Gary Ridgway: 37 anos depois, autoridades identificam vítima mais jovem do serial killer

O assassino em série Gary Ridgway aterrorizou não apenas o estado americano de Washington, mas como todo os Estados Unidos por décadas. E hoje, 25 de janeiro de 2021,...

O Assassino do Green River Gary Ridgway é escoltado após audiência judicial em 18 de fevereiro de 2011. (AP Photo/Elaine Thompson)

O assassino em série Gary Ridgway aterrorizou não apenas o estado americano de Washington, mas como todo os Estados Unidos por décadas. E hoje, 25 de janeiro de 2021, mais um capítulo de sua horrível história foi escrito.

Ele confessou mais de 70 assassinatos, mas foi condenado por 49 mortes de mulheres entre 1982 e 1998, três delas nunca foram identificadas. Mas hoje, 25 de janeiro, uma das três, cujo esqueleto foi encontrado há quase 40 anos atrás, finalmente recebeu um nome.

Ossos 10


Era um telefonema que qualquer um se sentiria assustado, mas para a força-tarefa que caçava o “Assassino do Green River”, era praticamente uma rotina.

Era 24 de março de 1984 quando o gerente de um campo de beisebol da liga juvenil em Burien, sul da cidade de Seattle, viu seu cão brincando com um osso em sua casa. O homem achou que aquele osso fosse humano e chamou a polícia. Em poucos minutos um dos policiais encontrou um esqueleto.

A vítima foi adicionada a uma assustadora lista de meninas e jovens mulheres vítimas de um serial killer desconhecido, apelidado de o “Assassino do Green River”. Esta última foi uma das seis encontradas em menos de duas semanas e recebeu a identificação de “Ossos 10 84-054800 Jane Doe 1984”. Para se ter uma ideia do macabro cheiro de sangue que pairava no ar, no dia seguinte, uma jovem chamada Cheryl Wims, de 18 anos, foi encontrada a menos de 30 metros de “Ossos 10”.

Durante 1984 a polícia passou praticamente o ano inteiro recolhendo corpos.

Apesar de encontrarem apenas o esqueleto, os investigadores perceberam que “Ossos 10” estava em posição fetal. Eles não conseguiram identificá-la, mas acreditavam que ela era uma criança ou adolescente.

Anos e décadas se passaram e nesse tempo muito mais vítimas perderam suas vítimas pelas mãos do psicopata que parecia estar descontrolado. Com o passar do tempo, e sem pistas do assassino, a força-tarefa foi perdendo força e dinheiro, até ser reduzida a apenas Um investigador.

Em 1997, quando um ex-membro da força-tarefa chamado Dave Reichert se tornou xerife, ele pressionou por mais dinheiro para os peritos forenses trabalharem. Quatro anos depois, a incansável luta dos investigadores e peritos foi recompensada com a identificação através de exames de DNA do serial killer: ele se chamava Gary Leon Ridgway.

Como parte de seu acordo judicial para não ser condenado a morte, Ridgway deveria ajudar os detetives, mas sobre “Ossos 10”, assim como muitas outras, ele não se lembrava de nada.

O assassino se declarou culpado de 49 assassinatos e foi condenado à prisão perpétua em 2003, mas o trabalho estava longe de terminar, pois três vítimas continuaram sem serem identificadas.

E agora, 37 anos depois, graças à ajuda do DNA Doe Project e da antropóloga forense Kathy Taylor, “Ossos 10” foi finalmente identificada. Ela não é mais “Ossos 10” e sim Wendy Stephens, de 14 anos.

Wendy Stephens tinha apenas 14 anos quando fugiu de casa no Colorado e pouco tempo depois foi assassinada por um dos mais infames assassinos em série do século 20. 

Em uma nota divulgada em seu site, o DNA Doe Project informa que o caso de “Ossos 10” chegou até eles em agosto de 2019. Amostras de ossos foram enviadas para o laboratório deles em abril de 2020 para extração de DNA. Dois meses depois, o DNA obtido foi enviado para sequenciamento em outro laboratório.

“Quando a bioinformática foi concluída por Kevin Lord da Saber Investigations, os resultados foram carregados com sucesso para o GEDmatch em 4 de setembro e a pesquisa começou”.

[DNA Doe Project]

Como eles descobririam mais tarde, um dos pais da Wendy fez um teste de DNA em 2019 cujo resultado estava no GEDmatch. Os pais de Wendy fizeram isso na esperança de um dia descobrirem o paradeiro da filha, mas a amostra posteriormente foi excluída devido às novas políticas do banco de dados.

Usando o FamilyTreeDNA, investigadores conseguiram identificar Wendy Stephens, nascida em 1968 e desaparecida em 1983.

Com a identificação de Wendy, das 49 vítimas oficiais de Gary Ridgway, somente duas permanecem sem identificação.

Vídeo:


Veja abaixo uma matéria legendada sobre Gary Ridgway.

Fonte consultada: Green River Killer: Youngest victim of serial killer identified. Q13 Fox Seattle;

Por:


Daniel Cruz
Texto

Universo DarkSide – os melhores livros sobre serial killers e psicopatas

http://www.darksidebooks.com.br/category/crime-scene/

Curta O Aprendiz Verde No Facebook

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

O Aprendiz Verde no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

O Aprendiz Verde no Telegram!

OAV no Whatsapp

Siga-nos no Twitter

As últimas notícias

Categorias

× Receba nosso conteúdo no WP