The Yorkshire Ripper: canal britânico ITV anuncia série dramática sobre Peter Sutcliffe, o Estripador de Yorkshire

Após o sucesso de público e crítica da minissérie Des, o canal britânico ITV acaba de anunciar a nova série dramática The Yorkshire Ripper. A obra será baseada no...

Em carta ao ITV News, Peter Sutcliffe admite: “sim, eu fiz algumas coisas ruins, mas eu só quero que as pessoas saibam que eu não ataquei nem matei nenhum homem”. À época, ele era investigado pelo assassinato de Fred Craven, um gerente de apostas de Leeds, e pelo ataque quase fatal ao taxista  John Tomey. Os crimes ocorreram antes da primeira vítima conhecida do Estripador de Yorkshire.

Após o sucesso de público e crítica da minissérie Des, o canal britânico ITV acaba de anunciar a nova série dramática The Yorkshire Ripper. A obra será baseada no livro “Wicked Beyond Belief: The Hunt for the Yorkshire Ripper”, de Michael Bilton, e terá roteiro de George Kay (das séries Killing Eve e Criminal).

A série reproduzirá um dos casos de assassinato em série mais famosos do mundo e a caçada por Peter Sutcliffe, conhecido como o “Estripador de Yorkshire”, que matou pelo menos 13 mulheres entre outubro de 1975 e janeiro de 1981. A operação, uma das maiores da história britânica, durou cinco anos, envolveu quase mil oficiais e mudou para sempre o modo de atuação da polícia.

A produção da série realizou pesquisas meticulosas sobre o caso, descobrindo um extenso acervo da investigação composto de arquivos, transcrições de depoimentos e relatórios policiais.

Para o roteirista George Kay, o que mais lhe chamou a atenção não foram os crimes em si, mas o fato de que Peter Sutcliffe deixou 23 crianças órfãs.

“Esse fato, por si só, exige que qualquer dramatização sobre esse caso deve consistir em muito mais que apenas a história de uma investigação policial. Portanto, vamos nos concentrar não apenas na polícia, mas nas vítimas, suas famílias, aquelas que foram atacadas e desacreditadas, aquelas cujas vidas foram mudadas permanentemente. Esta não é a história de um estripador vindo de Yorkshire, mas a história de como Yorkshire foi despedaçada”.

Os assassinatos começaram em Leeds, com prostitutas, mas depois se espalharam por todo o norte da Inglaterra com mulheres de todas as origens e vivendo em diferentes bairros. Além das 13 vítimas fatais, 7 outras mulheres conseguiram escapar com vida dos ataques do serial killer.

Segundo o produtor Paul Whittington, “é uma história vital sobre preconceito de classe, sexismo predominante e entranhado socialmente e mulheres que simplesmente não são ouvidas, que ainda possui relevância atualmente”.

Peter Sutcliffe  foi preso em janeiro de 1981, acompanhado de uma prostituta chamada Olivia Reivers, por dirigir um carro com placas falsas. Só então os policiais perceberam que podiam ter tirado a sorte grande: o suspeito possuía várias características em comum com as descrições do Estripador de Yorkshire. Após dois dias de interrogatórios, Peter finalmente confessou os crimes e afirmou que havia sido guiado pela voz de Deus.

Julgado, Peter foi condenado a 20 sentenças simultâneas de prisão perpétua, o que garante que ele provavelmente morrerá na cadeia. Atualmente, o serial killer possui 74 anos e cumpre pena na HM Prison Frankland, em Durham.

A série será composta de seis episódios. Informações sobre produção e elenco ainda serão divulgadas.

O ESTRIPADOR DE YORKSHIRE

Peter Sutcliffe, que morava em Bradford, West Yorkshire, acreditava que estava em uma "missão divina" de matar prostitutas, embora nem todas suas vítimas fossem trabalhadoras sexuais. Suas outras vítimas, com idades entre 16 e 47 anos, incluíam duas estudantes universitárias, uma funcionária pública, uma atendente bancária e uma funcionária de supermercado.

O serial killer foi conhecido como o "Estripador de Yorkshire" por mutilar suas vítimas utilizando uma chave de fenda, um martelo e uma faca.


LINHA DO TEMPO:


Verão de 1975: Peter Sutcliffe começa a atacar mulheres (duas em Keighley e uma em Halifax). As três sobrevivem e a polícia não liga os ataques à mesma pessoa.

30 de outubro de 1975: Peter Sutcliffe comete seu primeio assassinato contra Wilma McCann, uma prostituta de 28 anos em Leeds.

20 de janeiro de 1976: Peter mata Emily Jackson, 42 anos, de Leeds, espancando-a com um martelo, e perfura o corpo dela com uma chave de fenda.

05 de fevereiro de 1977: Peter mata Irene Richardson, 28 anos, outra prostituta de Leeds.

23 de abril de 1977: Peter Sutcliffe ataca pela primeira vez em Bradford, onde mora. Ele mata Patricia Atkinson, de 32 anos.

