American Predator: livro detalha crimes do assustador serial killer Israel Keyes

“Quando a jornalista Maureen Callahan ouviu pela primeira vez sobre Israel Keyes em 2012, ela ficou cativada pela forma como um assassino dessa magnitude poderia passar desapercebido pela polícia...

“Quando a jornalista Maureen Callahan ouviu pela primeira vez sobre Israel Keyes em 2012, ela ficou cativada pela forma como um assassino dessa magnitude poderia passar desapercebido pela polícia por mais de uma década. E assim começou um projeto que a consumiu pelos próximos anos – descobrindo a história por trás de como o FBI finalmente o capturou, e tentando entender qual o significado da vida para um assassino como Keyes. Um assassino que deixou um rastro de crimes monstruosos – muitos dos quais permanecem sem solução até hoje.”

Logo no início de “American Predator” (Predador Americano, em tradução literal) ficamos chocados com o relato impiedoso do estupro, assassinato e desmembramento de Samantha Koenig, de 18 anos. Na dedicatória já temos um prelúdio do que está por vir:

“Para as vítimas e suas famílias, conhecidas e desconhecidas.”

É essa palavra, “desconhecida”, que assombra as páginas do livro “American Predador”: The Hunt for the Most Meticous Serial Killer of the 21st Century” (Predador Americano: A Caçada ao Mais Meticuloso Assassino em Série do Século 21, em tradução literal), o assustador relato baseado em um caso real escrito por Maureen Callahan – sobre a vida e os crimes de Israel Keyes, lançado no último dia 2 de julho. Mesmo com a pesquisa minuciosa da autora e o grande esforço dos investigadores, a verdadeira extensão dos crimes do serial killer continua, e provavelmente continuará, desconhecida para sempre.

O assassinato de Samantha Koenig foi chocante, mesmo para os padrões dos assassinos em série. Numa noite de inverno de fevereiro de 2012, em Anchorage, a adolescente teve uma arma apontada para si e foi sequestrada do quiosque de café onde trabalhava sozinha. Semanas mais tarde, seu corpo foi encontrado aos pedaços no fundo do lago Matanuska.

Durante todo o tempo entre o sequestro e a descoberta do corpo, Israel Keyes brincou com a família e a polícia, fazendo-os acreditar que a menina ainda estava viva. Ele enviou um bilhete de resgate para um jornal da cidade, exigindo que trinta mil dólares fossem depositados em uma conta conectada ao cartão de crédito de Samantha Koenig. Depois do depósito, o cartão foi usado para fazer uma série de saques em todo o sudoeste americano, erro crucial que fez os investigadores o capturarem no Texas.

O FBI já viu muitos monstros ao longo das décadas, mas não estavam preparados para conhecer um monstro como Keyes.

“Eu posso lhes dizer que não há ninguém que me conheça, ou que já tenha me conhecido, que realmente saiba alguma coisa sobre mim. Basicamente, eu sou duas pessoas diferentes”.

[Israel Keyes]

As descobertas que vieram nos meses seguintes corroborariam essa afirmação. No mesmo dia em que Keyes jogou os pedaços de Samantha no lago, ele participou de uma reunião de pais e professores na escola de sua filha.

Keyes provou ser um assassino assustadoramente competente e meticuloso. Fruto de uma infância pobre em uma família que se juntou a inúmeros cultos no decorrer dos anos, (incluindo uma organização de milicianos e de supremacistas brancos chamada Arca), Keyes aprendeu na prática as habilidades que o ajudariam a cometer assassinatos, estupros, assaltos a bancos e incêndios em todo o país por anos sem ser descoberto. Ele preparou e escondeu kits de assassinato por todo o país – baldes contendo armas e suprimentos para eliminar corpos, como os de Bill e Lorraine Currier, de Essex, Vermont, que desapareceram sem deixar rastro em 2011.

A primeira metade do livro “American Predator” é explosivo e irreversível em seu pavor crescente. A segunda metade sofre de um momento mais lento, talvez inevitável, quando os investigadores se veem impedidos pela falta de colaboração do assassino, má administração dos casos e uma penitenciária insegura que não foi capaz de impedir a morte de Keyes por suicídio em sua cela de prisão, aos 34 anos de idade.

A abordagem de Callahan é inteligente. Ela nos coloca diretamente na mente dos investigadores e organicamente constrói a tensão ao nos mostrar o caso através de seus olhos. Nós aprendemos o que eles aprendem, quando aprendem. Experimentamos seu desespero para salvar Samantha Koenig, e depois para levar seu assassino à justiça e descobrir quantas vidas foram tiradas.

Embora o livro não se constranja em detalhar a extensão dos crimes de Keyes, ele não se excede. A autora tem, dentro do possível, permanecido respeitosa com as vítimas para quem o livro é dedicado.

Não importa quantas delas exista.

Em 2013, nós do Aprendiz Verde escrevemos sobre Israel Keyes, leia abaixo:

“Obrigatório para os fãs de Mindhunter e o drama policial Criminal Minds”.

[Booklist]

Fonte: [1] Serial killer Israel Keyes will give you nightmares in true-crime book ‘American Predator’ – USA Today; [2] MAUREEN CALLAHAN – AMERICAN PREDATOR: The Hunt for the Most Meticulous Serial Killer of the 21st Century – KSCJ;

Colaboração de:


Universo DarkSide – os melhores livros sobre serial killers e psicopatas

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

As últimas notícias

Categorias

× Receba nosso conteúdo no WP