárbara não sabia era que do outro lado o homem que trocava mensagens com ela no aplicativo não era um príncipe encantado, mas um monstro.

Ela marcou um encontro pelo Whatsapp e desapareceu. Seu corpo foi encontrado no outro dia. Bárbara foi estuprada e morta com requintes de crueldade. 

Veja abaixo fotos do corpo da vítima.

Eficiente, a Polícia Civil local foi capaz de dar uma resposta à sociedade cerca de 10 dias depois quando prendeu Douglas Pantoja Corrêa.

Douglas era um conhecido da vítima, frequentavam a mesma Igreja e, segundo algumas fontes, tiveram um relacionamento. O motivo do crime teria sido o fim do namoro.

A conclusão aqui confirma a teoria de Boyd, de que crianças e adolescentes estão mais suscetíveis a sofrerem abusos de conhecidos do que de estranhos. Bárbara conheceu seu assassino dentro de uma Igreja, e ele usou de uma ferramenta tecnológica para facilitar a comunicação com a vítima. Não culpemos Igreja, Escola ou Internet, o único a se culpar em tais casos é o ser pensante, neste caso, Douglas. De qualquer forma, sempre devemos ficar atentos aos nossos filhos, com quem eles andam, aonde vão e com quem conversam, seja na rua, seja na Internet, celular…

91. FILMADO PARA LEMBRANÇA


Bonfinópolis, Goiás. Brasil.

  • 22 de Novembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Marcos Vinícius Monteiro Caixeta Vítima: Marcos Vinícius Monteiro Caixeta.

Idade: 18 anos.

Local: Estrada de terra entre Leopoldo de Bulhões e Bonfinópolis, Goiás. Brasil.

Crime: Em 22 de Novembro, uma viatura policial de Goiânia notou um motoqueiro fazendo manobras perigosas nas ruas da cidade e o parou. Fuçando no celular do condutor de apenas 16 anos eles encontraram o crime de número X desta lista. Um vídeo gravado naquele aparelho mostrava um assassinato covarde. No vídeo, três jovens zombam de um quarto, Marcos Vinícius Monteiro Caixeta, 18, dentro de um carro que percorre uma estrada de chão. Os três riem enquanto dizem que a hora de Marcos “chegou”. A vítima supostamente teria denunciado os adolescentes, traficantes de drogas, à Rotam. O que se segue é horripilante, principalmente devido a frieza dos adolescentes que além do assassinato filmaram toda a ação como se estivessem se divertindo num show musical. “Vai com Deus pau no cú! Meu pé encheu de sangue”, diz um deles. O vídeo se tornou viral no whatsapp e um dos adolescentes chegou a compartilhar em seu perfil no Facebook uma foto do assassinato. Veja o vídeo abaixo:

O adolescente de 16 anos (nome não divulgado) confessou dois outros assassinatos e foi condenado a uma medida socioeducativa. Já Wolney Henrique Borges de Freitas, 22, – o sorridente motorista do carro que efetuou cinco disparos contra o cadáver de Marcos – foi preso em 5 de Dezembro quando ia pescar. Num vídeo publicado no Youtube, ele não aparece tão sorridente em frente ao delegado. O terceiro jovem, apelido Gordinho, continua foragido. 

92. OS CARNICEIROS DO AL-SHABAB


Vila de Kormey, Condado de Mandera. Quênia.

  • 1 de Dezembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Al Shababh Acusados: Grupo jihadista al-Shabab.

Local: Pedreira na Vila de Kormey, 15 quilômetros de Mandera. Quênia.

Crime: Em uma área na qual a violência entre cristãos e muçulmanos vem aumentando consideravelmente nos últimos anos, 36 trabalhadores de uma pedreira foram mortos durante um ataque enquanto dormiam em suas tendas. Os assassinos separaram os muçulmanos do grupo antes de fuzilarem todos os cristãos que estavam naquele acampamento. O grupo responsável pelo ataque é o al-Shaba, baseado na vizinha Somália, que mata civis de forma deliberada para combater o “inimigo externo” e impor uma versão radical do Islã naquele país. Lembram do brutal ataque ao shopping de luxo Westgate em 2013, crime que inclusive ilustrou a edição dos notórios e horripilantes de 2013? Pelo menos 67 pessoas foram mortas naquele ataque. O al-Shabab é tão barra pesada que nem Osama Bin Laden quis uma aliança com os caras. Eles também são conhecidos por matar milhares de elefantes todos os anos para roubar-lhes o marfim.