26 de junho de 1977: O caso chama a atenção da imprensa nacional depois de Peter Sutcliffe matar Jayne MacDonald, de 16 anos, ajudante de uma loja. O crime, e a descoberta de que há um serial killer à solta em Yorkshire, chocam o país. O assassino é apelidado de “Estripador de Yorkshire” pela imprensa, e o comandante da polícia de West Yorkshire, Ronald Gregory, indica seu oficial mais experiente, George Oldfield, para conduzir as investigações.

01 de outubro de 1977: Peter Sutcliffe ataca novamente em Manchester – Jean Jordan, de 20 anos. Ele descarta o corpo dela em um loteamento e joga a bolsa dela em uma moita próxima, com uma nota de 5 libras novinha em folha que ele mesmo lhe dera. A polícia encontra a bolsa e rastreia o número de série da nota até a folha de pagamento da T and W H Clark, transportadora de Yorkshire, onde Peter trabalha. Ele é interrogado, mas alega que estava em uma festa e é liberado.

21 de janeiro a 16 de maio de 1978: Peter Sutcliffe mata três prostitutas – Yvonne Pearson, 21 anos, de Bradford; Helen Rytka, 18 anos, de Huddersfield; e Vera Millward, 40 anos, de Manchester.

04 de abril de 1979: Peter Sutcliffe mata Josephine Whitaker, 19 anos, atendente bancária da Halifax Building Society.

Junho de 1979: Uma fita é enviada à polícia por um homem que se identifica como “Jack, o Estripador”, e que já havia mandado uma série de cartas manuscritas de Sunderland. O investigador George Oldfield equivocadamente acredita se tratar do Estripador de Yorkshire. “Jack de Wearside”, como ficou conhecido, é rastreado até o distrito de Sunderland por linguistas. Assim, os investigadores são instruídos a descartar supeitos que não possuem sotaque da região de Wearside.

Julho de 1979: A polícia interroga Peter pela quinta vez. Os investigadores Andrew Laptew e Graham Greenwood suspeitam dele, mas o relatório é arquivado pois a voz e caligrafia do suspeito não combinam com as cartas e fitas do "Jack de Wearside".

02 de setembro de 1979: Peter Sutcliffe mata Barbara Leach, 20 anos, in Bradford.

02 de outubro de 1979: Uma operação de 1 milhão de libras é lançada para capturar o Estripador de Yorkshire.

20 de agosto de 1980: O Estripador faz mais uma vítima – Marguerite Walls, 47 anos. Em seguida, em 17 de novembro, ele mata Jacqueline Hill, estudante universitária de 20 anos. Ambas eram de Leeds.

Novembro de 1980: O Detetive Superintendente James Hobson substitui George Oldfield, e reduz a importância das fitas e cartas do “Jack de Wearside”.

03 de janeiro de 1981: Peter Sutcliffe confessa ser o Estripador de Yorkshire após ser preso na companhia de uma prostituta. A polícia admite que o assassino não possui sotaque da região de Wearside.

22 de maio de 1981: Peter Sutcliffe é condenado a prisão perpétua. O juiz recomenda uma pena mínima de 30 anos, e ele é transferido para o hospital psiquiátrico Broadmoor em 1984.

24 de maio de 1989: Sonia Sutcliffe, esposa do assassino, vence um processo contra a revista Private Eye e ganha uma indenização de 600 mil libras por difamação.

21 de março de 2006: 25 anos depois John Humble, operário da construção aposentado, é condenado a oito anos de prisão depois de admitir ser autor dos trotes do “Jack de Wearside”. John jamais cometeu qualquer outro crime e foi identificado através do DNA encontrado em uma das cartas.

01 de junho de 2006: Um relatório mantido em sigilo por quase 25 anos revela que Peter Sutcliffe provavelmente cometeu mais do que os 13 assassinatos e 07 tentativas de homicídio pelos quais foi condenado.

Abril de 2017: Peter Sutcliffe é interrogado sobre 17 casos nunca solucionados. Ele não é acusado por nenhum outro assassinato e não se sabe quais casos a polícia acredita estarem relacionados ao serial killer.

Maio de 2017: Peter Sutcliffe é investigado pelo assassinato de duas mulheres na Suécia. Os investigadores teriam coletado informações sobre as mortes de uma mulher de 31 anos encontrada em agosto de 1980, na cidade de Gotemburgo, e uma mulher de 26 anos encontrada em Malmo um mês depois. Os corpos foram encontrados em canteiros de obras.


Fonte consultada: ITV confirms new drama The Yorkshire Ripper… based on serial killer Peter Sutcliffe and the infamous murder spree that left 13 women dead. Dailymail.

Por:


Marcus Santana
Texto

Universo DarkSide – os melhores livros sobre serial killers e psicopatas

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

As últimas notícias

Categorias

× Receba nosso conteúdo no WP