101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

O ano de 2017 foi marcado por guerras, mentiras e injustiça. A humanidade escreveu 2017 como um ano desperdiçado e ferido, marcado por trabalhos de morte. Embora as guerras...

101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2

O ano de 2017 foi marcado por guerras, mentiras e injustiça. A humanidade escreveu 2017 como um ano desperdiçado e ferido, marcado por trabalhos de morte. Embora as guerras sejam o sinal mais óbvio do orgulho absurdo e impenitente dos que habitam este planeta, muitas outras transgressões causaram degradação humana, social e ambiental.

As palavras acima foram ditas pelo Papa Francisco em seu discurso de encerramento do ano. Como todos nós, o Papa reagiu com horror a um ano marcado pela maldade do ser humano. Em Abril, ele condenou o “massacre inaceitável” de civis inocentes em um ataque químico na Síria. Em Novembro, ele foi pessoalmente a Mianmar, onde um genocídio está em execução. Em sua mensagem de Natal, o líder religioso máximo de mais de 1 bilhão de pessoas no mundo já havia tocado no assunto violência. Citou as guerras na Síria, no Iêmen, os migrantes, a intolerância religiosa, a Venezuela, as Coreias, Palestina, Israel etc.

Estaríamos realmente caminhando para a autoextinção, matando uns aos outros, deixando que sentimentos primitivos como o ódio, inveja e ciúmes se sobreponham à generosidade, empatia e piedade, nos fazendo agir como animais? Ou será tudo um mal entendido? O mundo não está tão violento assim, talvez a mídia e sua pauta negativa sobre tudo nos faça acreditar que vivamos na pior das eras, somente com pessoas ruins ao nosso lado. Será?

Um dos que pensam que não estamos tão ruim assim é o professor de psicologia da Universidade de Harvard Steven Pinker. No brilhante “The Better Angels of Our Nature: Why Violence Has Declined“, ele afirma categoricamente: Estamos vivendo no melhor dos tempos, no momento de maior paz desde que nos tornamos espécie.

Ele enumera várias causas para o declínio da violência: a invenção da imprensa, o empoderamento feminino, a evolução do raciocínio, a expansão da capacidade de empatia nas populações modernas etc. Para Pinker, a forma como enxergamos a violência é errada; a bondade impera, só não a vemos.

“Um atirador na Noruega matou dezenas de pessoas inocentes e a população não se rebelou ou linchou o agressor e sua família, ao contrário, acenderam velas. O governo egípcio caiu, mas o novo não empurrou os israelenses para o mar. A Coreia do Norte afundou um barco da Coreia do Sul, matando 45 marinheiros, mas ao invés da guerra, os coreanos do sul voltaram para suas vidas. Todos os dias eu noto cachorros que não latem.”

Mas Pinker não é unanimidade. Na verdade, como em muitos assuntos da ciência, há dois lados e cada um defende o seu ponto de vista. Um dos críticos da teoria de que a violência vem diminuindo ou é menor do que em épocas passadas é o filósofo inglês John Gray. Em um longo artigo para o The Guardian em 2015, Gray disse que “uma das causas do genocídio em Ruanda foi a segregação da população pelo imperialismo alemão e belga. A interminável guerra no Congo foi alimentada pela demanda ocidental pelos recursos naturais do país. Se a violência diminuiu nas sociedades avançadas, uma razão é que eles a exportaram“.

“A ideia de que a violência está em declínio nos países mais desenvolvidos é questionável. Julgando por padrões internacionalmente aceitos, os Estados Unidos são a sociedade mais avançada do mundo. De acordo com várias estimativas, os Estados Unidos têm a maior taxa de encarceramento do mundo, à frente da China e Rússia. Cerca de um quarto dos prisioneiros do mundo estão nos Estados Unidos.

[…] Uma metamorfose na natureza da guerra é como ela é hoje, global em seu alcance. Com o Iraque em ruínas, resultado da mudança de regime liderada pelos Estados Unidos, um terço do país é controlado pelo Estado Islâmico, que é capaz de infligir ataques genocidas contra os Yazidis e fazer uma campanha de terror contra cristãos no mundo com total impunidade. Na Nigéria, as milícias islâmicas do Boko Haram praticam um tipo de guerra com matança em massa de civis, destruição de cidades e aldeias e escravização sexual de mulheres e crianças. Na Europa, assassinatos de jornalistas, artistas e judeus em Paris e Copenhague são uma espécie de guerra na qual não há distinção entre combatentes e civis. Se eles aceitam ou não [aqui ele se refere a Pinker e intelectuais que pensam como ele], as sociedades avançadas tornaram-se terrenos de conflitos violentos. Em vez de a guerra declinar, a diferença entre paz e guerra foi fatalmente borrada”.

Em séculos passados, a violência era, de certa forma, definida: Atenas sabia que os espartanos eram os seus inimigos; já a Europa cristã sabia da ameaça dos turcos. Hoje, vivemos tempos tão obscuros que não sabemos se estamos em paz ou em guerra, daí o “fatalmente borrado”, citado por Gray. Uma ação no Oriente desencadeia ataques terroristas na Europa. A Suécia, um estado democrático e pacífico, não está em guerra, mas sofre atentados. Quem é o inimigo?

Enquanto cientistas e intelectuais colocam os seus argumentos na mesa, ao redor ficamos observando. E você, qual a sua visão de 2017 e do mundo atual? Pinker ou Gray? Eu tenho a leve impressão de que ao final deste texto você penderá para o lado de John Gray.

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Este post compila 101 crimes notórios e horripilantes de 2017. Sem dúvidas é um ótimo material para conhecer o mal e suas diversas formas. Aqui vocês encontrarão crimes cometidos por psicopatas, serial killers, assassinos em massa, canibais, maníacos sexuais, terroristas, pessoas com problemas mentais, pais de família, ritualistas, justiceiros etc. Ao final, vocês perceberão a falta de humanidade do homem com o homem, assim como sua genialidade quando se trata de planejar crimes diabólicos ao mesmo tempo em que sua estupidez é colocada para fora.

“Os 101 crimes notórios e horripilantes do ano mostra em que mundo vivemos. Certamente irá chocar muitas pessoas. Muitos dos crimes citados aqui são tão horripilantes que muitos não acreditariam existir no mundo real. Por isso, esteja preparado para ter sua alma sugada de um mundo doente e cada vez mais violento.”

[O Aprendiz Verde]

Uma pergunta: Está preparado(a)?

Turquia Boate - 101 Crimes Notórios e H

1. Réveillon SangrentoTurquia


Istambul, Turquia | 1 de Janeiro

Espero me divertir [no réveillon em Istambul], no pior cenário eu posso morrer em uma explosão“.

[Última postagem da libanesa Rita Chami em seu perfil no Facebook]

Cerca de 600 pessoas celebravam o réveillon na famosa boate Reina, situada no distrito de Ortakoy, em Istambul, quando um assassino solitário abriu fogo deixando 39 mortos e 70 feridos.

A escolha do alvo foi simbólica: uma deslumbrante boate onde pessoas do mundo inteiro vão para se divertir, livres do caos e violência que assola a região. Estavam na boate estrelas da televisão, atletas, turcos e turistas endinheirados, pessoas cujo mundo não era o mesmo do uzbeque Abdulkadir Masharipov, 28. Passando sua juventude entre grupos terroristas no Iraque, Afeganistão e Paquistão, Masharipov não conhecia nada além do ódio.

O ataque teve início por volta de 1h30, quando Abdulkadir desceu de seu táxi e atirou contra um policial de 21 anos de idade, Burak Yildiz, e um agente de viagens de 47 anos que passava pelo local, Ayhan Arik. Ele entrou na boate usando granadas e começou a disparar indiscriminadamente. Turistas israelenses, franceses, tunisianos, indianos, libaneses, belgas e sauditas estavam entre as vítimas.

Além de Abdulkadir, outras 57 pessoas foram presas em conexão com o ataque e acusadas de pertencer a uma célula terrorista. Dentre os presos está a sua esposa, Zarina Nurullayeva.

Em 11 de Dezembro último teve início o julgamento de Abdulkadir e dos 57 outros acusados.

Algumas das vítimas incluem:









Fotos: vítimas no interior da boate.

Compaj - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

2. “Acidente” do CompajBrasil


Manaus, Amazonas, Brasil | 1 de Janeiro

Em Janeiro de 2014 escrevemos um texto sobre a família Sarney e como décadas de descaso, má gestão pública e roubalheiras deixou o estado no limbo, abrindo espaço para o macabro massacre no presídio de Pedrinhas. Em nossa opinião, defendida no texto, aquelas mortes eram resultado direto das atitudes antirrepublicanas dos Sarney.

Mas longe de culpar uma família pelas mazelas do povo, tal exemplo vemos de Norte a Sul. Pedrinhas é um efeito trágico e de tragédias estamos acostumados, mesmo elas se repetindo.

Quatro anos depois de Pedrinhas tivemos Compaj. A história se repetiu com a habitual bestialidade. Bom, bestialidade para alguns, já para outros, como o Presidente da República, foi apenas um “acidente”. O massacre custou a vida de 56 detentos, muitos mortos de maneira terrível.

“Há uma gama de torturas desde obrigar o cara a comer olho humano. Tiveram pelo menos três [pessoas], declaradamente, que foram obrigados a ingerir, a comer, olhos humanos… Boa parte [das vítimas] foi obrigada a assistir a matança dos outros, como forma de tortura… Foram decapitações com pessoas vivas, que eram puxados e cortados no pescoço. Alguns mutilados cortando pé e a mão, vivos. Os executores ainda gravavam nas mídias com narrativas do tipo ‘é pra ele sofrer mesmo’… Vilipendiavam os cadáveres. Uma coisa macabra. Teve um cidadão que até então era conhecido no mundo criminoso como ‘Cururi’. Mas ele foi rebatizado devido ao massacre como ‘O Açougueiro’. E vocês imaginam o porquê. Na hora que havia as decapitações, as mutilações dos corpos, ele era chamado para a finalização, o ritual macabro, tirar e cortar os órgãos dos corpos. Ele que extraía coração, fígado. Ia lá e fazia o corte.”

[Edinaldo Medeiros, Promotor de Justiça]

FDN - Massacre Compaj

Membros da FDN tiram uma selfie minutos antes do início do massacre.

A carnificina foi resultado de uma rixa entre duas facções criminosas: A Família do Norte (FDN) e o Primeiro Comando da Capital (PCC). Com a ajuda de seus aliados do Comando Vermelho, a FDN invadiu a ala destinada aos presos do PCC no Compaj e trucidou todos que encontrou pela frente. Dos 26 integrantes do PCC, 22 foram assassinados.

O gosto pelo sangue obviamente saiu do controle e eventualmente a FDN partiu para uma área chamada de inclusão com a intenção de matar os “jacks” – estupradores e demais condenados por crimes sexuais. A FDN estaria incomodada com a presença desses presos e queria exterminá-los e construir um motel exclusivo nas alas. Vinte foram mortos nessa área e muitos outros foram poupados por se declararem “irmãos de benção” – integrantes de grupos religiosos. Já outros foram mantidos reféns e obrigados a comer olhos humanos. Policiais civis e militares, mantidos na mesma ala, também foram mortos. Até mesmo um membro da FDN foi morto e esquartejado. Quando a facção percebeu o erro, os pedaços foram “velados” pelos próprios assassinos.

Um balde foi usado para armazenar os corações arrancados dos membros do PCC. Uma tarefa feita de bom grado pelo Açougueiro. As cabeças eram colocadas em filas e filmadas e fotografadas por celulares. Um preso arrancou os olhos das vítimas e brincou com eles como se estivesse manejando bolinhas de gude. Os vídeos foram divulgados pelo aplicativo Whatsapp e serviram para a criação de um DVD “FDN x PCC – O Massacre“, que esgotou rapidamente das bancas de camelôs em Manaus.

Foto: uma amostra da bestialidade do “Acidente” do Compaj – um preso segura o coração de uma vítima enquanto sua cabeça é vista ao fundo.

Israel - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

3. Infanticídio MaternoIsrael


Jerusalém, Israel | 1 de Janeiro de 2017

“Ninguém deveria ver algo como isso. Nós estamos acostumados a ver coisas difíceis, mas isto é outra coisa. Falando por alguém que chegou até a cena e que viu tudo, os corpos, foi uma visão muito difícil mesmo para os mais duros profissionais”.

[Yoram Levy, Comandante da Polícia de Jerusalém]

No início da noite do dia primeiro de janeiro de 2017, vizinhos notaram fumaça saindo de um apartamento na Derech Hebron Street, sudoeste de Jerusalém. Uma olhada mais aguçada revelou uma mulher pendurada na varanda com uma corda no pescoço. Quando bombeiros chegaram até o foco do incêndio se depararam com uma cena muito triste: uma mãe de 36 anos morta, enforcada na varanda, e as quatro filhas de 11, 9 e 4 anos, e a mais nova de apenas 11 meses, estranguladas e queimadas até a morte em um quarto.

Autoridades de Israel não divulgaram o nome das vítimas, mas informaram que a mãe pediu ajuda ao município de Jerusalém para ter serviços de babá. O município informou a ela não ter tais serviços, mas a convidou para ir até a prefeitura e conhecer os serviços públicos oferecidos. Foi informado também que a mulher fazia tratamento psiquiátrico.

Surto psicótico? Depressão pós-parto? Não se sabe o que levou essa mãe a matar as quatro filhas e se suicidar.

“Eu não entendo como isso foi acontecer. Não houve sinais de aviso. Houve problemas após o nascimento [da última filha] e eu sabia que ela estava em sofrimento psíquico como no passado. Eu pensei que isso ia apenas passar e que superaríamos. Mas nada me fez pensar que ela faria isso”.

[Marido da vítima, em citação publicada no Times of Israel]

Vídeo: filmagem mostra bombeiros retirando os corpos das vítimas do apartamento.

Emmanuel Niyonkuru - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

4. O MinistroBurundi


Bujumbura, Burundi | 1 de Janeiro

O jovem Emmanuel Niyonkuru formou-se aos 29 anos em Economia e Administração pela Universidade do Burundi. A partir daí teve uma carreira meteórica. No ano seguinte ingressou no banco central do seu país, o Banco da República do Burundi, onde fez carreira, eventualmente se tornando diretor.

O sucesso o fez ter aspirações políticas. Quando foi eleito Senador pelo distrito de Muramvya para o mandato 2015-2020, deixou o banco para se dedicar à carreira política. No mesmo ano ele foi nomeado pelo presidente do Burundi, Pierre Nkurunziza, para o Ministério do Meio Ambiente, com a missão de cuidar da “água, ambiente” e “planejar o desenvolvimento urbano e espacial“.

Se a vida profissional do novo Ministro do Meio Ambiente do Burundi ia de vento em polpa, o mesmo não podemos dizer do seu país. No mesmo ano em que foi nomeado, o Burundi passou por uma intensa agitação social. Tudo porque o Presidente Pierre anunciou que concorreria ao seu terceiro mandato seguido nas eleições previstas para o meio daquele ano. No comando do país desde 2005, seus opositores bateram o pé, assim como a população. Protestos nas ruas foram reprimidos violentamente deixando cerca de 100 mortos. Veículos de mídia independentes foram fechados e muitos opositores, com medo da truculência de Pierre, correram para fora do país, se juntando a mais de 400 mil burundianos exilados. Pierre foi reeleito para o terceiro mandato seguido em agosto de 2015. Até o fim daquele ano, outros 200 civis perderiam suas vidas protestando nas ruas contra o novo presidente.

Assassinatos e atentados continuaram acontecendo, muitos contra membros do governo. O mais grave deles e de maior repercussão aconteceu no dia primeiro de janeiro de 2017. Neste dia, Emmanuel Niyonkuru levou um tiro na cabeça quando chegava em sua casa, em um claro ataque contra o governo Pierre.

Emmanuel foi apenas uma das centenas de pessoas mortas após a decisão de Pierre em 2015.

Alguns homens se acham Deus, no direito de estar no poder para sempre, apenas ele. Como o sírio Bashar al-Assad, essas pessoas não tem humanidade, elas possuem os corações negros. Para eles, não importa se milhares de pessoas morrem dia após dia, o que importa apenas é sua vaidade.

Jamaludeen - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

5. FamilicídioÍndia


Amethi, Uttar Pradesh, Índia | 4 de Janeiro

A noite de terça-feira, 4 de janeiro, foi como de costume para uma família indiana da cidade de Amethi: conversar, rir, jantar e dormir. O que eles não sabiam é que o patriarca da família, um homem de 50 anos chamado Jamaludeen, colocou sedativo na água, “é um remédio bom para a saúde durante o inverno“, teria dito ele.

Após a droga surtir efeito, Jamaludeen matou todo mundo, incluindo suas filhas e sobrinhas, com idades entre 5 e 17 anos. Os mortos incluíram suas sete filhas – Tabassum, Afreen, Mariam, Sania, Ujma, Tubina e Tahseen; sua primeira esposa Hussaina Bano, 35 anos; e suas sobrinhas Mahek e Nijar Fatima. Dez mulheres mortas, um verdadeiro feminicídio.

Após cortar a garganta de todas elas, Jamaludeen se enforcou.

Muitos levantaram a suspeita de que Jamaludeen também foi uma vítima, que na verdade o assassinato em massa foi cometido por outra ou outras pessoas e estas arrumaram a cena do crime de forma que a culpa caísse no homem de 50 anos. O site inUth do grupo de mídia Indian Express levantou sete pontos polêmicos do caso, incluindo o fato de não ter sido encontrado sangue nas mãos e roupas de Jamaludeen e a polícia não ter recolhido nenhuma substância do local – como o sedativo informado.

Abaixo, vídeo do caso publicado pelo site de notícias uttarpradesh.org:

Ft. Lauderdale - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

6. Vozes na CabeçaEstados Unidos


Aeroporto Fort Lauderdale, Flórida, Estados Unidos | 6 de Janeiro

Esteban SantiagoAcusado: Esteban Santiago-Ruiz | 27 anos

O Crime: Em novembro de 2016, o ex-combatente no Iraque Esteban Santiago-Ruiz, 27, visitou voluntariamente o escritório do FBI em Anchorage, Alasca, e reportou aos oficiais presentes algo assustador: o governo dos Estados Unidos estava controlando sua mente e fazendo-o assistir vídeos do Estado Islâmico. Além disso, a CIA o estava forçando a entrar no grupo terrorista. Ruiz ainda afirmou escutar vozes em sua mente lhe ordenando a cometer atos de violência, mas como ele estava no controle de seus pensamentos, não faria mal a ninguém. O FBI orientou o ex-militar a procurar assistência médica mental e o investigou por envolvimento com terrorismo, não encontrando nada. Sua pistola 9mm foi recolhida pela polícia local, mas devolvida um mês depois. Em 6 de Janeiro, Esteban Ruiz voou do Alasca até a Flórida, foi até o banheiro, carregou sua pistola, saiu e começou a atirar nas pessoas do aeroporto, matando cinco e ferindo 36. Após a munição da arma acabar, o assassino em massa deitou no chão e não ofereceu resistência à polícia. Sua família afirmou que Esteban “perdeu sua mente” ao servir no Iraque.

Monte Cristo - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

7. “Acidente” na Monte CristoBrasil


Boa Vista, Roraima, Brasil | 6 de Janeiro

Acusado: Primeiro Comando da Capital

O Crime:A situação não saiu do controle“, disse o então Ministro da Justiça e hoje Ministro do Superior Tribunal Federal Alexandre de Moraes sobre a carnificina no Presídio Agrícola de Monte Cristo. E o Ministro estava “certo”, a situação não saiu do controle, pois já estava descontrolada há muito tempo. Alexandre de Moraes, inclusive, um mês e meio antes, recebeu da governadora de Roraima um pedido de socorro: ela queria ajuda da Força Nacional para controlar os ânimos no presídio. A resposta do ministro foi um não. Pouco mais de 40 dias depois, as cenas grotescas de decapitações, mutilações e esquartejamentos de Manaus se repetiram em Boa Vista. Os assassinatos de 33 detentos, alguns enterrados e concretados no chão da prisão, foram uma retaliação do PCC ao massacre do Compaj. As vítimas de Monte Cristo seriam membros da FDN e Comando Vermelho.

India serial killer - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

8. Serial killer contador de históriasÍndia


Pichuka Lanka, Andhra Pradesh, Índia| 8 de Janeiro

Saladi Lakshminarayana, 26 anos, tinha por hábito discursar sobre o “harikathas” – forma de discurso religioso hindu no qual o contador de história explora um tema, normalmente a vida de um santo – nas ruas. Ele movia de lugar a lugar e sempre entrava em casas de mulheres devotas para realizar rezas especiais.

O que era desconhecido é que tudo isso não passava de fachada. Lakshminarayana era um assassino em série que, após adentrar no domicílio da devota, roubava as joias das mulheres, as sequestrava e as levava até a ilha de Pichukalanka, sudoeste indiano, onde eram violadas sexualmente e estranguladas.

O último assassinato deste serial killer ocorreu em 8 de Janeiro de 2017. Neste dia, ele convidou uma mulher da qual virara amigo a acompanhá-lo até a ilha de Pichukalanka. A moça foi estuprada e estrangulada. Ele roubou as joias e jogou o corpo em uma vala. A investigação policial descobriu que ele matou duas mulheres em 2012 e outras duas em 2013 e 2015, todas da mesma maneira.

Abaixo uma reportagem da TV indiana sobre o último assassinato.

MS13 - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

9. Geração SmartphoneEstados Unidos


Springfield, Virgínia, Estados Unidos | 8 de Janeiro

MS-13 é uma gangue internacional de criminosos que se originou em Los Angeles, Califórnia, em meados dos anos 80. Posteriormente ela se espalhou por todo os Estados Unidos, chegando ao Canadá, México e América Central. Ainda é ativa em áreas urbanas e suburbanas dos Estados Unidos e seus membros veem principalmente de El Salvador.

Em El Salvador, a MS-13 é tão poderosa que podemos dizer que é como se o PCC e o Comando Vermelho se unissem no Brasil, se tornando apenas um grupo criminoso, que eventualmente dominaria o mundo do crime.

E foi tentando fugir do MS-13 que Maria Reyes deixou El Salvador com sua filha, Damaris Reyes, 12 anos na época, e imigrou para os Estados Unidos. Parece que já ouvimos essa história antes, não? Na dúvida leia a edição de 2016 dos crimes notórios e horripilantes.

Três anos depois, Damaris, 15 anos, seria morta por membros da MS-13 em solo americano.

Em 8 de janeiro, Damaris foi atraída até o Parque Lake Accotink em Springfield. Lá, ela foi cercada por Sanchez Serrano, 21, e outros nove membros da MS-13. Todos adolescentes, o mais novo com 15 anos. O grupo queria saber de Damaris se ela tinha envolvimento na morte de Christian Sosa Rivas, membro da MS-13 e assassinado a golpes de facão e pedradas cerca de uma semana antes – ele teria sido atraído até a morte por uma ex-namorada. Eles culpavam Damaris por atrai-lo até o seu destino e enquanto perguntavam a espancaram.

O que torna este crime horripilante é que “geração smartphone” da MS-13, de posse de seus aparelhos, filmaram toda a ação, facilitando posteriormente o trabalho dos promotores, que puderam ver a ação pelo Whatsapp tomando um café.

Nos vídeos, vê-se os adolescentes criminosos gritando para Damaris tirar a roupa, um sofrimento excruciante devido ao frio congelante da Virgínia. Mas o que mais chama a atenção é a ação de um dos adolescentes, uma menina, Venus Romero Iraheta, de apenas 17 anos. Ela é vista segurando uma enorme faca enquanto outro grita: “Foda-se! Apenas enfie o aço nela!” Mas Damaris não teria um fim tão rápido.

Ela foi levada até um outro local nas proximidades e confrontada novamente pela adolescente Iraheta, que teria um relacionamento amoroso com Sosa Rivas. Enquanto era interrogada, Damaris não parou de levar chutes, socos e golpes com paus dos adolescentes. Quando ela admitiu ter tido um envolvimento sexual com Rivas (não se sabe se é verdade ou Damaris apenas confessou por estar sob pressão), Iraheta se enfureceu.

“Meu nome é Venus Romero Iraheta, saiba o nome completo da sua assassina vadia. Eu nunca a perdoarei e irei vê-la no inferno”, gritou Iraheta antes de começar o esfaqueamento, no pescoço e abdome da vítima, de novo e de novo, 13 vezes. Damaris é vista no vídeo encolhida, como se esperasse pelos golpes, cheia de sangue.

Se não bastasse, Sanchez Serrano é visto segurando um enorme galho de árvore e golpeando o pescoço de Damaris, uma, duas, três, quatro, cinco, seis vezes.

Dezoito pessoas foram presas em conexão com a morte de Damaris. O crime chocou de tal forma a Virgínia que o governador do estado pediu ao FBI que extirpasse de uma vez por todas a MS-13 das ruas.

Todos os envolvidos foram presos e alguns já condenados a penas que variam de 20 a 30 anos. Sanchez foi condenado a 33 anos, já Iraheta será julgada como adulta em janeiro de 2018. Segundo o FBI, líderes da MS-13 em El Salvador teriam recebido os vídeos do assassinato de Damaris pelo Whatsapp, como prova de vingança da morte de Sosa Rivas.

Katie Rough

10. Ruim da CabeçaInglaterra


York, North Yorkshire, Inglaterra | 9 de Janeiro

Katie RoughAcusada: nome não divulgado | 15 anos

O Crime: uma adolescente de apenas 15 anos chocou a Inglaterra no começo de 2017 ao matar uma criança de apenas sete anos. Katie Rough, 7, foi assassinada em um parque do bairro de Woodthorpe. Ela brincava no local com uma menina de 15 anos quando a adolescente a derrubou no chão e a sufocou com uma luva. Após verificar que a criança não respirava mais, a assassina tirou um estilete no bolso e fez vários cortes no cadáver da vítima, golpeando-a no pescoço e tronco. Investigações posteriores descobriram que a adolescente era uma espécie de “versão feminina de Ed Kemper”, possuindo fantasias homicidas que colocava em prática nas suas bonecas, que eram mutiladas e desfiguradas. Em 2016, ela foi tirada da escola devido ao seu estado mental, a menina se automutilava e estava convencida de que os seres humanos eram robôs disfarçados. Ela também sofria de depressão e tinha pensamentos suicidas. Após se declarar culpada de assassinato, em 24 de novembro, a adolescente foi condenada à prisão perpétua. O sigilo em torno da identidade da acusada se deve pela “Ordem Mary Bell“, uma lei inglesa criada em maio de 2003 que protege a identidade de qualquer criança envolvida em procedimentos legais.

Sandro Luiz Alves Portilho - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

11. Maníaco FacínoraBrasil


Favela de Acari, Rio de Janeiro, Brasil | 15 de Janeiro

Thifany Nascimento de Almeida - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Vítima: Thifany Nascimento de Almeida | 11 anos

O Crime: “Trata-se de um serial killer que agia dessa forma, atraindo menores, de 11, 13, 17 anos, violentando-as sexualmente e, posteriormente, vindo a ceifar a vida delas”, afirmou o delegado mineiro Cistiano Silva sobre Sandro Luiz Alves Portilho, 42. A grande maioria dos serial killers são camaleões sociais que passam desapercebidos aos olhos de todos. “Ele consegue transitar no ambiente sem ser percebido, tanto que ele viveu aqui alguns meses e é pouco provável que alguém identifique ele pessoalmente“, disse o promotor da cidade mineira de Lambari Cláudio Ferreira de Oliveira Filho. Havia um maníaco no Rio de Janeiro, na favela do Acari, e ninguém tinha a menor noção disso, até Thifany Nascimento de Almeida desaparecer. Dois dias depois o corpo da criança foi encontrado em um estado tão lastimável que a família foi proibida de vê-lo. Sandro era conhecido da família e sabia do gosto deles por cachorros, ele mesmo se dizia um adestrador de cães. Ao ver Thifany um dia brincando na rua, ele perguntou se ela não queria ir com ele para ganhar um cãozinho. A mesma tática ele usou para matar adolescentes em Minas Gerais anos antes. Na cidade de Lambari, em Janeiro de 2011, ele estuprou, matou e incendiou o corpo de Hanah Pereira da Silva, 17. Quatro meses depois, Daniela Maria Paiva Paula, 12, teve o mesmo destino. Em 2004, ele foi condenado pelo assassinato de uma garota de programa, Maria Helena Marçola Alves, 37, na cidade de Juiz de Fora. Ele fugiu da cadeia em 2009.