93. SPREE KILLER DECAPITADOR


Mogi das Cruzes, São Paulo. Brasil.

  • 3 de Dezembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Jonathan Lopes de Santana

Acusado: Jonathan Lopes de Santana.

Idade: 23 anos.

Local: Mogi das Cruzes, São Paulo. Brasil.

Crime: Em um mundo inundado de armas só há uma razão para o assassinato de inocentes com machados ou cutelos: a sede de sangue. E se o assassino possui algum tipo de distúrbio mental, então temos uma possível explicação para o que ocorreu em Mogi das Cruzes no final do ano. Três pessoas foram encontradas decapitadas em plena luz do dia em 3 de Dezembro. Como num filme de terror, um assassino insano empunhando uma machadinha trucidou pessoas inocentes sem motivo aparente a não ser pela necessidade de sangue. Preso, descobriu-se que Jonathan Lopes de Santana era o responsável por outros três assassinatos ocorridos 48 horas antes. Das seis vítimas, cinco tiveram suas cabeças arrancadas do corpo. Para a polícia, Jonathan disse ter se empenhado no frenesi assassino após começar a ouvir vozes que lhe ordenavam matar. 

Abaixo imagens de três vítimas do decapitador de Mogi

94. JASON DE MINAS GERAIS



101 Crimes Horripilantes de 2014 - Rodrigo Dias Dantas

Objetos apreendidos na cena do crime na rua Olegário Maciel, centro de Juiz de Fora. Foto: G1.

Juiz de Fora, Minas Gerais. Brasil.

  • 3 de Dezembro

A comunicação online tornou-se parte integrante de nossas vidas e muitos se utilizam do meio virtual para fazer novos amigos e até mesmo buscar parceiros amorosos. Tão popular são os espaços online de troca de mensagens que uma visita ao Bate Papo do Uol, o mais conhecido e acessado chat do Brasil, numa quinta-feira a noite, mostra que mais de 80 mil pessoas estão conectadas ao site conversando entre si.

Adentrando a qualquer uma das salas disponíveis nota-se que mais da metade dos presentes são homossexuais ou bissexuais que estão ali em busca de um parceiro amoroso. E é bastante comum a marcação de encontros reais para sexo com apenas 2 minutos de conversa.

Sentar atrás de um computador sem que a sua real identidade seja revelada é sedutor demais para pessoas que de alguma forma sentem medo de revelar o que realmente buscam. Numa sociedade hipócrita e preconceituosa, é muito mais fácil e seguro para um homossexual se expor no mundo virtual do que no real. A Internet é um atalho e tanto para se encontrar pessoas que compartilham dos mesmos problemas, sentimentos e desejos. Mas o problema é que nem sempre quem está do outro lado é quem diz ser.

Numa segunda-feira, 1 de Dezembro, Rodrigo Dias Cantarutti Dantas, 34, sentou de frente ao seu computador e acessou o site de relacionamentos Badoo em busca de companhia. O perfil de um adolescente de 15 anos chamou sua atenção e dois dias depois os dois homens combinaram de se encontrar no apartamento de Rodrigo.

Seria a primeira experiência sexual do adolescente, Leonel M., que, segundo o próprio, tinha dúvidas com relação à sua orientação sexual. As carícias e beijos de Rodrigo começaram logo quando os dois pisaram no apartamento. Nervoso com o encontro, o adolescente pediu para ir até o banheiro lavar o rosto e mãos, pois suava muito. Quando voltou, Rodrigo estaria só de cueca e foi aí que Leonel decidiu acabar com aquilo. Ele pegou uma faca que havia levado em sua mochila e esfaqueou Rodrigo várias vezes. 

Seria este um crime de ocasião?

Objetos encontrados na mochila do garoto intrigaram a polícia. Dentro dela havia duas facas, luvas, uma muda de roupas e a máscara de Jason Voorhees, o insano psicopata assassino da série de filmes “Sexta-Feira 13”. Após matar Rodrigo, o garoto vestiu as roupas que havia levado dentro da mochila e saiu calmamente do prédio. Porque ele levou consigo tais objetos macabros é uma pergunta ainda não respondida. Nas redes sociais, Leonel gostava de posar como Jason.

