Estrangulador de Salerno é condenado à prisão perpétua na Flórida

O homem conhecido como o “Estrangulador de Salerno” passará o resto de sua vida na prisão sem possibilidade de liberdade condicional.  Eugene McWatters, 37, declarou não contestar as três...
O serial killer Eugene McWatters

O serial killer Eugene McWatters é levado para delegacia após ser preso. Foto: Reprodução Internet.

O serial killer Eugene McWatters caminha após deixar o tribunal em 23 de Junho de 2004. Foto: AP Photo/The Stuart News, Jason Nuttle.

O homem conhecido como o “Estrangulador de Salerno” passará o resto de sua vida na prisão sem possibilidade de liberdade condicional. 

Eugene McWatters, 37, declarou não contestar as três acusações de homicídio doloso e premeditado pouco antes do começo do seu segundo julgamento, conforme divulgado pelo escritório do xerife do condado de Martin, no último dia 10. Ele foi imediatamente sentenciado a três sentenças de prisão perpétua consecutivas. 

Em 2006, McWatters foi condenado pelo massacre de três mulheres em 2004, Jackie Bradley, Christal Wiggins e Carrie Ann Caughet, no porto de Salerno, localizado no sudeste do condado de Martin. As mulheres, cujas idades iam de 18 a 43, foram encontradas com sinais de estupro e estrangulamento num período de 10 semanas entre uma e outra. 

Um juiz no ano passado, contudo, premiou McWatters com um novo julgamento, alegando que seus advogados o representaram deficientemente. McWatters estava no corredor da morte antes dessa decisão. 

“Não havia investigação significativa, nem preparação significativa, nem significativo esforço despendido, nem tipo algum de estratégia aparente”, escreveu o juiz Larry Schack em um contundente relatório de 73 páginas. 

Schack concluiu que os advogados ignoraram argumentos básicos, falharam em reconhecer oportunidades óbvias de confrontar peças-chave da acusação e falharam até em manter um arquivo completo do caso. 

McWatters pediu para fazer o acordo judicial antes do retorno do seu . 

Dois dos corpos das mulheres foram encontrados em decomposição em uma área arborizada e o outro foi encontrado escondido embaixo de pedras em um canal de drenagem. McWatters contou à polícia que ele lembra de ter feito sexo com todas as mulheres, mas não de matá-las – embora ele tenha afirmado a investigadores que escondeu os corpos. McWatters contou ao The Palm Beach Post que ele era inocente e a confissão falsa foi advinda de seu uso intenso de drogas. 

Depois que o júri o considerou culpado em 2006, Schack escreveu em sua ordem de sentença o quão macabro as mortes foram. 

“(McWatters) teve que encarar cada (vítima) cara a cara, olho a olho, por três ou quatro minutos enquanto ele as sufocava até que seus corpos ficassem moles… A cada vítima, ele ficava mais experiente no processo de matá-las. É difícil imaginar uma situação mais fria, calculada ou premeditada”, escreveu Schack. 

Em 2007, McWatters foi poupado depois que o juiz cancelou a ordem de castrá-lo quimicamente, o que pode ser ordenado em condenações por agressão sexual.

Com informações: Palm Beach Post

Esta matéria teve colaboração de:

Tradução

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

Dupla Identidade – Bruno Gagliasso

Glória Perez

Ilana Casoy

OAV TV

OAV TV

Queremos Você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no Whatsapp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Facebook!

Siga-nos no Twitter!

21 Anos de Arquivo-X

20 Anos da Execução de Andrei Chikatilo

20 Anos da Execução de John Wayne Gacy

O nascimento de um serial killer

Categorias

Contribua com O Aprendiz Verde!

Bate-Papo

Blogs Brasil

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Receba nosso conteúdo no WP
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers

Receba nosso conteúdo no WP