Canibal Inidiano - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

12. O Canibal Adolescente de LudhianaÍndia


Ludhiana, Punjab, Índia | 17 de Janeiro

O que vocês acham de um garoto que gosta de comer carne crua e morder as próprias mãos?

Vikesh Kumar, 16 anos, comeu (sim “comeu”) uma criança de nove anos em 17 de janeiro no bairro de Karnail Singh Nagar, na cidade de Ludhiana.

A criança, Deepu Kumar, um parente de Vikesh, foi atraído até a casa do seu algoz (os pais do adolescente não estavam em casa) onde foi estrangulado e decapitado. O assassino levou o corpo sem cabeça da criança para o banheiro e o cortou em seis pedaços; comeu pedaços da carne e bebeu o sangue que escorria. O coração foi removido e jogado pelo canibal no terreno da escola.

Para a polícia, o adolescente revelou sua ânsia por carne humana, admitindo que às vezes pensava em comer a si mesmo (alguém lembrou de Issei Sagawa e sua igualmente vontade de provar carne humana?).

“O que este adolescente fez é na maioria das vezes considerado parte de alguma outra doença mental, como esquizofrenia. Em alguns casos, os acometidos encontram prazer máximo em atos violentos, até mesmo o de comer uma pessoa”.

[Rajiv Sharma – psiquiatra de Ludhiana]

Vídeo: reportagem da TV indiana sobre o caso.

Crimes de Honra - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

13. Crimes de HonraJordânia


Ar Ramtha, Irbid, Jordânia | 18 de Janeiro

Na Jordânia, todos os anos, dezenas de mulheres jovens e adultas são queimadas, espancadas ou esfaqueadas até a morte por membros da própria família por supostamente transgredirem regras sociais de “honra”. Em 2016, por exemplo, uma adolescente foi assassinada pelo próprio irmão na cidade de Madaba após ele descobrir que ela tinha um telefone celular que a família não tinha conhecimento. Em 2017 não foi diferente. Em 18 de Janeiro, na cidade de Ar Ramtha, um homem (foto acima) matou a esposa e as duas filhas, de três e dois anos, a facadas após ele desconfiar que a mulher o estava traindo. A terceira filha do casal foi ferida gravemente, mas sobreviveu.

Uma semana antes, outro crime hediondo contra mulheres chamou a atenção no país. Um homem de 23 anos esfaqueou até a morte a própria irmã em frente a um hospital perto da Universidade do Jordão, na cidade de Amman. Perguntado pela polícia sobre o motivo do crime, ele alegou “honra de família“. O suspeito alegou que sua irmã havia deixado a casa da família por um tempo e “ele descobriu que ela havia contatado sua mãe, desejando vê-la, então ele seguiu sua mãe até o encontro. Quando ele viu a irmã, teve uma rápida conversa com ela, então tirou uma faca de cozinha e a esfaqueou repetidamente“, disse uma fonte judicial.

Uma testemunha que passava no momento revelou mais:

“Eu trabalho na área e ouvi uma mulher gritar, e quando eu virei vi um homem esfaqueando uma mulher. Ele ficou ao lado do corpo dela segurando a faca falando para as pessoas não chegarem perto. Ele gritava: ‘Esta é minha irmã e essa é uma questão de honra familiar. Todo mundo fique longe e deixe-a sangrar até a morte’.”.

Durante o resto do ano vários outros casos de assassinatos ocorreram e atualmente os jordanianos discutem uma mudança na legislação, que permite uma redução de pena para assassinos que matem seus familiares se comprovarem ter tido sua honra manchada.

O nome dos acusados e das vítimas não foram divulgados.

Michael Meyers - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

14. Michael Myers costa riquenhoCosta Rica


Liberia, Costa Rica | 19 de Janeiro

“Ele cometeu o delito criminal de maneira impensada, influenciado pela ingestão de drogas e por uma fantasia sexual compulsiva… o sujeito apresenta um comportamento desorganizado, de pouco planejamento, de pouca coordenação… não é um assassino em série, que pensa, que planeja, que define e estabelece um perfil. Ele atua de uma maneira muito impulsiva, de uma maneira espontânea”.

[Walter Espinoza – Chefe de Polícia]

Alguém já viu algum filme de Hollywood mostrando inocentes universitários que de repente são caçados por um assassino lunático? Pois é, algo parecido aconteceu na Costa Rica. E como a vida imita a arte ou vice-versa, houve só uma sobrevivente para contar a história (nos filmes sempre sobra um).

Cinco estudantes da Universidade da Costa Rica foram encontrados mortos em um apartamento na cidade de Liberia em 19 de janeiro. Eles estavam amarrados e foram degolados com uma faca de cozinha. As vítimas foram identificadas como Stephanie Hernández, 24, Dayanna Martínez, 24, Ingrid Mendéz, 24, Joseph Briones, 22, – namorado de Stephanie – e Ariel Vargas, 24. Uma sexta vítima, de 14 anos, foi encontrada com terríveis ferimentos, mas sobreviveu para contar a história de um lunático que invadiu o apartamento apenas para matá-los.

Com a descrição da sobrevivente, a polícia costa riquenha prendeu Ríos Mairena, 33 anos. O motivo da barbárie se encontrava na mente delirante do maníaco, “uma visão distorcida da realidade“, uma personalidade “paranoide” e “narcisista“. Segundo a polícia, o homem supostamente sentia uma atração por uma das vítimas que via passar na rua todos os dias e começou a alimentar fantasias de paixão e sexo. No dia 19 ele a seguiu, encontrando ela e cinco amigos em um apartamento, e simplesmente resolveu trucidar todos.

Fotos: imagens da cena do crime.

Loalwa Braz - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

15. A Voz da LambadaBrasil


Saquarema, Rio de Janeiro, Brasil | 19 de Janeiro

Uma música cantada em português por uma brasileira ecoando pelo mundo inteiro? Sendo número 1 em vários países? Se tornando o maior sucesso da história europeia da gravadora CBS? Isso pode soar estranho hoje tendo em vista o pobre cenário musical brasileiro, mas aconteceu. Normalmente nós absorvemos música de fora. Artistas pop como Rihanna, Justin Bieber, Lady GaGa etc fazem sucesso por aqui, assim como bandas sul-coreanas para a alegria de adolescentes. Mas houve uma época em que o mundo ajoelhou-se ao Brasil cantando uma música com tempero tupiniquim que até hoje é lembrada nos quatro cantos do mundo. Prova disso é o videoclipe da música com quase 60 milhões de visualizações no Youtube. Dê uma ida lá e veja a língua dos comentários: russos, turcos, franceses, espanhóis, ingleses, alemães, holandeses… Foi tanto sucesso que a música serviu de trilha sonora no sinistro documentário (1993) de Misha Servkov sobre o serial killer soviético Andrei Chikatilo.

Por trás da façanha estava a brasileira Loalwa Braz Vieira, vocalista da banda francesa Kaoma. Em 1989, eles tomaram o mundo de assalto com o sucesso “Lambada”, abrindo de uma vez por todas o espaço no globo para a música latina e seus representantes, como a cantora Shakira. O sucesso logo deu espaço ao respeito pela brasileira. Seu talento foi reconhecido pela Academia Francesa de Artes, Ciências e Literatura, que deu a ela uma cadeira e a medalha de prata da instituição.

Após mais de 20 anos morando na Europa, Loalwa resolveu voltar à sua terra natal, o Rio de Janeiro. Construiu uma pousada e abriu uma empresa chamada Braz Brasil Produções, voltada para a divulgação das artes brasileiras através dos continentes.

Aos 63 anos e querendo ter um fim de vida tranquilo em sua pousada, Loalwa foi vítima da maldade humana. Dentre os funcionários de sua pousada havia um caseiro, e ela já estava pensando em mandar embora esse sujeito – ele não realizava os seus serviços e parecia não ser flor que se cheire. Na noite do dia 18 de janeiro, o caseiro e mais dois homens chegaram na pousada e espancaram Loalwa com um pedaço de pau. Como ela gritava muito, a colocaram dentro de um carro e seguiram rumo ao desconhecido. Em dado momento, o carro apresentou problemas mecânicos. Então o trio resolveu incendiar o carro com a cantora dentro. Loalwa morreu queimada viva. Foi necessário realizar exames de DNA para identificar o corpo carbonizado, que só foi liberado para o enterro quase dois meses depois.

Os assassinos voltaram à pousada e roubaram objetos de valor, incluindo discos, que totalizavam cerca de R$ 15 mil reais. Os nomes dos acusados não foram divulgados.

Vídeo: Kaoma – Lambada (1989)

Zarah Coombs - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

16. Tal Marido, Tal EsposaEstados Unidos


Brooklyn, Nova Iorque, Estados Unidos | 25 de Janeiro

Por onde começar essa história?

Bom, posso dizer que eles formavam o casal perfeito – de assassinos.

A mãe: Zarah Coomb, 26 anos, cuidava dos seus três filhos em seu apartamento no Brooklyn – um de quatro, outro de um ano e o mais novo de apenas quatro semanas. Em dado momento, Zamair, 4 anos, deixou cair um ovo no chão. O que a mãe fez? Pegou um cabo de vassoura e matou o filho a vassouradas.

O ato por si só já merece uma vaga nos 101 crimes notórios e horripilantes do ano. Mas o que deixa essa história ainda mais bizarra é que o pai de Zamair, e ex-marido de Zarah, quatro anos atrás também fez parte dos 101 crimes notórios e horripilantes do ano [ver Crime 10, edição 2013] .

O pai: Bashid McLean, 23 anos na época, casado com Zarah e pai do recém-nascido Zamair, matou a própria mãe, Tanya Byrd, 45, arrancou a sua cabeça e esquartejou o seu corpo com uma serra elétrica. Não satisfeito, ele tirou selfies segurando a cabeça recém-decepada da mãe com um sinistro sorriso no rosto.

Eu estava errado, eles não formavam, mas formam o casal perfeito, agora na cadeia – para sempre.

Amalekites - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

17. AmalekitesIsrael


Migdal, Israel | 28 de Janeiro

Não havia nada que pudesse indicar que algo como isso pudesse acontecer.

Ela tinha uma alma boa. Eu não posso acreditar que ele fez algo tão horrível. Eles eram tão doces e tinham crianças tão lindas e inocentes“.

Eu nunca pensei que ele fosse capaz de cometer um crime tão horrível“.

Mas Nadav Sela, 28, fez, e o crime chocou a pequena Migdal, cidade de apenas dois mil habitantes no norte de Israel.

Sela era casado, tinha dois pequenos filhos e aparentemente vivia uma vida feliz e tranquila. Nos dias que antecederam a barbárie, ele pediu perdão a amigos e familiares caso ele os “machucassem” sentimentalmente. Em 28 de Janeiro, Sela preparou um jantar para a sua família e convidou os filhos de um vizinho. No meio da janta, do nada, ele pegou uma faca e esfaqueou até a morte sua esposa Dor Crasanti-Sela, 23; seus filhos Yosef, 1 ano e meio, e Binyamin, de apenas oito meses; e a filha do vizinho, Nachman Atia, 11. O irmão de Atia, Natan, 10 anos, foi esfaqueado no rosto, pescoço e mãos, mas fingiu-se de morto e escapou rastejando por uma janela quando o assassino foi até o quarto trocar de roupa. De acordo com a investigação policial, Sela não parou de esfaquear sua família e os filhos do vizinho enquanto não teve certeza de que todos estavam mortos.

Ao ser preso na mesma noite em uma floresta nas proximidades, resmungou apenas: “Eles são Amalekites, eles são Amalekites“.

Na tradição judia bíblica, a tribo nômade Amalekite é vista como a essência do mal. Dos 613 mandamentos seguidos pelos judeus ortodoxos, um – baseado em Samuel – ordena a destruição dos Amalekites:

“Não os poupe; matar homens e mulheres, crianças e bebês, gado e ovelhas, camelos e burros”.

Durante o interrogatório, ele apenas repetiu: “Matei todos na casa porque eram Amalekites“.

O que deixa esse crime mais assustador é que psiquiatras concluíram que Nadav Sela não sofre de qualquer tipo de transtorno mental, ou seja, ele é completamente normal.

Canadá Mesquita - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

18. Extremista TímidoCanadá


Quebec, Canadá | 29 de Janeiro

Alexandre Bissonnette - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Acusado: Alexandre Bissonnette | 27 anos

O Crime: A maioria das pessoas que conheceram Alexandre Bissonnette o descreveram como introvertido, solitário, antissocial, tímido e simples. Sua página (excluída) no Facebook carregava fotos não diferentes de outras postagens de homens de sua idade – encontros familiares, uma selfie dele “dirigindo para minha chácara“. Em um post de Novembro de 2016, ele diz sobre um vídeo do Parque Nacional das Montanhas Torngat: “Eu vou visitar esse lugar um dia!” Alexandre estudou ciência política e antropologia na Universidade Laval e seus colegas de faculdade lembram de como ele gostava de videogames, era um músico competente e um ativo membro do clube de xadrez. Mas o lado sombrio de Bissonnette não estava muito longe, colegas lembram de suas opiniões de extrema-direta-ele tinha horror ao feminismo e à imigração. “Eu o via como um xenófobo. Nunca pensei nele como totalmente racista, mas ele estava fascinado por um movimento nacionalista racista limítrofe. Nunca passou pela minha cabeça que ele pudesse ser violento“, revelou um ex-colega de faculdade, Vincent Boissoneault. Já Francois Deschamps, também ex-colega, disse: “Ele era alguém que fazia comentários frequentes e extremistas nas redes sociais que denegriam refugiados e feministas. Não era o ódio absoluto, mas fazia parte desse novo movimento de identidade conservadora nacionalista que eu vejo mais intolerante do que odioso“. Mas Deschamps estava errado, Alexandre era puro ódio. Em 29 de Janeiro, usando uma máscara de esqui, ele invadiu o Centro Cultural Islâmico de Quebec, uma mesquita no bairro de Sainte-Foy, e matou a tiros seis pessoas que participavam da oração matinal. Dezenove outras ficaram feridas, duas em estado grave. Preso, atualmente ele aguarda julgamento.

William Kelly - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

19. Escocês BárbaroEscócia


Kilmarnock, East Ayrshire, Escócia | 11 de Fevereiro

Em 14 de Dezembro, William Kelly, 42, foi condenado pelo brutal assassinato da própria mãe, Catherine Kelly, 71, em 11 de Fevereiro.

Violento, Kelly já havia espancado a mãe idosa meses antes além de constantemente bater em sua esposa com um martelo e lamparina. Querendo que sua mãe lhe desse dinheiro, ele a arrastou para dentro de casa e começou a esmurrá-la e dar chutes. A mulher idosa caiu de cara no chão, gemendo. Esse ato por si só, contra a própria mãe, já seria imperdoável, mas Kelly fez mais: ele jogou gasolina no corpo da mãe, acendeu um cigarro e incendiou o corpo aos gritos de “Morra, morra!“.

Ele se preocupou apenas com o cachorrinho da raça West Highland White Terrier que assistiu toda a cena. Enquanto o corpo da mãe ardia em chamas, ele pegou o cachorro e ficou do lado de fora da casa assistindo ao fogo se propagar. Cathy morreu queimada viva pelo próprio filho. “Ela teve o que merecia“, disse ele para uma enfermeira que o atendeu no hospital.

Condenado em 14 de Dezembro, Kelly aguarda sua sentença que poderá sair em audiência no dia 20 de Janeiro de 2018.

Tosin Oluwatosin - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

20. Decapitadores em SérieNigeria


Ifaki-Ekiti, Ekiti, Nigéria | 13 de Fevereiro

Em três semanas, a polícia de Ifaki-Ekiti encontrou três cabeças humanas, a última a de um adolescente de 12 anos. Todos os anos reportamos esse tipo de assassinato nos crimes notórios e horripilantes (quase sempre na Nigéria), e mais uma vez o assassino foi pego com a boca na botija.

Há um mercado negro em países da África com a venda de partes de corpos humanos para rituais de bruxaria. Feiticeiros do mal os usam em seus trabalhos macabros para clientes que visam, principalmente, ganhos financeiros. Se há quem compre, há quem enxergue uma oportunidade para ganhar uns trocados. Provavelmente foi o que pensou os irmãos David Oluwatosin e Tosin Oluwatosin. Eles se aproximavam, principalmente, de crianças de rua para decapitá-las e venderem suas cabeças a bruxos. Em Fevereiro, eles tentaram vender um de seus “produtos” a um herbolário, que não gostou nada do que viu e chamou a polícia. Tosin foi pego em flagrante, como atesta as imagens acima.

O Ritualista - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

21. Marido RitualistaNigeria


Somolu, Lagos, Nigéria | 13 de Fevereiro

Separada de seu marido desde julho de 2016, Sherifat ligou para ele em 13 de Fevereiro para cobrar a pensão dos três filhos do casal. Seu ex-marido, Shakiru Bello, falou que iria pagar e perguntou se ela podia ir ao seu encontro para pegar o dinheiro. Ela nunca mais foi vista. No dia seguinte, o pai de Sherifat comunicou à polícia que logo bateu na porta do ex-marido.

Bello confessou ter matado e esquartejado a ex-mulher. A polícia acredita que ele a matou em um ritual satânico visando o ganho financeiro já que os seios e a vagina da vítima não foram encontrados.

Abaixo sinistras fotos tiradas pela polícia do assassino e sua vítima.

Kim Jong Nang - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

22. Irmão DiabólicoMalásia


Kuala Lumpur, Malásia | 13 de Fevereiro

Quando Kim Jong-nam era criança, seu pai, o ditador da Coreia do Norte, prometeu-lhe que um dia ele se sentaria na cadeira mais poderosa do país. Se ele não tivesse tido seu destino usurpado pelo seu irmão mais novo, Kim Jong-un, será que ele tiranizaria 25 milhões de pessoas? Será que seu dedo apertaria botões para lançar mísseis ameaçando a humanidade? Será que ele seria um problema para o mundo?

Mas a ascenção ao poder não era ameaçada apenas pelo irmão mais novo. Seu próprio comportamento não era bem visto pelo sanguinário pai, que logo percebeu que Kim Jong-nam não tinha o instinto assassino necessário para comandar a Coreia do Norte rumo à eternidade. Então, foi preterido pelo irmão mais novo, que conspirava nas sombras a seu favor. Quando ascendeu ao trono, Kim Jong-un logo passou a ver seu irmão mais velho como um inimigo. Com medo do caçulinha, Kim Jong-nam nunca mais voltou à sua terra natal e tentativas de seu irmão ditador de assassiná-lo se iniciaram ao longo dos anos.

De um dos possíveis Senhores do Mundo, Kim Jong-nam se tornou um renegado, um homem que vivia escondido, ninguém sabia quem ele era, talvez por isso a multidão do aeroporto de Kuala Lumpur o tenha ignorado quando ele andou pelos corredores do lugar em 13 de Fevereiro. Era apenas mais um rosto gorducho e de óculos no mundo, daqueles que não chama atenção. Mas não, ele era o irmão do atual e violento ditador da Coreia do Norte.

Naquele 13 de Fevereiro, às 8h59 da manhã, enquanto Jong-nam se dirigia a um quiosque da companhia AirAsia, uma mulher indonésia se aproximou dele e sem dizer uma palavra esfregou suas mãos na boca e olhos de Kim Jong-nam. “Quem é você?“, perguntou ele assustado. “Desculpe, desculpe“, respondeu a moça antes de desaparecer na multidão. Segundos depois, outra mulher, de nacionalidade vietnamita, se aproximou e jogou um lenço em seu rosto, embebido com o que parecia ser um óleo. Ela também se desculpou e foi embora.

O líquido que as mulheres esfregaram no rosto de Jong-nam era o agente VX, uma arma química de destruição em massa que mata em minutos; é o mais potente agente químico de guerra conhecido. “Está doendo muito, doendo muito“, balbuciava Jong-nam aos policiais que o socorreram. Ele morreu minutos depois.

“Pyongyang quis enviar uma mensagem ao mundo matando Kim Jong-nam desta maneira horrenda e em local público. Pyongyang quis amedrontar o mundo usando uma arma química em um aeroporto. Ele [Kim Jong-un] quer reinar por um longo tempo e negocia isso através do que considera ser seus superpoderes. A única maneira de mostrar isso é manter o mundo com medo de suas armas. Ele tem um grande planejamento e isso faz parte disso.”

[Nam Sung-wook, professor da Universidade da Korea e especialista em Coreia do Norte e China]

O uso extensivo do Facebook pela vítima (que usava o pseudônimo Kim Chol), assim como o de serviços comerciais de e-mail podem ter facilitado sua localização por agentes secretos norte-coreanos. Em sua mochila foram encontrados $100 mil dólares em dinheiro e quatro passaportes norte-coreanos, todos com o nome Kim Chol.

As assassinas, Ðoàn Th? Huong, 29, e Siti Aisyah, 25, foram presas dois dias depois. Elas revelaram que foram orientadas por quatro homens a jogar o líquido na vítima. Tudo seria filmado pelas câmeras do aeroporto, pois seria uma pegadinha para uma emissora de TV. A polícia malaia descobriu que as mulheres foram recrutadas dois e três meses antes por agentes secretos norte-coreanos que se passaram por empresários de mídia do Japão e China. Elas chegaram a participar de várias “pegadinhas” anteriormente e recebiam $100 e $200 dólares por cada participação. Mas o que elas não sabiam era que tudo era uma enganação, uma preparação para matar Kim Jong-nam. Os agentes secretos norte-coreanos foram identificados como Rhi Ji-hyon, 33, Hong Song-hac, 34, O Jong-gil, 55 e Ri Jae-nam, 57. Eles fugiram logo após o ataque para Pyongyang.

Dandara dos Santos - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017

23. DandaraBrasil


Fortaleza, Ceará, Brasil | 15 de Fevereiro

Um crime que chocou o mundo.

Ataque doentio no Brasil“, escreveu o britânico Daily Mail. “Assassinato horrível“, citou o americano The Washington Post. “Monstros“, bradou o cantor australiano Luke Anthony em um post no Facebook. Já o site Pink News, um dos mais lidos e conhecidos do mundo dedicado ao público LGBT, colocou o caso Dandara na segunda posição das “histórias mais decepcionantes” de 2017. Pessoas comuns, de várias partes do mundo, foram ao Youtube mostrar sua indignação e tristeza.

Gritos de ódio, chineladas na cabeça, pontapés, pesadas, socos, pauladas, pedradas e tiros no rosto. O calvário da travesti Dandara dos Santos, 42, foi tão inimaginável que só acreditamos que aconteceu porque os assassinos resolveram filmar. E a grande ironia é que se não fosse essa filmagem, o nome Dandara estaria hoje esquecido e sua morte na lista dos 92% dos assassinatos que ocorrem todos os anos no Brasil e não são resolvidos.

Foi um crime de ódio em que a vítima foi escolhida devido à sua identidade. E isso faz surgir algo assustador: muitas pessoas não têm empatia. A empatia é o antídoto do ódio. Se temos empatia, automaticamente aceitamos os outros como eles são, porque não importa a cor da pele, o status social ou a orientação sexual, a empatia não nos permite fazer mal ao próximo, mesmo se acharmos estranho a cor do seu cabelo ou a roupa que está vestindo. E, longe de ser um fator restrito a um país ou a um grupo, vivemos uma epidemia de crimes de ódio pelo mundo. Alguns casos serão mostrados neste post.

Vídeo: a filmagem de 1m20 que chocou o mundo.

Hubert Caoissin - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

24. Tesouro & SangueFrança


Orvault, Loire-Atlantique, França | 16 de Fevereiro

Passava um pouco das 22h quando Hubert Caouissin, 46, chegou em frente à casa de número 24 na rua d’Auteuil, em Orvault. Ele estava de posse de um bloco de notas, um lápis e um estetoscópio. Ele já tinha feito isso antes. A casa pertencia ao seu cunhado e ele queria entrar lá dentro para fazer uma varredura: computadores, papéis, qualquer coisa que pudesse incriminar o seu cunhado. Hubert estava obcecado com a herança deixada pelo seu sogro: moedas de ouro que haviam sido encontradas pelo sogro quando trabalhou em um antigo prédio de Recouvrance, na cidade de Brest. As moedas provavelmente foram escondidas pelo dono (ou ladrão) durante a Segunda Guerra Mundial e permaneceram lá até serem encontradas. Quando seu sogro morreu, seu cunhado, Pascal Troadec, 49, roubou as moedas e teria guardado o tesouro em bancos de Mônaco e Andorra. A própria mãe de Pascal revelou que ele não gostava de Hubert por ele ter melhor situação financeira, por isso, quando teve a oportunidade, roubou o ouro deixado pelo pai, tomando tudo para si.

Hubert já havia entrado na casa de Pascal antes e agora sabendo que a família viajaria de férias para Lisboa, Portugal, ele queria entrar na casa, roubar as chaves, fazer uma cópia e voltar depois que ela estivesse vazia para procurar qualquer coisa que pudesse comprovar o fato e culpar o cunhado pelo roubo da herança de sua mulher Lydie Troadec, irmã de Pascal.

A janela da casa estava aberta. Brigitte Troadec, 49, esposa de Pascal, deixava aberta para que Ulysses, o gato da família, bastante rueiro, voltasse e entrasse durante a noite. Foi por essa janela que ele entrou. Mas ele estava assustado e nervoso, afinal, estava cometendo um crime e qualquer barulho poderia acordar seus próprios familiares que ali dormiam. E não deu outra, um barulho acordou Pascal, que desceu as escadas e deu de cara com Hubert. O que se segue a partir daqui veio da confissão de Hubert.

Notando um intruso dentro da própria casa, Pascal partiu para cima. Os dois se engalfinharam no chão da sala. O barulho acordou Sebastien Troadec, 21, filho de Pascal. Segundo o depoimento de Hubert, ao ver Sebastien, ele tentou fugir, mas a porta principal estava trancada. Pascal teria vindo para cima dele com um pé de cabra, mas Hubert o desarmou e o acertou na cabeça com a ferramenta. Ele fez o mesmo com o sobrinho, acertando-o na cabeça várias vezes com a alavanca de metal. Despertada com o barulho, Charlotte Troadec, 18, também filha de Pascal, sai para ver o que está acontecendo e recebe um golpe mortal na cabeça desferido pelo tio. O mesmo destino teve Brigitte.

Hubert revelou nervosismo e que os crimes não passaram de um pequeno delito que saiu totalmente do controle. Mas o que ele fez depois demonstra planejamento ou, pelo menos, frieza. Não está totalmente claro qual a participação de sua mulher Lydie no caso, mas ela foi presa acusada de ajudar o marido na limpeza da casa do irmão morto e no descarte dos corpos. O casal teria limpado a casa de Pascal e levado os corpos dele e de sua família para uma fazenda de Hubert. Lá, os corpos foram esquartejados e incinerados em um forno.