Infelizmente Rodrigo não está aqui para contar a sua versão da história. O que se sabe veio da boca de Leonel que, por ser menor de idade, foi condenado a uma medida socioeducativa.

Veja abaixo imagens da cena do crime.

95. QUEIMADA VIVA


Courtland, Condado de Panola, Mississipi. Estados Unidos.

  • 6 de Dezembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Jessica Chambers Vítima: Jessica Chambers.

Idade: 19 anos.

Local: Estrada rural em Courtland, Mississipi, Estados Unidos.

Crime: Na noite de Sábado, 6 de Dezembro, Jessica Chambers disse para sua mãe que sairia de casa para comer alguma coisa. Cerca de duas horas depois ela foi encontrada caminhando sozinha ao lado de uma estrada com 98% do corpo queimado. Jéssica faleceu minutos depois no hospital, mas sem antes conseguir balbuciar algumas palavras: alguém cometeu aquela atrocidade contra ela. Uma autópsia revelou que ela ingeriu fluido de isqueiro e teve o corpo encharcado de gasolina antes que alguém a incendiasse viva. Mais de um mês depois do crime, a polícia do Mississipi não tem nenhum suspeito. Novidades do caso podem ser acompanhadas na página Justice For Jessica, mantida pela família da vítima no Facebook.

96. O PREDADOR DA BAIXADA FLUMINENSE


Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Brasil.

  • 9 de Dezembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 Acusado: Sailson José das Graças.

Idade: 26 anos.

Local: Bairro Corumbá, Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Brasil.

Crime: Ficava observando a vítima, estudando. Esperava um mês, às vezes uma semana, dependendo do local. Eu procurava saber onde ela mora, como é a família dela, se ela passava na rua, via, dava uma olhada na casa, ficava estudando ela. De madrugada, numa brecha da casa, numa facilidade, eu aproveitava, entrava”, relatou Sailson José das Graças sobre seu modus operandi. O homem foi preso em 11 de Dezembro acusado da morte de Fátima Miranda dois dias antes. Para a polícia ele confessou ter assassinado “umas 38 mulheres… Eu parava na padaria, numa praça, ficava vendo jornal. Olhava para uma mulher e falava: ‘é essa’. Eu tinha prazer quando ela se debatia, gritava e me arranhava. Eu gostava de vê-las morrer com os olhos bem abertos”, contou o serial killer que tinha fixação por mulheres brancas. Segundo vizinhos: “Naquela casa aconteciam coisas muito estranhas, acredite. Sailson nunca olhava você na cara, olhava sempre de canto de olho, passava as noites acordado, sem fazer barulho, observando.”. Sete assassinatos já foram confirmados e atualmente a polícia carioca trabalha para elucidar a autoria de 36 outros.

97. O MATADOR DO ACACIA PARK


Acacia Park, Cape Town, Western Cape. África do Sul.

  • 16 de Dezembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Nothemba Ndondo

Vítima: Nothemba Ndondo.

Idade: 20 anos.

Local: Parque Acacia, perto da estação Cidade Centro, Cape Town. África do Sul.

Crime: Em 27 de Janeiro de 2014, Nothemba Ndondo escreveu em seu perfil no Facebook: “Eu estarei fora deste mundo em breve”. Onze meses depois ela estava morta, seu corpo encontrado em uma cova rasa num campo aberto na periferia de Cape Town. De Março a Dezembro de 2014, os corpos de seis mulheres – de 20 a 32 anos – foram encontrados no mesmo campo, todos nus e com as mãos amarradas para trás. Devido ao avançado estado de decomposição dos corpos, muitas das vítimas não foram identificadas e uma delas quase teve destruído o corpo devido a um incêndio no campo. Em 6 de Janeiro de 2015 outra mulher desapareceu na região. Sinazo Ntlaka até hoje não foi encontrada e a polícia sul-africana já trabalha com a hipótese de um serial killer. Uma recompensa foi oferecida para quem der informações que levem ao assassino. Este caso me lembrou o trabalho de Robert Ressler na caça ao serial killer sul-africano Moses Sithole.

