Christopher Scarver: Porque eu matei Jeffrey Dahmer

20 anos depois o assassino do canibal Jeffrey Dahmer quebra o silêncio e diz porque matou o serial killer
Jeffrey Dahmer - Christopher Scarver

Christopher Scarver, em montagem publicada em seu site pessoal.

Christopher Scarver, em montagem publicada em seu site pessoal.

O serial killer Jeffrey Dahmer morreu devido ao seu incontrolável desejo por carne humana, disse ao The New York Post Christopher Scarver, o homem que o matou em Novembro de 1994. É a primeira vez em 20 anos que Scarver se pronuncia sobre o crime. 

Christopher Scarver – que matou Dahmer e outro detento em 1994 – disse que desprezava Jeffrey porque o serial killer costumava atormentar outros detentos com “membros de corpos” que ele moldava através da comida servida na prisão. Segundo Scarver, Dahmer usava o ketchup como sangue.

“Ele colocava-os em lugares onde as pessoas ficavam”, disse Scarver ao Post. “Ele passou dos limites com algumas pessoas, prisioneiros, o pessoal da prisão. Algumas pessoas que estão na cadeia se arrependem, mas ele não era um deles.”

Scarver, que chegou na Wisconsin’s Columbia Correctional por volta do mesmo tempo que Dahmer, em 1992, soube imediatamente que deveria manter distância do serial killer. Scarver disse que o “louco” tinha escolta pessoal de pelo menos um guarda durante todos os momentos em que estava fora de sua cela, tudo devido a atritos que Dahmer tinha com outros detentos.

“De vez em quando eu via interações raivosas entre ele e outros prisioneiros”, disse Scarver acrescentando que não pensava muito no serial killer.

Como um lobo solitário, Scarver via de longe Dahmer no pátio, mas nunca se aproximou dele, pois, segundo ele, não queria se tornar um alvo do humor doentio do psicopata. “Eu nunca interagi com ele.”

Mas isso mudou na manhã do dia 28 de Novembro de 1994, quando Scarver resolveu fazer justiça com as próprias mãos.

Dahmer, Scarver e um terceiro detento, Jesse Anderson, foram deixados sozinhos pelos guardas da prisão para limparem o banheiro do ginásio. Repelido pela luxúria do canibal e pelo seu gosto por carne humana – Scarver mantinha em seu bolso um artigo de jornal detalhando como Dahmer matou, desmembrou e comeu 17 jovens – Scarver se encheu em fúria quando estava enchendo um balde de água e alguém o cutucou por trás com um cabo de vassoura.

“Eu me virei, e Dahmer e Jesse estavam tipo rindo baixinho. Eu olhei direto em seus olhos, mas não pude ter certeza de quem havia feito aquilo.”

Em seguida, os três homens seguiram para cômodos diferentes, Scarver seguiu Dahmer. No caminho, pegou uma barra de metal da sala de musculação e confrontou o serial killer com a notícia que ele carregava em seu bolso.

“Perguntei a ele se ele havia feito aquelas coisas que eu sentia nojo. Ele ficou chocado e começou a olhar para a porta, muito rápido. Eu o bloqueei,” diz Scarver.

Com dois golpes, Scarver esmagou o crânio de Dahmer. “Ele acabou morto. Eu acabei com sua cabeça.”

Ele, então, atravessou o ginásio e entrou em um vestiário onde Anderson trabalhava. “Ele parou por um segundo e olhou em volta. Ele estava procurando para ver se algum guarda estava por lá. Não havia nenhum. Praticamente a mesma coisa [aconteceu], tirei sua cabeça pra fora.”

Scarver acredita que não foi por acaso que ele ficou sozinho com Dahmer, uma vez que os guardas da prisão o odiavam e queriam o serial killer morto. “Eles tiveram algo a ver com o que aconteceu sim,” relata Scarver, observando que os guardas desapareceram pouco antes do duplo assassinato. Mas na época, Scarver não culpou os guardas por medo de retaliação.

“Eu precisaria de um bom advogado para assegurar que não haveria qualquer retaliação por parte dos guardas da prisão.”

Uma suposta foto de Jeffrey Dahmer no necrotério é exibida na Haunted House - Rare Serial Kiler Exhibit - no número 107, Suffolk St., em Nova Iorque.

Uma suposta foto de Jeffrey Dahmer no necrotério é exibida na Haunted House – Rare Serial Kiler Exhibit – no número 107, Suffolk St., em Nova Iorque.


O corpo sem vida de Jeffrey Dahmer. A imagem foi publicada na matéria do The New York Post e creditada ao fotógrafo Robert Miller.

O corpo sem vida de Jeffrey Dahmer. A imagem foi publicada na matéria do The New York Post e creditada ao fotógrafo Robert Miller.

Scarver inicialmente declarou insanidade pelos assassinatos, mas depois mudou para “no contest” (neste caso, o acusado não se defende) em troca de uma transferência para uma penitenciária federal.

Esquizofrênico e psicótico, Scarver diz que foi avaliado por cerca de 20 médicos desde que foi preso, mas ainda não entende seus problemas mentais. Ele, em parte, culpa a comida da prisão por sua insanidade.

“Através de minha própria pesquisa eu descobri que certos alimentos que eu como causam surtos psicóticos; pão, açúcar refinado. Esses são os principais culpados.”

Há mais de 25 anos preso, Scarver passa seus dias escrevendo poemas para o seu site. Ele também tem livros de poesia que estão a venda na Amazon: Pain, God Seed e The Child Left Behind.

Estaria Scarver dizendo a verdade? Nunca saberemos, é difícil acreditar em um homem que sofre de transtornos mentais, não?

A história completa de Jeffrey Dahmer, o “Canibal de Milwaukee”, pode ser lida no link abaixo:

Leia também:

Universo DarkSide – os melhores livros sobre serial killers e psicopatas

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Com informações: The New York Post

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

As últimas notícias

Categorias

Receba nosso conteúdo no WP
Receba nosso conteúdo no WP