A família Troadec em encontro no ano de 2008. À esquerda, a matriarca Renée Troadec, à direita de Renée sua sobrinha Charlotte. À direita sua nora Brigitte, seu genro Hubert (de lenço vermelho no pescoço) e seu filho Pascal. Sete anos depois, Hubert mataria todos os três e mais Sebastien. Foto: Paris Match / DR.

A família Troadec em encontro no ano de 2008. À esquerda, a matriarca Renée Troadec, à direita de Renée sua sobrinha Charlotte. À esquerda sua nora Brigitte, seu genro Hubert (de lenço vermelho no pescoço) e seu filho Pascal. Sete anos depois, Hubert mataria todos os três e mais Sebastien. Foto: Paris Match / DR.

Seja qual for a verdade nessa história, uma coisa é certa, e aqui invoco uma frase do renomado e professor emérito da Unicamp Rogério Cezar de Cerqueira Leite:

“Quando o negócio envolve muito dinheiro, o diabo não manda representante. Ele comparece pessoalmente”.

Coincidências bizarras acontecem nesse nosso mundo. Exatamente um dia depois deste triste caso ocorrido na França, um outro crime motivado por herança chocaria pela natureza brutal e maléfica pela qual seria cometido.

Magia Negra - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017

25. Espírito MalignoBrasil


São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil | 17 de Fevereiro

“O que me deixou sem o sono foi saber que o pai, depois de ter levado dois tiros na cabeça, se levantou e foi ver como estava a filha e a esposa”.

[Fábio Barucke, Delegado de Polícia]

“As pessoas que ali faleceram seriam escravizadas para protegerem quem as executou. Então, a vontade dela era que os espíritos das pessoas que foram executadas ficassem eternamente atrelados ao seu corpo como proteção.”

[Fábio Barucke, Delegado de Polícia]

Um crime que foi resolvido em menos de uma semana, mas que deixou os policiais que trabalharam no caso com menos fé na humanidade.

Em uma sexta-feira à noite, o casal Wagner da Silva Salgado, 43, e Soraya Gonçalves de Resende, 38, e a filha deles, Geovanna Resende Salgado, 9, foram encontrados mortos na casa onde moravam. Mãe e filha foram mortas com um único tiro na cabeça, já Wagner foi morto com três tiros na cabeça. A arma utilizada foi uma pistola .380 com silenciador. Não havia dúvidas, era uma execução.

Mas o que mais chamou a atenção da polícia foram dentes ensanguentados encontrados na cena do crime. A princípio, suspeitou-se que Wagner acordou com a movimentação e confrontou o assassino (ou assassinos), desferindo-lhe um soco que arrancou-lhe os dentes. Uma verificação extensa em hospitais do Rio de Janeiro à procura de alguém que tenha sido tratado de ferimentos na boca não teve sucesso.

Uma pista importante surgiu nos próprios registros policiais. Oito meses antes, Soraya havia feito um BO contra sua própria irmã, Simone Gonçalves Resende, 46, por causa de um comentário no Facebook. Soraya postou uma foto com seu pai na rede social e sua irmã fez o seguinte comentário:

“Vagabunda. Agora que está morto coloca foto com mensagem que um dia vai se encontrar!! Toma vergonha na cara e conta da sua mãe que você trata como uma cachorra: Você nunca trabalhou e nem sabe o que é isso. Tinha que dar muito valor a quem te criou porque quem te pariu nem na sua cara quis olhar. Cuida enquanto está viva porque depois que morrer você não vai postar fotinha arrependida. Já passou da hora de você tomar vergonha na cara e sair das costas dela. Fica a dica”.

Havia uma disputa judicial na família que se arrastava há anos: uma herança de sete milhões de reais deixada pelo pai de ambas, mas Simone não queria dividir a fortuna com a irmã, filha de uma relação extraconjugal do pai. Em seu perfil no Facebook, a polícia notou vários posts sobre magia negra e logo ficou claro o porquê dos dentes ensanguentados encontrados na cena do crime. “Por meio de pesquisas, descobrirmos que, dentro dessa prática religiosa, dentes significam posse. Ou seja, o gesto de lançar dentes no chão do imóvel teria valor simbólico – significaria que estavam tomando posse daquele apartamento“, disse o delegado Barucke.

Motivada pela ganância e ódio, Simone planejou o assassinato não só da irmã, mas da própria sobrinha, uma criança, pois ela também teria direito à herança. Mais do que isso, Simone envolveu os próprios filhos, os gêmeos Lucas e Matheus Khalil, de 23 anos, no plano diabólico. Para os dois filhos, ela prometeu parte da herança. Os três, então, arregimentaram Gabriel Botrel de Araújo Miranda, 19, e Diego Moreira da Cunha, 23. Diego dirigiu o carro e deu cobertura para os assassinos Gabriel e Matheus. Como a avó morava ao lado do apartamento das vítimas, foi fácil para Matheus abrir a porta (sua avó não estava na hora) e atravessar a janela para a residência onde cometeram o crime. Gabriel atirou em Soraya e Wagner, e Matheus assassinou a própria prima, de apenas 9 anos. As armas usadas foram sumidas por Lucas.

E essa macabra história não termina por aqui. Em Junho, a mãe de Soraya e Simone, Yonne Cardoso de Resende, 80, passou mal de repente e morreu. Ela estava morando com Lucas, que havia sido solto pela justiça. Em sua casa foi encontrado veneno para rato. A polícia suspeitou de envenenamento e encomendou uma autópsia, mas o resultado não foi divulgado.

O que mais assusta neste caso não é o crime e sim a justiça brasileira. Em Agosto de 2017, todos os envolvidos foram beneficiados com habeas corpus concedidos por um ministro do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Simone e cia. estão soltos aguardando o julgamento em liberdade.

Para não esquecer:

“Quando o negócio envolve muito dinheiro, o diabo não manda representante. Ele comparece pessoalmente”.

Vídeo: depoimento do delegado Fabio Barucke.


China - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017

26. Cobrança a MaisChina


Wuhan, Província de Hubei, China | 18 de Fevereiro

Hu - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Acusado: Hu | 22 anos

O Crime: Hu chegou em um pequeno mercado na periferia de Wuhan com fome. Ele pediu três porções de macarrão e notou que o dono do restaurante, Yao, 42, supostamente havia cobrado R$ 1,50 a mais do que o indicado no menu. Questionado, Yao respondeu: “Se você não pode pagar por isso, não coma e vá embora!” Hu poderia ter ido embora, mas quis comprar briga e começou a discutir com o dono do restaurante. Para susto dos clientes que comiam no local, os dois partiram para a agressão física, então Hu pegou uma faca de açougueiro, esfaqueou Yao e o decapitou na frente de 50 pessoas atônitas. Enquanto alguns vomitavam com a cena grotesca, Hu saiu carregando a cabeça do dono do restaurante e jogou-a em uma lixeira. Fotos e vídeos feitos pelos frequentadores do pequeno restaurante se tornaram viral na rede social chinesa Weibo. Hu foi preso no local. Abaixo imagens da cena do crime e um vídeo do momento do assassinato. ATENÇÃO: vídeo extremamente PERTURBADOR; NÃO recomendado para pessoas sensíveis.



Nazim Miyanl - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017

27. Monstro Canibal IÍndia


Amariya, Uttar Pradesh, Índia | 21 de Fevereiro

Não é paranoia ou querendo assustar quando escrevo [exemplo abaixo] sobre mortes de crianças, enfatizando o quanto os pais devem estar atentos ao que seus filhos estão fazendo. Vigiá-los nunca é demais.

– Iasmin, 8 anos, estuprada e morta a pauladas em Catalão, Goiás. – Mirei, 6 anos, estrangulada, decapitada e…

Posted by Blog O Aprendiz Verde on Wednesday, February 22, 2017

.

Mohammad Monis, 7 anos, brincava na rua da sua casa com outros amiguinhos quando um homem se aproximou dele, ofereceu uma bala, e o levou até uma casa nas proximidades. A polícia foi informada e quando chegou até lá teve uma visão do inferno.

“O corpo estava no chão com a cabeça decapitada ao lado. A pele da barriga estava faltando e órgãos internos e manchas de sangue estavam espalhados pelo quarto”.

[Devranjan Verma, oficial de polícia]

O homem, Nazim Miyan, na casa dos 20 anos, estava sentado ao lado do corpo e não resistiu à prisão. Seu rosto estava sujo de sangue (como pode ser visto na imagem acima) e a polícia confirmou a bestialidade: canibalismo. Nazim confessou ter estripado a criança e comido pedaços de sua carne. E teria comido mais não tivesse sido pego com a boca na botija.

Vídeo: filmagem da polícia indiana mostra cena do crime no momento posterior à prisão do canibal. Vídeo não recomendado para pessoas sensíveis.


Juan Gregorio Rocha Romero - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

28. Matando o Diabonicaragua


Rosita, Região Autônoma Caribe Norte, Nicarágua | 21 de Fevereiro

Era para ser apenas um ritual de exorcismo. Uma das frequentadoras da igreja estava com o Diabo no corpo e o pastor queria expulsar o coisa ruim. O pastor da Assembleia de Deus, Juan Gregorio Rocha Romero, arregimentou outras quatro pessoas e iniciou os trabalhos. A vítima endemoniada era uma mulher casada e mãe de dois filhos, Vilma Trujillo García, 25 anos. Quem já viu o filme “O Exorcista” sabe que tirar o demo do corpo de uma pessoa não é tarefa das mais fáceis, mas o que deixou o pastor e seus comandados atônitos foi o momento em que Vilma, claramente possuída, levantou voo, pairou no ar por alguns segundos, e se lançou a uma fogueira em chamas. Coisa de filme.

Bem, a história do Pastor Romero não foi engolida pela polícia e ela ficou mais clara à medida que outros integrantes da igreja começaram a abrir o bico. Eles disseram que o Pastor Romero afirmou que uma das frequentadoras da igreja, Vilma, precisava de cura, e ele, através de uma revelação divina, recebeu instruções para curá-la. As instruções vindas de Deus diziam para eles construírem uma fogueira e expulsarem o Belzebu através do fogo. Então eles tiraram a roupa da vítima, que supostamente sofria de retardo mental, amarraram suas mãos e pés e a atiraram nas chamas. Vilma foi consumida pelo fogo como as bruxas da Idade Média e morreu queimada viva.

Para a mídia, o pastor continuou com a sua história de que a mulher, “endemoniada“, voou em direção à fogueira, falecendo após o Diabo ser expulso de seu corpo devido ao fogo.

“Pastores e líderes religiosos dominam comunidades remotas com ideologias apocalípticas sobre a vinda do demônio”.

[Herenia Amaya, advogada e líder ativista na Nicarágua]

Três Irmãs - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

29. Três IrmãsBrasil


Cunha Porã, Santa Catarina, Brasil | 27 de Fevereiro

“A dor da família Horbach chocou toda a cidade de 11 mil habitantes. Até os policiais, acostumados a atender ocorrências de violência, ficaram estarrecidos com o caso.”

[Jornal Diário Catarinense]

Uma cidade de apenas 11 mil habitantes; um crime horrendo; a maldade não está apenas nas grandes cidades, como alguns moradores locais pensavam, e no caso de Cunha Porã, ela atendia pelo nome de Jackson Lahr, 24.

O rapaz “calmo” e 10 anos mais velho, começou a namorar a adolescente Rafaela Horbach quando ela tinha apenas 14 anos. Ela engravidou e aos 15 deu à luz. Mas Jackson nem pôde ver o filho direito porque havia recebido a ordem de um juiz para se manter longe da adolescente. Ele traía ela e Rafaela terminou o relacionamento. Jackson, então, ameaçou matar todo mundo da família dela.

Indignado com o término do relacionamento, com a ordem do juiz e com a pensão que teria que pagar, na noite do dia 27 de Fevereiro, Jackson bateu na porta da casa da irmã de Rafaela, Julyana, 23. Rafaela estava morando com a irmã e o marido dela após dar à luz. Nessa noite, a irmã mais nova de Rafaela, Fabiane, 12 anos, também estava na casa. Em um frenesi assassino, Jackson esfaqueou até a morte as três irmãs. Gilvani Meyer, marido de Julyana, levou diversas facadas, mas fingiu-se de morto e sobreviveu.

Se condenado, Jackson Lahr poderá pegar mais de 100 anos de prisão.

Vídeo: Reportagem da TV catarinense sobre o caso.


Marcel Hesse - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

30. Loucura HomicidaAlemanha


Herne, Rhine-Westphalia do Norte, Alemanha | 6 de Março

Jaden - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Vítima: Jaden | 9 anos

O Crime:Você acha que eu tenho os traços de um serial killer?“, perguntou Marcel Hesse, 19, no Whatsapp para uma amiga. Ela achou que ele estava brincando e não deu muita bola. Um ano depois, o adolescente atraiu para sua casa o vizinho de apenas 9 anos, Jaden, e o matou com requintes de crueldade: foram 56 facadas na criança. Como muita gente na era da Internet tem a necessidade de mostrar o que está fazendo, Marcel fez o mesmo, só que na Deep Web – o lugar sombrio da Internet – e postou algumas selfies sorrindo e com a mão toda ensanguentada. “Eu acabei de matar o filho do vizinho, não me sinto mal para ser honesto, minhas mãos sangram, é a única coisa que me aborrece”, escreveu ele. Marcel também gravou o assassinato e postou em um fórum de pedofilia, pornografia e vídeos snuff. As imagens foram parar na estranha rede social 4Chan e a polícia foi alertada. O corpo de Jaden foi encontrado no porão da casa de Marcel. Uma caçada da polícia alemã se iniciou e o adolescente, longe de ficar apavorado, gostou da emoção de estar no fio da navalha. Ele se escondeu em uma floresta e então apareceu na casa do amigo Christopher W., 22. O que ele postou na Deep Web dá uma amostra do que aconteceu depois: “Eu cortei a minha mão ao lutar com uma besta de 120 kg […] Eu sei que as pessoas morrem devagar quando você as abate […] Eu também quero uma garota para que eu possa estuprá-la“. Marcel matou o próprio amigo com 68 facadas e também postou selfies na Deep Web. Após o crime ele se entregou a polícia. Marcel foi dispensado do exército por ser “instável” e vizinhos revelaram que a própria família o achava um “psicopata“.

Dmirty Luchin - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

31. Canibal NovinhoRússia


Valdai, Oblast de Novgorod , Rússia | 8 de Março

Dmirty Luchin Foto - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Acusado: Dmitry Luchin | 21 anos

O Crime: Poeta talentoso e com um QI alto, talvez o que mais assustasse os amigos e conhecidos do russo Dmitry Luchin era o seu gosto por ler histórias de serial killers (para os leitores do Aprendiz Verde que sofrem o mesmo isso não seria mera coincidência). Ele era ativo na comunidade “O Mundo dos Maníacos e Serial Killers“, da popular rede social VK (o Facebook da Rússia), sempre comentando nas postagens do seu serial killer favorito: Jeffrey Dahmer. Teria o psicopata americano sido uma influência? No Dia Internacional da Mulher, Luchin matou sua amante mais velha (daí seu apelido, Canibal Novinho), Olga B., 45, atingindo-a mais de 25 vezes na cabeça com uma garrafa de vinho antes de esfaqueá-la quatro vezes no peito. Ele, então, cortou fora seus mamilos e orelhas, colocando uma das orelhas na tigela do gato de estimação e a outra dentro da boca da vítima. Após isso, violou sexualmente o cadáver com a garrafa de vinho. Disse o canibal novinho: “Eu gostei do gosto do cérebro. Então decidi fazer mais. Eu drenei parte do sangue em um copo e peguei mais que estava derramado no chão. Por quê? Eu precisava do sangue para beber com minha comida.”. Luchin esfaqueou a cabeça da vítima até atingir o cérebro, cortou um pedaço, fritou e comeu. Gostou, cortou outro pedaço, fritou e comeu novamente. Ele, então, em um verdadeiro banquete canibal, bebeu o sangue da vítima e passou a cortar o seu estômago, espalhando os órgãos pela cena do crime. Preso, o jovem deverá enfrentar julgamento no primeiro semestre de 2018.

Vídeo: Reportagem da TV russa sobre o caso.

Sjonny W - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

32. Matador de Mulheres


Amsterdã, Holanda | 8 de Março

Sjonny W. - serial killerAcusado: Sjonny W. | 44 anos

O Crime: O desaparecimento de Sabrina Oosterbeek, 30, levou a polícia da Holanda até um serial killer. Oosterbeek foi vista pela última vez na madrugada do Dia Internacional da Mulher, ao deixar seu apartamento no bairro de Geldershoofd e pegar sua bicicleta para encontrar alguém. Investigando o desaparecimento de Sabrina, a polícia chegou até Sjonny W., um trabalhador da construção civil, rastreando as ligações telefônicas da vítima. Além disso, a bicicleta da vítima foi encontrada em posse de Sjonny e em junho ele foi preso. Em novembro, a polícia holandesa anunciou que Sjonny foi ligado ao assassinato de duas outras mulheres através de exames de DNA. Monique Roossien foi morta e esquartejada em 2003 e Mirela Mos espancada até a morte em 2004 – por ter tido um envolvimento amoroso com Mirela, Sjonny chegou a dar uma entrevista para a TV holandesa na época. O corpo de Sabrina ainda não foi encontrado e a polícia presume que Sjonny a tenha assassinado. Após a divulgação de que Sjonny foi ligado aos assassinatos de Monique e Mirela, o serial killer tentou o suicídio na prisão.

Vídeo: reportagem da TV holandesa sobre o caso.

Siona Hernandeza - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

33. 41 meninasGuatemala


San José Pinula, Guatemala | 8 de Março

No Dia Internacional da Mulher, 41 mulheres foram queimadas vivas em um albergue na Guatemala e, tirando a família, ninguém chorou por elas. Não houve hashtag no Twitter nem mesmo uma reação internacional, muito menos uma notícia de cinco segundos na TV por aqui.

País pobre, a única alternativa de muitos pais para que seus filhos não passem fome é enviá-los para morar em albergues do governo, mas nesses lugares a situação é pior. Uma reportagem da Al Jazeera contou a história das irmãs Jilma e Grindy Carias, de 15 e 16 anos. Elas fugiram do albergue Virgen de la Asuncion e imploraram para que seus pais não as enviassem de volta. “Elas disseram que preferiam morrer a voltar para lá, pois estavam sendo maltratadas e não tinham o que comer“, disse a tia delas, Blanca Martinez. Mas as irmãs foram obrigadas a voltar e morreram no incêndio. Grindy só foi reconhecida pelo dente e Jilma por uma pinta que tinha perto da boca.

Acusações de estupros, maus tratos, falta de comida e higiene são comuns nos albergues da Guatemala, mas tais acusações são completamente ignoradas pelas autoridades.

Um tribunal do país já havia pedido ao governo para fechar a Virgen de la Asuncion em 2016, pedido que não foi atendido. O lugar parecia ser um campo de concentração cercado por guardas armados já que as fugas eram frequentes. Longe de serem rebeldes, as meninas e os meninos que para ali iam fugiam da fome, dos espancamentos e dos abusos sexuais. “Minha filha foi estuprada por um americano. Crianças eram constantemente maltratadas lá, especialmente as que tinham problemas mentais. Meninas eram classificadas de acordo com a aparência física, as mais bonitas eram colocadas em uma ala especial onde eram abusadas“, disse uma mãe ao site PlayGround. A filha dela, talvez por ser bonita, foi uma das poucas salvas do incêndio pelos guardas.

Em 2016, um escritório dos Direitos Humanos da Guatemala visitou o local e escreveu um documento revelando 45 infrações cometidas na instituição que iam desde abuso físico até a existência de uma rede de tráfico de crianças para fins sexuais. Três anos antes, dois professores haviam sido presos acusados de estuprar crianças.

Em 7 de Março, 104 meninas, cansadas dos abusos e desesperadas pela fome, fizeram uma rebelião e fugiram da Virgen de la Asuncion. Quarenta e sete foram caçadas e trazidas de volta com armas apontadas para a cabeça por guardas e colocadas em solitárias. Um dia depois, como punição, 56 garotas foram trancadas em um espaço de 6×7 metros e proibidas de usar os banheiros. Para conseguir fazer xixi, as meninas improvisaram barracas com colchões e uma delas, para chamar a atenção dos guardas e forçá-los a abrir a porta, colocou fogo em um dos colchões (algumas meninas questionam o fato de uma delas ter iniciado o incêndio). O fogo saiu do controle e as garotas, desesperadas, gritaram para os guardas deixá-las saírem. Eles apenas responderam:

“Para mim, vocês todas podem ir para o inferno!”

Os guardas ignoraram os pedidos das garotas e viram 20 delas serem queimadas vivas, alguns corpos ficaram além do reconhecimento. Outras 21 garotas morreram intoxicadas com a fumaça. Sete foram levadas de avião a hospitais dos Estados Unidos, uma morreu.

Chocados com o caso, uma multidão de guatemaltecos saiu às ruas para exigir justiça pelas vítimas.

Cinco dias depois, o diretor do albergue, o ministro e um diretor do escritório de bem-estar social do governo foram presos e acusados de homicídio, abuso de poder e abuso infantil. Em Junho, outros três oficiais do governo e dois guardas também foram presos. Alguns promotores do país querem acusar o Presidente do país, Jimmy Morales, mas esbarram em sua imunidade.

“O presidente contribuiu para o incêndio. Ele acendeu a faísca. Cinquenta e seis garotas naquele espaço, apenas imagine as condições”.

[Edgar Pérez, diretor do Bufete Jurídico de Derechos Humanos en Guatemala]

Severiano Tchivinda - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

34. Corta CabeçaAngola


Menongue, Cuando Cubango, Angola | 22 de Março

“Fico com as cabeças porque sei que os nossos reis viviam com as cabeças das pessoas nas suas próprias casas”.

[Severiano Tchivinda, serial killer]

O que acontece quando se coloca um psicopata assassino nas ruas? Ele mata novamente.

O angolano Severiano Tchivinda, 31, tem um currículo de dar inveja: machadadas nas pessoas, estupros de mulheres grávidas (que abortaram), tentativas de arrancar a cabeça dos outros, suspeitas de homicídios e por aí vai.

Mas a casa para ele caiu mesmo em Abril de 2017 quando foi preso acusado de ser o terrível “Corta Cabeça” – um serial killer missionário e colecionador de cabeças que agiu na cidade de Menongue durante os meses de março e abril.

A primeira vítima, Juliana Maria Viqueia, 17 anos, foi encontrada decapitada em 22 de Março. A cabeça não foi encontrada. A segunda vítima, Fernanda Mundele, 22, foi assassinada em 17 de abril. Ela também foi decapitada. Dias antes, um camponês foi atacado a golpes de machado quando voltava do trabalho. Pessoas apareceram e o agressor fugiu. Teria alguém louco ou violento naquelas bandas? Alguns se lembraram de Severiano. Uma visita à sua casa revelou as duas cabeças enfeitando sua estante. Como Jeffrey Dahmer, Severino queria montar um altar com crânios humanos.

Severiano Tchivinda havia sido preso um ano antes, em 3 de Março de 2016, como principal suspeito do assassinato em série de três pessoas no final de 2015 em Menongue. As vítimas foram encontradas com uma cruz desenhada na nuca. Solto por falta de provas, Severiano mudou seu modus operandi, passando a perseguir mulheres que ele considerava prostitutas ou homens, atacando-as e levando embora suas cabeças.

Julgado em Dezembro, Corta Cabeça foi condenado à pena máxima na Angola, 30 anos, pelos cinco assassinatos.

Jorge Evangelista - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

35. A Vingança do Botijão de GásBrasil


Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil | 28 de Março

Luciana Vieira Rodrigues, 33, já havia denunciado seu marido, Jorge Evangelista, 52, à polícia várias vezes. Mas eles sempre reatavam. Em 2017, cansada da truculência e ciúmes de Jorge, Luciana decidiu de uma vez por todas separar dele. Conseguiu na justiça medida protetiva para mantê-lo afastado e se mudou para a casa da mãe.

Enfurecido e com o “orgulho ferido”, Jorge invadiu a casa da sogra e matou a mulher e os próprios filhos, Wesley Vieira Evangelista, 8 anos, Emily Vieira Rodrigues, 10, e Evelyn Vieira Rodrigues, 13. Ele também deu um tiro na sogra, que sobreviveu.

Durante o ataque, o assassino deu um tiro que pegou em um botijão de gás, que explodiu, incendiando a casa e o corpo do próprio acusado. Jorge morreu na semana seguinte em decorrência das queimaduras.

Igor Vaclavic - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

36. Igor o RussoItália


Budrio, Emilia-Romagna, Itália | 1 e 8 de Abril

Ex-militar sérvio, perito em artes marciais, no uso de armas e sobrevivência na selva, Norbert Feher, ou Igor Vaclavic, 36, se converteu em um dos mais notórios assassinos solitários europeus dos últimos tempos. Apelidado de “Fantasma”, “Ninja”, “Rambo” e “Igor o Russo”, seu nome apareceu pela primeira vez em 2007 quando, vestindo uma bandana preta, passou a roubar fazendeiros com um arco e flecha em regiões remotas da Itália. Preso, foi solto em 2015 e se associou a três outros bandidos, dois eslovacos e outro romeno. Seus comparsas logo foram presos em conexão com o assassinato de um homem de 73 anos – Pier Luigi Tartari. Sozinho, Feher virou um lobo solitário e se tornou um verdadeiro pesadelo para os italianos quando em 1 e 8 de abril, matou o dono de um bar, Davide Fabbri, e um guarda municipal, Valerio Verri, na pequena Budrio. Furiosos, mais de mil pessoas se juntaram para caçar Igor o Russo, um homem que “não hesitaria em matar novamente“, alertou as autoridades. Mas ele simplesmente desapareceu. Como um fantasma.

O mensageiro da morte reapareceu em Dezembro, há mais de 1.500 quilômetros de distância.

Na remota Albalate, Espanha, uma verdadeira caçada humana se iniciou em 14 de Dezembro quando dois guardas civis e um civil foram assassinados. Os guardas civis Victor Romero e Victor Jesus Caballero investigavam uma série de roubos na área quando chegaram até a fazenda de Jose Luis Iranzo. Lá, eles toparam com Feher e não foram páreo para as habilidades com armas do sérvio. Os três caíram mortos. Dez dias antes, Feher atirou em dois outros homens, que sobreviveram. Ele foi capturado dias depois por forças especiais espanholas.

Como no primeiro filme do Rambo, Feher foi preso após deixar um rastro de destruição por onde passou.

Incêndio na Caverna - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

37. Morte na CavernaEspanha


La Molineta, Almería, Espanha | 3 de Abril

Uma rixa boba envolvendo adolescentes terminou em tragédia na tarde do dia 3 de Abril em uma popular região de cavernas em La Molineta, muito frequentada por adolescentes nos fins de semana.

Tudo começou devido a uma discussão entre Alejandro P., 21 anos, e um adolescente de 16 anos – identificado apenas como Z. Alejandro supostamente devia cerca de R$ 10 reais ao menor e o garoto queria receber a grana. Minutos depois, após Alejandro entrar em uma caverna, o menor ateou fogo em um sofá abandonado que repousava no interior do lugar. Logo, as chamas invadiram o interior da caverna. Um amigo do menor incendiário, de 17 anos, trancou a porta de saída. O que eles não sabiam era que, além de Alejandro, outras duas adolescentes, Naima, 12 anos, e Chyntia, 14 anos, também estavam no interior da caverna.