98. MASSACRE DE INOCENTES


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Massacre na Escola de Pexauar

Massacre na Escola de Pexauar.

Pexauar, Khyber Pakhtunkhwa. Paquistão. 

  • 16 de Dezembro

“Nós matamos todas as crianças do auditório. O que fazemos agora?”

“Espere a chegada do exército. Mate-os e depois se explodam.”

Um dos mais cruéis e impensáveis crimes do ano ocorreu no Paquistão, quando 132 crianças foram executadas por integrantes do grupo extremista Talibã em Dezembro. A conversa acima, entre os terroristas que perpetuaram o ataque, dá uma ideia do quão frio e metódico eles foram.

Naquele 16 de Dezembro, os militantes alvejaram a Escola Pública do Exército em Pexauar porque os alunos eram em sua maioria filhos de oficiais do exército e a diretora, esposa de um coronel aposentado. O Talibã disse que o ataque foi uma retaliação a uma ofensiva do governo na província do Waziristão do Norte. Dizem as histórias que na campanha sangrenta contra o Talibã, o exército paquistanês executou vários prisioneiros do grupo terrorista no Waziristão deixando seus corpos ao longo de estradas para serem comidos por animais. E a vingança do terror não foi contra  seus algozes, mas sim contra seus filhos inocentes.

Sete homens armados invadiram a escola e mataram 145 pessoas, sendo 132 crianças. Elas foram enfileiradas e mortas uma a uma com um tiro na cabeça, outras morreram quando os militantes se explodiram. O Exército paquistanês invadiu o local e os terroristas detonaram seus cinturões de explosivos. 960 outras pessoas sobreviveram. Foi o pior ataque terrorista da história do Paquistão e um dos piores do mundo.

Numa cena macabra, no dia seguinte as ruas de Pexauar ficaram entupidas de cortejos fúnebres. Na escola havia sangue por todos os lados. O cheiro de explosivos e carne queimada não se dissipava.  O Senhor da Guerra Ranting Maulana Fazlullah, líder do Talibã, disse que o massacre na escola foi apenas um treino militar e que um novo e “espetacular” ataque está sendo planejado. Ele também está por trás da tentativa de assassinato da Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai. 

99. BEBÊ ARRANCADO DO VENTRE



Nathaly Cartas Leon

Nathaly Cartas Leon

Reynosa, Tamaulipas. México.

  • 17 de Dezembro

“Olá, bom dia. Muito humildemente peço ajuda… Estou grávida de sete meses, não tenho trabalho e preciso realizar um ultra-som”.

[Nathaly Leon, 20 de Novembro de 2014. Mensagem publicada na página do Facebook Tianguis de Los Muros]

Nathaly Cartas Leon, 20, estava ansiosa pelo nascimento de seu filho quando conheceu a adolescente Guadalupe Salinas Hernandez, 17.

A futura mamãe de origem humilde, costumava pedir ajuda e procurar por itens para o seu enxoval em alguns sites na Internet. Enquanto olhava algumas roupinhas numa página no Facebook, ela entrou em contato com Hernandez.

Depois de combinar um encontro, Nathaly foi até a casa da adolescente. O que se seguiu foi foi algo saído de um filme de terror: Nathaly foi atacada, golpeada na cabeça com um instrumento contundente, esfaqueada e teve o seu filho extirpado de seu ventre.

Num país acostumado com os mais bárbaros tipos de assassinatos, o de Nathaly foi capaz de chocar o México. Embora a jovem grávida tenha sido dada como desaparecida, o crime só foi descoberto quando Hernandez apareceu num hospital alegando que o bebê havia nascido morto.

Os médicos logo perceberam que ela não era a mãe da criança e que o bebê não havia morrido durante um parto natural, mas sufocado no útero após a horrenda morte da mãe.

Após ser questionada pela polícia, o monstro em pele de cordeiro confessou que o bebê pertencia a uma jovem cujo corpo mutilado a polícia descobriria horas depois.

Para as autoridades, Hernandez alegou que após sofrer um aborto natural, planejou apresentar um outro bebê ao seu parceiro. A solução da adolescente, então, foi arrancar um da barriga da primeira que ela conseguisse enganar. 

100. ADOLESCENTE ESTRANGULA O PRIMO


Knox, Condado de Albany, Nova Iorque. Estados Unidos.

