John Douglas: em novo livro, caçador de mentes diz que Todd Kohlhepp é “um tipo diferente de serial killer”

“Meu jogo de golfe é fraco. Meu jogo de matar é forte”. John Edward Douglas é uma lenda viva da criminologia. Um dos caçadores de...

Robert Ressler, o serial killer Ed Kemper e John Douglas. Os caçadores de mentes Ressler e Douglas integraram a lendária Unidade de Ciência Comportamental do FBI nos anos 1970. Foi lá que eles desenvolveram os mais profundos estudos sobre serial killers. Foto: John Douglas.

“Meu jogo de golfe é fraco. Meu jogo de matar é forte”.

[Todd Kohlhepp, serial killer]

John Edward Douglas é uma lenda viva da criminologia. Um dos caçadores de mentes originais do FBI, ele tem hoje 73 anos, mas está longe da aposentadoria. Nos últimos anos, ao invés de estar desfrutando de uma bela aposentadoria numa praia qualquer das Bahamas, o psicólogo e ex-profiler continuou fazendo o que mais ama: estudar e tentar entender o mal extremo. Seu mais novo livro saiu no início deste mês e examina um serial killer que assustou o próprio Douglas: Todd Kohlhepp.

Quando falamos de John Douglas, não podemos deixar de escrever que o seu nome começou a ficar conhecido em meados da década de 1970 quando ele era um agente do FBI mergulhando em um novo tipo de território. E o que ele descobriu foi um novo tipo de mal. Na verdade, esse mal já existia há séculos, mas o conhecimento moderno sobre ele só começou a partir dos estudos de Douglas, Ressler, Mullany, Teten e outros parceiros.

Douglas e um de seus parceiros do FBI, Robert Ressler, são comumente citados como os inventores do termo “serial killer”. O trabalho de ambos e de toda equipe inspirou vários livros, incluindo Mindhunter, que virou série pela Netflix.

Douglas e companhia começaram nos anos 1970 sentando frente a frente com psicopatas como Ed Kemper, Ted Bundy e Charles Manson. Décadas visitando e conversando com os assassinos psicopatas mais perversos do mundo poderia fazer alguns pensarem que Douglas já tinha visto de tudo. Mas não.

Eles estão por aí, mas em minha experiência ao longo dos anos, eu nunca vi um tipo como ele“, revelou John Douglas em uma entrevista para a Fox Carolina sobre Todd Kohlhepp. Para Douglas, Kohlhepp é um novo tipo de serial killer que ele nunca tinha visto antes.

Todd Kohlhepp é analisado no mais novo livro de Douglas, “Killer Across the Table” (Assassino Do Outro Lado da Mesa, em tradução literal), lançado em 7 de maio último e que ele divide as linhas com seu velho parceiro Mark Olshaker.

Douglas diz que sua pesquisa sobre Kohlhepp começou muitos anos antes do assassino em série ser capturado, sem ele ter a mínima ideia.

O serial killer Todd Kohlhepp no momento em que foi preso no dia 3 de novembro de 2016.

Kohlhepp foi preso após policiais encontrarem Kala Brown [foto] acorrentada dentro de um contêiner numa fazenda do serial killer. Kala Brown desapareceu com seu namorado em 31 de agosto de 2016 após o casal ser contratado por Kohlhepp para fazer serviços de limpeza. Charles David Carver, 32, namorado de Kala, foi assassinado e enterrado na fazenda. Foto: Spartanburg 7th Circuit Solicitor’s Office.

Em 2004, o xerife do Condado de Spartanburg, na Carolina do Sul, pediu para Douglas analisar um homicídio quádruplo em uma oficina de motos, a Superbike Motorsports.

“Na época eu disse à polícia, cerca de um ano após os homicídios, que eu acreditava que o assassino era um cliente insatisfeito e que provavelmente seu nome estava no sistema de clientes, já que provavelmente ele comprara algo antes. Se eles tivessem analisado o sistema da loja teriam visto o nome Todd Kohlhepp”.

O nome de Kohlhepp estava na lista de clientes da Superbike Motorsports, mas isso só seria descoberto anos depois quando ele foi desmascarado como um serial killer.

“Todd Kohlhepp comete um assassinato em massa e depois assassinatos em série. Ele mata quatro e depois uma série de outros. Não havia maneira da polícia ou eu termos ligado o caso da loja de motos com os outros assassinatos”.

[John Douglas]

Douglas diz que a explicação de Kohlhepp para os assassinatos é incomum.

“Ele é um tipo diferente de serial killer. É predatório, mas não um tipo predatório como Ted Bundy. Ele é mais um tipo de assassino vingativo-retalhador”.

O motivo para Kohlhepp matar é semelhante em todos os crimes, mas seu estilo não se encaixa em um perfil.

“Ele sente que eles estão conspirando contra ele ou que eles vão trapaceá-lo. É quase uma segunda natureza dele, então ele decide matá-los. Ele disse que seu único erro com Kala Brown foi não tê-la matado”.

Douglas acredita que Kohlhepp tenha feito mais vítimas do que as sete oficiais. Kala Brown, a única sobrevivente, foi resgatada dentro de um conteiner na propriedade do serial killer. A ação foi filmada pela polícia.

Em agosto de 2018, Douglas viajou até o Condado de Spartanburg para ajudar os investigadores na investigação de um pedaço da propriedade do assassino onde ele alegou ter enterrado dois corpos.

“Ele disse que havia corpos, mas eles não o deixaram sair da prisão para mostrar onde foram enterrados. Parece coerente e eu acredito nele. O que temos a perder?”

O caso Todd Kohlhepp fez parte dos 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2016.

Vídeo: “Ele é um tipo diferente de serial killer”


Fonte consultada: [1] “He’s a different kind of serial killer”: Real ‘Mindhunter’ delves into the mind of Todd Kohlhepp – Fox Carolina;

Universo DarkSide – os melhores livros sobre serial killers e psicopatas

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
DarkSide Books

RELACIONADOS

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

As últimas notícias

Categorias

× Receba nosso conteúdo no WP