Ao escutar os gritos de desespero vindos do interior da caverna e o quão forte o fogo estava, o menor de 17 anos tentou abrir a porta, mas foi impedido pelo seu amigo de 16, que o segurou e começou a apedrejá-lo. “Ele estava calmo e tranquilo” enquanto as vítimas se debatiam e gritavam em desespero, revelou o promotor do caso. Alejandro e as duas amigas adolescentes morreram queimadas vivas. Os corpos ficaram completamente carbonizados e foram encontrados abraçados.

Os adolescentes envolvidos no crime foram julgados em Dezembro. Z. foi condenado a oito anos de reclusão mais cinco anos de liberdade vigiada. A pena máxima para menores infratores na Espanha é de 10 anos de reclusão.

Ataque em Sao Petersburgo - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017 - Capa

38. Explosão no MetrôRússia


São Petersburgo, Rússia | 3 de Abril

Akbarzhon Jalilov - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017Acusado: Akbarzhon Jalilov | 22 anos

O Crime: Em 3 de Abril, um dispositivo contendo cerca de 300 gramas de explosivos detonou em um trem que viajava entre as estações de Sennaya Ploshchad e Tekhnologichesky, em São Petersburgo. Imediatamente após a explosão, uma fumaça tomou conta do trem. Vídeos feitos com celulares mostram várias pessoas caídas no chão e uma das portas do trem destruída pelo impacto. Uma segunda bomba foi descoberta e desarmada na estação de Ploshchad Vosstaniya. O dispositivo continha parafusos e estilhaços e estava dentro de um extintor preenchido com quase um quilo de TNT. O homem por trás do ataque foi identificado como Akbarzhon Jalilov, nascido no Uzbequistão e que morava na Rússia desde 2011. Em 2014, ele teria viajado até a Síria e treinado com militantes do Estado Islâmico. No total, 11 pessoas foram presas nos dias seguintes suspeitas de planejarem o ataque ou de terem ligações com o grupo terrorista. Catorze civis morreram no ataque, dentre eles o campeão regional de kickboxing Denis Romanovich Petrov, 25. Outras vítimas incluem o universitário Maxim Vitalyevich, 20, Dilbara Alieva, 21, estudante de psicologia, Irina Medyantseva, 50, que salvou sua filha Elena debruçando-se em cima dela, e Mansur Sagadeev, 17, a vítima mais nova, que voltava para casa após a aula. Abaixo uma imagem de dentro do vagão mostra o que sobrou do corpo de Akbarzhon Jalilov.

A Covardia de Assad - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

39. A Covardia de Assad IISíria


Khan Shaykhun, Idlib, Síria | 4 de Abril

Em 4 de Abril, um ataque aéreo do governo sírio na cidade de Khan Shaykhun deixou centenas de civis envenenados. O lançamento de um gás tóxico, provavelmente sarin, matou 74 pessoas e feriu mais de 560.

O ataque usando armas químicas foi o mais mortal na guerra da Síria desde o ataque químico em Ghouta em 2013 [ver Crime 49, A Covardia de Assad, na edição de 2013]. Seis meses depois, uma investigação conduzida pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas concluiu que o presidente Sírio Bashar al-Assad estava por trás do ataque. Além disso, o ataque só foi possível porque a arma química utilizada foi retirada de antigas reservas sírias que Assad havia prometido destruir em 2013, o que indica que o governo de Damasco enganou sistematicamente inspetores internacionais nos últimos quatro anos.

Como escrevemos em 2013, “Quando uma autoridade extermina o seu próprio povo, ela perde toda e qualquer legitimidade.”

Uma pequena amostra do assassinato em massa pode ser vista no vídeo abaixo (não recomendado para pessoas sensíveis):


Extremismo na Suécia - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

40. ExtremismoSuécia


Estocolmo, Suécia | 7 de Abril

Quatro dias depois do ataque ao metrô de São Petersburgo, outro ato terrorista chocou os europeus.

Tudo começou quando um caminhão da cervejaria sueca Spendrups foi roubado enquanto fazia uma entrega na rua Adolf Fredriks Kyrkogata, região central de Estocolmo. O motorista da empresa ainda tentou evitar o roubo, parando na frente do caminhão, mas teve que pular após o ladrão acelerar em cima dele.

O criminoso dirigiu em direção à rua Drottninggatan e acelerou em alta velocidade atropelando as pessoas que faziam compras. Testemunhas revelaram que o homem tentava atropelar crianças enquanto ziguezagueava pela rua. Ele só foi parado quando perdeu o controle e invadiu uma loja de departamento na esquina com a Mäster Samuelsgatan. O caminhão pegou fogo, mas as chamas foram logo apagadas pelos bombeiros. O criminoso fugiu do local.

Cinco pessoas morreram atropeladas: o executivo britânico do Spotify Chris Bevington, 41, a psicóloga belga Maïlys Dereymaeker, 31, e as suecas Lena Wahlberg, 69, Ebba Åkerlund, 11, e Marie Kide, 66. Nove outras pessoas ficaram gravemente feridas, mas sobreviveram. No mesmo dia, a polícia prendeu Rakhmat Akilov, 39, do Uzbequistão. Akilov era um conhecido do serviço de inteligência sueco, apontado como uma “figura marginal” de ideias extremistas. Foi negado asilo a ele em 2016, dois anos após ele chegar na Suécia, mas ele se escondeu no norte do país e não pode ser deportado. Dois meses antes do ataque, autoridades do Uzbequistão o haviam colocado em uma lista de possíveis perpetuadores de ataques terroristas.

Como ironia do destino, a psicóloga Maïlys Dereymaeker trabalhava em um centro de imigração em seu país, ajudando pessoas que chegavam na Bélgica em busca de asilo, pessoas como Rakhmat Akilov, seu assassino.

Vídeo: reportagem da CNN mostra imagens da câmera de segurança de uma loja; pessoas correm para dentro para se protegerem do caminhão em alta velocidade.

Congo - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

41. Peixes ProibidosCongo


Luebo, Kasai, Congo | 8 de Abril

Em Outubro, um vídeo emergiu no Whatsapp mostrando uma mulher e um homem sendo punidos publicamente em Luebo, uma pobre cidade no sudoeste do Congo. O vídeo é uma rara evidência das atrocidades cometidas em um dos mais sinistros países do mundo.

Filmado em 8 de Abril, o filme tem sete minutos e quarenta segundos. As filmagens mostram Kalamba Kambangoma, um líder rebelde na região, segurando uma mulher nua pelos cabelos e dizendo na língua local Tshiluba que “ela deve morrer” por cometer o que ele chamou de ato de traição. Ele, então, entrega a vítima a uma outra mulher, de camiseta cor-de-rosa e bandana vermelha. Tais vestimentas são características do grupo anti-governo Kamuina Nsapu, responsável por um sem número de atrocidades nas tribos do estado de Kasai.

A mulher de rosa, então, leva a vítima até uma plataforma, construída pelos rebeldes que dominavam a cidade antes de serem expulsos pelo exército congolês. Lá, a mulher, na casa dos 40 anos, é obrigada a cometer incesto na frente da multidão com o filho da segunda esposa do seu marido, um jovem de 20 anos. O rapaz e a mulher são chicoteados pela mulher de rosa. Enquanto isso, homens, mulheres e crianças se acotovelam uns aos outros para uma melhor visão. Muitos filmam a sessão pública de tortura, aplaudindo e gritando.

Segundo a France 24, primeira rede de notícia a informar sobre o caso, a vítima seria proprietária de um pequeno restaurante na estrada que liga as cidades de Luebo e Mweka. Homens teriam aparecido em seu restaurante para almoçar e ela serviu a eles feijão e peixes. O que ela não sabia era que os homens supostamente seriam rebeldes inimigos dos Kamuina Nsapu. Acusada pelo conselho da cidade de traição, a mulher foi condenada à morte juntamente a um de seus funcionários, o jovem de 20 anos filho da segunda esposa do seu marido.

Após serem obrigados a fazer sexo, os dois foram decapitados a golpes de facão. O sangue, escorrendo, foi bebido por vários moradores locais. Os cadáveres foram deixados em exposição na praça pública local por dois dias até serem esquartejados.

Mandsi Gwanya - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

42. Monstro Canibal IIAfrica do Sul


Vila de KwaNtsila, Eastern Province, África do Sul | 19 de Abril

Kamvelihle-Ngala

Vítima: Kamvelihle Ngala | 4 anos

O crime: O pequeno Kamvelihle Ngala, 4 anos, desapareceu enquanto brincava com seus amigos na rua. Sua avó, Nontuthuezelo Gwanya, 70 anos, não encontrando o neto em lugar algum, começou uma busca na noite escura africana e logo recebeu uma dica da sua irmã: era melhor ela dar uma olhada na casa do sobrinho, filho de sua irmã, porque ela temia que ele “estava nas mãos de Satã“, além do mais, a própria mãe não “confiava nele“. Quando ela bateu na porta do sobrinho às duas da manhã, ele não a deixou entrar, mas ela forçou a entrada e logo a vizinhança inteira estava no lugar, assustados com os gritos da avó. Disse Gwanya: “Eu pensei que um porco havia sido massacrado, tinha tanto sangue, então eu vi a mão do meu pequeno menino e pedaços de carne. Ele me confessou que havia comido a carne do meu neto“. A polícia deu mais detalhes. “O corpo do menino estava no chão cortado em pedaços. O corpo foi cuidadosamente esfolado. O crânio estava dividido em dois, limpo, com os olhos removidos e pedaços do cérebro em um recipiente com sal. O tio disse que bebeu o sangue de Ngala e comeu o seu coração e cérebro. O fígado estava em um prato.” O acusado, Mandisi Gwanya, 30 anos, dispensou advogados e se declarou culpado de todas as acusações em audiências preliminares. Até a publicação deste texto ele ainda não havia sido julgado.

Congo - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

43. O Coração da EscuridãoCongo


Vila de Cinq, Congo | 24 de Abril

Em 2012, Eric Bikubi, 28, e sua namorada Magalie Bamu, 29, foram condenados na Inglaterra pelo assassinato do adolescente Kristy Bamu, 15. O casal acusou Kristy de praticar bruxaria, o garoto teria o poder de controlar e influenciar mentes. Ele foi torturado e espancado durante dias com facas, varas, barras de metal, azulejos de cerâmica, garrafas, martelo, alicates e um cinzel. Por fim, morreu afogado durante um ritual de “exorcismo”.

O casal que atualmente cumpre prisão perpétua é originário da República Democrática do Congo, país onde a bruxaria é chamada de Kindoki, e exorcismos são tão comuns quanto as peladas no Brasil.

O Congo não poderia deixar de fazer parte desta lista. O país hoje é o caos personificado e quando citamos o nome Congo duas coisas chamam a atenção: as “crianças feiticeiras” e a sanguinária matança de civis por milicianos supersticiosos e carniceiros.

  • As Crianças Feiticeiras

Estima-se que 50 mil crianças vivam ao relento nas ruas da capital Kinshasa. A maioria é expulsa de de casa pelos próprios pais por, acreditem, serem feiticeiros e bruxos. Uma vez nas ruas elas se tornam alvos fáceis para padres e fiéis supersticiosos que as pegam e as levam para igrejas onde são submetidas a rituais de exorcismo.

“Esses (crianças) feiticeiros, eles comem carne humana, eles bebem sangue humano. É o trabalho do demônio. A bruxaria mata o amor que está na criança. A preenche com ódio, as faz comer o próprio pai, a brigar com o irmão. Feitiçaria é parte de nossa tradição, parte da cultura congolesa. Crianças podem ser infectadas com magia, mas nós realizamos exorcismos para ajudar as crianças a encontrarem suas famílias novamente”.

[Padre Alexis Katziota Mungala, Igreja Católica de Gallicane – Daily Mail]

Quem não se lembra da dinamarquesa Anja Ringgren Loven dando água a uma criança desnutrida deixada ao relento pelos pais por ser um “bruxo”? Acusados de lançar feitiços, encaminhar a morte, doença, desemprego, gravidez, dívida, má sorte, ou até mesmo de matar parentes para comer suas carnes ou beber o sangue no meio da noite, essas crianças, estigmatizadas nas ruas como o ser que carrega o próprio diabo, não tem outro destino senão a morte. Poucas escapam.

  • Os Carniceiros Milicianos

Mais de um milhão de congoleses já fugiram do país devido à guerra civil que nos últimos anos deixou um rastro de mais de três mil mortes. E um ambiente caótico é tudo o que assassinos sádicos e psicopatas muitas vezes anseiam. Em Serial Killers – Anatomia do Mal, Harold Schechter diz que, “Ao longo dos milênios, quando guerras sangrentas eram parte da vida cotidiana das pessoas, um assassino psicopata que apreciasse fazer mal aos outros podia ingressar no exército e assassinar brutalmente homens, mulheres e crianças o quanto quisesse – e ainda ganhar uma promoção por isso. A famosa série de gravuras de Francisco Goya Os Desastres da Guerra (1810-1815) – com suas imagens de violação, castração e esquartejamento – deixa assombrosamente claro que o combate sempre proporcionou uma oportunidade para que sádicos uniformizados satisfizessem sua sede de sangue.”

Em junho, a ONU acusou o próprio governo congolês de apoiar uma milícia que mutilou bebês e esventrou mulheres grávidas na região de Kasai. “Minha equipe viu mulheres, crianças e bebês cujos membros foram esquartejados. Muitos bebês tinham marcas de facão e queimaduras. Pelo menos duas mulheres grávidas tiveram suas barrigas abertas e seus fetos foram mutilados“, revelou Zeid Ra’ad Al Hussein, em alto e bom som, em uma reunião do Conselho dos Direitos Humanos da ONU em Genebra. E esse é apenas um dos casos.

Em 24 de Abril, na Vila de Cinq, dezenas de homens, mulheres e crianças foram mortos a golpes de facão e queimados vivos. Nem mesmo os enfermos de um centro de saúde local tiveram suas vidas poupadas: 90 pacientes, médicos, enfermeiros e outras pessoas foram mortas a tiros ou a golpes de facão.

Em 9 de Dezembro, 15 pacifistas da Organização das Nações Unidas foram assassinados em um acampamento na Província de Kivu. Foi o pior ataque a humanitários da ONU em mais de 20 anos.

Uma coisa engraçada disso tudo é que se um homem armado entra em um shopping dos Estados Unidos e faz reféns, inicia-se toda uma mobilização mundial, com direito a links ao vivo da Globo e hashtag nas redes sociais #PrayFor… Agora o Congo. Ninguém liga para o Congo, o coração da escuridão do mundo.

Carecas Moçambique - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

44. Cuidado carecas!Moçambique


Milange, Zambezia, Moçambique | Maio

Em junho de 2017, a polícia do Moçambique emitiu um alerta para os carecas: era melhor eles saírem nas ruas de boné ou chapéu senão poderiam ser vítimas de assassinos ritualistas. O aviso foi devido aos assassinatos de dois homens carecas ocorridos em maio, na afastada cidade de Milange.

“Um deles foi encontrado decapitado e com os órgãos removidos”, relatou Miguel Caetano, porta-voz das forças de segurança da Província de Zambezia, à Agence France Presse.

Foram presos dois suspeitos na casa dos 20 anos em conexão com o duplo assassinato. Eles disseram que os órgãos seriam usados por feiticeiros em rituais de enriquecimento de clientes na Tanzânia e Malauí. Essa foi a primeira vez que homens carecas foram vítimas de tais ataques naquela região do país. Bruxos daquele lugar costumam fazer seus feitiços com partes de corpos de albinos.
No mesmo período, pelo menos 20 túmulos de homens carecas foram profanados e os crânios roubados.

Até o fechamento deste texto, três outros homens carecas foram assassinados em Milange.

“As motivações deles vem da superstição e cultura: a comunidade local pensa que pessoas carecas são ricas e que partes de seus corpos podem ser usados para enriquecer outros”.

[Inacio Dina, porta-voz da Polícia Nacional de Moçambique]

Vídeo: reportagem da TV de Moçambique sobre a caça aos carecas.

Massacre Estado Islâmico - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

45. Massacre de InocentesSíria


Vilas de Aqareb e Al-Mabujeh, Hama, Síria | 18 de Maio

As forças de coalização lideradas pelo exército sírio foram aos poucos diminuindo o poder e influência do Estado Islâmico no país. Perdendo a guerra, os terroristas fugiram, migrando para outras partes do país, mas sem antes massacrar várias aldeias e vilas na região central da Síria, deixando um rastro de destruição e corpos ao relento.

Em Maio, o Estado Islâmico cometeu uma de suas maiores atrocidades ao matar pelo menos 52 pessoas em duas vilas xiitas da Província de Hama. A maioria das vítimas eram mulheres e crianças que foram decapitadas e esquartejadas. Segundo autópsia feita pelo médico Rami Razzouk, as crianças foram mortas a pedradas, tijoladas e pauladas. “Duas das crianças foram decapitadas devido às tijoladas“, disse Razzouk, em matéria publicada na Time. O resto das vítimas eram homens, muitos mortos com tiros nos olhos.

Manchester - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

46. Explosão no ShowInglaterra


Manchester, Inglaterra | 22 de Maio

Às 22h31 de 22 de maio, um homem-bomba detonou um explosivo improvisado, embalado com nozes e parafusos – para atuar como estilhaços -, no pavilhão Manchester Arena. O ataque ocorreu após uma apresentação da cantora americana Ariana Grande. De acordo com evidências apresentadas no inquérito do caso, a detonação da bomba matou pessoas que estavam a 20 metros de distância. No total, 23 pessoas morreram, incluindo o terrorista suicida, e mais de 500 ficaram feridas.

O perpetuador do ataque foi identificado como Salman Ramadan Abedi, 22 anos, um muçulmano sunita britânico de origem libanesa. Nascido na própria Manchester, seus pais fugiram da Líbia de Muammar Gaddafi em 1994, se estabelecendo na cidade inglesa e vivendo uma vida pacata e “super religiosa“. Abedi era conhecido do serviço de inteligência britânico e, apesar de ter sido denunciado por cinco líderes islâmicos devido às suas visões extremistas e radicais, e de ter sido expulso de uma mesquita, a polícia não o considerava perigoso. Segundo a investigação final, Abedi agiu sozinho, construindo por si mesmo uma bomba rudimentar que tirou sua vida e a de outras 22 pessoas.

Narcosatânicos - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

47. NarcosatânicosMéxico


Villahermosa, Tabasco, México | 22 de Maio

Os leitores do blog acostumados com as atrocidades do narcotráfico mexicano todos os anos nos notórios e horripilantes saiba que em 2017 as coisas pioraram, e muito.

O ano de 2017 bateu o recorde histórico de homicídios no país dos Astecas. Até novembro, foram registrados uma média de 80 homicídios por dia, mais de 26 mil no ano e esse número irá aumentar quando o governo fechar com os dados do mês de Dezembro. A situação é tão trágica que o londrino International Institute for Strategic Studies classificou o país como o segundo mais violento do mundo, atrás da Síria e à frente do Afeganistão, Iêmen e outras nações em guerra.

Os números não mentem, o governo do Presidente Enrique Peña Nieto está perdendo a guerra contra o tráfico de drogas, e quanto mais os cartéis ascendem, mais o terror aumenta.

Uma das inúmeras histórias horripilantes ocorridas durante o ano começou em uma loja de veículos usados chamada Autos Aladino, na periferia de Villahermosa. No dia 22 de Maio, bandidos invadiram a loja e mataram cinco pessoas que ali estavam, decapitando viva uma delas. Outras duas foram decapitadas após a morte e outras duas degoladas. Quatro dias depois, um corpo esquartejado foi encontrado em uma estrada no município de Nacajuca, 30 quilômetros de Villahermosa. As extremidades dispersadas sobre o asfalto tinham pouco sangue, o que levou os peritos a concluírem que os membros haviam sido congelados. Em 29 de Maio, a polícia invadiu uma fazenda em Nacajuca e encontrou em um freezer outras partes do cadáver encontrado na estrada. Partes do corpo foram mantidos conservados para serem comidos pelos traficantes em rituais macabros de iniciação.

Canibalismo, porém, não é uma prática nova no México. Quem tem dúvidas basta ler a história de um dos mais assustadores traficantes de lá, o Padrinho Adolfo Constanzo.

Em 20 de Dezembro, seis homens foram encontrados dependurados pelo pescoço em pontes de Los Cabos e La Paz, no estado de Baja California Sur. Em Los Cabos, a corda de um dos corpos arrebentou e o corpo, ao cair no chão, foi despedaçado por um caminhão. Em 30 de Janeiro, três policiais foram sequestrados em Tabasco por narcotraficantes e decapitados vivos. Em 26 de maio, no município de Juan Rodríguez Clara, estado de Veracruz, cinco homens foram encontrados decapitados. Dois meses antes, no mesmo estado, uma cova coletiva contendo 250 crânios foi descoberta. Ainda em Veracruz, dois irmãos, Juan Salvador Patiño, 27, e Jorge Luis, 31, e a namorada de um deles, Denisse Yazaret Morales Juárez, 28, foram decapitados, mutilados e seus corpos, enrolados com sacos e fita adesiva, deixados no meio da rua de Xalapa.

Esses são apenas alguns dos quase 30 mil assassinatos cometidos no México durante o ano de 2017. Uma rápida pesquisada na Internet e vocês encontrarão centenas de outros casos envolvendo esquartejamentos e decapitações.

Preeyanuch Nonwangchai - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

48. Bebês AssassinasTailândia


Bangkok, Tailândia | 23 de Maio

“Rostinhos bonitos, mentes cruéis.”

[MSN Australia]

🚩🅰©O News🌍🚩*_Pembunuh kejam jadi popular kerana terlalu cantik_**_BANGKOK,THAILAND :_*_Seorang suspek utama kes…

Posted by INFO KINI on Thursday, June 8, 2017

“Essas mulheres foram fotografadas aplicando maquiagem na delegacia, posando e rindo com oficiais de imigração e até aplicando máscaras antes de dar entrevistas […] aparentemente as assassinas mais sem remorso do mundo”.

[News Australia]


“Este crime foi considerado o mais macabro assassinato já acontecido na Tailândia”.

[The New York Post]

Court issues 4 warrants for body-in-bags…

Posted by Thai Expat life & news on Monday, May 29, 2017

“Mesmo sendo caçadas pela polícia, as mulheres pareciam despreocupadas. Imagens de câmeras de segurança flagraram as suspeitas fazendo compras, carregando bolsas listradas, olhando vestidos em lojas”.

[News Australia]

Coisas estranhas podem acontecer após a descoberta de um crime hediondo. O Maníaco do Parque, por exemplo, conseguiu um monte de namoradas. Já três meninas da Tailândia, após partirem uma jovem mulher ao meio em maio de 2017, se tornaram celebridades da noite para o dia. É, as Anittas da Tailândia não são cantoras, mas sinistras assassinas.

Até mesmo um nome artístico elas ganharam, “Assassinas Bebês”, deixando um turista desavisado a pensar se tratar de uma banda de pop de meninas um pouco mais rebeldes. A obsessão da mídia local com o caso e o comportamento delas levou a “empreendedores” criarem recordações como a abaixo. Que tal um chaveiro em forma de serra?

Talvez as moças adolescentes da Tailândia quisessem algo mais útil. A bolsa listrada das assassinas se tornou um dos itens mais procurados e vendidos. Virou moda.

O crime que elas cometeram foi descrito como o mais macabro assassinato já cometido na Tailândia (obviamente um exagero da mídia sensacionalista), e uma das coisas que chamou a atenção foi a completa falta de remorso das meninas. Elas foram fotografadas na delegacia tranquilamente, aplicando maquiagem, posando e rindo com os agentes e até aplicando máscaras na pele antes de aparecer diante das câmeras de TV.

Bizarramente, a mais bonita das três, Preeyanuch Nonwangchai, 24 anos, foi glorificada como uma “femme fatale”. Nonwangchai, juntamente a suas “parças” Kawita Ratchada, 25, e Apiwan Sattayabundit, 28, assassinaram e partiram ao meio o corpo de Warisara Klinjui, 23; A popstar femme fatale Nonwangchai era uma delinquente juvenil que vendia drogas junto ao namorado. Quando a vítima denunciou para a polícia o amor de Nonwangchai, ela decidiu ensinar uma lição a Klinjui.

O crime obviamente é horripilante, mas o que mais me chamou a atenção neste caso foi a histeria em torno da assassina. A mídia tailandesa a tornou um ídolo para os adolescentes e Nonwangchai durante semanas foi o nome mais comentando nas redes sociais, além do rosto estampar capas de revistas e reportagens de TV – uma, inclusive, reproduziu um áudio do Whatsapp de Nonwangchai ao seu namorado, onde ambos trocavam palavras de cunho sexual – o chamado sexo virtual. Os gemidos da moça foram anunciados pelo William Bonner tailandês após os comerciais.

Eu paro por aqui.

Fazenda Santa Lúcia - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

49. Massacre na Fazenda Santa LúciaBrasil


Pau D’arco, Pará, Brasil | 24 de Maio

Sobre este crime, disponibilizo abaixo o vídeo da ONG Repórter Brasil.


Badoo - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

50. BadooNigeria


Ikorodu, Lagos, Nigéria | 28 de Maio

Desde 2016, uma violentíssima gangue vem aterrorizando a população de Ikorodu. São estupros e assassinatos de famílias inteiras. O primeiro assassinato teria sido cometido em Julho de 2016, desde então, mais de cem pessoas, incluindo bebês, foram mortas.

Eles não carregam armas ou facões, mas pedras ou argamassa. Eles invadem casas no meio da noite e esmagam as cabeças das vítimas com as pedras e argamassa. “Eles não são espíritos, mas invadem casas na calada da noite e esmagam as cabeças de uma família inteira“, disse Israel Ajao, Inspetor Geral da Polícia de Lagos. Após o massacre, os Badoos limpam o sangue com roupas brancas e vão embora. “Isso é bizarro e um fetiche, um ritual“, adiciona Israel. As mulheres são as vítimas preferidas, mas o homens são mortos para expressar poder.

Durante o ano de 2017, ataques deixaram dezenas de mortos. Sem uma resposta das autoridades, rumores começaram a surgir, como a de que o culto poderia hipnotizar suas vítimas ou se tornarem invisíveis. As roupas encharcadas com o sangue das vítimas seriam vendidas para magos que as usam em rituais de magia para trazer poder e prosperidade para os seus clientes. Cada peça de roupa custaria mil trezentos e oitenta e cinco euros, uma verdadeira fortuna para os padrões nigerianos.

Apesar de dezenas de prisões de suspeitos e da intervenção do exército, durante o ano de 2017 a ira entre os moradores que se sentem abandonados à própria sorte aumentou. Cansados de passar noites em claro com medo de um ataque, eles criaram milícias que patrulham as ruas à noite. O problema? Eles não hesitam em linchar ou atear fogo naqueles que consideram suspeitos. Vários inocentes foram mortos.

Alguns casos incluem uma mãe, Iyabo, e seus dois filhos, David, 4, e Rachael, 8, mortos em 21 de Novembro dentro de uma igreja. Em 4 de Julho, duas mulheres e uma criança de dois anos foram assassinados dentro de outra igreja no bairro de Owode Weighbridge. Em 28 de Maio, uma família de cinco pessoas foi massacrada no bairro de Itamaga. O casal Taofiq e Simiat Agbaje, grávida de seis meses, os três filhos, Rodiat, 10, Toyeebat, 8, e Mardiya, 13, tiveram suas cabeças esmagadas e foram (diferentemente de outros casos) esfaqueados. O sangue e pedaços dos cérebros das vítimas foram levados. No final de junho, um homem suspeito de pertencer ao Badoo foi queimado vivo.

Quem são esses assassinos? O que eles querem? Como se organizam? São perguntas que os nigerianos são sabem responder.

Vídeo: a população raivosa de Ikorodu lincha um suspeito de pertencer ao culto assassino Badoo.

Rede Haqqani - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

51. Família SopranoAfeganistão


Cabul, Afeganistão | 31 de Maio

O terceiro pior ataque terrorista do ano (e o pior da história de Cabul) ceifou a vida de mais de 150 pessoas no Afeganistão quando um caminhão bomba explodiu em uma movimentada rua da capital do país, perto da embaixada da Alemanha, por volta das 8h25, horário local.

O bairro diplomático, uma das regiões mais vigiadas e seguras de Cabul, viu um caminhão com cerca de uma tonelada e meia de explosivos estacionar em uma esquina. Ninguém saiu de dentro dele. Poucos segundos depois, mais de 150 pessoas estavam mortas e mais de 300 foram levadas a hospitais com queimaduras, lacerações e amputações. A explosão causou danos num raio de quatro quilômetros e abriu uma cratera de mais de nove metros.

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque. A inteligência afegã acredita que o grupo guerrilheiro insurgente paquistanês Rede Haqqani foi o responsável.

“Eles são os Sopranos da Guerra do Afeganistão, uma violenta família criminosa que construiu um império sobre a prática de sequestro, contrabando e extorsão. Eles traficaram pedras preciosas, madeira roubada e exigiram dinheiro para a proteção de empresas responsáveis pela construção de estradas e escolas com fundos americanos.

Eles guardam seu território montanhoso plantando bombas terrestres e atacando remotas bases militares dos EUA. E eles são acusados por autoridades americanas de serem ‘armas de aluguel’: uma força usada pelo serviço de inteligência paquistanês para realizar ataques em Cabul e em todo o país.”

[The New York Times – Brutal Haqqani Crime Clan Bedevils U.S. in Afghanistan]

Sayabanna Sharanappa Konnur - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

52. Família AssassinaÍndia


Vila de Gundakanala, Bijapur, Índia | 3 de Junho

Por dois anos, Banu Begum, 21, e Sayabanna Sharanappa Konnur, 24, mantiveram o relacionamento amoroso escondido das famílias. As diferenças entre os dois os faziam acreditar que não poderiam viver o amor que sentiam um pelo outro na frente de todos. Ela era muçulmana e ele era um Dálit.

Em 22 de Janeiro de 2017, a família da moça descobriu o namoro e os homens da família dela espancaram Sayabanna. Seus pais a arrastaram até a delegacia de polícia e a obrigaram a fazer uma falsa denúncia de estupro contra o namorado. Eles estavam bastante alterados e dizendo a todo momento ao delegado que Banu era menor de idade.

No dia seguinte o casal fugiu para a costa indiana, se estabelecendo no estado de Goa, há mais de 700 quilômetros de distância. Longe da família, Banu e Sayabanna puderam viver o que milhões de pessoas ao redor do mundo desfrutam sem nenhuma dificuldade: uma vida a dois. Em Fevereiro, eles se casaram; Banu ficou grávida e, quatro meses depois, eles decidiram voltar para dar a feliz notícia aos seus familiares. Eles achavam que eles os aceitariam de volta.

Mas não.

O casal apareceu na Vila de Gundakanala no sábado de manhã, 3 de Junho, e ambos deram as notícias aos parentes: eles estavam casados e Banu grávida. Os familiares dos dois, mais uma vez, não aceitaram a união dos dois. O pai, tio e irmãos de Sayabanna o espancaram. Ele também apanhou da mãe, irmão e irmã da esposa, e também foi apedrejado pela sogra. Mas ele conseguiu escapar. Banu não.

Ele correu para a delegacia bastante ferido e contou de todo o incidente. Mas enquanto ele voltava para salvar Banu, a família já havia ateado fogo nela“, relatou uma autoridade policial ao jornal indiano The Logical Indian.

Sayabanna viu sua esposa grávida ardendo em chamas e gritou por socorro. Os vizinhos, todos eles, apenas assistiram ela queimar e fecharam suas portas e janelas. Eles também achavam o casal um erro.

Antes de ser queimada viva pela própria família, Banu foi esfaqueada várias vezes no ventre.

A mãe da vítima, irmã e irmão foram presos. O pai de Sayabanna também foi preso. Outros quatro acusados, duas irmãs mais velhas de Banu e outros dois irmãos, conseguiram fugir.

Kauan - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

53. Horror, Horror, HorrorBrasil


Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil | 25 de Junho

“Até a polícia ficou espantada com a atrocidade que fizeram com o guri”.

[Aline Sinnott, delegada de polícia]

Em um dos casos mais aterradores de assassinatos em série da história, o americano Dean Corll assassinou pelo menos 28 crianças e adolescentes na década de 70. Para conseguir vítimas, Corll corrompeu dois adolescentes – o psicopata dava dinheiro a eles e em troca os garotos atraíam outros garotos como eles para a alcova do serial killer. Uma vez lá, as vítimas eram brutalmente estupradas, torturadas e assassinadas.

O brasileiro Deivid Almeida Lopes, 38 anos, provavelmente nunca ouviu falar de Dean Corll, mas seu modus operandi se assemelhava bastante ao do serial killer do Texas. Como Corll, Deivid usava de sua idade e situação financeira para assediar e corromper menores. Ele dava dinheiro a crianças e adolescentes em troca de favores sexuais. Bastante pobres, os garotos faziam qualquer coisa por cinco reais. Em um ponto, a relação ficou tão normal para alguns adolescentes que eles começaram a levar crianças até a casa do professor e em troca recebiam algum trocado.

No dia 25 de Junho, Kauan Andrade Soares dos Santos, 9 anos, saiu para brincar na rua e cruzou no caminho de três dos adolescentes. Ao olhar para o menino, os garotos enxergaram o dinheiro que poderiam ganhar com ele. Eles o atraíram, levando-o até a casa de Deivid.

Uma vez lá dentro, Kauan começou a ser estuprado pelo professor, mas como ele se debatia, chorava e gritava muito, Deivid pediu para que os adolescentes o segurassem enquanto ele tapava sua boca e o violentava. Minutos depois, a criança se desfaleceu, sangrando pela boca. O estupro foi tão violento que Kauan morreu. Deivid, então, pediu para que um dos adolescentes saísse e chamasse um quarto. Quando este chegou, o professor obrigou que os quatro estuprassem o cadáver da criança. Como Dean Corll, o poder e o medo que Deivid exercia sobre os adolescentes fez com que eles o obedecessem prontamente.

Após a prática de necrofilia, Deivid pegou um facão e esquartejou o corpo de Kauan na frente dos garotos, colocando os pedaços em um saco preto. Os cinco entraram dentro de um carro e Deivid dirigiu até a beira de um rio, onde deixou o saco em cima de uma pedra, voltou e deixou os adolescentes no bairro onde moravam. Após deixá-los, o professor voltou ao rio, pegou o saco preto e voltou para a sua residência. No imóvel, o homem foi até um cômodo que fica nos fundos e lá esquartejou pela segunda vez as partes do corpo de Kauan.

Os restos mortais da vítima nunca foram encontrados. A polícia suspeita que Deivid tenha descartado no córrego Anhanduí. “Inteligente, frio e meticuloso”, Deivid negou o crime desde o início e, segundo o delegado do caso, passados cinco meses do fato, ele nunca entrou em contradição.

Abaixo a residência de Deividson no Street View, local onde o “Dean Corll” brasileiro abusou de dezenas de crianças e assassinou Kauan.

Escravos Sírios - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

54. Escravizados e Assassinados ILíbano


Arsal, Baalbek, Líbano | 4 de Julho

Sírios que fogem da guerra e das atrocidades do Estado Islâmico não encontram melhores condições de vida no país vizinho, o Líbano. Os sofridos sírios apenas trocam de abusadores. Quem não ouviu a história da casa “No Lugar de Maurice”, local onde foram encontradas 75 mulheres sírias mantidas como escravas sexuais? Arrastadas pelos cabelos após cruzarem a fronteira, essas mulheres eram obrigadas a fazer sexo com desconhecidos pelo valor de cinco reais. Elas eram espancadas, torturadas e eletrocutadas, às vezes açoitadas se não atingissem a meta de pelo menos 10 relações sexuais diárias. Somente saíam da casa para realizar abortos ou tratar de doenças venéreas contraídas dos clientes.

E não são apenas as mulheres que sofrem. Segundo o jornal italiano Nena News, cerca de 200 mil crianças sírias trabalham como escravas em plantações de feijão e batata no país. Muitas outras podem ser vistas nas cidades trabalhando na construção civil. A maioria, órfãos da guerra, sem pai nem mãe ou separados dos familiares ao cruzarem a fronteira, encontram um destino cruel nas mãos de aproveitadores e traficantes humanos libaneses.

No mercado de tráfico humano de crianças sírias "meninas entre 12 e 16 anos são chamadas de pistaches, as entre 17 e 20 são chamadas de cerejas, de 20 a 22 são maçãs e qualquer pessoa mais velha é uma melancia", revelou a organização End Child Prostitution, Child Pornography and Trafficking of Children for Sexual Purposes. Foto: Reuters.

No mercado de tráfico humano de crianças sírias “meninas entre 12 e 16 anos são chamadas de pistaches, as entre 17 e 20 são chamadas de cerejas, de 20 a 22 são maçãs e qualquer pessoa mais velha é uma melancia”, revelou a organização End Child Prostitution, Child Pornography and Trafficking of Children for Sexual Purposes. Na imagem uma criança síria que conseguiu chegar até a Europa e vive em um campo de migrantes e refugiados na fronteira da Grécia com a Macedônia. Foto: Reuters.

Em 2007, o documentário francês “Liban, Pays des Esclaves” (Líbano, País de Escravos), criticou duramente a sociedade e autoridades libanesas pelo tratamento dispensado aos migrantes. Ao invés de se sentirem ultrajados pelo conteúdo do filme, muitos libaneses expressaram desgosto para com o cineasta, organizando até mesmo uma petição online contra o documentário. Um documento da Human Rights Watch revelou que trabalhadores do Sri Lanka tiveram seus passaportes confiscados e eram confinados no trabalho 24 horas por dia. Eles não podiam usar o telefone e aqueles que tentavam fugir eram presos dentro de quartos e vigiados. Algumas mulheres eram estupradas e uma chegou a ser presa por autoridades após o seu patrão acusá-la de roubo. Após dois anos presa, a moça foi solta – ela trabalhou dois anos sem receber e quando cobrou o patrão, o mesmo fez uma falsa acusação de roubo.

No Líbano, migrantes e refugiados são tratados a xingamentos e pedradas.

Em Julho, quatro sírios foram mortos pelo exército libanês após serem pegos em um campo de refugiados. Eles foram identificados como Mustafa Abd el Karim Absse, 57, Khaled Hussein el-Mleis, 43, Anas Hussein el-Husseiki, 32, e Othman Merhi el-Mleis. Um quinto refugiado, Toufic al Ghawi, 23, também teria sido torturado e assassinado, “Toufic não parecia humano. Sua carne estava dilacerada“, disse uma testemunha.

“As fotos revelam traumas físicos generalizados nas extremidades superior e inferior. A falta de feridas defensivas sugere que essas lesões foram infligidas enquanto as vítimas estavam reprimidas ou incapacitadas… Várias das fotos são consistentes com lacerações causadas por suspensão dos pulsos. Seria razoável concluir que a morte desses homens foi o resultado da violência sob custódia, embora a causa exata da morte não possa ser prevista com base nas informações e fotografias enviadas. Qualquer declaração de que a morte destes indivíduos foi devido a causas naturais é inconsistente com essas fotografias.”

[Dr. Homer Venters, médico da HRW – as fotos dos refugiados sírios torturados e mortos foram enviadas à Human Rights Watch e podem ser vistas na galeria de imagens desta reportagem]

Escravos na Líbia - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

55. Escravizados e Assassinados IILíbia


Tripoli, Líbia | 5 de Julho

“Garotos grandes e fortes para trabalho na fazenda. 400? 700? 800?”

Então você acha que a escravidão é coisa do passado e que atualmente só pode ser relembrada através de filmes?

Em Novembro, a Organização Internacional para Migrações (OIM) revelou a história de um senegalês vendido no mercado escravo. “Ele descreveu condições sanitárias precárias, com comida sendo servida apenas uma vez ao dia. Alguns migrantes que não podiam pagar eram assassinados ou deixados sem comida até a morte“, dizia o relatório.

Na Líbia, o mercado de escravos só cresce. Isso porque o país é uma das pontes para migrantes africanos que querem chegar até a Europa. A americana CNN contou a história de Victory, um nigeriano que queria chegar até a Europa mas foi vendido como escravo na Líbia. Ele foi libertado após a família comprá-lo de volta. O valor: $200 dólares. Já a Organização das Nações Unidas emitiu uma nota em outubro clamando uma “ação urgente para acabar com o comércio de pessoas escravizadas na Líbia. Está claro que a escravidão é uma realidade ultrajante na Líbia. Os leilões são uma reminiscência de um dos capítulos mais sombrios da história humana, quando milhões de africanos foram desarraigados, escravizados, traficados e leiloados para o melhor comprador.”

No final de Novembro, o ex-ministro da aviação da Nigéria, Femi Fani-Kayode, publicou uma série de posts em seu perfil no Twitter, “Assado vivo“, escreveu ele. “Isto é o que líbios fazem com africanos subsaarianos que procuram por um ponto de transição até a Europa. Eles os vendem no mercado de escravos e até os matam, mutilam, torturam ou os fazem trabalhar até a morte“. Em um dos tuítes publicados pelo ex-ministro, três “escravos” aparecem com as barrigas cortadas; eles teriam tido órgãos removidos para serem vendidos. Ele ainda revelou que os que morrem nas cirurgias tem os corpos incinerados.

No final de Outubro, o somaliano Osman Matammud, 22, foi condenado à prisão perpétua na Itália por dezenas de assassinatos, estupros torturas e sequestros de africanos que chegavam até a Líbia em direção à Europa. Em Novembro, a Al Jazeera revelou em uma reportagem cenas horrendas de migrantes pendurados em árvores e enforcados em pontes por traficantes de pessoas na cidade de Seba – uma porta de entrada para muitos refugiados vindos de toda África. O necrotério da cidade estaria superlotado de corpos, muitos se decompondo dentro de refrigeradores.

“Mohamad Hasan, um líbio morador de Seba, disse à Al Jazeera por telefone que testemunhou cinco mulheres sendo vendidas de um homem para outro que imediatamente as forçou na prostituição.”

Foto: Imagem publicada no Twitter do ex-ministro da aviação da Nigéria, Femi Fani-Kayode, mostra um migrante africano “assado vivo”.

Vídeo: reportagem da CNN mostra um leilão de escravos na Líbia.

Cosmo Dinardo - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

56. 4×2Estados Unidos


Newtown, Pensilvânia, Estados Unidos | 5 de Julho

O universitário Jimi Taro Patrick, 19 anos, desapareceu em 5 de Julho de 2017 em Newtown, Pensilvânia. Dois dias depois, Dean A. Finocchiaro, 19 anos, desapareceu de Middletown Township, vizinhança a 14 minutos de Newtown. No mesmo dia, os amigos Mark R. Sturgis, 22 anos, e Thomas C. Meo, 21 anos, desapareceram de Newtown. Parentes tentaram contatar os jovens, mas o celular de ambos só dava na caixa postal.

No dia seguinte, 8 de Julho, a polícia rastreou o celular de Finocchiaro até uma fazenda em Solebury Township, povoado a cerca de 20 quilômetros de Newtown. A fazenda pertencia a Antonio e Sandra DiNardo, empresários do ramo da construção civil. Investigando mais a fundo, a polícia se interessou pelo fiho do casal, Cosmo DiNardo, 20 anos, esquizofrênico e delinquente. Em 12 de Julho, DiNardo foi preso e acusado de roubar e tentar vender o carro de um dos desaparecidos, Thomas Meo. Pressionado por todos os lados, o jovem confessou ter matado os quatro desaparecidos juntamente com um amigo, Sean Michael Kratz, 20 anos.

DiNardo não deu um motivo para as mortes, ele parecia querer apenas se divertir. DiNardo ludibriou os quatro conhecidos para a sua fazenda com a promessa de fumarem maconha e lá brincou de Deus – matou-os a tiros e tentou experiências com os cadáveres. Um foi esmagado com uma escavadeira e os outros três atirados às chamas em um latão de metal. O que restou dos corpos foi enterrado na fazenda de seus pais com a ajuda de Kratz.

Quatro assassinatos em apenas dois dias. A polícia acredita que se não fosse o trabalho rápido em identificá-lo, o adolescente louco poderia ter feito mais vítimas.

Matador de Crianças de Kasur - serial killer

57. Assassinatos em série de crianças


Kasur, Paquistão | 8 de Julho

Seis meses e 10 assassinatos, todas crianças entre 5 e 10 anos, todas estupradas, assassinadas e deixadas em casas em construção.

O matador em série de crianças de Kasur atacou pela última vez em 8 de julho, ao estuprar e estrangular uma menina de 8 anos no assentamento Shah Inyat Colony. O primeiro assassinato aconteceu em janeiro, quando uma garotinha de cinco anos foi encontrada amordaçada em uma casa em construção perto de onde morava.

Os 10 assassinatos ocorreram em um raio de 10 quilômetros. Cerca de 150 pessoas já foram levadas sob custódia e interrogadas, mas os crimes permanecem sem solução.

Fernanda Pereyra - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

58. Santa MorteArgentina


Rincón de los Sauces, Neuquén, Argentina | 20 de Julho

“Este gesto cruel e mórbido tem a ver com o 666, o número bíblico da Besta”.

Foram minutos de sofrimento, horror e agonia para a jovem Fernanda Pereyra, assassinada aos 26 anos. Ela estava grávida de seis meses.

Seu corpo foi encontrado em um lote baldio na cidade de Rincón de los Sauces, e ao lado do cadáver também foi encontrado restos de tábuas, borrachas e uma considerável quantidade de combustível. Fernanda foi reduzida a cinzas.

A polícia determinou que a moça foi morta durante um ritual satânico: o lote ficava no quilômetro 6 da rota 6 e ela tinha 6 meses de gravidez; 666, o número da Besta.

Seiscentos e sessenta e seis é, talvez, a referência mais famosa do Apocalipse. O trecho que o cita diz: “Quem tiver discernimento, calcule o número da besta, pois é número de homem, e seu número é 666“.

Três homens foram presos em conexão com o crime: Luciano Hernández, Osvaldo Castillo e Diego Marillán. Luciano seria um ex-namorado de Fernanda e suspeita-se ser o pai da criança que a vítima gerava. Traficantes de drogas, os três homens eram praticantes do satanismo e crenças africanas e tinham o corpo coberto por tatuagens com figuras demoníacas. Investigadores argentinos acreditam que Fernanda foi dada em sacrifício à “A Santa Morte”, o santo dos narcotraficantes, e ao “Exu Destranca Rua”, entidade da quimbanda, um culto angolano. Na casa de um dos suspeitos foi encontrado um bode, que segundo eles seria sacrificado em outro ritual satânico.

Canibais - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

59. A Sociedade dos CanibaisAfrica do Sul


Estcourt, Província de KwaZulu-Natal, África do Sul | 25 de Julho

Zanele HlatshwayoVítima: Zanele Hlatshwayo | 25 anos

O Crime: Em 25 de julho, a jovem Zanele Hlatshwayo saiu em viagem em direção à cidade de Pietermaritzburg para visitar sua avó. No meio do caminho ela parou em Estcourt, há cerca de 36 quilômetros de seu destino final, para ver alguns parentes. Ela nunca mais foi vista. Cerca de um mês depois, um homem adentrou na delegacia local e fez uma revelação chocante: “Sabe, Sr. Policial, estou cansado de comer carne humana“. O policial riu, então o homem tirou uma mão e uma perna de um saco como prova. Na casa do suspeito jazia um corpo decapitado, oito orelhas em uma panela e várias outras partes de corpos humanos. O feiticeiro, conhecido pelo apelido de “Mkhonyovu” [Corruptor, na língua local], 32 anos, foi preso juntamente com quatro cúmplices e um exame de DNA confirmou que o corpo sem cabeça encontrado em sua casa era de Hlatshwayo. Os acusados, Nino Mbatha, o Corruptor, Sithembiso Sithole, Lindokuhle Masondo, Lungisani Magubane e Khayelihle Lamula, fariam parte de uma sociedade canibal; eles matavam pessoas e as comiam em rituais para prosperidade financeira. Além disso, eles distribuíam a carne das vítimas aos vizinhos, que comiam acreditando ser de origem animal. Quando os acusados apareceram em um tribunal em Outubro, a polícia teve muito trabalho para conter a fúria da população, pois além de consumir carne humana, muitos os culpam pelas dezenas de desaparecimentos na região.

Caça as Bruxas - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

60. Caça às BruxasTanzânia


Região de Tabora, Tanzânia | 25 de Julho

Na Tanzânia, a crença na bruxaria remonta a séculos e é uma maneira que o povo supersticioso encontra para explicar os infortúnios da vida como a morte, colheitas fracassadas e a infertilidade. Mas isso pode ser uma cortina para a baixeza do ser humano; se a vizinha arruma um namorado mais bonito ou se o vizinho está interessado na terra do seu pai, eles podem acusar um inocente.

Nas últimas décadas, milhares de mulheres idosas (as vítimas preferidas) foram estranguladas, espancadas até a morte, queimadas ou enterradas vivas após serem denunciadas como bruxas. Se elas tiverem os olhos vermelhos então, o que é comum em uma sociedade onde ninguém nunca foi ao médico e que passou a vida inteira trabalhando e dormindo ao relento, as acusações veem mais fácil.

Em 25 de Julho, cinco mulheres idosas foram acusadas de serem feiticeiras e tiveram seu destino traçado pela ignorância. Uma multidão enfurecida as espancou antes de as queimarem vivas em fogueiras, como fazíamos há 600 anos atrás. A diferença é que hoje podemos experimentar um pouco de justiça. Trinta e duas pessoas que participaram da barbárie foram presas e acusadas de assassinato.

Em agosto, um estudo [57] de grupos de direitos humanos da Tanzânia mostrou que de Janeiro a Junho de 2017, 479 pessoas foram assassinadas pela chamada “justiça popular”. Esse número inclui dezenas de mulheres acusadas de serem bruxas.

Sérgio Sirotsky - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

61. Filhinho de PapaiBrasil


Florianópolis, Santa Catarina, Brasil | 6 de Agosto

Muitas vezes vemos casos de crianças que nascem em berço de ouro e crescem sem limites e inconsequentes. Tendo tudo ao alcance das mãos, sem saber o que é ter dificuldades na vida ou trabalhar para pagar o aluguel ao final do mês, essas pessoas acabam perdidas em seu mundo fantasioso de poder e dinheiro. Comprando tudo e todos com seu status, elas podem acabar por pensar, mesmo inconscientemente, que estão acima do bem e do mal.

Herdeiro do grupo RBS, afiliada da Rede Globo no sul, o nome de Sérgio Orlandini Sirotsky, 21, apareceu pela primeira vez em 2010 quando, juntamente com dois outros amigos, dopou e estuprou violentamente uma colega de escola. “Eu como quem eu quiser“, disse o menino a colegas em uma rede social – local onde combinaram o estupro. Sirotsky enfiou um controle remoto na vagina da adolescente desacordada e tentou matá-la, estrangulando-a, mas a moça foi salva pela mãe de Sirotsky que chegou na hora. Após dar uma surra em seu filho, a mulher se acalmou e pensou no nome que a família tinha. Ela vestiu a menina desacordada, enrolou um cachecol em seu pescoço para esconder as marcas e ligou para seus pais dizendo que ela tinha desmaiado de tanto beber. Na época, o caso foi abafado pela grande mídia (só foi noticiado pela Record). O famoso blogueiro Mosquito, um dos poucos a investigar e divulgar o caso, sofreu ameaças de morte e encerrou as atividades de seu blog Tijoladas em Dezembro de 2011 afirmando: “O blog Tijoladas acabou para eu continuar vivo“. Uma semana depois ele foi encontrado morto. A polícia rapidamente disse ter sido um “suicídio”. Um dos amigos de Sirotksy, que participou do estupro coletivo e tentativa de assassinato, era filho de delegado de polícia. Os três meninos não sofreram qualquer tipo de punição.

O que pode pensar um adolescente inconsequente que se acha o dono do mundo se não há freios dos pais ou pior, das autoridades? Em 6 de Agosto, Sirotksy disputava um racha com seu amigo Eduardo Rios, 25, quando atropelou três pessoas em uma rodovia cujo nome é do seu tio-avô, fundador do Grupo RBS. Uma das vítimas, o universitário Sérgio Teixeira da Luz, 23 anos, morreu cinco dias depois. Sirotsky fugiu sem prestar socorro e se negou a comparecer na delegacia. Até mesmo a Polícia Civil se “enganou” e não pediu perícia técnica no local.

Como em outros envolvendo figuras abastadas da sociedade, o caso se arrasta com a habitual demora e silêncio da mídia.

Zelimkhan Bakaev - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

62. ExpurgoChechenia


Grózni, Chechênia | 8 de Agosto

Zelimkhan Khoussainovich Bakaev, 25, nasceu em Grozny, Chechênia, e desde cedo mostrou uma incondicional paixão pela música, começando a cantar ainda criança. Trabalhou durante um ano e meio na Secretaria de Cultura de Grozny e fez parte de um conceituado conjunto artístico chamado Stolitsa, se apresentando na Chechênia e em outras regiões do Cáucaso. Em carreira solo, lançou músicas que se tornaram sucesso, ficando bastante conhecido em seu país, na Inguchétia, Daguestão e até na Rússia, para onde se mudou em 2012. Ele foi um dos escolhidos para a décima temporada do programa de TV Fabrika Zvyozd, versão russa do Star Academy, um reality show que mostra jovens cantores em início de carreira.

Mas Bakaev não chegou a aparecer na TV. Em 8 de Agosto, ele viajou até sua cidade natal Grozny para o casamento de sua irmã. Horas depois ele desapareceu.

Bakaev se tornou o rosto mais conhecido de uma ação que mais parece uma piada de mau gosto. É difícil acreditar nessa história, que em pleno século 21 ainda existam pensamentos tão retrógrados por parte daqueles que tem o dever de nos proteger e dar o exemplo.

Essa história começa em primeiro de Abril quando o jornal independente russo Novaya Gazeta publicou uma matéria informando que mais de 100 homens foram sequestrados pelo governo da Chechênia. O motivo? Eles seriam homossexuais e bissexuais. Os homens teriam sido levados para o que observadores internacionais de direitos humanos chamaram de “campos de concentração cuja existência ninguém oficialmente sabe“. Torturados, pelo menos três homens morreram. O artigo, citando fontes chechenas, chamou a onda de detenção de “varredura profilática“.

Em alguns países do Cáucaso é crime ser gay e a homossexualidade pode, inclusive, ser penalizada com a morte pelo próprio governo. Quem não se lembra dos notórios e horripilantes de 2016 e o caso de Adam Aliev (Crime 64)? Ela foi picada pela própria família, em um famoso “crime de honra”, bastante comum na região. Alguns gays chechenos sequestrados teriam sido até libertados para suas famílias, com a promessa dos próprios familiares matá-los. A France 24 deu mais detalhes:

[Um sobrevivente disse] ‘Eles diziam aos familiares para matar seus filhos. Eles diziam: ‘Ou vocês fazem ou nós iremos fazer. Limpem sua honra com sangue’. Eu testemunhei a tortura de um homem por duas semanas. Ele posteriormente foi morto pela própria família, eles o pegaram e o mataram em uma floresta’.”