  • 18 de Dezembro

101 Crimes Horripilantes de 2014 - Tiffany Vanalstyne Acusada: Tiffany Vanalstyne.

Idade: 19 anos.

Local: Knox, estado de Nova Iorque. Estados Unidos.

Crime: Não se engane com o rostinho bonitinho e o sorriso angelical de Tiffany Vanalstyne em foto postada no seu perfil no Facebook. A moça espancou e estrangulou seu primo de apenas 5 anos de idade e jogou o corpo no acostamento de uma estrada, cobrindo-o de neve em seguida. Para a polícia, ela disse que homens mascarados invadiram o trailer onde morava e levaram o garoto. O “desaparecimento” do pequeno Kenneth White ocasionou uma verdadeira caça aos sequestradores, incluindo agentes do FBI. Questionada pela polícia, a história da garota começou a falhar e ela não conseguiu mais sustentar sua mentira. A polícia não divulgou o motivo pelo qual Tiffany assassinou seu primo e um dia depois ela foi acusada de assassinato em segundo grau. A garota fã de “Jogos Mortais” pode pegar 20 anos se condenada.

101. FAMÍLIA DIZIMADA


101 Crimes Horripilantes de 2014 - Phu Lam

Seis pessoas de uma mesma família foram mortos em 28 de Dezembro. Foto: 630 Ched.

Edmonton, Alberta. Canadá. 

  • 28 de Dezembro

No ano de 2014 a cidade de Edmonton, Canadá, possuía em suas estatísticas apenas 27 assassinatos. Mas em apenas uma noite esse número subiu para 35.

O responsável pelo aumento absurdo (nos padrões daquele lugar) desse número chama-se Phu Lam, um imigrante vietnamita que enlouqueceu e assassinou 8 pessoas em poucas horas, acabando por suicidar-se posteriormente.

A semente do ódio deste assassino em massa fora de si é sua ex-mulher, Thuy Tien Truong, 35.

Eles se conheceram no Vietnã em 2000. Como muitos homens, Phu Lam parecia o par perfeito, tão gentil que três anos depois Truong aceitou-se casar-se com ele. Lam morava no Canadá e levou a nova esposa com ele para a terra de Jim Carrey.

Mas foi só desembarcar no Canadá que Lam mostrou sua verdadeira face. Controlador, o homem mudou o número de telefone da mulher porque não queria que ela tivesse amigos. Escolhia suas roupas, a proibiu de trabalhar, a espancava e sufocava constantemente. Ele tinha uma ficha criminal longa no Canadá, incluindo problemas com prostitutas, tráfico de drogas, posse de armas e assalto. Quando ele ameaçou matar sua esposa, ela chamou a polícia, mas eles continuaram a viver juntos.

Truong vivia tão infeliz que começou uma relação extraconjugal, engravidando do amante. O filho nasceu e ela, com medo do marido violento, disse que Lam não tinha porque duvidar da paternidade. Mas ele desconfiou e pediu um teste de DNA que comprovou que o filho, Elvis, não era dele. Naquela noite, ele a estuprou, socou e estrangulou. Truong só não morreu porque sua irmã chamou a polícia.

Eles finalmente se separaram em Fevereiro de 2013 e Truong passou a morar com seus pais numa casa na 1608 Haswell Court em Edmonton. Na noite do dia 28 de Dezembro, Lam invadiu o lugar e matou quase todos que estavam ali presentes, incluindo sua ex-mulher, os pais dela, Elvis – 8 anos – , a irmã da esposa e sua filha – de apenas 3 anos -, e um amigo do sogro. Ele poupou dois bebês que estavam na casa, um era filho dele com Truong.

Ele, então, dirigiu-se à casa de Cyndi Duong, 37, e a matou. Não se sabe o por que de sua morte, apesar das suspeitas de que Lam conhecia o pai da vítima. Após os oito assassinatos, Lam dirigiu-se até o restaurante de sua ex-esposa e se matou.

EPÍLOGO


Chegamos ao fim de mais uma edição dos 101 crimes notórios e horripilantes do ano. Se você sobreviveu até aqui, espero que não tenha perdido a fé na humanidade, pois para cada pessoa má existem mil outras boas que fazem e trabalham para que este seja um mundo melhor para se viver. Seja uma delas! Como cito todos os anos, o objetivo do post não é deixá-los paranoicos com o mundo, mas apenas dar uma visão realista do que ocorre à nossa volta.