Em publicações posteriores, o Novaya Gazeta e o britânico The Guardian revelaram mais detalhes: de 30 a 40 homens eram mantidos em salas apertas por meses sem nenhum tipo de acusação. Eles eram espancados com tubos de polipropileno e varas na região genital e nádegas, e torturados com eletricidade. Um homem que foi libertado de um dos campos revelou à Human Rights Watch:

“Eles apareceram com um tubo oco e um arame farpado e pegaram um cara. Eles colocaram o tubo dentro dele, no ânus. Então eles enfiaram o arame farpado dentro desse tubo e depois tiraram o tubo. Eles foram puxando lentamente o arame farpado para fora”.

Muitos não eram gays e eram sequestrados de forma aleatória. “Uma blitz policial me parou e eles encontraram estojos de maquiagem, que eram da minha mulher, e isso foi o suficiente para me fazer um alvo. Eles me perguntaram: ‘Você é bicha? Se você for, nós vamos atirar em você aqui mesmo.'”, relatou um homem que conseguiu convencer os policiais de sua orientação sexual e escapar.

Em Julho, o Novaya Gazeta publicou algo assustador: o nome de 27 homens assassinados pela polícia chechena em apenas um dia, 25 de Janeiro.

Enquanto organismos internacionais de direitos humanos passaram o resto do ano trazendo à tona as histórias e cobrando a ação de países do ocidente, o governo checheno negou tudo. O presidente Ramzan Kadyrov chegou a afirmar que tudo não passava de “tolices” disseminada por “demônios” e que “não existia gays na Chechênia“.

Zelim Bakaev continua desaparecido. Ativistas LGBT da região afirmaram que o cantor foi torturado até a morte, “Ele chegou em Grozny e foi pego pela polícia em menos de três horas. Dez horas depois ele já estava morto“.

Vídeo: Zelim Bakaev cantando Доьхна Дог:

UC3 Nautilus

63. O homem que não amava as mulheresDinamarca


Baía de Køge, Dinamarca | 10 de Agosto

Esta história envolve dois conhecidos personagens escandinavos.

O primeiro: Peter Madsen, 46, é um conhecido engenheiro e empreendedor dinamarquês, fundador de várias empresas, incluindo a Rocket Madsen Space Lab, especializada na pesquisa, desenvolvimento e construção de foguetes baseados em motores híbridos de poliuretano e peróxido de hidrogênio. Um de seus hobbies preferidos é construir submarinos; ele construiu três: o UC1 Freya, o UC2 Kraka e o UC3 Nautilus. O mini-submarino UC3 Nautilus foi lançado em 3 de Maio de 2008 em Copenhague após três anos de construção a um custo aproximado de 200 mil dólares.

O segundo: Kim Wall, 30, premiada jornalista sueca, trabalhou para os maiores jornais do mundo, incluindo o The Guardian e The New York Times e para a revista Time. Seu currículo ainda incluía trabalhos como porta-voz da União Europeia em viagens à Ásia e em embaixadas da Suécia ao redor do globo. Trabalhando em uma nova reportagem para a famosa revista americana Wired, Kim Wall teve o seu destino cruzado com a do engenheiro e empresário dinamarquês Peter Madsen: uma entrevista a bordo do seu mini-submarino UC3 Nautilus.

A jornalista Kiim Wall em trabalho nas Ilhas Marshall. A reportagem que ela escreveu enquanto esteve na ilha venceu o Prêmio Hansel Mieth de melhor reportagem digital. Foto: Hendrik Henzel/Coleen Jose.

A jornalista Kiim Wall em trabalho nas Ilhas Marshall. A reportagem que ela escreveu enquanto esteve na ilha venceu o Prêmio Hansel Mieth de melhor reportagem digital. Foto: Hendrik Henzel/Coleen Jose.

Por volta das 19h do dia 10 de Agosto, Kim Wall entrou dentro do Nautilus para entrevistar o seu criador. Madsen daria uma volta com a jornalista na baía de Køge enquanto ela o entrevistava e fazia suas anotações para a reportagem. Quando o mini-submarino não voltou no horário estipulado, o namorado da jornalista emitiu um alerta às autoridades e uma operação de busca marítima e terrestre foi iniciada. Na manhã do dia seguinte, às 10h30, o UC3 Nautilus foi avistado pelo farol de Drogden entre a Dinamarca e a Suécia. Ele ficou na superfície por cerca de 30 minutos e então afundou. Um barco privado que passava no momento resgatou Madsen. Quando autoridades marinhas chegaram, conseguiram trazer o mini-submarino de volta à superfície. A jornalista Kim Wall estava desaparecida.

Enquanto as buscas por Kim Wall continuavam, em 11 de Agosto, Madsen foi preso e acusado de homicídio negligente. A polícia suspeitava que ele tivesse afundado conscientemente o submarino. Na delegacia, o famoso empresário mudava sua versão cada vez que conversava com os investigadores. Inicialmente ele disse ter deixado a jornalista no porto de Copenhague na noite do dia 10. Depois mudou sua versão e disse ter jogado o corpo de Wall no mar após ela morrer em um acidente dentro do submarino. Em 23 de Agosto, um tronco humano foi encontrado em uma praia da cidade de Amager e identificado como sendo de Wall. Segundo a autópsia, o tronco havia sido esfaqueado diversas vezes, possivelmente para evitar que ar e gases o inflasse e o levasse até a superfície. A maioria dos golpes, porém, foram dados nos órgãos genitais. Havia também um pedaço de metal amarrado ao tronco, o que levou os investigadores a concluírem que quem o fez queria que o tronco ficasse no fundo do mar.

O empresário Peter Madsen (ao centro) durante custódia policial após ser resgatado em alto-mar.

O empresário Peter Madsen (ao centro) durante custódia policial após ser resgatado em alto-mar.

No dia 6 de Outubro, dois mergulhadores da polícia encontraram na baía de Køge dois sacos plásticos contendo uma cabeça, pernas, roupas e uma faca. Seis dias depois, uma serra foi localizada pelos mergulhadores. Em 21 e 29 de novembro, pedaços de braços humanos amarrados a barras de metal foram encontrados no fundo da baía, a cerca de um quilômetro de onde a cabeça e as pernas foram encontradas. A cabeça e os membros foram identificados como sendo de Wall. Uma nova autópsia não conseguiu revelar a real causa da morte.

Em 5 de Setembro, Madsen mudou novamente sua versão e disse que Wall morreu após ele se desequilibrar e a tampa da escotilha (de cerca de 70 kg) acertar a cabeça da jornalista, fazendo-a cair. Após o acidente, ele teria esquartejado o corpo de Wall porque entrou em um estado de “psicose suicida“, não pensando racionalmente. Mas essa versão foi prontamente contestada pelos promotores do caso. A perícia policial encontrou fios de cabelo de Wall e manchas de sangue dela no banheiro do submarino, além de sua calcinha e sutiã na sala de máquinas. Para piorar, no computador do engenheiro foram encontrados vídeos que mostram mulheres sendo violentamente mortas e amigos dele testemunharam já tê-lo pego assistindo a vídeos de decapitação e asfixia oral. Em sua última versão, Madsen revelou que Wall morreu após ingerir monóxido de carbono enquanto estava no deck.

O julgamento de Peter Madsen está previsto para começar em Março de 2018.

Foto publicada pela agência Reuters mostra Peter Madsen e Kim Wall a bordo do UC3 Nautilus.

Foto publicada pela agência Reuters mostra Peter Madsen e Kim Wall a bordo do UC3 Nautilus. Ela seria brutalmente assassinada dentro do submarino pouco tempo depois.

Um fato curioso (e também horripilante) do caso é que a polícia dinamarquesa desconfia que Madsen seja um macabro serial killer operando na Escandinávia. Em 1986, Kazuko Toyonaga, uma japonesa de 22 anos, desapareceu após sair do Japão em direção à Dinamarca para passar suas férias. Os restos mortais desmembrados de Toyonaga foram encontrados nas águas que banham Copenhague nas semanas e meses seguintes. O caso nunca foi solucionado e foi reaberto pela polícia. Poderia Toyonaga ter sido a primeira vítima de Madsen? Marinheiro de primeira viagem, ele poderia ter aprendido com o “erro” e passado a amarrar pesos nos corpos esquartejados para eles nunca mais saírem do fundo do mar.

No fim das contas, o que fica desse caso é que Kim Wall teve o azar de cruzar com um maníaco. E não foi em uma festa numa chácara distante ou em um beco mal iluminado ao voltar da casa de um amigo. Foi durante o seu trabalho, com uma pessoa pública, conhecida e bem sucedida em seu ramo de atuação. Fica uma pergunta, quem na face da terra pode suspeitar dos Peter’s Madsen’s que andam entre nós?

Vídeo: UC3 Nautilus em operação. Peter Madsen pode ser visto no vídeo dando uma aula a engenheiros de várias partes do mundo sobre o então “maior submarino privado do mundo”.

Crime de Honra - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

64. Eletrocutados pela Jirga


Ali Brohi Goth, Karachi, Sindh, Paquistão | 15 e 16 de Agosto

De acordo com o grupo de direitos humanos Aurat Foundation, mais de mil mulheres são mortas todos os anos no Paquistão – o país mais perigoso do globo para uma mulher viver, segundo uma pesquisa de 2014. Do outro lado, o número de condenações é quase zero.

As duas covas mostradas na imagem acima pertencem a um casal de adolescentes da tribo Mohmand, ambos foram mortos sem piedade por seus próprios parentes, sob ordens dos conselheiros da tribo.

Os jovens selaram seu destino na noite do dia 15 de Agosto. Bakht Taj, 15, tentou fugir com seu namorado, Ghani Rehman, 17, mas falhou. Eles queriam ter mais liberdade, poder fazer as próprias escolhas. Eles não queriam ter o mesmo destino de jovens como eles, o de se casar com o homem ou mulher escolhido pelo pai. Mas a fuga não foi planejada da forma como deveria ser, coisa de adolescente, de seres humanos muito jovens e imaturos. Eles não pensaram nos problemas que poderiam aparecer, no que fazer se algo der errado etc.

Eles logo foram localizados e algo deveria ser feito. Os pais dos dois, Hikmat Taj e Muhammad Afzal discutiram e concordaram que eles deveriam se casar. E para acalmar a família da moça, Afzal ainda prometeu a mão de outras duas filhas suas – algo muito comum nas regiões tribais do Paquistão: oferecer jovens filhas como compensação por disputas.

Hikmat Taj e Muhammad Afzal. Foto: Geo TV.

Hikmat Taj e Muhammad Afzal. Foto: Geo TV.

Parecia que os adolescentes tinham se dado bem, mas no dia seguinte, em uma assembleia tribal (Jirga), um ancião, Sartaj Khan, rejeitou a decisão da família e ordenou:

“Eles devem morrer pela honra da tribo e para servir de lição às nossas crianças”.

Sob às ordens da Jirga, em 15 de Agosto, o pai e o tio de Bakth a mataram através de choques elétricos. No dia seguinte, o pai de Rehman fez o mesmo. Ambos foram sepultados na calada da noite.

Os anciãos da Jirga também advertiram às famílias e os locais sobre as terríveis consequências se alguém abrisse o bico para a mídia ou polícia. Uma semana depois, alguém (possivelmente um informante da polícia) alertou as autoridades sobre o duplo assassinato. “Uma vez que esta área era uma antiga fortaleza do Talibã, várias agências policiais mantêm uma rede de informantes, é assim que descobrimos sobre assassinatos horripilantes“, revelou um policial.

Todos os envolvidos no crime foram presos com exceção do ancião Khan, que fugiu.

“A corrente elétrica era de tão alta tensão que queimou toda a carne, rasgando os músculos e os tendões dos braços; afetou o coração com uma força tão mortal que provocou uma crise cardíaca instantânea. Em todos os meus anos de serviço esta foi a primeira vez que vi tanta brutalidade em um caso de assassinato de honra”.

[Dr. Qarar Ahmed Abbasi, médico legista]

Vídeo: reportagem da TV paquistanesa sobre o caso.

La Rambla - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

65. Adolescentes & TerroristasEspanha


Barcelona, Espanha | 17 de Agosto

Younes AbouyaaqoubAcusados: Younes Abouyaaqoub 22, Houssaine Abouyaaqoub, 19, Moussa Oukabir, 17, Said Aallaa, 19, Youssef Aallaa, Mohammed Hychami, 24, Omar Hychami, 21, Abdelbaki Es Satty, 44

O Crime: Na tarde do dia 17 de Agosto, o marroquino Younes Abouyaaqoub [foto], 22, matou 13 pessoas ao atropelá-las com uma Van em alta velocidade na turística rua de La Rambla. Outras 130 pessoas ficaram feridas no ataque. O jovem assassino em massa fugiu do local a pé, então esfaqueou até a morte Pau Pérez, 34, para roubar seu carro e escapar. Nove horas depois, outros cinco homens pertencentes à mesma célula terrorista do marroquino mataram Ana Maria Suarez, 61, atropelada em Cambrils. Um dia antes, uma explosão ocorreu em uma casa na cidade espanhola de Alcanar, destruindo o prédio e matando dois terroristas, incluindo o líder Abdelbaki Es Satty, 44. A polícia acredita que os terroristas planejavam atentados a bomba em Barcelona, um alvo seria a linda basílica Sagrada Família, mas a explosão acidental em Alcanar os fez mudar de planos. Todos foram mortos pela polícia espanhola. Vídeo: turista filma atropelados após o atentado. Vídeo não recomendado para pessoas sensíveis.


Tamires - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

66. Psicopata Jr.Brasil


Goiânia, Goiás, Brasil | 23 de Agosto

Dickson - Tamires Paula de AlmeidaDickson - Tamires Paula de AlmeidaAcusado: Dickson | 13 anos

O Crime: A estudante Tamires Paula de Almeida, 14 anos, foi assassinada por um menino de apenas 13 anos que morava no mesmo prédio e estudava na mesma escola. O menino (foto à esquerda), que não teve o nome divulgado [mas chamaria-se Dickson], a matou com requintes de crueldade e sadismo, atacando-a nas escadas do prédio e desferindo 10 facadas. Então, como se nada tivesse acontecido, ele foi para a escola e confessou à coordenadora que tinha o mesmo plano para duas outras crianças. “Você via que ele não era uma pessoa normal, calado, estranho“, relatou uma vizinha. “Ele a esperou na porta do elevador do prédio e, quando ela saiu, a arrastou [até a escada]. Ele tentou matá-la jogando a cabeça dela contra a parede várias vezes, mas verificou que ela não morreu. Então ele pegou a faca e deu várias facadas nela de forma bastante violenta, tanto é que a faca entortou“, relatou o delegado Luiz Gonzaga Júnior. Já o promotor de justiça Frederico Santos, disse que Ele já acordou com esse impulso pra matar alguém. Ele não demonstra remorso. O que nos assusta é esse comportamento mecânico.”

Nordahl Lelandais - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

67. Tio NonoFrança


Vila de Pont-de-Beauvoisin, Auvergne-Rhône-Alpes, França | 27 de Agosto

Quem é Nordahl Lelandais?

O simpático “Tio Nono”, como alguns de seus parentes o chamam, é incapaz de qualquer infâmia. É o que diz sua família. “Meu filho não é um monstro. Ele ama as crianças, especialmente sua pequena afilhada. Nordahl é o novo Patrick Dils“, disse sua mãe Christiane. [Nota: Patrick Dils, condenado e depois absolvido pelo homicídio de dois filhos em Montigny-lès-Metz em 1986].

Sua irmã Sven tem a mesma opinião: “Meu irmão é incapaz de machucar uma criança. Ele está muito perto do meu filho com quem brinca sempre que estão juntos. Ele nunca teve um gesto violento ou inadequado contra ele. Meu irmão é vítima de assédio judicial e midiático. Ele é cem por cento inocente!“. Já o amigo de infância Damien revelou que Nordahl é “um cara sensível que eu já vi chorando ao ler uma história de uma garota“. Outro amigo também corroborou: “Minha filha me contou que o Tio Nono sempre foi legal com ela.”

Mas outros depoimentos retratam um lado obscuro e perturbador do Tio Nono. São problemas com drogas, violência, ameaças, incêndios criminosos…

Ex-amigos e ex-namoradas de Nordahl revelaram que ele era “violento, mentiroso e manipulador“. Durante suas mudanças de humor, ele teria ameaçado e até perseguido velhos amigos, muitos temendo pela vida. Um ex-patrão também tem uma má lembrança dele: “Nordahl trabalhou aqui como motorista há cinco anos. Inicialmente, ele trabalhava bem. Então, ele tornou-se incontrolável e agressivo, chegando a me assustar. Quando eu quis demiti-lo, ele ameaçou atear fogo à minha empresa. Eventualmente ele se foi e foi um verdadeiro alivio.”

Em 2007, após cinco anos no Exército trabalhando como adestrador de cães, Nordahl foi dispensado devido ao “seu comportamento psicológico instável” e uso de drogas. Em 2008, foi condenado a um ano de prisão por tacar fogo em um restaurante da cidade de Paladru.

Atualmente encarcerado, o Tio Nono não parece preocupado com as acusações que pesam sobre ele. “Ele não dá sinais de estar preocupado. Ele certamente está na defensiva. Ele parece tranquilo, bom de cabeça“, revelou um guarda ao jornal Le Parisien.

Mas qual o motivo dele estar preso?

Maëlys de Araujo desapareceu em 27 de Agosto após ir a um casamento na Vila de Pont-de-Beauvoisin. Foto: The Local.

Maëlys de Araujo desapareceu em 27 de Agosto após ir a um casamento na Vila de Pont-de-Beauvoisin. Foto: The Local.

Maëlys de Araujo, 9, desapareceu de vista durante uma festa de casamento na Vila de Pont-de-Beauvoisin, perto da cidade de Chambery, uma tranquila região de montanhas, florestas e lagos. Apesar de uma exaustiva busca e centenas de interrogatórios, a polícia falhou em encontrar qualquer traço dela. Três meses depois, em Novembro, a polícia francesa disse ter encontrado a chave para elucidar o misterioso desaparecimento da menina, um homem de 34 anos que também estava presente no casamento: Nordahl Lelandais.

O DNA de Maëlys foi encontrado no carro de Nordahl, além disso, vídeos de uma câmera recuperados de um carro que seguia em sentido contrário em uma estrada mostra Lelandais dirigindo o seu carro com uma pessoa “pequena, vestida de branco” no banco do passageiro. Quando ele retornou para o casamento, câmeras de segurança não mostravam mais a pessoa. Maëlys estava vestida de branco e por 39 minutos o celular do suspeito permaneceu desligado, tempo em que os investigadores acreditam que ele matou a menina. Militar e com conhecimento de investigação, Nordahl saberia que se fosse pego a polícia rastrearia seu aparelho, então ele o desligou. O corpo da vítima ainda não foi encontrado.

Apesar das evidências, Nordahl continua negando envolvimento no sumiço de Maëlys, o que irritou promotores e a família da vítima. “Ele responde tudo de forma calma, mantendo seu ar de incredulidade com a situação“, revelou o promotor Jean-Yves Coquillat.

E esta história não termina por aqui.

Enquanto escrevemos este texto, surgiu a notícia de que Lelandais seria um serial killer. Em 21 de Dezembro último, Lelandais foi acusado do assassinato do soldado Arthur Noyer, 24, visto pela última vez pedindo carona em 12 de Abril na cidade de Chambery. A polícia não deu mais informações de como ligou o Tio Nono ao desaparecimento de Arthur.

E se segurem que lá vem mais.

101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

Chambery fica a apenas 50 quilômetros de Annecy. Em 2012, a bucólica Annecy, nos Alpes franceses, foi palco de um dos mais misteriosos casos de assassinatos não resolvidos desta década. Uma família de turistas, o iraquiano Saad al-Hilli, 50, sua esposa Iqbal, 47, sua mãe Suhaila al-Allaf, 74, e um ciclista francês, Sylvain Mollier, 45, foram assassinados nos Alpes a tiros, como se tivessem sido caçados. As duas filhas de al-Hilli, uma menina de quatro anos (que se escondeu debaixo das pernas da mãe) e a outra de sete (que levou um tiro na cabeça e outro no ombro), sobreviveram. Na época, a polícia francesa suspeitou de execução e investigou o passado de Saad como engenheiro do governo iraquiano – ele era um dos cabeças no desenvolvimento de tecnologias de satélite e nucleares no Iraque. Mas nada foi comprovado. Anos depois, o promotor do caso, Vernoque Dizot, chegou a dizer que a família e o ciclista poderiam ter sido “atacados aleatoriamente” por um psicopata, “um assassino solitário e perturbado psicologicamente“.

Com a prisão de Lelandais, a polícia francesa reabriu o caso dos Alpes e suspeita de que ele possa estar por trás dos assassinatos.

Rohingya - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

68. Limpeza ÉtnicaMianmar


Vila de Tula Toli, Rakhine, Mianmar | 30 de Agosto

Os rohingyas são um grupo étnico, majoritariamente de muçulmanos, que por séculos vivem na budista Mianmar (também conhecida como Birmânia). Estima-se que existam 1 milhão e 100 mil rohingyas, mas eles não são considerados mianmarenses – oficialmente, o governo não os reconhece. Renegados, a maioria vive em Rakhine, o estado mais pobre de Mianmar, em campos abertos e guetos, sem direitos à educação, saúde, trabalho, ir e vir ou de possuir terra ou propriedade. Casar? São proibidos. Eles são como os Dálits da Índia com a diferença que os Dálits são reconhecidos por seu país. Vistos como a escória da sociedade de Mianmar, durante décadas os rohingyas sofreram com o preconceito e abusos; marginalizados, eles literalmente vivem como animais jogados ao relento. Para se protegerem dos próprios conterrâneos, ao longo das décadas, foram se estabelecendo em Rakhine, vivendo juntos, compartilhando o que não tinham.

Em 25 de Agosto, quando agentes da lei foram mortos em um posto policial no estado de Rakhine, o governo tinha quem culpar: os rohingyas. A solução para essa escória “violenta”? O extermínio. Revelou a Human Rights Watch (HRW) no relatório de 30 páginas intitulado “Massacre no Rio: Crimes do Exército Birmanês contra a Humanidade em Tula Toli“:

“As atrocidades do exército birmanês em Tula Toli não foram apenas brutais, elas foram sistemáticas. Soldados praticaram assassinatos e estupros de centenas de Rohingya com uma eficiência tão cruel que só poderia ter sido realizado através de um plano avançado”.

Tudo o que se sabe sobre esse genocídio veio de sobreviventes que conseguiram cruzar a fronteira para Bangladesh. O relatório da HRW foi escrito após entrevistas com 18 dos cerca de 655 mil Rohingyas que conseguiram fugir.

Um desses sobreviventes, Mohammed Zakaria, 51, revelou à HRW que os moradores da vila de Tula Toli juntaram-se em uma praia próxima para se protegerem. Ele escapou cruzando um rio a nado. “Os soldados começaram com os homens mais fortes, mataram eles a tiros. Alguns dos idosos foram mortos com facões e as crianças esfaqueadas e picadas com facão, algumas foram espancadas e mortas com varas de pau“, disse ele. Os corpos foram amontoados e queimados. Sobreviventes deram mais detalhes no vídeo abaixo:

O grupo Médicos Sem Fronteiras estimou que pelo menos seis mil e setecentos Rohingyas foram assassinados apenas no mês de Agosto. O massacre na vila de Tula Toli foi apenas um de vários que ocorreram durante agosto e setembro.

“Os militares me torturaram. Eles mataram meus pais, me levaram para a floresta, me jogaram no chão e vários deles me estupraram ao mesmo tempo. Eles esmagavam as cabeças das crianças nos troncos das árvores, jogavam crianças e idosos em casas pegando fogo e matava os homens com tiros”.

[Minara, 25 anos, sobrevivente, ajudada por outros refugiados que a encontraram na floresta]

Obs.: na foto título deste crime, uma criança Rohingya chora desesperadamente por suprimentos que estavam sendo distribuídos por um caminhão perto do campo de refugiados Balukali em Bangladesh. Foto: Getty Images.

O Casal Canibal

69. Amor Canibal
Rússia


Krasnodar, Krasnodar Krai, Rússia | Setembro

Um celular perdido levou a polícia a uma das mais sinistras descobertas criminais dos últimos tempos. Sem dúvidas eu colocaria este crime no Top 10 crimes de 2017. Saiba porquê.

Em Setembro, homens que trabalhavam reparando o asfalto de uma rua na cidade de Krasnodar se depararam com um celular jogado fora. Curiosos, os homens ligaram o aparelho e começaram a mexer, acessando a galeria de imagens. O que eles viram os deixou horrorizados: havia a foto de uma cabeça humana com uma mão enfiada na boca, outra foto de uma cabeça humana sendo preparada em um banquete, outra de um escalpo no chão, outra de um homem posando com cabeças etc. Os homens, claro, correram para a polícia.

O chip estava em nome de Dmitry Baksheev, 35. Ele morava com sua mulher Natalia Baksheeva, 42, em um apartamento de uma área militar. Lá, a polícia encontrou, em uma geladeira, restos de carne humana, de cachorro e de gato. Partes de um corpo humano foram encontrados congelados em um freezer, assim como pele humana. Os restos mortais encontrados no apartamento eram da vítima final do casal, Elena Vashrusheva, 35, uma garçonete.

Dmitry admitiu cerca de 30 assassinatos cometidos desde 1999. As vítimas, supõe-se a maioria de mulheres, eram ludibriadas, principalmente, em sites de relacionamentos. Uma vez na alcova dos serial killers, eram estupradas, assassinadas, picadas em pedacinhos e tinham suas carnes preparadas em banquetes canibais. Elena teria sido morta porque Natalia a achou bonita e ficou com ciúmes. Autoridades de Krasnodar continuam investigando o caso.

Abaixo: Fotos disponibilizadas pelas autoridades mostram um jarro contendo carne humana; um escalpo feminino; uma mesa de jantar servindo uma cabeça; e uma cabeça com uma mão enfiada dentro da boca [esta última não está claro se é Dmitry ou a cabeça de uma vítima].

Abaixo: vídeo da polícia russa mostra o interior do apartamento do casal canibal.

Comandante - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

70. O ComandanteNigeria


Obeiba, Kogi, Nigéria | 3 de Setembro

Lukman IssahAcusado: Lukman Issah | 45 anos

O Crime: O reinado de terror do nigeriano Lukman Issah, 45, conhecido como “Comandante”, durou 16 longos anos, tendo um fim em 3 de Setembro, quando ele foi morto a tiros por um esquadrão especial da polícia da Nigéria. “Ele era um incendiário e serial killer sangrento. Nos últimos anos ele adentrou no mundo do crime, deixando muitos mortos, assaltos e incêndios pelo caminho“, disse a polícia em nota. É creditado ao Comandante cerca de 150 assassinatos, incluindo seis assassinatos de policias e a chacina na igreja Deeper Life Bible, em 2012, onde matou 19 fiéis. Após anos matando pessoas, Issah teria montado uma gangue que espalhou o terror no estado de Kogi, invadindo igrejas, casas e postos policiais, matando as pessoas a sangue frio, roubando seus pertences, armas e munição. Após ser alvejado pela polícia em Obeiba, ele foi levado ainda com vida para o hospital e no caminho teria implorado aos policiais para não deixá-lo morrer. Aparentemente, esse era um desejo que eles não podiam atender.

Novo Hamburgo - 101 Crimes notórios e Horripilantes de 2017

71. MolochBrasil


Morungava, Gravataí, Brasil | 4 de Setembro

mestre silvio, senhor do oculto, conhecedor das artes magicas, goetia magia negra vodoo quimbanda. atendimento diferenciado 24 hs

Dois corpos esquartejados foram encontrados por um homem que passava pela Rua Porto das Tranqueiras, uma região de mata de Novo Hamburgo, cidade a apenas 42 quilômetros de Porto Alegre. Exames revelaram que os corpos pertenciam a duas crianças que eram irmãos, um menino de oito a 10 anos, e uma menina de 10 a 12 anos.

Semanas e meses se passaram e o mistério em torno do caso só aumentava. Não havia registros de crianças desaparecidas na região e o DNA das vítimas não foi localizado nos bancos de dados brasileiros. Ninguém sabia quem eram as crianças.

No início de Janeiro de 2018, a Polícia Civil fez uma revelação assustadora sobre o caso: as crianças eram argentinas e foram sacrificadas em um ritual satânico.

Na semana anterior, três pessoas foram presas em conexão com o caso. Entre elas, o líder de um grupo de adoradores das trevas. Ele seria uma das maiores referências em bruxaria e magia negra no Brasil e América Latina.

O bruxo, Sílvio Fernandes Rodrigues, 44, seria adorador do deus Moloch, nome de um demônio na tradição cristã e cabalística, cujos fiéis, desde a Antiguidade, realizam sacrifícios com crianças. Uma das imagens que representam Moloch mostra um deus com chifres que recebe um recém nascido em seus braços, tendo diversas pessoas o reverenciado ao redor.

“Esse tipo de ritual, que envolve abusos sexuais, sangue, morte e até aprisionamento em concreto, é muito comum nos Estados Unidos, em Uganda, na Europa e em outros lugares. No templo desse bruxo que prendemos, encontramos várias imagens de demônios, livros de bruxaria, magia negra e maçonaria”.

[Moacir Fermino, delegado do caso]

O Templo Satânico - Imagem registrada no dia da prisão de Silvio mostra estátua de uma entidade maligna e uma bacia com sanguê e um crânio dentro. Foto: Polícia Civil RS.

O Templo Satânico – Imagem registrada no dia da prisão de Silvio mostra estátua de uma entidade maligna e uma bacia com sangue e um crânio dentro. Foto: Polícia Civil RS.

No chão do templo há um pentagrama desenhado com escritos em vermelho, possivelmente sangue. Foto: Polícia Civil RS.

No chão do templo há um pentagrama desenhado com escritos em vermelho, possivelmente sangue. Foto: Polícia Civil RS.

O ritual satânico foi realizado dentro do templo, em Morungava, município de Gravataí, e foi contratado por dois empresários de Novo Hamburgo, Jair da Silva e Paulo Ademir Norbert da Silva, que buscavam “prosperidade imobiliária“. Eles pagaram R$ 25 mil reais para o feiticeiro.

Silvio deu as diretrizes: para a magia funcionar, eles deveriam sacrificar duas crianças de mesmo sangue; o ritual deveria ser praticado por sete pessoas durante sete dias, de acordo com a lua – sete é um número cabalístico para os fiéis do satanismo. Jair, então, chamou dois filhos seus, Andrei Jorge da Silva e Anderson da Silva. Os cinco mais Márcio Miranda Brustolin, discípulo do feiticeiro, seis pessoas.

O sétimo participante seria o argentino Jorge Adrian Alves, funcionário dos empresários, que ficou incumbido de roubar as crianças na argentina. A polícia suspeita que as vítimas foram trocadas por um caminhão roubado na pobre província de Corrientes.

De posse das crianças, teve início o ritual satânico. A primeira etapa determinada pelo bruxo teria sido dada a Jair: o empresário teve de ir a uma igreja evangélica e “renunciar a Deus” para então poder “seguir o diabo”. Disse o delegado:

“Ele teve que, na frente do altar, pingar uma gota de sangue sua em cima de uma Bíblia.”

Após serem levadas ao templo, as crianças foram amarradas a dois pedestais. Enquanto os sete se ajoelhavam e se curvavam ao diabo, Silvio falou em um idioma desconhecido, o delegado acredita ser aramaico pelo fato do bruxo ser fiel ao deus Moloch. Durante a cerimônia, a menina foi esfaqueada várias vezes. Ela foi assassinada por um dos empresários e marcas no corpo indicam que ela lutou com seus agressores. Já o menino estava alcoolizado. Um laudo pericial apontou 15 vezes o limite da Lei Seca. Um homem adulto com esse nível de álcool no sangue pode entrar em coma.

Os corpos foram esquartejados pelos clientes e existe a hipótese de canibalismo e vampirismo. Depois, as partes dos corpos foram congeladas no templo e desovadas em pontos estratégicos de Novo Hamburgo, em terras dos empresários, a cada sete dias, em busca de prosperidade (o que indica o dia do duplo assassinato anterior ao dia 4 de Setembro).

As vítimas ainda não foram identificadas.

Vídeo: O feiticeiro Silvio fala sobre o seu templo.

Ally Lee

72. Treta entre AdolescentesEstados Unidos


Cabool, Missouri, Estados Unidos | 5 de Setembro

Ally Lee SteinfeldVítima: Ally Lee Steinfeld | 17 anos

O Crime: Ally Steinfeld nasceu Joseph Matthews Jr.. Ele era um garoto transgênero e morava com Briana Calderas, 24, amiga e, segundo algumas fontes, namorada, e outros dois amigos de 18 anos: Andrew Vrba e Isis Schauer. Ally se assumiu em um post no Instagram em Maio, se dizendo “mtf” (homem para mulher, na sigla em inglês). Em 13 de Junho ela postou ser “Trans homem para mulher… pansexual… eu tenho orgulho de mim, eu tenho orgulho de ser trans, eu sou linda, eu não estou nem aí para o que as pessoas pensam“. Ally desapareceu no início de Setembro e divulgações iniciais se referiram a ela como homem – a família não aceitava sua mudança de identidade e as divulgações obedeceram seus documentos oficiais. A investigação apontou que ela foi morta pela sua própria namorada e amigos com quem dividia o teto. Andrew Vrba revelou ter inicialmente tentado envenenar Ally. Como ela não quis beber a bebida envenenada, ele esfaqueou seus genitais, castrando e mutilando-a completamente, e depois arrancou os seus olhos. Os três jovens, então, esquartejaram o corpo e levaram os pedaços para fora da casa, onde foram incendiados, queimando-os completamente. O que sobrou foi jogado fora em uma fazenda nas proximidades. A polícia não forneceu o motivo do crime. Algumas fontes citam que sua namorada, Calderas, apenas queria matá-la. Já outras citam que a vítima e Vrba teriam constantes discussões, o que eventualmente levou o rapaz a querer eliminar a amiga.

Abby Patterson - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

73. Serial Killer?Estados Unidos


Lumberton, Carolina do Norte, Estados Unidos | 5 de Setembro

Algo assustador está acontecendo em uma pacata cidade da Carolina do Norte, isso porque, desde Abril, mulheres vem desaparecendo e sendo assassinadas.

Em 18 de Abril, as duas primeiras vítimas foram encontradas: Christina Bennett, 32, e Rhonda Jones, 36. O corpo em decomposição de Christina foi encontrado dentro de uma casa abandonada na 8th Street e o corpo de Rhonda dentro de um latão de lixo, não muito longe.

Um dia depois, Megan Oxendine, 28, amiga de Rhonda, deu uma entrevista para a rede CBS. Três semanas depois, Oxendine foi encontrada morta em uma área florestal a menos de 200 metros do local onde as duas primeiras vítimas foram encontradas. Oxendine estava nua, amarrada e cheia de sangue.

Em Julho, Cynthia Jacobs, 41, desapareceu em Luberton. Ela teria sido a última pessoa a ver Oxendine viva. Mas foi a partir do desaparecimento de Abby Patterson, 20, em 5 de Setembro, que o caso começou a ser levado a sério. Jovem, bonita e atraente, Patterson morava na Flórida e estava em Luberton visitando sua mãe quando sumiu.

Como as outras mulheres, Patterson era viciada em drogas – em seu caso opioides – e havia recentemente saído de uma clínica de reabilitação. Ela foi vista pela última vez a menos de um quilômetro do local onde os corpos de Bennett e Oxendine foram encontrados.

As três mulheres assassinadas e as duas desaparecidas são apenas mais um capítulo na sombria e recente história de Lumberton. Homens também tem desaparecido sem deixar rastros. Eric Montreal Evans e Tomase Jermaine Bristol desapareceram em Julho de 2017. Já Billy Hammonds em Dezembro de 2016.

Em 2009, duas mulheres, Lisa Hardin e Michelle Ann Driggers, foram assassinadas em Lumberton. As mortes até hoje são um mistério para a polícia local. E tem mais. Mulheres vem sendo assassinadas desde 1995 em localidades ao redor de Lumberton. Traci Lynn Johnston foi encontrada morta em julho de 1995; Barbara Jean Anderson em 11 de junho de 1997; Alice Renee Holmes em 22 de maio de 1999; Rose Marie Mallet em 2002 e em 26 de abril de 2008, os esqueletos de Allison Jackson-Foy e Angela Nobles Rothen foram encontrados em uma área florestal adjacente à auto-estrada Carolina Beach.

Em 2015, Antwan Pittman foi acusado de estar por trás de pelo menos oito assassinatos de mulheres, no caso que ficou conhecido como o serial killer do Condado de Edgecombe. Nenhuma das mulheres mortas ou desaparecidas citadas acima foi ligada a ele.

Perguntas e teorias tem sido discutidas em redes sociais no caso de Abby Patterson, como este grupo do Facebook.

Vídeo: reportagem da TV norte-americana sobre a morte de Rhonda Jones mostra entrevista com Megan Oxendine, três semanas antes dela ser assassinada. Ela aparece a partir dos 58 segundos do vídeo.

Ricard Nilsson e Pierre Larancuent

74. Com a Morte Como uma SombraEspanha


Valência, Espanha | 10 de Setembro

Com a Morte Como uma SombraAcusado: Pierre Danilo Larancuent | 36 anos

O Crime: No romance “Med Döden Som Skugga(Com a Morte Como uma Sombra), os escritores suecos Pierre Larancuent e Ricard Nilsson escrevem sobre um serial killer que mata mulheres com uma facada no coração, uma marca que “mostra como as mulheres mortas não são mais dignas” de viver. O livro poderia ser apenas mais um romance desconhecido não tivessem os autores se conhecido na prisão: Larancuent estava preso por tráfico de drogas e o psicopata Nilsson cumpria prisão perpétua por matar três pessoas. Em setembro de 2017, Larancuent resolveu ser o personagem principal de seu livro, mas na vida real. Após sair da cadeia na Suécia e se mudar para a Espanha, ele matou seu namorado, o cabeleireiro Alberto Enrique Ferrer com uma facada no coração. Então esquartejou o seu corpo, colocou os pedaços em malas e descartou em lixeiras de Valência. O próximo a morrer foi Blas Glámez, o policial que investigava o desaparecimento de Ferrer, também com uma facada no coração. A carreira de escritor, como a de assassino, durou pouco, pois Larancuent foi morto pelo parceiro de Glámez.

Spencer Hight Capa - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

75. Coração do MalEstados Unidos


Plano, Texas, Estados Unidos | 10 de Setembro

Spencer Hight - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Acusado: Spencer Hight | 32 anos

O Crime: Abusivo e violento, Spencer Hight gostava de implodir sua raiva sem motivo contra suas namoradas. Tirando o terror psicológico, fisicamente ele ameaçava-as com facas e costumava eletrocutá-las com uma arma taser (e fazer piadinhas sem graça em seu perfil no Facebook). Em Setembro de 2011, ele se casou com Meredith Lane, 21 anos na época. O casal, que gostava de aparecer nas redes sociais, passou a lua de mel em um cruzeiro pela Jamaica. Mas a vida feliz e perfeita existia apenas no Facebook e Instagram. Violento e bêbado, Meredith o apoiou quando ele perdeu o emprego, pagando as contas da casa. Ela aguentou o quanto pôde e em Março de 2017 pediu a separação. Seis meses depois, Spencer matou Meredith e sete amigos dela que assistiam a um jogo de futebol na casa da ex-mulher – Anthony Michael Cross, 33, Olivia Nicole Deffner, 24, James Richard Dunlop, 29, Darryl William Hawkins, 22, Rion Christopher Morgan, 31, Myah Sade Bass, 28, e Caleb Seth Edwards, 25. Spencer foi morto pela polícia minutos depois.

Albinos - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

76. Caça aos AlbinosMoçambique


Vila de Nhambaluwalu, Benga, Moatize, Moçambique | 13 de Setembro

Os albinos são uma mercadoria valiosa em algumas partes da África Oriental e Austral. Como elefantes e rinocerontes, eles são caçados e mortos devido à sua cor; pedaços dos seus corpos podem valer milhares de dólares e muitas vezes são traficados para além das fronteiras.

Assassinatos de pessoas albinas são comuns na Tanzânia, Malauí e Moçambique, onde as partes dos corpos são usados em rituais de feitiçaria para trazer riquezas, sucesso, poder ou conquista sexual. As crianças são as mais vulneráveis. Seus corpos mutilados são frequentemente encontrados sem mãos, pés, seios, órgãos genitais, pele, olhos ou cabelos – depende do tipo de feitiço encomendado.

Em junho, o malauiano Mayeso Isaac, 12, visitava parentes em Moçambique quando desapareceu. Seu corpo nunca foi encontrado. Em setembro, Chinguirai João, 17, não voltou para casa após voltar da escola. Uma busca na região revelou seu corpo sem vários órgãos. Os assassinos removeram os ossos dos braços e pernas, além do cabelo. Sua cabeça estava partida ao meio e sem o cérebro, que foi levado.

Apesar de alguns assassinatos de albinos em 2017, o ano mostrou uma melhora considerável no número de fatalidades. Os países em que a matança de albinos é generalizada, principalmente a Tanzânia, tem aumentado o cerco contra os assassinos e punindo com severidade os que são capturados.

Mikhail Elinsky - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

77. Assassino Insano
Rússia


Astrakhan, Oblast de Astrakhan, Rússia | 19 de Setembro

Mikhail - 101 Crimes Notorios e Horripilantes de 2017Acusado: Mikhail Elinsky | 42 anos

O Crime: O russo Mikhail Elinsky foi um homem que nasceu para viver excluído da sociedade. Ele não teve culpa de nascer com esquizofrenia paranoide; sabemos que a maioria dos que sofrem deste transtorno não são violentos, mas uma minoria é, e Mikhail pertencia a ela. Em 2011, Mikhail foi internado em um hospital psiquiátrico de segurança máxima após assassinar uma mulher. Seis anos depois, contra a vontade de seus familiares, Elinsky foi libertado. Segundo os psiquiatras que cuidaram dele durante este tempo, Elinsky não representava mais um risco para a sociedade. Eles estavam enganados. Um mês após ser solto, morando com a mãe e alguns familiares em Astrakhan, Mikhail avançou sobre o membro mais novo da família, uma bebê de 18 meses, filha de sua sobrinha Tatiana, arrastando-a até a cozinha. Lá, ele pegou uma faca e serrou o pescoço da vítima até arrancar sua cabeça. Tatiana, desesperada, tentou impedir o ataque, mas não foi páreo para a força física do agressor. Ela foi esfaqueada na barriga, mas sobreviveu. Enlouquecido, Mikhail saiu pelas ruas de Astrakhan, gritando, segurando em uma das mãos a faca e na outra a cabeça da bebê. Três policiais apareceram e durante alguns minutos tentaram desarmar, sem sucesso, Mikhail (ver vídeo abaixo). Ele, eventualmente, foi baleado e morreu horas depois no hospital. A sequência do vídeo abaixo pode ser vista aqui. Na imagem acima a vítima com o pai e Tatiana.

O Selvagem do Galho - serial killer

78. O Selvagem do GalhoUganda


Katabi Town Council, Uganda | 19 de Setembro

O corpo de Gorret Nansubuga, 19, foi encontrado em 7 de junho, apenas 10 metros de onde ela morava com uma amiga. Grávida de dois meses, a vítima estava com as pernas abertas e um galho enfiado na vagina. Menos de duas semanas depois, em 19 de junho, o corpo nu de Faith Komugisha, 31, foi encontrado em um campo atrás de sua casa na vila Kitinda. Como Nansubuga, ela estava com as pernas abertas e tinha um galho enfiado na vagina. Um mês depois, em 20 de julho, o corpo nu de Norah Wanyana, 18, foi encontrado em uma plantação de banana perto de sua casa. Mais uma vez havia um galho enfiado em sua vagina.

Como relatado acima pela rede de TV ugandesa NTV, em 19 de Setembro, outra mulher foi encontrada morta em Katabi Town Council.

Parece não haver dúvidas de que há um serial killer atacando em Uganda neste ano de 2017 com uma macabra assinatura. Segundo a mídia local, com Harriet Nantongo, 37, encontrada morta em 19 de Setembro, já soma-se 21 mulheres assassinadas de abril a setembro de 2017. A polícia local não descarta nenhuma possibilidade. “Não descartamos as possibilidades de sacrifício humano e feitiçaria”, disse Emilian Kayima, porta-voz da Polícia Metropolitana de Kampala.

Entre 2014 e 2015, Uganda registrou vários assassinatos de mulheres que seguem o mesmo padrão: jovens mulheres estupradas e estranguladas. Nenhum dos crimes foi solucionado. Citamos este caso no post 51 serial killers que nunca foram pegos.

Raya Chidiac - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

79. Refugiado HomicidaLíbano


Miziara, Zgharta, Líbano | 22 de Setembro

Raya Chidiac - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017 - FotoVítima: Raya Chidiac | 26 anos

O Crime: Desde o início da guerra na Síria os refugiados que cruzam a fronteira para o Líbano não encontram melhores condições de vida, ao contrário, são vítimas de racismo, exploração e até assassinados. Mas uma pequena parcela desses refugiados, cerca de mil, encontraram paz e tranquilidade na pequena vila cristã de Miziara, encrustada nas montanhas de pinheiros do norte do país. E melhor, eles foram muito bem recebidos pelos libaneses daquele local. Até setembro. No dia 22 daquele mês, um assassino serpenteou até o quarto de uma jovem libanesa, a ameaçou com uma faca, amarrou suas mãos, a estuprou e a sufocou até a morte com um saco plástico. Ele limpou o quarto e foi embora. O suspeito foi preso um dia depois, era o refugiado sírio Basel Hmoudi. Ele confessou o assassinato de Raya Chidiac. Hmoudi havia trabalhado como zelador durante três anos na mansão dos Chidiac, uma família rica da região. O caso fez explodir ainda mais as tensões entre os libaneses e os refugiados sírios no país; se a situação dos refugiados era péssima, ficou pior. Em Outubro, todos os sírios moradores de Miziara (alguns morando no lugar há mais de 20 anos) foram expulsos. “Eles nos deram a notícia da expulsão às duas da manhã. Eu não sei o que vamos fazer, nós pegamos nossas coisas e saímos pela estrada e encontramos este depósito onde estamos“, revelou Abu Khaled em uma reportagem da Reuters. Em luto, a família Chidiac pendurou uma enorme foto de Raya na frente da mansão em que ela foi assassinada (foto acima).

Stephen Paddock - assassinos em massa

80. Sem ExplicaçãoEstados Unidos


Las Vegas, Estados Unidos | 1 de Outubro

Na noite de 1 de Outubro de 2017, o cantor Jason Aldean começou sua apresentação no festival de música country Route 91 Harvest, em Las Vegas. Cerca de 22 mil pessoas assistiam o show. E enquanto Jason e a multidão se aqueciam, no 32º andar de um hotel nas proximidades, um assassino em massa também se preparava.

Durante o show de Aldean, Stephen Paddock, 64, quebrou duas janelas de seu quarto no Mandalay Bay com um martelo, mirou suas armas na multidão e disparou. Muitas pessoas, inicialmente, não se deram conta de que os barulhos eram de armas, confundindo-se com fogos de artifício. O ataque durou cerca de 10 minutos, com pausas para o atirador recarregar suas armas. No total, 58 pessoas morreram. Paddock se matou com um tiro quando policiais estavam prestes a invadir seu quarto.

Os motivos de um assassino em massa, por mais doentios e distorcidos que sejam, geralmente se tornam claros dentro de um dia ou dois. Uma nota de suicídio, um manifesto, uma série de posts em redes sociais, um telefonema, conversas com familiares ou amigos, até mesmo relatórios policiais e registros judiciais podem fornecer uma visão sobre o que leva uma mente doentia a cometer um ato tão violento.

Normalmente, alguém próximo o bastante sabe de algo ou percebe alguma coisa, em retrospectiva, eles veem os sinais, mas não dão muita importância. Mas Stephen Paddock voava abaixo do radar. Ele parecia evitar contatos muito próximos (com exceção de uma namorada). De estranho que alguém lembrou era apenas o fato dele frequentemente passar noites em claro.

À medida que autoridades mergulham profundamente em seus computadores, estilo de vida e finanças das mais diversas, eles ainda não tem uma resposta.

Ninguém sabe por que Stephen Paddock matou 58 pessoas.

Janaúba - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

81. Infanticida IncendiárioBrasil


Janaúba, Minas Gerais, Brasil | 5 de Outubro

Damião Soares dos SantosAcusado: Damião Soares dos Santos | 50 anos

O Crime: Damião Soares dos Santos escolheu o aniversário de três anos de morte do pai para cometer uma atrocidade que chocou o Brasil. Funcionário efetivo da prefeitura de Janaúba, ele era vigia em uma creche municipal, mas estava afastado por problemas médicos. “Obcecado por crianças” e morando em uma casa “totalmente insalubre e inóspita“, Damião “tinha uma síndrome de perseguição. Achava que as pessoas estavam perseguindo-o para matá-lo envenenado“. Após passar vários anos longe da família, em 2 de Outubro, ele apareceu na casa de uma irmã dizendo que “daria um presente” aos parentes. O presente veio na manhã de 5 de Outubro quando ele entrou na creche Gente Inocente, invadiu uma sala de aula com crianças entre 3 e 7 anos, trancou a porta e despejou combustível sobre várias crianças, funcionários e sobre si próprio, ateando fogo em seguida. No inferno em chamas, Damião chegou a abraçar algumas crianças que se debatiam enquanto o fogo consumia seus corpos. Treze pessoas morreram, incluindo o acusado. “Não foi um surto. Ele fez por perversidade. Por covardia, resolveu se autoimolar e levar junto quem tinha pela frente. E foi tudo premeditado, até a data escolhida. Foi uma forma que ele achou de chamar atenção“, relatou o delegado Bruno Fernandes.

Seminole Heights - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

82. O Atirador de Seminole HeightsEstados Unidos


Tampa, Flórida, Estados Unidos | 9 de Outubro

Howard Donaldson - serial killerAcusado: Howell Emanuel Donaldson | 24 anos

O Crime: um matador espalhou o terror na região de Seminole Heights, em Tampa, durante outubro e novembro de 2017, ao matar pessoas em pontos de ônibus. Em 9 de Outubro, Benjamin Mitchell, 22, foi assassinado em um ponto de ônibus na avenida E. Frierson com um tiro na barriga. Dois dias depois, em 11 de Outubro, o corpo da garçonete Monica Hoffa, 32, foi encontrado em um lote baldio de Seminole Heights. Em 19 de Outubro, Anthony Naiboa, 20, que era autista e havia acabado de começar um trabalho temporário como empacotador de suprimentos para as vítimas do furacão Maria em Porto Rico, pegou o ônibus errado, parando em Seminole Heights, onde foi morto pelo matador. Após a mídia noticiar a possível ação de um serial killer, o assassino parou, voltando a atacar em 14 de novembro, tirando a vida de Ronald Felton, 60. No final do mês, a polícia prendeu Howell Emanuel Donaldson III, funcionário do McDonald’s. Ele havia dado uma bolsa a um colega de trabalho que abriu e encontrou um revólver, então ele chamou a polícia. Testes de balística ligaram a arma aos quatro assassinatos. Enquanto Donaldson provavelmente vai passar o resto da vida atrás das grades, seu colega de trabalho vai receber os 110 mil dólares de recompensa oferecidos pelas autoridades de Tampa.

Alexandr Maslennikov - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

83. Na Companhia do InimigoRússia


Volzhsky, Oblast de Volvogrado, Rússia | 13 de Outubro

Alexandr MaslennikovAcusado: Alexandr Maslennikov | 31 anos

O Crime: Alexandr Maslennikov passou 11 anos atrás das grades por estupro, agressão sexual e assalto. Solto em Maio de 2017, ele foi preso cinco meses depois. E dessa vez ele provavelmente ficará em uma penitenciária pelo resto da vida – um local mais do que apropriado para homens como ele. Em 13 de Outubro, Daria Labutina, 29, e Olga Shaposhnikova, 28, desapareceram após uma noitada na boate Voice na cidade industrial de Volzhsky. Olhando as imagens das câmeras de segurança da boate, investigadores perceberam as duas mulheres saindo do local acompanhadas de Maslennikov. Não se sabe porque elas o acompanharam; certo mesmo é que elas foram com Alexandr até a casa dele – direto para o covil de um assassino sexual. Rejeitando uma proposta de sexo a três do acusado, as mulheres selaram o seu destino. Daria e Olga foram brutalmente assassinadas a facadas pelo grandalhão de 2m01. Mais do que isso, as duas foram esquartejadas, Daria em mais de 20 pedaços, com algumas partes dos corpos sendo dadas a cachorros da vizinhança. Enojado com o crime, o prefeito da cidade ofereceu uma recompensa de cerca de R$ 30 mil reais por informações sobre o paradeiro de Alexandr, que havia fugido para Moscou. Duas semanas depois ele foi preso na capital russa na casa de uma cabeleireira, que havia seduzido. Abaixo, vídeo da polícia russa mostra Alexandr mostrando o local onde descartou os restos mortais das vítimas.

Mogadishu - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

84. O Pior de TodosSomália


Mogadishu, Somália | 14 de Outubro

Até a publicação deste texto, segundo o mapa dos ataques terroristas, em 2017 houve 1.116 atentados que vitimaram 7.543 pessoas. O pior de todos ocorreu na capital da Somália quando um caminhão com cerca de 350 quilos de explosivos foi detonado em uma esquina perto do popular Hotel Safari. O efeito da detonação foi agravado por um caminhão de combustível que estava estacionado a poucos metros, o que causou uma gigantesca bola de fogo.

Levou-se mais de um mês para contar as vítimas e, mesmo assim, o número não representa a realidade. Oficialmente, 512 pessoas morreram no atentado; 56 simplesmente desapareceram, como se tivessem evaporado da face da terra e, por isso, não entraram na contagem oficial. Cerca de 160 corpos nunca puderam ser identificados. Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque, embora autoridades somalianas acreditem ser obra do al-Shabaab.

O atentado a bomba em Mogadishu foi o terceiro pior ataque terrorista da história, ficando atrás apenas do 11 de Setembro, nos Estados Unidos, em 2001, e dos ataques às comunidades Yazidis, no Iraque, em 2007.

Daphne Galizia - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

85. EliminaçãoMalta


Mosta, Malta | 16 de Outubro

Daphne GaliziaVítima: Daphne Caruana Galizia | 53 anos

O Crime: explodir jornalistas tem sido um dos métodos preferidos de bandidos do colarinho branco na Europa. Ano passado a morte do jornalista bielorruso Pavel Grigorievich Sheremet fez parte dos notórios e horripilantes de 2016. Já este ano, a vítima foi a maltesa Daphne Galizia. Autora de um dos blogs mais populares da ilha, Galizia revelou a participação de importantes figuras políticas maltesas nos chamados Panama Papers – escândalo mundial de corrupção que envolveu o uso de empresas para esconder dinheiro, divulgado exaustivamente em 2016 pela imprensa de vários países (menos a do Brasil, por que será?). Em seu blog, Running Commentary, Galizia expôs muitos casos de corrupção em Malta e, por vários deles, foi processada por difamação. “Há bandidos em todos os lugares que você olha. A situação é desesperadora“, escreveu a repórter em artigo publicado meia hora antes dela entrar em seu carro em direção à capital. No meio do caminho o carro explodiu, matando-a na hora.

Vampiros - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

86. Caça aos Vampiros


Blantyre, Malauí | 18 de Outubro

Histeria, cegueira coletiva? Ou realmente a população do Malauí está sendo sugada e morta pelas criaturas da noite?

Em meados de setembro, um sinistro rumor se espalhou pelo país africano: Vampiros estavam saindo das sombras para chupar e matar a população local. Hordas de “caçadores de vampiros” se formaram em várias partes do país. Eles bloquearam estradas, saíram com tochas durante a noite, apedrejaram carros e queimaram propriedades de supostos sugadores de sangue – bom, talvez aquele cara “rico” que comprou aquela fazenda só o tenha feito por ser um vampiro.

O resultado disso é que pelo menos nove pessoas morreram linchadas pelos caçadores de vampiros. Em Blantyre, segunda maior cidade do país, dois homens foram mortos em 18 de outubro. Um foi apedrejado e queimado vivo, o outro apedrejado até a morte. Bom, esses dois temos certeza de que não eram vampiros, pois essas criaturas só morrem enfiando estacas de madeira no peito.

No final de outubro, a polícia já havia prendido mais de 200 justiceiros em conexão com as mortes e arruaças.

Não são apenas os albinos que sofrem no Malauí. País supersticioso, os malauienses acreditam que vampiros usam tecnologia moderna e magia para imobilizar suas vítimas e drenar seu sangue para praticar bruxaria antes de desaparecerem na escuridão. Em algumas regiões, residentes bloqueiam estradas e formam grupos para patrulhar as ruas à noite, enquanto o resto dorme em suas casas morrendo de medo de serem atacados.

Vídeo 1: reportagem da rede Al Jazeera mostra dezenas de crianças fugindo da escola após rumores de que vampiros invadiram o local; também é mostrado no vídeo um dos dos linchamentos: um estudante de 22 anos que sofria de epilepsia.

Vídeo 2: jovem de 22 anos com epilepsia é acusado de ser um vampiro no Malauí e apedrejado até a morte. Vídeo não recomendado para pessoas sensíveis.


Serial Killer Japão - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

87. O Caçador do TwitterJapão


Zama, Kanagawa, Japão | 21 de Outubro

Takahiro ShiraishiAcusado: Takahiro Shiraishi | 27 anos

O Crime: No final de outubro, a polícia bateu na porta de um apartamento na cidade de Zama, Japão, e perguntou ao morador a respeito de uma mulher desaparecida. “Ela está ali“, disse ele apontando para uma caixa térmica. O que se seguiu beira o insólito. Na entrada do apartamento de Takahiro Shiraishi, a polícia foi cumprimentada por duas cabeças. Outras sete cabeças, assim como partes de corpos pertencentes a nove pessoas, foram encontradas armazenadas em recipientes frios. Entre agosto e outubro, o serial killer deu fim à vida de nove pessoas. Suas vítimas preferidas eram mulheres com tendências suicidas. Usando um perfil com o sugestivo nome de “Enforcador Profissional”, ele as cooptava usando a rede social Twitter, dizendo que queria morrer junto com elas. As moças eram atraídas até o seu apartamento e lá eram estupradas, estranguladas e picadas em pedaços; duas cabeças ele usou para enfeitar sua sala. Mais informações sobre este assassino em série você pode ler neste link.

Sacrifício em Uganda - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

88. Revelação do espírito anciãoUganda


Vila de Kayugi, Distrito de Masaka, Uganda | 23 de Outubro

“Isso é tão estranho em nossa comunidade. Se você for realizar um sacrifício, deve ser de pássaros ou animais e não seres humanos. Eu penso qual Deus orienta a feiticeiros como Makumbi a sacrificar crianças. Isto deve ter sido copiado de outras comunidades”.

[Kigundu Kayinga, curandeiro em Masaka]

Em um momento de descuido de sua mãe, a bebê de um ano Passy Mirembe desapareceu do casebre onde vivia sua família na supersticiosa vila de Kayugi. Uma semana depois, o cadáver sem a cabeça e pernas foi encontrado. Alguns dedos também estavam faltando, assim como a sua vagina. Logo ficou claro para as autoridades locais que a garotinha foi morta para que partes de seu corpo fossem usados em rituais de magia negra. Mas quem poderia ter cometido esta atrocidade?

A pista veio de um parente da vítima, alguém com poderes sobrenaturais. “Ele foi possuído pelo espírito de uma antiga antepassada, que lhe informou que a bebê havia sido morta por um dos feiticeiros da vila“, revelou o porta-voz da polícia da região, Lameck Kigozi.

De posse desta pista divina, os moradores da vila souberam em que porta deviam bater. Uma multidão se juntou e invadiu o casebre de um dos mais conhecidos feiticeiros do lugar, Moses Makumbi. Eles não encontraram nada dentro da casa do bruxo, mas bateram tanto nele que Makumbi ficou vários dias em coma no hospital.

Deixando a superstição de lado, sim ou não, esse espírito antigo parece saber das coisas, já que Makumbi foi preso pela polícia após ter alta médica. As investigações apontaram que o feiticeiro encomendou um bebê a um adolescente local, pagando a ele 200 Shilling (o equivalente a cinco reais). Em um momento de descuido da mãe de Mirembe, o menino de 12 anos a roubou e a entregou ao bruxo. Um terceiro suspeito, Deo Walakira, também foi preso. Makumbi e Walakira teriam matado Mirembe em um ritual satânico, removido partes de seu corpo e levado para futuros trabalhos de bruxaria.

Alexander Georgeievskiy - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

89. Presa à VistaRússia


Otradnoye, Oblast de Leningrado, Rússia | 28 de Outubro

Ruslan KorolevVítima: Ruslan Korolev | 10 anos

O Crime: Era mais um dia ordinário na vida de Alexander Georgeievskiy, 35. O homem gostava de encher a cara de vodka, hábito comum no país de Vladimir Putin, e perambular por estações ferroviárias de Ortadnoe, uma cidade satélite da grande São Petersburgo. Neste dia, Alexander bebia com um amigo em uma plataforma ferroviária quando avistou uma criança andando sozinha pela rua. Alexander a olhou com um olhar de lince. Maníaco sexual, ele não podia perder aquela oportunidade. Ele foi em direção à criança, Ruslan Korolev, e puxou conversa com ele. Talvez o garotinho quisesse ir até a casa dele para ganhar umas balas. Uma vez lá dentro, Alexander tentou estuprar o menino, que resistiu; enfurecido, o homem estrangulou Ruslan e, literalmente, fez picadinho dele. Quando a polícia encontrou a cabeça de uma criança em um esgoto de São Petersburgo e outros pedaços de corpos descartados em outras localidades, eles lembraram de uma criança desaparecida de Otradnoye. Câmeras de segurança contaram o resto da história para os investigadores.

Sayfullo Saipov - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

90. UzbequeEstados Unidos


Baixa Manhattan, Nova Iorque, Estados Unidos | 31 de Outubro

Em Janeiro, Abdulkadir Marsharipov matou 39 pessoas em uma boate em Istambul, Turquia. Em Abril, Akbarjon Jalilov explodiu uma estação de trem em São Petersburgo, Rússia, matando 15 pessoas. Dias depois, em Estocolmo, Suécia, Rakhmat Akilov matou quatro pessoas atropeladas com uma van.

O que esses casos tem em comum? Todos esses terroristas eram uzbeques, nascidos no Uzbequistão, homens que foram manipulados pela propaganda radical do Estado Islâmico. E esses não foram os únicos casos no ano.

Em 31 de Outubro, um homem alugou um caminhão pick-up em Nova Jersey e se dirigiu à Nova Iorque, entrando em Manhattan pela ponte George Washington. Às 15h04, ele entrou em uma área reservada a ciclistas, conhecida como caminho do Parque do Rio Hudson, e acelerou passando por cima de quem pedalava por ali. Ele matou oito pessoas e feriu sete e só parou após bater em um ônibus escolar. Ao sair do veículo, armado com uma arma de paintball, o homem gritou em árabe “Deus é Grande!“. Baleado na barriga, ele foi levado para um hospital onde ficou hospitalizado até se recuperar.

Ele foi identificado como Sayfullo Saipov, 29, um cidadão uzbeque que imigrou para os Estados Unidos em 2010.

“O que precisa ser abordado são as razões sociais e psicológicas pelas quais os meninos do Uzbequistão são propensos a ideias extremistas na emigração. No Uzbequistão, definitivamente nenhum deles eram religiosos radicais ou adversários do regime uzbeque”.

[Danil Kislov, perito em História da Ásia]

“Eles se tornam um nada quando imigram para outros países, então eles começam a ficar radicais, pois veem sua autoridade diante da família, da esposa cair”.

[Vladimir Chernomorsky, publicitário uzbeque que mora nos EUA, em post no Facebook]

Dentre os mortos, cinco amigos argentinos que viajaram a Nova Iorque para comemorar os 30 anos de formatura no ensino médio – Diego Angelini, Ariel Erlij, Hernan Mendoza, Alejandro Pagnucco e Hernan Ferruchi; uma turista belga, Ann-Laure Decadt, 31, mãe de dois filhos pequenos, e dois americanos, Darren Drake, 32, morador de New Jersey, e Nicholas Cleves, 23, engenheiro de software morador de Nova Iorque.

Estado Islâmico - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

91. Açougueiros CorruptoresAfeganistão


Província de Khorasan, Afeganistão | Data desconhecida, Novembro

Em novembro, os açougueiros sanguinários do Estado Islâmico publicaram, talvez, o seu mais horrível vídeo já realizado – mostrando duas crianças aparentando não ter mais do que 10 anos ao lado de uma cabeça humana e ameaçando de morte quem estiver contra o grupo.

As duas crianças, vestidas com roupas militares, fizeram parte da execução de um homem que supostamente seria um espião. A vítima foi acorrentada com os braços esticados a duas árvores e obrigado a confessar seus crimes. Enquanto isso, dois terroristas do Estado Islâmico aparentando ser adolescentes se posicionaram atrás da vítima empunhando espadas. Simultaneamente os dois cortam os braços do homem. Uma das crianças se aproxima com uma faca de açougueiro e decapita a vítima. A cabeça rola até a outra criança, que coloca o pé em cima e começa o seu discurso de ódio.

O homem morto no vídeo foi acusado de ser um espião dos Estados Unidos e as crianças seriam órfãs que perderam os pais em ataques aéreos americanos.

Kelly Cristina Cadamuro - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

92. Amigos Virtuais, Assassinos ReaisBrasil


Frutal, Minas Gerais, Brasil | 1 de Novembro

Kelly Cristina - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Vítima: Kelly Cristina Cadamuro | 22 anos

O Crime: Em Social Killers: Amigos Virtuais, Assassinos Reais.com, RJ Parker e JJ Slate listam dezenas de casos de criminosos que usaram as redes sociais para se aproximar de suas vítimas. Foi o que fez Jonathan Pereira do Prado, 33, um criminoso que já respondia por oito crimes e estava nas ruas graças ao benefício da justiça conhecido como “saidinha”. Ladrão por toda a vida, ele se aproveitou das facilidades da tecnologia para pôr em prática suas ações criminosas. Ele entrou em um grupo do Whatsapp chamado “Caronas Rio Preto – Itapagibe” e como um lobo farejou o melhor momento para se aproximar da ovelha. Quando Kelly Cristina Cadamuro ofereceu uma carona no grupo, para ajudar a custear as despesas da viagem, ele prontamente se interessou. Ela, que morava em São José do Rio Preto (SP), viajaria até Itapagibe (MG), para passar o feriado de Finados com o namorado. Quando chegaram em Frutal (MG), há 25 quilômetros do destino final, Jonathan atacou Kelly com um soco, a estuprou e a estrangulou com uma corda. Então, ele amarrou a corda no corpo da moça e a arrastou por três quilômetros e para ter certeza de que ela não recordaria a consciência, mergulhou sua cabeça no Ribeirão Marimbondo, às margens da MG-255.

Sutherland Springs - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

93. Mente PerturbadaEstados Unidos


Sutherland Springs, Texas, Estados Unidos | 5 de Novembro

Devin KelleyAcusado: Devin Patrick Kelley | 26 anos

O Crime: ex-militar da Força Aérea, Devin Kelley foi acusado de espancar sua mulher e quebrar a cabeça do seu filho em 2012. Também ameaçou de morte seus superiores quando estes o acusaram de conduta inapropriada. Enviado até um hospital para tratamento psiquiátrico, fugiu e, após ser recapturado, foi enviado para a corte marcial. Enquanto isso, ameaçava de morte colegas de trabalho, a esposa e a família dela. Sentenciado a 12 meses de prisão militar, ele foi dispensado pela Força Aérea em 2014. Separado da esposa, voltou a morar com os pais, a arranjar confusão na cidade e a bater na nova namorada, além de espancar o husky siberiano dela. Alguns amigos o bloquearam no Facebook após o mesmo enviar mensagens sobre matar pessoas em igrejas e treinar cachorros para caçar humanos. Após frequentar por um mês a Primeira Igreja Batista, virou ateu e começou a chamar de “estúpidos” as pessoas que diziam acreditar em Deus. Em 31 de Outubro, ele apareceu em um festival da igreja todo vestido de preto e agindo de forma estranha. Cinco dias depois, vestido todo preto e usando uma máscara de caveira, ele matou fuzilados 26 fiéis da Primeira Igreja Batista quando estes assistiam a uma missa. Um civil armado que passava no momento confrontou o assassino em massa, acertando dois tiros nele. Então Devin correu até o seu carro e fugiu. O civil o perseguiu até o momento em que o sombrio rapaz deu um tiro na própria cabeça.

Induja Mugam - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

94. Amor Não CorrespondidoÍndia


Chennai, Tamil Nadu, Índia | 13 de Novembro

Akash - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017Acusado: Akash | 22 anos

O Crime: Durante um mês, o jovem indiano Akash paquerou sua ex-colega de ensino médio, a estudante de engenharia Induja Mugam, 22. Ele queria namorar com ela, mas Mugam não tinha interesse. Às 20h45 de 13 de Novembro, a campainha tocou na casa da moça, mas ela não abriu a porta ao perceber que era Akash. Após muita insistência do rapaz, com ele ameaçando se matar, Induja chamou a mãe e a irmã e juntas abriram a porta. Imediatamente elas sentiram um líquido sendo jogado em seus corpos: era gasolina. Em poucos segundos Induja estava em chamas. Sua irmã, Niveda Mugam, 21, e sua mãe, Renuka Mugam, 44, também foram consumidas pelo fogo. Induja morreu no chão de sua casa e sua mãe e irmã foram internadas em estado crítico no hospital. Em 29 de Novembro, Renuka não resistiu aos ferimentos e faleceu. Niveda, que teve 23% do corpo queimado, permanece internada até a publicação deste texto e seu estado é estável. Akash foi capturado dias depois e deverá ficar preso até o seu julgamento. “Akash deve receber a punição mais dura; ele arruinou a nossa família. Ele precisa ser enforcado“, disse Arul Nagrajan, 43, tio de Induja.

Sydney Loofe - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

95. A Morte pelo AplicativoEstados Unidos


Wilber, Nebraska, Estados Unidos | 15 de Novembro

Sydney LoofeVítima: Sydney Loofe | 24 anos

O Crime: Sydney Loofe enviou uma selfie (foto ao lado) a amigos no Snapchat em 15 de Novembro com a descrição “Pronta para o meu encontro“. Pouco menos de um mês depois seu corpo foi encontrado há 150 quilômetros de distância de sua casa após uma massiva busca das autoridades locais. Loofe desapareceu após marcar um encontro pelo Tinder – um aplicativo de relacionamentos -, supostamente com uma mulher. Segundo investigação da polícia, esse seria o segundo encontro de Loofe com essa mulher, Bailey Boswell, 23. Com as suspeitas das autoridades crescendo sobre si, Boswell e seu namorado, Aubrey Trail, 51, divulgaram um vídeo bizarro no Youtube, em 29 de Novembro, onde negavam qualquer envolvimento na morte de Loofe. Boswell diz que ambas saíram, fumaram maconha, mas que a deixou na casa de um amigo. Ao final, ela manda a polícia “se foder“. Um dia após a publicação do vídeo o casal foi preso pela polícia, que não divulgou mais informações sobre o crime. Não se sabe onde, quando e como Loofe foi assassinada e nem o papel dos suspeitos, Boswell e Trail, no caso. “Eu não sou uma pessoa boa. Eu não sou inocente em um monte de coisas. Eu não posso defender o meu passado. Eu não posso defender o meu estilo de vida. Mas não acredite em tudo o que ouve. Eu não invento desculpas para o que eu fiz. Eu sou um criminoso“, disse Aubrey Trail – que tem condenações por falsificação e estelionato – em uma entrevista na prisão para o jornal World – Herald.

Egito Mesquita - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

96. Beduínos Vs. Estado Islâmicoegito


Al-Rawda, Bir al-Abed, Sinai do Norte, Egito | 24 de Novembro

Em 24 de Novembro, terroristas detonaram uma bomba dentro de uma mesquita lotada na Península do Sinai e fuzilaram os fiéis atordoados que tentavam sair. O ataque vitimou 311 pessoas e feriu mais de 120, no mais mortal ataque terrorista da história moderna do Egito.

Entre 25 e 30 terroristas participaram da ação. Carregando a bandeira do Estado Islâmico, eles detonaram a bomba dentro da mesquita e se posicionaram na frente da entrada principal, saída e janelas. Quase ninguém que estava dentro saiu com vida. Quando ambulâncias chegaram, foram recebidas a tiros. Sobreviventes revelaram conversas entre os terroristas. “Quantos você matou?“, perguntou um. “Uma centena“, respondeu o outro.

Os moradores daquela região, os Beduínos, praticam o Sufismo, uma escola mística do Islã que o Estado Islâmico considera heresia. Entretanto, o motivo do ataque parece estar longe da religião.

Muitos acreditam ser uma vingança pela cooperação dos moradores com as forças militares egípcias. Os Beduínos querem o Estado Islâmico longe dali e fazem de tudo para detê-los. “Não é apenas sobre o Sufismo. Os terroristas estão claramente enviando uma mensagem. Os Beduínos amam os militares e seu país. Os terroristas quiseram puni-los por isso“, disse Gazy Saad, um político da região.

Os Beduínos não querem invasores proibindo-lhes de praticar sua religião ou cultura. Muitos foram decapitados pelo Estado Islâmico como aviso, mas isso não pareceu intimidá-los. Até agora.

Monstrinho Chinês - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

97. MonstrinhoChina


Wenxing, Província de Sichuan, China | 3 de Dezembro

O site Beijing News e a Radio Free Asia confirmaram em 6 de dezembro que um vídeo que circulava no popular aplicativo de troca de mensagens chinês WeChat, que mostrava uma criança decapitando uma mulher e jogando a sua cabeça em um balde de lixo, era verdadeiro.

O menino que aparece no vídeo, Yuan Donghzi, 13 anos, matou a própria mãe após ela negar a lhe dar dinheiro. Donghzi a decapitou, jogou sua cabeça na lixeira e dormiu ao lado do cadáver. Tudo foi filmado pelo próprio menino, que depois passou a mostrar o vídeo para os amigos de escola se vangloriando do feito.

O monstrinho foi preso na escola e nenhum outro detalhe foi revelado pelos chineses.

Iemen - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

98. A Guerra EsquecidaIemen


Sanaa, Iêmen | 4 de Dezembro

Em 25 de Março de 2015, uma coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita lançou ataques aéreos contra o grupo armado Huthi no Iêmen. O ataque foi a faísca para um conflito armado que se espalhou por todo o país. Dois anos depois, o que chega até nós são terríveis histórias de abusos dos direitos humanos e crimes de guerra que tem causado sofrimento excruciante para os civis.

Não bastasse o implacável bombardeio da coalizão vindo do ar, uma batalha é travada no chão entre “facções” políticas rivais. De um lado, os Huthis, um grupo armado cujos membros pertencem a um ramo do Islã conhecido como Zaidismo. Os Huthis são aliados do ex-presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh. Do outro lado estão os inimigos dos Huthis, aliados do atual presidente Abd Rabbu Mansour Hadi, que também é apoiado pela Arábia Saudita. No meio dessa guerra pelo poder estão os civis.

Até os dias de hoje, o mundo ignorou esse conflito e pouco ouviu sobre suas consequências devastadoras.

Esta é Buthaina Muhammad Mansour, uma criança de 4 ou 5 anos. Ela foi a única sobrevivente de um ataque aéreo da Arábia Saudita em 26 de agosto. O bombardeio matou 14 pessoas de sua família. Foto: Khaled Abdullah/Reuters.

Esta é Buthaina Muhammad Mansour, uma criança de 4 ou 5 anos. Ela foi a única sobrevivente de um ataque aéreo da Arábia Saudita em 26 de agosto. O bombardeio matou 14 pessoas de sua família. Foto: Khaled Abdullah/Reuters.

Como este menininho iemenita, dois milhões de crianças estão desnutridas, no que a ONU chamou de "a maior crise humanitária do mundo". Foto:

Como este menininho iemenita, dois milhões de crianças estão desnutridas, no que a ONU chamou de “a maior crise humanitária do mundo”. Foto: Khaled Abdullah/Reuters.

Uma criança iemenita carrega o cartar de uma família inteira morta no ataque aéreo do dia 26 de Agosto. Foto: Mohammed Huwais/Agence France-Presse -- Getty Images.

Uma criança iemenita carrega o cartaz de uma família inteira morta no ataque aéreo do dia 26 de Agosto. Foto: Mohammed Huwais/Agence France-Presse – Getty Images.

De acordo com o Council on Foreign Relations, mais de 10 mil pessoas já morreram no conflito; 18 milhões estão passando fome; três milhões não tem onde morar e cinco mil é o número de infectados por cólera todos os dias. Estupros, tráfico humano, escravos sexuais, crianças obrigadas a pegar em armas são outros crimes citados pela ONU e organizações dos direitos humanos.

Em 4 de Dezembro, Ali Abdullah Saleh foi assassinado pelos seus próprios apoiadores, os Huthis. Ele foi morto por ser um “traidor” – ele tinha iniciado conversas com o governo iemenita e a Arábia Saudita.

Em tempo. De quem a Arábia Saudita importa as armas usadas no conflito? Segue a lista:

  1. Estados Unidos,
  2. Reino Unido,
  3. Espanha,
  4. França,
  5. Suíça,
  6. Canadá
  7. Alemanha.

Isso te diz alguma coisa?

Vídeo: após assassinar o ex-presidente do país, os Huthis roubaram o seu corpo e fizeram filmagens.

Mohammed Bhatta Sheikh - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

99. Amor JihadÍndia


Rajasamand, Rajastão, Índia | 6 de Dezembro

Em um vídeo que se tornou viral nas redes sociais indianas no começo de Dezembro, um homem é visto sendo golpeado com um machado e queimado vivo por supostamente cometer o “amor jihad”. A vítima, Mohammed Bhatta Sheikh, foi morta por Shambunath Raigar. No vídeo, Raigar justifica seu ato e ameaça aqueles que porventura se envolverem no “amor jihad” – eles terão o mesmo destino de Sheikh. “Parem com o amor jihad, ou isso será o destino de todo muçulmano“, adverte o assassino.

O termo se tornou popular por grupos radicais hindus que acusam homens muçulmanos de tentar converter mulheres hindus seduzindo-as. A onda de ataques de hinduístas contra muçulmanos aumentou consideravelmente desde à ascensão ao poder do partido de direita Bharatiya Janata em 2014.

A polícia não encontrou provas de que a vítima, que era casado, estivesse envolvida em alguma relação amorosa com outra mulher.

Vídeo: cenas editadas da filmagem do assassinato de Mohammed Bhatta Sheikh.

Delano Forbes - 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

100. Vampiro da NoiteAntigua e Barbuda


Swetes, Antígua e Barbuda | 9 de Dezembro

Em 19 de Dezembro de 2017, Delano Forbes, 23, foi preso por autoridades de Antígua e Barbuda em conexão com assassinatos em série na ilha. O serial killer teve sua série de assassinatos interrompida 10 dias depois de matar sua última vítima. Ele foi ligado aos assassinatos de Lisue Samuel, morto em 21 de Fevereiro, Sean Henry, morto em 10 de Maio, e Wilfred Williams, 59, motorista de táxi e pai de cinco filhos, morto em 9 de Dezembro. Delano ainda foi acusado da morte de uma quarta vítima, assassinada em 2015, a qual a polícia não divulgou informações.

A polícia acredita que Forbes está por trás de vários assassinatos de andarilhos nas ilhas da região. O Ministro da Segurança Pública Steadroy Cutie Benjamin chamou os crimes de “vampirescos“; existe a forte suspeita de que Forbes degolava e drenava o sangue de suas vítimas para beber. A suspeita foi motivada pela descoberta em sua casa de várias garrafas contendo sangue humano.

O vampiro permanece preso e a polícia local continua com diligências para verificar se há mais vítimas.

Magdalena Serban - 101 Crimes Notórios e horripilantes de 2017

101. A Assassina do SubterrâneoRomênia


Bucareste, Romênia | 12 de Dezembro

alinaVítima: Alina Ciucu | 25 anos

O Crime: uma lunática assustou os moradores de Bucareste no mês de Dezembro ao caçar mulheres nos metrôs da cidade. Inteligente e organizada; uma serial killer em formação. Foi o que disseram as autoridades do país sobre Magdalena Serban, 36. Natural de Craiova, sul da Romênia, Magdalena morou durante nove anos na Espanha, para onde foi trabalhar, e voltou para o seu país natal em 2017. Os colegas que dividiam um apartamento apertado com ela nunca suspeitaram de nada, no entanto, alguma coisa despertou sua sede de sangue. Ela passou a andar por estações de metrô de Bucareste à procura de mulheres jovens, que eram empurradas para a morte nos trilhos do trem. Duas conseguiram escapar, mas a terceira, Alina Ciucu, não teve tempo e foi dilacerada por um trem. Para os policiais, Magdalena revelou querer se vingar de mulheres que a exploraram na Espanha, um sentimento que foi direcionado às vítimas inocentes que ela via nas estações. O caso continua sob investigação e há a suspeita de que Magdalena sofra de transtornos mentais, o que poderá levá-la à ficar trancafiada em uma instituição mental, sem ser responsabilizada criminalmente. Vídeo: reportagem da TV romena mostra o momento em que Magdalena empurra Alina para a morte.

Final


Chegamos ao final de mais uma edição dos 101 Crimes Notórios e Horripilantes.

Se você sobreviveu até aqui, espero que não tenha perdido a fé na humanidade, pois para cada pessoa má existem muitas outras boas que fazem e trabalham para que este seja um mundo melhor para se viver. Seja uma delas! Como citamos todos os anos, o objetivo do post não é deixá-lo paranoico com o mundo, mas apenas dar uma visão realista do que ocorre à nossa volta.

Compartilhe o post com seus amigos e deixe o seu comentário. O que achou da lista? Que crime mais te marcou? Alguma sugestão ou crítica? Algum link ou vídeo quebrado? Deixe-nos saber sua opinião. E não esqueça de dar uma olhada nas edições dos anos anteriores:

Universo DarkSide – os melhores livros sobre serial killers e psicopatas

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Fontes consultadas: Ver fontes consultadas – 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2017

Com colaboração de:


Veronyca Veras
Revisão


Crime 1

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

As últimas notícias

Categorias

Receba nosso conteúdo no WP
Receba nosso conteúdo no WP