Daqui um ano estaremos aqui novamente com os horripilantes e notórios de 2015, e olha que o ano já começou movimentado, ataque ao Charlie Hebdo, criança bomba nigeriana…

Não esqueça de deixar o seu comentário e compartilhar o post com seus amigos.

Quais para você foram os 10 piores crimes de 2014? Responda nos comentários abaixo.

Fontes consultadas: [1] News Australia; [2] Hora Cero México; [3] A Rede; [4] O Globo; [5] BBC Africa; [6] Mwananchi – Fikiri Tofauti; [7] Terra; [8] Diário de Canoas; [9] New York Daily News; [10] Daily Mail; [11] New York Post; [12] Excelsior México; [13] Al Jazeera; [14] IB Times; [15] Umuryango; [16] Life News; [17] SBP Ku Russia; [18] Metronews; [19] Charente Libre; [20] The Daily Beast; [21] National Post; [22] The Local Austria; [23] Courier Mail; [24] Huffingtonpost; [25] BBC News; [26] Mid Day India; [27] Amarujala; [28] Daily Guide Gana; [29] The Guadian; [30] Best Gore; [31] Chron; [32] Tribune Nigeria; [33] Correio 24 Horas; [34] Japan Times; [35] Standard Media; [36] Monitor Uganda; [37] WZZM; [38] Sunday World; [39] Firenepost; [40] Corriere Fiorentino; [41] L’unione Sarda; [42] Toscana News; [43] Calgary Sun; [44] Houston Chronicle; [45] Tulsa World; [46] Business Week; [47] Vanity Fair; [48] Times Live; [49] Iol News; [50] News 24; [51] Washington Post; [52] Asia One; [53] Polícia Civil de Goiás.

Esta matéria teve colaboração de:

clara

marcus

Mariana

Curta O Aprendiz Verde No Facebook


"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
  • mIMI

    conheci recentemente o blog e achei muito bom, principalmente porque me formei em direito, são coisas que a maioria das pessoas só acha que existe na ficção (apesar de, na área, sabermos de tudo e mais um pouco). Infelizmente parece que aqui também tem uns malucos “sanguinários” que frequentam, mas faz parte, vocês escrevem bem. Só um conselho, evitem falar das características dos criminosos (ex. branco/negro/homossexual/adotado,etc), pois, de maneira mais crítica, é errado que elas sejam “ressaltadas” (de forma geral o melhor de usá-las seria, p.ex. em questionários, coisas assim), e muita gente fica associando de maneira pejorativa. Parabéns pelo trabalho

  • Daniela

    Parabéns pelo trabalho, sempre muito bem feito.
    O emoticon no meio da postagem fez a minha noite. 🙂

  • Lucas

    Matéria merecedora de prêmio, bate fácil vários sites e revistas de renome, parabéns e obrigado!

    P.S : A respeito do caso 94, de onde vocês tiraram que a maioria dos usuários do bate-papo Uol são gays? É examente o oposto, a maioria esmagadora é de homens atrás de mulheres, que são bem raras por lá…

  • Hellen

    Bom dia. Conheci recentemente o site e preciso dizer que vocês estão de parabéns! Os conteúdos são muito completos e bem escritos e o o que eu achei mais interessante foi o fato de vocês não publicarem imagens, vídeos ou conteúdos chocantes diretamente na matéria, pois eu sou super curiosa com relação a estas questões, mas ao mesmo tempo tenho medo de ver imagens, por favor, continuem fazendo isso, pois assim fico tranquila para ler o conteúdo, achei isso de um grande respeito! Muito sucesso e sorte, vocês merecem! Nota 10!

  • Vinny Tássia

    Tb fiquei sensibilizada com o 35, na vd pra mim de certa forma foi uma lição,sou mãe e sei o qto é difícil cuidar e criar um filho,imagina 3 com problemas …mas não justifica de forma alguma o que ela fez.

  • Pingback: 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2016 | Blog O Aprendiz Verde()

DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

Siga-nos no Twitter

Siga-nos no Facebook!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categories

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers